6 métricas essenciais para o CEO reconhecer a eficácia do RH na empresa

O CEO de uma empresa é responsável por executar as diretrizes corporativas para que as estratégias e visão dos negócios sejam seguidas. Ele precisa acompanhar as métricas e objetivos de todos os departamentos para garantir o desempenho e produtividade das equipes e os bons resultados para os negócios. O departamento de Recursos Humanos também lida com esses indicadores de desempenho, tendo que seguir métricas do RH específica por meio do monitoramento de todos os colaboradores no ambiente de trabalho.

A partir dos KPIs (Key Performance Indicators – os Indicadores-chave de Desempenho), o RH consegue mensurar os resultados de cada um, acompanhando a evolução e eficiência de projetos, equipes, processos e rotinas. Dessa forma, por meio das análises realizadas, esse setor é capaz de melhorar as tomadas de decisões corporativas e a produtividade da empresa.

Ainda que seja responsável por analisar e avaliar todos os outros setores, o RH também possui métricas e metas a serem seguidas, além de precisarem provar para o CEO de sua empresa como o seu trabalho está trazendo melhorias e agregando valor aos negócios.

Muitas empresas ainda lidam com diversos problemas internos por não possuírem um departamento de Recursos Humanos em seu ambiente de trabalho e métricas do RH definidas. Isso porque diversas corporações continuam sem entender a importância do desenvolvimento humano para seus negócios.

Devido a isso, muitos profissionais do setor enfrentam diversos desafios para provar os resultados de seu departamento. O RH possui papel essencial para os bons resultados da empresa, sendo o responsável por identificar talentos, preparar cada colaborador para se adaptar à cultura empresarial, melhorar o clima organizacional, além de cuidar de diversos processos burocráticos que envolvem a gestão de pessoas.

Sendo indispensável para qualquer empresa que visa ser bem-sucedida, o RH tem a missão de demonstrar sua contribuição para os negócios. Para lidar com essa situação, é necessário contar com o apoio do CEO de sua empresa para levar até aos superiores a importância do setor.

 

As principais métricas do RH

Acompanhe a seguir, 6 métricas essenciais que o RH deve demonstrar para o CEO de sua empresa:

 

1 – Turnover

O turnover consiste na taxa de rotatividade da empresa, que compara o número de funcionários contratados e desligados durante um mesmo período.  

Para se calcular a porcentagem de turnover durante um período, é necessário contabilizar as rescisões involuntárias e as voluntárias ao longo do prazo estipulado. Em seguida, esse valor deve ser dividido pelo número de membros médio durante o mesmo período. Finalmente, esse número deve ser multiplicado por 100 para chegar a uma porcentagem.

Quer saber mais dicas de como calcular a taxa de turnover da sua empresa? Aprenda com o vídeo!

Acompanhar a porcentagem dessa taxa é essencial para as métricas do RH. Ela detecta diversos problemas internos, pois quando o valor encontrado é alto, pode estar demonstrando uma baixa atratividade em relação ao mercado, falhas na gestão, erros nas contratações e processos seletivos, insatisfação de funcionários, entre outros motivos. Além disso, a frequência alta de desligamentos geram custos adicionais para a empresa, como pagamentos de rescisões contratuais e gastos com novas contratações.

Que tal baixar uma planilha para controlar a taxa de turnover da sua empresa. É gratuito, acesse o link.

2 – Indicadores de recrutamento e seleção

Indicadores de recrutamento e seleção é uma métrica muito importante e usada pelas organizações para medir o número de dias entre a publicação de uma vaga de emprego até que um profissional aceita a oferta. Ela é usada para medir a eficácia dos recrutadores dentro de uma organização e seus métodos de selecionar candidatos.

Entender como a empresa encontra seus talentos pode ser a chave para promover uma maior eficiência e reduzir o tempo de busca por profissionais com o perfil que se encaixe na organização.

Para muitas organizações, essa taxa deve ser a menor possível para minimizar a perda de produtividade de sua equipe, pois quando a espera é demorada, pode-se considerar que há alguma falha no processo.

Mas, é necessário saber que cada empresa possui formas diferentes de mensurar esse tempo, podendo variar, por exemplo, para cada tipo de cargo. Em situações que a vaga aberta exige conhecimentos técnicos e especializados, a duração da seleção pode ser mais longa, sem indicações de que haja algum problema no recrutamento.

Para auxiliar o RH com essa métrica, há diversas soluções tecnológicas no mercado capazes de simplificar o processo e eliminar falhas. Por meio de softwares de rastreamento de candidatos, que podem facilitar a revisão dos currículos recebidos e otimizar as entrevistas, os recrutadores podem selecionar apenas os candidatos que se destacaram.

 

3 – Proporção recursos humanos por empregado

É importante acompanhar a relação RH-empregado de acordo com o tamanho da organização. O departamento de RH possui quantos colaboradores? E eles são responsáveis por lidar com quantos funcionários da empresa? Há diversos debates sobre a proporção ideal para cada organização.

Quando uma empresa conta com poucos profissionais de RH em seu ambiente de trabalho, diversos problemas podem acontecer, como a diminuição do desempenho da equipe, o não alinhamento a cultura organizacional, problemas legais, entre outros.

O cálculo dessa taxa é simples. É necessário dividir o número de membros da equipe de RH pela a quantidade total de funcionários da empresa e, em seguida multiplicar o resultado por cem para se encontrar a porcentagem da métrica.

 

4 – Plano de carreira

O movimento dos funcionários dentro das organizações modernas tornou-se multidirecional, o que significa que é possível a realização de movimentos laterais em departamentos e especialidades. Facilitando assim, a realização de promoções internas, ao invés de utilizar a contratação externa.

Quando o RH coloca em prática esse indicador, é possível ter grandes vantagens competitivas. Por exemplo, caso a vaga fosse preenchida por um funcionário de fora, que ainda precisa se adaptar a empresa, o tempo de espera para que ele começasse a entregar resultados seria relativamente maior do que se um funcionário interno recebesse uma promoção.

Portanto, é essencial que o RH faça uma boa gestão e tenha definido um bom plano de carreira dentro da organização.

Para calcular esta métrica, é preciso apenas dividir o número total de promoções pela soma de todas as mudanças de função, independentemente de ser um movimento ascendente ou lateral.

 

5 – Receita por empregado

Uma das principais métricas do RH, ela representa o quanto cada empregado custa para a empresa. Para calculá-la, é preciso dividir a receita anual da empresa por parte do empregado em tempo integral. Ela é muito usada pelos CEOs para medir a eficiência geral da empresa.

Por meio dela, é possível também mensurar o retorno financeiro trazido por cada funcionário. Para isso, é necessário realizar a relação entre o lucro da empresa e o número de profissionais em sua folha de pagamento.

 

6 – Satisfação dos funcionários

Esse é um indicador subjetivo, que necessita uma avaliação ampla, envolvendo várias questões, como as relacionadas a salário, ambiente de trabalho, pacote de benefícios, entre outras.

A satisfação dos funcionários é uma métrica do RH que pode representar um grande diferencial competitivo. Em tempos em que a competitividade é grande, contar com profissionais comprometidos com seu negócio é essencial. Portanto, é essencial ter elementos que motivam sua equipe, que não sejam necessariamente a questão salarial. Isso pode aumentar consideravelmente a produtividade dentro da organização.

Quer saber mais sobre as métricas do RH? Assine a newsletter do blog e receba nossos principais conteúdos 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *