Inscreva-se

Motivação: entenda tudo sobre como aplicá-la na sua empresa!
Cultura da Empresa

Motivação: entenda tudo sobre como aplicá-la na sua empresa!

A motivação é a dose de disposição que necessitamos para cumprir uma tarefa — grande ou pequena. Pode surgir como o objetivo por trás de uma satisfação pessoal e profissional. O grande desafio do RH está em trabalhá-la em diferentes perfis corporativos.

Profissionais de RH, de empresas de todos os portes e segmentos de atuação, têm algo em comum: a preocupação contínua em desenvolver a motivação dos colaboradores.

Sem ela, a empresa não sai do lugar. É como acordar em uma manhã fria e lutar para sair da cama. Precisamos de motivação para espantar as cobertas e encarar o frio.

O mesmo acontece com os profissionais. Se as empresas conseguem motivá-los, a produtividade é maior, o espírito colaborativo é absorvido e os resultados aparecem.

A grande questão é: como trabalhar a motivação nas corporações? Para responder a essa pergunta, vamos colocar essa qualidade sob a lupa de um microscópio e desvendar tudo por trás dela. Assim, você consegue aplicar os diferenciais da motivação na sua empresa!

 

O que é motivação?

A motivação é a dose de disposição que necessitamos para cumprir uma tarefa — grande ou pequena. Pode surgir como o objetivo por trás de uma satisfação pessoal e profissional, e o grande desafio do RH está em trabalhá-la em diferentes perfis corporativos.

No geral, ela tem relação — direta ou indireta — às crenças e aos valores que nutrimos ao longo da vida. É o desejo de realizar algo e o incentivo em alcançar essa conquista.

Já dá para ter uma plena noção, com base nas características acima, a relevância da motivação no ambiente de trabalho, não é mesmo?

Principalmente, porque sabemos que a motivação não é algo que flui somente de dentro para fora: é também um influenciador externo. O que expõe, mais uma vez, a importância do RH dentro das empresas.

Afinal, esse elemento motivacional faz parte da rotina dos profissionais de recursos humanos. Por meio de ações inspiradoras ou que tirem os colaboradores da zona de conforto, o desafio é grande — e incessante.

Está em dúvida, ainda, sobre a importância dessa palavrinha que combina os significados de motivo e ação? Então, confira as situações a seguir para se certificar do seu valor.

Quer conhecer estratégias eficazes para motivar os colaboradores e reter os melhores talentos? Recomendamos que você baixe esse ebook gratuito! Responda o formulário e receba:


Qual é a sua importância?

Você já se deparou com um ambiente de trabalho cheio de pessoas desmotivadas? Apatia, desinteresse e baixa produtividade são sintomas comuns de quem “sofre” com isso.

Por sua vez, equipes motivadas são tudo aquilo que os líderes de uma empresa procuram: disposição, pró-atividade, alto astral e produtividade.

É claro que isso não acontece como em um passe de mágica: a motivação é um eterno passeio de montanha-russa cujo trajeto nunca é o mesmo. Pois, quando o caminho profissional cai na desinteressante rotina, a motivação deixa de ser inspiradora para muitas pessoas.

Aí está o principal aspecto que os empreendedores deveriam considerar para que a motivação seja um elemento presente nas suas empresas. Só que essa gostosa sensação também se traduz em outros benefícios, como:

  • a gestão do tempo é mais eficaz, pois as pessoas querem que cada segundo renda o esperado;
  • a autoestima é promovida também, pois os desafios se tornam estimulantes, bem como a confiança para ultrapassá-los;
  • o crescimento pessoal — e profissional — passa a ser considerado com frequência pelas pessoas;
  • o engajamento, individual e coletivo, visa também o crescimento da organização;
  • o bem-estar se faz presente nos semblantes — e ele é contagiante;
  • a reputação da empresa também é beneficiada. Afinal, quem não gostaria de trabalhar em um local que se esforça em trabalhar a motivação dos seus profissionais?

Já que podemos somar benefícios a partir de um ou mais profissionais motivados, dá para ter uma boa perspectiva do que acontece quando as pessoas estão desmotivadas, certo?

 

Quais são os impactos da desmotivação no trabalho?

A desmotivação pode acontecer por diversas razões. Entre elas:

  • falta de uma gestão participativa, preocupada no crescimento da sua equipe;
  • liderança despreocupada com a cultura organizacional da empresa;
  • salários pouco compatíveis com o que é praticado no mercado;
  • falta de um plano de carreira, que promova o desenvolvimento dos colaboradores;
  • metas inatingíveis ou pouco desafiadoras;
  • falta de reconhecimento — individual ou coletivo;
  • conflitos internos — entre os membros da equipe ou com os gestores.

Entre outros motivos que fazem com que, em curto ou médio prazo, um funcionário sorria menos, produza com menos vontade, fique mais ausente e contamine o ambiente.

Esse contágio é tão elevado quanto o bem-estar anteriormente citado. Especialmente, quando são fatores que mais pessoas podem se identificar. E, aí, o problema se acumula, colocando o RH em um ponto de pressão difícil de contornar rapidamente.

Já consegue antecipar alguns dos problemas decorrentes da falta de motivação? Pense, primeiramente, no aumento da taxa de turnover da empresa.

Mais profissionais se demitem, elevando os custos associados a isso e prejudicando todo o planejamento de crescimento corporativo.

A produtividade, antes ruim com os profissionais desmotivados, é também diretamente impactada enquanto a reposição não é feita e os recém-contratados não estão plenamente adaptados.

Prejuízos materiais, portanto, e intangíveis. Mas todos palpáveis e de grave relevância para que o RH avalie continuamente as melhores alternativas para trabalhar a motivação.

E é justamente esse aspecto que vamos considerar, no tópico seguinte, para que a maioria dos profissionais da sua empresa trabalhem com um elevado nível motivacional.

 

Como incentivar a motivação no trabalho?

Às vezes, a falta de motivação é um caso isolado. Em outros, crônica. Para ambas as situações, uma só solução: identificar a raiz do problema e lidar com ela.

Não adianta, por exemplo, investir apenas nos sintomas porque a fonte da desmotivação vai permanecer aberta.

Por isso, é fundamental ter plena noção de quais alternativas o setor de RH pode empreender para elevar a motivação geral da organização. Abaixo, algumas das principais delas:

 

Aprimore a comunicação interna da empresa

Empresas que não ouvem ou se interessam em ouvir o que o seu funcionário tem a dizer, está abrindo as portas para a completa falta de motivação se espalhar pelos corredores.

Isso porque as pessoas querem ser ouvidas — independentemente de onde se encontrem. E, ao abrir os canais de comunicação para receber novas ideias, críticas e elogios, os colaboradores sentem que contribuem com o desenvolvimento da empresa.

E, convenhamos: um espaço democrático é muito mais harmônico do que uma hierarquia engessada. Inclusive, já falamos a respeito disso em outros artigos: a liderança vertical está cada vez mais defasada e os gestores precisam do auxílio dos seus subordinados.

Algumas dicas para promover a comunicação interna:

  • e-mails;
  • aplicativos;
  • redes sociais;
  • site;
  • pesquisas de satisfação;
  • avaliações periódicas;
  • mural de avisos;
  • intranet.

Não faltam canais para abri-los e deixá-los à disposição dos colaboradores, concorda?

 

Aplique treinamentos para todas as equipes

Os treinamentos são excelentes ferramentas de retenção de talentos — cujo DNA está intimamente relacionado ao grau de motivação dos colaboradores.

Por meio deles é possível desenvolver as capacidades de todas as equipes em prol do desenvolvimento da empresa. E, consequentemente, os indivíduos adquirem mais bagagem profissional. Algo extremamente motivacional.

 

Considere o uso de ações motivacionais e inspiradoras

O que você acha das frases de motivação? Espalhá-las pela empresa pode parecer algo singelo, até singelo demais, mas tem um efeito inspirador.

Pense, por exemplo, em quantas vezes algo simples já foi suficiente para arrancar um sorriso do seu rosto. Quando as frases de motivação passam a ser frequentes e absorvidas na vida de uma pessoa, mais propensa ela fica a replicá-las no seu comportamento e atitudes.

Uma dica: use os murais de avisos da empresa ou mesmo o e-mail marketing interno para compartilhar as frases que podem contribuir com a manutenção do bem-estar coletivo.

 

Invista na cultura de feedbacks

Avaliações periódicas ajudam na compreensão da motivação — individual e coletiva. E mais: permite a identificação dos principais problemas que afetem a satisfação de todos.

Vale destacar, também, que as avaliações individuais ajudam a lapidar os trabalhadores da empresa e a amadurecer cada um deles. E isso por meio de críticas ou elogios. Além de servir para que o RH avalie a possibilidade de elaborar novos treinamentos corporativos.

 

Desenvolva um plano de carreira

A ausência de um plano de carreira está entre as principais queixas dos profissionais. Afinal, qual é o propósito em se dedicar à empresa e aos seus objetivos sem reconhecimento?

