melhorar o time com diversidade

Como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura?

A questão da diversidade no trabalho vem sendo cada vez mais abordada nos últimos anos, forçando organizações a repensarem as suas políticas internas e o seu posicionamento de marca. Mais do que atender à Legislação, em relação a obrigatoriedade de contratação de Pessoas Com Deficiência (PCD), a diversidade agora envolve pluralidade.

Grosso modo, diversidade no trabalho pode ser definida como a formação de um time de profissionais que tenha representatividade compatível com a heterogeneidade da população, seja por questões étnicas, etárias, sociais, de sexo, de gênero, de orientação sexual,  religiosas, deficiências, e assim por diante.

Se você quiser saber mais sobre discriminação no ambiente de trabalho, recomendamos a leitura deste material aqui.

Agora, para entender os principais motivos de investir nessa multiplicidade no negócio, continue acompanhando o post. Veja em detalhes como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura. Boa leitura!

O que é diversidade no local de trabalho?

Assim como dissemos, diversidade no trabalho está ligada a pluralidade. Ou seja, a variedade de características culturais, sociais e pessoais que definem o corpo de funcionários, sem discriminação ou preconceito.

Idade, sexo, identidade de gênero, orientação sexual, religião, etnia, deficiências, classe social, crenças,  dentre outras qualidades são consideradas nessa composição.

Essa multiplicidade agrega opiniões mais democráticas e reais que defendem diferentes vieses da sociedade, tornando as estratégias do negócio mais assertivas e eficientes. 

Além disso, o sentimento de inclusão e acolhimento impulsionam a satisfação, bem-estar e motivação da força de trabalho, otimizando o seu rendimento, compromisso e produtividade.

Em outras palavras, pensar em diversidade no ambiente profissional é avaliar de que forma uma empresa se posiciona na sociedade. É uma questão de fundo ético, porque diz respeito à equidade, dignidade e liberdade da sua própria força de trabalho, e também de fundo tático, porque agrega valor comercial.

Vale pontuar que a contratação desses profissionais é apenas o primeiro passo para usufruir dos benefícios da diversidade, é indispensável adotar iniciativas que transformem a sua cultura organizacional. 

Somente empregando valores que estimulem a inclusão, será possível entender como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura.

Qual a importância da inclusão?

A sociedade brasileira ainda apresenta níveis alarmantes de desigualdade, e grande parte de suas empresas ainda reflete esta realidade.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social com as 500 maiores empresas do país em 2016, apenas 2% de seus funcionários eram PCD. Ou seja, o valor mínimo de contratação exigido pela Lei de Cotas (Lei nº 12.711).

Quase 59% das vagas de estágio eram compostas por mulheres, mas somente 13,6% em vagas executivas. E mais, os seus salários eram pelo menos 30% inferiores aos de homens que ocupavam os mesmos cargos. 

Na época, não existia sequer um executivo de origem indígena. 94,2% desses cargos pertenciam a pessoas brancas.

Valores impressionantes para um país tão miscigenado, não é mesmo? Hoje, a realidade não é tão distante. Justamente para tentar reverter esse quadro e promover a justiça social no universo profissional, a inclusão da diversidade passa a ser estimulada no mercado.

Através da integração de novos conhecimento socioculturais, visões de mundo, opiniões, talentos, habilidades técnicas, é possível entender como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura.

A verdadeira inclusão é capaz de remover as barreiras da discriminação e da intolerância, por isso é medida indispensável para qualquer organização.

Quais os benefícios de uma cultura voltada para a diversidade?

Para te ajudar entender como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura, mais adiante vamos explorar algumas iniciativas certeiras para implementar no seu negócio. Mas antes disso, vamos ver os principais benefícios de adotar uma cultura organizacional voltada para a diversidade.

Aumento da criatividade organizacional

Quando pessoas possuem um repertório de experiências muito semelhante, é natural que tenham pontos de vista parecidos. E em um ambiente de trabalho, essa afinidade frequente de pensamentos pode representar um limite de desenvolvimento. 

Justamente por isso, empregar profissionais com diferentes perfis e perspectivas pode trazer um grande potencial de inovação a organização.

 Essa pluralidade permite que um confronto saudável de opiniões seja realizado, estimulando a criatividade organizacional para resolver problemas, criar soluções inovadoras, entender as demandas e necessidades do cliente, atender o público, estudar o mercado, ou mesmo, estruturar um clima mais dinâmico e respeitoso. 

Ou seja, as operações do negócio ganham novas alternativas de desenvolvimento, por isso a inclusão deve ser um valor defendido em sua cultura.

Valorização da imagem pública

Melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura também traz benefícios para a imagem da organização.

Diretrizes que valorizam a diferença ganham visibilidade diante do mercado, principalmente perante clientes e investidores. Isso porque além de se vista como uma instituição que cumpre com seu papel social, ainda estimula a identificação.

Essa postura consciente e inclusiva faz com que, até mesmo concorrentes, se identifiquem com os valores pregados, admirem a conduta e incentivem a construção positiva da sua employer branding.

Como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura é uma necessidade estratégica, as organizações devem investir de forma expressiva e responsável. 

Atração e retenção de talentos

Certamente, a popularização de uma imagem inclusiva é um fator decisivo para atrair novos talentos. Seguindo uma lógica simples, quem não quer trabalhar em um organização que valoriza as diferenças que definem a pessoa que você é? Pois, é!

Empresas que sabem como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura são vistas como respeitosas, inovadoras, descontraídas e responsáveis. Por isso não só atraem talentos ímpares, como também os retém e minimizam as prejudiciais taxas de turnover.

Para muitos deles, estar em um ambiente seguro e humanizado é um benefícios muito mais importante do que salário, por isso ter uma cultura organizacional que defenda essa condição é essencial nesse processo.

Aumento da competitividade da empresa

Como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura é uma medida que estimula a felicidade e a satisfação, a otimização da sua produtividade é uma consequência inevitável. 

Uma cultura organizacional que valorize a diversidade cria um ambiente de trabalho mais estimulante, que promove a motivação da força de trabalho. Por efeito, a competitividade do negócio no mercado também é fortalecida.

Segundo uma pesquisa da McKinsey & Company, organizações com diversidade étnica possuem 33% mais chances de sucesso, e aquelas com diversidade de gênero costumam ser 21% mais lucrativas.

Quais Iniciativas adotar para fortalecer uma cultura diversificada?

Afinal, se a contratação desses profissionais é só o primeiro passo, como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura? Confira a seguir, algumas iniciativas certeiras que vão ajudar a fortalecer esses valores na cultura organizacional do seu negócio.

1. Conhecer o próprio negócio

A primeira iniciativa para fortalecer uma cultura organizacional diversificada é levantar informações qualitativas e quantitativas e mapear a atual composição demográfica da empresa.

As lideranças têm papel fundamental nesse processo de obtenção de dados, porque conhecem as demandas e fluxos processuais melhor do que qualquer um, facilitando a logística da operação. 

Informações como a relação com o meio ambiente, participação de atividades sociais, satisfação com a cultura, motivação individual, preferências do perfil sociocultural, dentre outros deverão ser computadas. E mais, é importante notar como a força de trabalho se sente ao expor essas opiniões.

Vale pontuar que, principalmente, para desvantagens apontadas nesta pesquisa inicial, é essencial identificar se a cultura da diversidade melhoraria a visão da situação. Afinal, a meta é entender como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura.

2. Mudar a postura organizacional

Para fortalecer uma cultura organizacional diversificada é preciso acreditar nela. As diferenças das pessoas, sejam em relação a pensamentos, personalidade, gênero ou características físicas, culturais e étnicas, devem ser efetivamente respeitados e jamais vistas como elementos diminutivos.

É preciso que sentimentos como a empatia e a deferência estejam presentes no dia a dia, em cada atividade ou processo da empresa. As lideranças têm papel fundamental nesse estímulo cotidiano.

Além disso, as instalações e práticas organizacionais também devem ser ajustadas para não discriminar ou constranger de forma inadequada, mesmo que sem intenção, esses profissionais. Vamos ver alguns exemplos? 

Considere que um processo de recrutamento e seleção é aberto para PCDs, mas a empresa é desprovida de rampas de acessibilidade. Ou pessoas transgênero são contratadas, mas a empresa não possui normas sobre o uso dos banheiros. Imagine que pessoas atéias ou protestantes sejam contratadas e a política da empresa incite a religião católica constantemente. Ou ainda, que mulheres sejam contratadas para cargos executivos, cujos liderados sejam misóginos declarados. 

Reestruturar o ambiente laboral e rever algumas posturas é medida indispensável para ser capaz de melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura.

3. Criar novos valores

Outra iniciativa importante para desenvolver uma cultura diversificada é criar novos valores que sejam condizentes com essa evolução. 

O respeito ao próximo, colaboração coletiva, tratamento igualitário e inclusivo, oportunidades democráticas, tolerância e empatia, são alguns exemplos de valores que devem estar explícitos no código de conduta e ética da empresa.

Mais do que isso, é preciso que as políticas internas do negócio sejam todas revistas para atenderem a esses novos valores, do processo de recrutamento às políticas de desligamento

Além disso, como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura não é um processo de um dia para o outro, esses valores precisam ser implantados, reforçados e sustentados até que sejam compartilhados e vividos pela organização.

4. Preparar a equipe

Para que o plano funcione, é preciso que a equipe esteja bem preparada para a mudança. Ou seja, medidas instrutivas deverão ser realizadas com critério e rigor, seja por meio de treinamentos técnicos, atividades de conscientização, palestras motivacionais e educacionais, dinâmicas que fomentem a inclusão e a pluralidades, e assim por diante. 

Evidentemente, haverá resistência por parte de alguns colaboradores. Nestes casos, uma orientação mais íntima e individual deverá ser adotada. A equipe de Gestão de Pessoas (GP) poderá auxiliar no processo.

Novos hábitos podem ser assustadores, e a quebra de tabus, paradigmas, estereótipos, preconceitos e equivalentes pode ser um desafio. Por isso, as estratégias adotadas para explicar como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura deverão ser pensadas para impactar até os profissionais mais conservadores.

Vale pontuar que pessoas são movidas pela emoção, e adotar metodologias que impactem a sua sensibilidade e simpatia é um diferencial assertivo.

5. Preparar o RH

Por fim, preparar a equipe de Recursos Humanos (RH) é indispensável para efetivar o fortalecimento de uma cultura diversificada na empresa.

Seja para lidar com a gestão humana ou para solicitar modificações estruturais pela acessibilidade, os profissionais do setor devem estar aptos para lidar com esse desafio. 

Conhecer bem as leis, não apenas trabalhistas, mas também aquelas que abordam questões relacionadas às minorias, estudar as causas defendidas por cada bandeira, conhecer as necessidades de cada profissional, dentre outros, são medidas essenciais para garantir uma inclusão eficiente e saudável, e o bem-estar e a segurança dos colaboradores.

Portanto, mais do que qualquer outro time da empresa, o RH deve estar preparado!

Quer ver como isso funciona na prática?

Confira a seguir alguns exemplos de grandes empresas que souberam como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura. 

Natura

A Natura é uma companhia brasileira de cosméticos que tem um forte programa de inclusão chamado “Política de Valorização da Diversidade”. 

Criado em 2016, o programa estimula a contratação de profissionais com deficiência. A meta para 2020 é que a porcentagem de PCDs seja de 8% do corpo de funcionários.

Grupo GPA

O Grupo GPA consolida uma série de grandes marcas do mercado brasileiro, tais como o Pão de Açúcar, Casas Bahia, Ponto Frio, dentre outras. 

Em 2015, ela assinou uma carta de compromisso com a diversidade e vem estimulando a inclusão de profissionais com mais de 55 anos e a liderança feminina.

Johnson & Johnson

Outra empresa que soube como melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura é a Johnson & Johnson. Seu programa de inclusão se chama WLI (Women’s Leadershio and Inclusion), e é voltado para a liderança feminina e a sua inclusão no mercado de trabalho.

Criado há mais de duas décadas, o programa já soma mais de 8.000 membros em mais de 170 capítulos em todo o mundo.

Melhorar o time com diversidade, inclusão e cultura pode revolucionar o percurso do negócio, seja por meio da retenção de talentos, satisfação organizacional, valorização da imagem comercial, otimização dos resultados, dentre outros. Portanto, conheça a realidade da sua empresa, estude as iniciativas exploradas neste artigo e comece essa revolução.

 

Gostou do artigo? Então, aproveite para seguir a Xerpa nas redes sociais Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, postamos conteúdos como esse toda semana! Vem com a gente!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.