Por meio da ciência dos melhores relatórios de RH, qualquer organização pode colocar o seu setor em ordem, identificando as necessidades, carências e oportunidades. Para tanto, convém ter em mente os objetivos para o crescimento da empresa e, assim, saber quais métricas acompanhar constantemente.

 

Por meio de dados confiáveis, precisos e emitidos em tempo real para a análise dos seus colaboradores, qualquer empresa consegue gerar insights úteis e valiosos para o desenvolvimento da empresa. É aí que reside a grande importância em saber quais são os melhores relatórios de RH.

Com o auxílio deles, você pode identificar quais dos seus objetivos não estão sendo monitorados devidamente — ou sequer controlados — ou, ainda, quais métricas podem fazer parte da rotina dos seus profissionais.

Então, acompanhe-nos e descubra os melhores relatórios de RH e insira-os entre as responsabilidades dos seus colaboradores!

As métricas de RH que valem a pena acompanhar

Apesar do trabalho em geral fazer parte da rotina do RH, existem alguns aspectos que devem ser monitorados para garantir uniformidade ao desenvolvimento interno. Essas são, portanto, as principais métricas de RH.

Com isso, a tomada de decisão da empresa se torna mais e mais preditiva do que uma aposta. Nada melhor do que a certeza para evitar erros, prejuízos e desperdícios, não é mesmo?

Veja quais são os melhores relatórios de RH com base nessas métricas indispensáveis para o seu RH:

  • taxa de turnover dos colaboradores, já que isso contribui com a fácil identificação de fatores que possam estar interferindo na retenção de talentos;
  • equidade dos cargos, aprendendo a valorizar todos os profissionais, independentemente de origem, credo, raça ou gênero. Uma cultura aberta a todos agrega valor, melhora a motivação geral e atesta o óbvio com muito bom gosto: todos os colaboradores são iguais. Mede-se, com isso, a eficiência;
  • ausências, permitindo a observação de faltas — justificadas ou não — em excesso e, assim, evoluindo para uma investigação a respeito dos motivos para esse índice estar tão elevado.

Além disso, é sempre importante considerar, ao pensar nos melhores relatórios de RH, quais são as performances que podem apresentar, mesmo que indiretamente, um problema maior por trás?

Por exemplo: o próprio índice de rotatividade citado acima pode significar a presença de um gestor tóxico, que não sabe lidar ou liderar a sua equipe. Aí, convém avaliar a melhor solução para isso, em vez de avaliar as ações de demissão e contratação de novos colaboradores.

As métricas que devem ser lidadas com cuidado

A idade, por exemplo, está entre os melhores relatórios de RH porque permite um conhecimento mais amplo a respeito do seu quadro de funcionários. Entretanto, atenção: faça isso pelas razões certas.

Afinal de contas, a discriminação por conta da idade é mal vista e pode gerar processos para a organização. Além de ser uma prática irrelevante e danosa, apenas.

No entanto, quando a idade está presente nos melhores relatórios de RH, ela está associada ao planejamento antecipado e pontual para a sucessão de líderes, em casos de aposentadoria, por exemplo.

Assim, tem-se tempo de sobra para a realização desse projeto, formando novos líderes, e garantindo que o novo profissional vai absorver com qualidade todas as responsabilidades do cargo.

O apelo para tornar os melhores relatórios de RH mais atrativos

Muitas pessoas carregam dramas intensos com os relatórios, atestando que eles são chatos, burocráticos e ininteligíveis, até.

Só que vale a pergunta: eles precisam, mesmo, ser insossos e pouco apelativos? Nossa certeza é a de que é possível fazer com que os melhores relatórios de RH despertem a atenção e o interesse de todos na organização. Para isso, basta seguir com algumas dicas que separamos logo a seguir, veja só:

  • não inclua apenas números. No lugar, aprenda a contar uma história, contextualize e desperte o interesse com base na premissa, o desafio e o desfecho. Sim, assim como é uma boa história;
  • por sua vez, o impacto deve ser imediato, logo no início da leitura. Não deixe que os profissionais decifrem a mensagem: ela deve ser a mais objetiva, clara e transparente possível;
  • torne o texto humanizado. Não deixe-o robótico e burocrático. Dialogue com a sua audiência;
  • adicione termos e elementos visuais que atraiam e mantenham a atenção dos leitores. Use, portanto, gráficos, fotografias e vídeos, entre outros;
  • se possível, invista em interatividade para que a leitura dos melhores relatórios de RH vá do início ao fim e deixe um gostinho de “quero mais” após finalizada.

Viu como você não precisa focar em dezenas e mais dezenas de métricas? Foque, inicialmente, nos melhores relatórios de RH para, em seguida, explorar os melhores meios para que os relatórios sejam do interesse de todos.

 

Sua empresa já investe nesse tipo de alternativa para agregar mais valor às ações de RH? Então, compartilhe conosco as suas experiências no assunto, no campo de comentários deste post!