Inscreva-se

12 métricas de recrutamento para começar a acompanhar agora!
Admissão

12 métricas de recrutamento para começar a acompanhar agora!

As métricas de recrutamento são indicadores da eficácia do processo seletivo aplicado na empresa. Para ajudar, vamos apresentar 12 dessas métricas. Entre as principais:

  1. Tempo para contratar;
  2. Custo de contratação;
  3. Turnover das contratações recentes;
  4. Processos concluídos dentro do prazo;
  5. Funil de contratação;
  6. Motivos para fechamento fora do prazo;
  7. Candidatos qualificados por vaga;
  8. Duração da oferta de vaga;
  9. Índice de aceitação de candidato;
  10. Contratações x impacto em metas
  11. Investimento em admissão;
  12. Retorno de investimento em treinamento.

O setor de RH possui múltiplas responsabilidades, hoje em dia. Mas, é indiscutível o processo de recrutamento e seleção permanece uma das atividades mais importantes do departamento.

O ponto-chave para avaliar a eficácia do time é: quais são as principais métricas de recrutamento que vocês monitoram na sua empresa?

Afinal, por meio delas é possível identificar o que tem funcionado e o que pode estar gerando elevados custos para a empresa — como o elevado custo com turnover.

E é por isso que, ao longo deste post, nós vamos destacar a importância acompanhar esses indicadores e destacar 12 métricas de recrutamento que podem fazer toda a diferença para mensurar a taxa de sucesso de todo o processo de recrutamento e seleção da empresa!

Boa leitura!

 

A importância das métricas de recrutamento

Para atingir o nível de excelência desejado — seja para desenvolvê-lo ou para a sua manutenção —, é fundamental ter indicadores sob monitoramento.

No caso das métricas de recrutamento, a empresa obtém uma poderosa ferramenta para acompanhar a eficácia desse processo.

Por exemplo: se as demissões ocorrem em uma frequência acelerada, algo não está em acordo com o que a empresa busca. Claro que os motivos para os desligamentos — voluntários ou não — são variados, mas descobrir esses motivos qualifica a equipe de RH.

Pois é a partir da identificação de uma causa que se estabelecem soluções. Além disso, vale destacar que as soluções tecnológicas atuais, como um versátil software de gestão do RH, permitem a avaliação de índices com mais facilidade.

Como resultado, a empresa fica sob um constante monitoramento, atualizado em tempo real, para garantir que os resultados permaneçam cada vez melhores.

Para que a rotina do RH em sua empresa seja potencializada com os índices que ajudam a balizar as estratégias corporativas, vamos ver então as 12 métricas de recrutamento que separamos para você avaliar a relevância delas no contexto do seu dia a dia?

Quer planejar um processo de recrutamento e seleção eficaz? Recomendamos que você baixe esse ebook gratuito! Nele você descobrirá estratégias e táticas essenciais para fazer um processo de sucesso. Responda o formulário e receba:


As 12 métricas de recrutamento para acompanhar

Abaixo, destacamos métricas de recrutamento gerais, daquelas que podem ter tudo a ver com o momento de sua empresa, e outras das quais vale a pena considerar futuramente. São elas:

 

1. Tempo para contratar

Todo processo de recrutamento e seleção demanda um investimento em tempo e recursos para que ele seja realizado e concretizado.

Dessa maneira, é importante saber uma média do período que vai exigir um processo seletivo na empresa. Caso seja rápido demais, isso pode ser uma das causas para a baixa eficácia nas contratações realizadas.

Caso demore, por sua vez, muito tempo e recursos estão sendo direcionados para a atividade. No fim das contas, pode estar custando demais à empresa, com poucos resultados.

Um bom cálculo para identificar o tempo médio para contratar é o seguinte: tempo que a empresa demora para preencher uma vaga / número de vagas.

Se o resultado parecer elevado demais — sempre convém avaliar a média praticada no mercado para se certificar disso — é hora de rever os conceitos aplicados internamente.

 

2. Custo de contratação

Entre as métricas de recrutamento mais relevantes, o custo de contratação deve ser considerado, sem dúvidas, na sua empresa.

E sabe por quê? Por meio desse indicador o setor de RH sabe o quanto investe na atividade em custos gerais. Por exemplo:

Entre outros investimentos usados para minimizar o tempo de seleção e o trabalho de filtragem dos candidatos, entrevistas e as outras etapas do processo seletivo.

Como em todas as áreas corporativas, o ideal é que esse custo médio seja potencialmente reduzido, ao longo do tempo, sem perder a eficácia na precisão da escolha de candidatos.

 

3. Turnover das contratações recentes

A rotatividade de colaboradores em uma empresa diz muito sobre a saúde dela, o nível de satisfação dos seus profissionais e o poderio de retenção de talentos internamente.

Afinal, quando as pessoas mais saem do que permanecem na empresa, algo está errado. E isso pode estar sendo ocasionado por alguma falha no processo de recrutamento.

Não é o único fator, é verdade. Mas quando a cultura organizacional da empresa se preocupa com a qualidade de vida dos seus profissionais, investe em um plano de carreira e tem muito bem mapeada as necessidades para o preenchimento de cada vaga, o turnover diminui.

E é de se destacar o quanto o elevado índice de rotatividade custa às empresas. Só com os encargos trabalhistas, o investimento em admissões e os treinamentos e integrações dos recém-contratados já são suficientes para considerar o acompanhamento dessa, entre outras métricas de recrutamento.

 

4. Processos concluídos dentro do prazo

Como um complemento à primeira das métricas de recrutamento que destacamos, convém ter sob monitoramento também quais processos foram concluídos no prazo.

E o motivo para isso se explica facilmente: se há um mapeamento do processo seletivo e um tempo médio para a sua realização, quando o mesmo não é cumprido, problemas surgem.

Entre eles, o desperdício de tempo, dinheiro e recursos humanos. Só que, muitas vezes, essa demora pode estar relacionada à dificuldade em encontrar profissionais qualificados para preencher as oportunidades em aberto.

Nesses casos nós recomendamos que o RH da empresa conheça, de maneira antecipada, outras soluções para qualificar o recrutamento.

A contratação pontual de um headhunter, por exemplo, pode agilizar a etapa do processo e ser mais econômica do que o atraso na conclusão do processo seletivo.

 

5. Funil de contratação

Mais uma das principais métricas de recrutamento. Aqui, afinal, está concentrada toda a ideia de mapear o processo seletivo da empresa. Em geral, ela segue a seguinte ordem:

  • seleção dos candidatos;
  • candidatos qualificados;
  • finalistas para a tomada de decisão;
  • contratação dos candidatos preferidos.

Cada etapa pode ter subetapas para a sua realização. Mas, ao saber com antecedência quais são, e como prosseguir, os profissionais do RH se preparam com mais facilidade.

 

6. Motivos para fechamento fora do prazo

Similar à quarta métrica de recrutamento aqui apresentada, esse indicador tem como meta destacar não a quantidade de processos no prazo, mas os motivos pelos quais o procedimento não foi concluído a tempo.

Isso ajuda a identificar os gargalos produtivos que têm impedido o RH de trabalhar de maneira adequada. Serve, portanto, como um complemento aos números avaliados em outras métricas de recrutamento.

Para tanto, recomendamos que os seus colaboradores utilizem essa métrica como um relatório, expondo os motivos pelo problema acontecer, os detalhes da oportunidade e as ações adotadas para remediar o problema de acontecer novamente.

 

7. Candidatos qualificados por vaga

Indicativo simples de acompanhar, que deve ser anotado ao fim da primeira etapa de seleção dos candidatos a uma oportunidade na empresa.

Por meio do monitoramento desse dado a sua equipe já sabe, de antemão, quais são as vagas que mais exigem atenção na seleção de candidatos. Às vezes, cargos de liderança podem trazer menos pleiteantes à vaga, o que dificulta a sua realização.

Trata-se de uma possibilidade de antever os problemas para ter as melhores soluções já mapeadas antes que eles se apresentem durante a realização do processo de recrutamento.

 

8. Duração da oferta de vaga

Toda oportunidade aberta na empresa deve ter um prazo definido. Isso evita custos maiores com a plataforma onde a vaga foi publicada, por exemplo, e com o tempo investido dos profissionais do RH, entre outros gastos.

Além disso, cria um senso de prioridade para que a oportunidade seja muito bem avaliada e conduzida dentro do prazo. Uma importante métrica que deve ser considerada dentro das particularidades de cada vaga em aberto na empresa.

 

9. Índice de aceitação de candidato

Essa é também uma das métricas de recrutamento que convêm manter atenção redobrada.

Afinal, trata-se do número de candidatos que aceitaram as condições da oferta de trabalho e o volume de candidatos que visualizaram ou receberam a oportunidade.

Isso diz muito, para os profissionais de RH, pois se a adesão foi considerada baixa, algo pode estar errado na confecção da oportunidade.

Pode ser, por exemplo, os benefícios, os salários praticados e até mesmo a reputação da empresa — digamos que exista uma alta rotatividade interna por conta de uma má gestão organizacional. Com o tempo, menos pessoas se aplicam às oportunidades dessa empresa.

 

10. Contratações x impacto em metas

A contratação planejada surtiu o efeito esperado ou mais pessoas tiveram que ser contratadas até que a reposição surtisse efeito?

Com isso, esse tipo de métrica de recrutamento ajuda a identificar se o perfil desejado, as competências e habilidades e o comportamento dos candidatos selecionados são, de fato, colocados à prova — o que pode evidenciar um trabalho falho da parte dos recrutadores.

 

11. Investimento em admissão

Essa é um indicador importante, que permite a avaliação do total investido em admissões em comparação com o montante associado aos pagamentos e benefícios dos profissionais contratados.

Assim, é possível avaliar o quanto é gasto no processo seletivo da empresa, e o quanto esse valor se mostra atrativo tendo como base todos os encargos necessários para manter os colaboradores recém-contratados.

 

12. Retorno de investimento em treinamento

Por fim, para finalizar nossa lista com as métricas de recrutamento selecionamos o retorno sobre o investimento em treinamento.

E sabe qual é a importância disso para os recém-contratados? Pois são custos relativos às admissões e, se um profissional passa por todo esse processo e se demite em um mês, o ROI (retorno sobre o investimento) foi baixíssimo.

É, portanto, importante avaliar esse dado para garantir que a saúde financeira da empresa permanece estável dentro do aceitável de entradas e saídas ao longo do ano.

 

E então, deu para entender agora a relevância em monitorar as métricas de recrutamento e como as principais delas podem ser associadas à rotina da sua empresa?

Quer qualificar ainda mais a sua equipe e destacar a relevância desses indicadores? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e aproveite para marcar os colaboradores que vão fazer bom uso das dicas que selecionamos aqui!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *