mercado de câmbio

Mercado de câmbio: os conceitos básicos para como começar a investir

Mercado de câmbio é o local onde moedas estrangeiras são trocadas entre agentes econômicos de todo mundo. Neste espaço, encontram-se compradores e vendedores que realizam as chamadas divisas, permutas das moedas, guiadas por taxas cambiais, que viabilizam essa paridade de capital. 

É graças a essa correspondência que compras e vendas podem ser feitas no exterior, seja de um produtos de varejo ou até de títulos e ações de marcas globais. 

Para te ajudar a entender melhor os detalhes dessas transações, separamos as principais informações do mercado de câmbio e os detalhes essenciais para quem visa iniciar investimentos no exterior. Confira!

O que é mercado de câmbio?

Mercado de câmbio é um espaço mundial onde moedas de um país são trocadas por moedas de outro. Agente econômicos, pautados por regras cambiais, gerenciam essas relações de permuta, que são conhecidas como divisas.

Como a moeda de cada país tem um valor distinto diante do comércio internacional, o mercado de câmbio realiza a avaliação desses valores, uma em relação a o outra, por meio de taxas cambiais, para validar as divisas.

O seu funcionamento é de 24 horas por dia e cinco dias por semana. As moedas são negociadas nas maiores Bolsas de Valores e mercados do mundo, tais como Zurique, Hong Kong, Nova York, Tóquio, Frankfurt, Londres, Sydney e Paris. Isso quer dizer que o mercado de câmbio está ativo em praticamente todos os fusos horários; quando  abrem as primeiras operações asiáticas, fecham as últimas transações norte americanas.

Diversas operações são negociadas no mercado de câmbio, desde simples pagamentos e recebimentos em moeda estrangeira a participações em processos de investimento e especulações.

Como funciona a taxa de câmbio?

Assim como já dissemos, as moedas estrangeiras não possuem o mesmo poder de compra no mercado internacional, por isso precisam de uma taxa que as tornem comparáveis. 

A taxa de câmbio é a ferramenta que possibilita essa troca monetária. Grosso modo, é o preço de uma moeda estrangeira medido em unidades (reais) ou frações (centavos) da moeda nacional.

Na maioria dos países, a taxa é definida no mercado de câmbio sem a intervenção governamental. No caso do Brasil, o Banco Central (BC) apenas acompanha a taxa média oficial trabalhada no mercado, também chamada de Ptax, para divulgá-la.

A taxa de câmbio pode ser apresentada de duas maneiras:

  • Direta ou ao Incerto: quando a taxa apresenta a paridade em valores da moeda estrangeira para a nacional. Exemplo: 1,00 BRL = 0,25 USD;
  • Indireta ou ao Certo: quando a taxa apresenta a paridade em valores da moeda nacional para a estrangeira. Exemplo: 1,00 USD = 4,00 BRL.

Além disso, ela pode ser de regime fixo (valor da moeda-lastro é definido pelo governo), flutuante (valor definido conforme a oferta e a procura) ou híbrido (intervenção do BC quando os valores chegam próximo a um dos limites máximo ou mínimo); tudo depende da política cambial do BC de cada país.

Há também taxas para situações de compra e venda. A taxa de venda é o preço que uma instituição bancária cobra para vender uma moeda estrangeira, e o de compra, o valor que ela aceita pagar para adquirir tal moeda. A diferença entre esse valores de compra e venda é chamado de spread

Quem pode comprar e vender moeda estrangeira?

Qualquer pessoa pode operar no mercado de câmbio para realizar transações de compra e venda de moeda estrangeira, desde que apresente um respaldo documental. Em outras palavras, tenha um contrato de câmbio.

Esse documento formaliza as operações no mercado, trazendo as principais informações relativas à moeda, à taxa, ao valor correspondente, dados dos envolvidos no processo de compra e venda, dentre outros. Os contratos devem ser registrados no Sisbacen (Sistema de informações do BC). 

Além disso, é verificado a legalidade das operações. Grande parte das definições de atividades lícitas no mercado de câmbio estão disponíveis no  seu regulamento. E se as operações em questão estiverem expressamente regulamentadas, não é preciso nem da autorização do BC para efetuá-las.

Quem são os traders do mercado de câmbio?

Confira a seguir, as funções e motivações dos principais traders do mercado cambial.

 

Bancos Centrais

Um dos traders mais influentes do mercado de câmbio é o Banco Central. Em muitos países, o BC é uma extensão do governo pois conduz a política de atuação em conjunto. 

Contudo, alguns governos optam por um BC mais independente, por acreditarem que assim o crescimento econômico ganha mais estímulos. Principalmente para equilibrar os objetivos de reduzir as taxas de juros e controlar a inflação.

Independentemente do nível de independência, os governos realizam consultas regulares aos BCs para alinhar as políticas monetárias do país.

 

Instituições financeiras

Outros players de destaque são os bancos. O mercado interbancário realiza transações de grandes proporções, determinando o preço da moeda que os traders individuais terão nas suas plataformas de trading.

Essa negociação entre bancos utiliza sistemas de corretagem eletrônica baseadas em crédito, por isso precisam possuir uma relação desta entre si. Numa lógica simples, quanto maior o banco, maiores são suas relações de crédito. Por isso, melhores são as condições oferecidas aos seus clientes.

Muitas pessoas que precisam de moedas estrangeiras para negociações de pequena escala recorrem às instituições bancárias para trocas cambiais. 

 

Hedgers

Hedgers são protetores de investimento, que realizam operações que diminuem ao máximo a perda de capital pela oscilação da moeda, em importações, exportações, investimentos, negociações na Bolsa de Valores, dentre outros.

Como os maiores clientes dos bancos são empresas que lidam com transações internacionais, os hedgers oferecem estratégias de cobertura de risco que as protegem de uma perda financeira significativa.

 

Especuladores

Outra classe de traders do mercado de câmbio são os especuladores. Diferente dos demais, que se protegem com estratégias de cobertura de risco contra a instabilidade das taxas de câmbio ou que trocam moedas para financiarem operações internacionais, os especuladores desenvolvem transações que tiram vantagem da flutuação dos níveis de oscilação.

Em outra palavras, os especuladores empregam fundos de cobertura não regulamentados com estratégias não convencionais para colherem grandes retornos .

 

Vu, só? O mercado de câmbio permite que grandes operações sejam viabilizadas, universalizando o comércio. Ele possui o maior índice de liquidez do mercado financeiro, principalmente pelo fato de que, cada vez mais, cresce o volume e a facilidade para realizar transações internacionais. 

Desta forma, conhecer os conceitos básicos do mercado de câmbio pode ser um diferencial estratégico para a sua empresa, ainda mais se ela visa começar a investir em mercados estrangeiros e ampliar suas formas de otimização monetária.

Gostou? Então, compartilhe nas suas redes sociais com quem também possa se interessar!

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.