Reconhecimento e propósito: duas palavras que se complementam quando a empresa se compromete em elaborar um plano de carreira.

Assim, os seus profissionais identificam algo inspirador para que se dediquem mais até alcançar um novo objetivo. E assim sucessivamente.

 

Estabeleça metas individuais e coletivas

Além do plano de carreira, utilize as avaliações periódicas e os objetivos de cada equipe para compor uma série de metas: individuais e coletivas.

Por meio delas o colaborador pode se sentir continuamente desafiado. Para muitos, esse é um dos principais ingredientes que constituem um profissional motivado.

 

Considere o uso de sistemas de recompensas

Outra proposta consiste em dar um retorno de gratificação aos colaboradores. Pode ser a partir de uma competição interna, por exemplo, que estimula os profissionais.

Ou, se preferir, o sistema acima mencionado também pode conceder gratificações aos colaboradores que atingirem as metas.

Essa medida é bastante popular para recuperar a produtividade de equipes em curto prazo. Isso quando não existem motivos maiores por trás da queda de produção.

 

Conceda mais flexibilidade e autonomia aos profissionais

A hierarquia vertical e inflexível está com os dias contados. No seu lugar, os líderes estão aprendendo a delegar atividades e responsabilidades.

Com isso, os colaboradores agem com mais autonomia — sempre respaldados pelos seus gestores — e flexibilidade. Uma postura que, por si só, já agrega mais motivação no exercício de suas atividades.

 

Considere mudanças na política de benefícios

Existem empresas que não consideram os benefícios como parte estrutural da motivação dos seus colaboradores.

Pois imagine uma empresa que pague apenas o décimo terceiro salário, o vale-transporte, as férias e cumpra o ritual mensal de depósito do FGTS. Para muitos colaboradores, os custos adicionais — como a refeição fora do local de trabalho — já minimizam o valor do salário.

Como resultado, profissionais que “pagam para trabalhar” enfrentam a desmotivação rapidamente. Ainda mais quando a empresa não se preocupa em desenvolver os seus talentos internos — seja por meio de treinamentos ou com um plano de carreira definido.

A política de benefícios é uma ferramenta poderosa que ajuda na motivação de todos, na empresa. Convém considerar as melhores alternativas para que sejam alinhadas ao perfil do quadro de funcionários e, assim, valorizá-los ao máximo.

 

Celebre as vitórias

Quando mencionamos as gratificações estávamos falando, indiretamente, sobre a simples e fundamental valorização dos colaboradores: a celebração de vitórias.

Com metas atingidas, reúna todos e mostre os resultados da campanha. Faça questão de apontar as equipes responsáveis por isso, os diferenciais dessa conquista e os próximos passos.

Quando todos se sentem parte daquilo, a motivação é um elemento estratégico que contagia a todos. Vale a pena investir nessas atitudes simples, como esta e outros programas de incentivo, mas cheias de significados.

 

Faça pesquisas de clima organizacional

Por fim, considere a aplicação periódica de uma pesquisa de clima organizacional. Ela permite que o RH da empresa fique cada vez mais a par da situação, como um todo, e do nível de motivação de cada colaborador.

Isso tudo ajuda a compreender a origem por trás da falta de motivação em uma equipe, por exemplo, e a identificar com mais precisão as melhores soluções para cada caso.

 

Qual o papel do profissional de Recursos Humanos e do líder?

Como vimos, o setor de RH é muito ativo na construção e na manutenção da qualidade de vida no ambiente de trabalho. E isso envolve o aspecto motivacional também.

É por isso que a atenção deve ser redobrada: não apenas coletivamente, mas de maneira individualizada. Destacamos que a falta de motivação é contagiante e que, justamente por isso, os profissionais do RH devem estar preparados para resolvê-la rapidamente.

Mais que isso: antecipar os problemas também é parte desse trabalho tão multifacetado. Só que os ganhos disso são ainda maiores: muitas das alternativas que apresentamos são de baixo custo e rápida implementação.

Como resultado, uma organização pode colher os frutos de trabalhar qualitativamente a motivação dos seus funcionários — gerando uma sensação coletiva de bem-estar e que pode ser percebida também de maneira externa.

 

E então, deu para entender o que é a motivação, qual é a sua importância e o que o RH pode fazer para mantê-la elevada entre todos os departamentos?

Agora, para complementar tudo o que vimos aqui, ao longo deste artigo, não deixe de conferir também nossas dicas mais aprofundadas sobre Retenção de talentos: tudo o que você precisa para construir um time de sucesso!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *