Aprenda como melhorar o relacionamento com o chefe em 9 dicas

melhorar relacionamento com o chefe

Ter um bom relacionamento com o chefe é muito importante. Individualmente porque torna o dia a dia corporativo mais harmônico e colaborativo, e também porque torna você um profissional melhor.

Falamos isso em todos os sentidos, pois através desse bom relacionamento você aprende a lidar com a hierarquia da empresa, consegue ter boas relações com os colegas de trabalho, e consegue entender melhor tudo aquilo o que esperam de você na empresa.

Para tanto, vamos explicar neste post qual é a relevância em ter uma boa relação com o chefe, trazendo 9 dicas para fortalecer essa relação, como:

  1. Faça o básico esperado de você
  2. Aprenda mais sobre o seu líder imediato
  3. Trabalhe em nome da equipe
  4. Foque menos em dar desculpas
  5. Supere as expectativas
  6. Procure por um feedback periodicamente
  7. Demonstre iniciativa
  8. Lembre-se que a liderança também é humana
  9. Seja você

Boa leitura!

A importância de um bom relacionamento com o chefe

Ninguém trabalha sozinho. Mesmo equipes operadas por um só funcionário relacionam-se com outros setores e, não raras vezes, respondem a um gestor.

Isso significa que o relacionamento corporativo é fundamental, assim como ocorre em qualquer outra camada da nossa sociedade. É a partir de conexões positivas que abraçamos oportunidades, trabalhamos coletivamente e também dividimos responsabilidades e as conquistas — e também as lições, claro.

Só com isso, já deve ter ficado claro o quanto o bom relacionamento com o chefe se faz no dia a dia, certo?

Acontece que esse tipo de discussão se estende a outros aspectos porque o seu líder é também a pessoa com quem você mais tem contato, e cujas decisões recaem diretamente sobre a sua rotina.

Consequentemente, imagine a motivação e a produtividade de um funcionário que não consegue nem sustentar um sorriso ao dar bom dia para o supervisor — e vice-versa?

Na mesma medida, dá para ter uma ideia do quão positivo é o bom relacionamento com o chefe para a produtividade cotidiana, e para manter o nível de satisfação individual e coletivo sempre elevado.

Lembrando também, que pessoas com dificuldades para se relacionar com os outros têm:

  • mais desafios para resolver problemas e enfrentar situações inesperadas e/ou inéditas;
  • menos apoio de colegas com sugestões, apoio e interesse na sua própria rotina produtiva;
  • menos sinergia e um ambiente colaborativo com naturalidade;
  • pouco ou nenhum reconhecimento de outras equipes.

Ambientes tóxicos são facilmente contaminados. Isso, contudo, não é algo que sempre venha da parte dos subordinados. Muitas vezes, o próprio gestor não sabe como conduzir suas relações interpessoais no ambiente de trabalho. E, para isso especificamente, vale a pena dar uma olhadinha em nosso artigo que explora as diferenças conceituais entre chefes e líderes!

A observação de que há algo errado no ambiente de trabalho

Antes de vermos o que pode ser feito para construir boas relações com os líderes da empresa e também com os colegas de trabalho, é importante observar quais atitudes e comportamentos devem ser evitados.

Dessa maneira, é possível identificar quais práticas podem influenciar negativamente na condução de um bom relacionamento com o chefe.

Atenção ao humor das pessoas

Pouquíssimas pessoas se sentem à vontade com abordagens quando elas estão frustradas ou irritadas com algo. O mesmo deve acontecer com o seu chefe.

Assim, caso você tenha algo para resolver e queira a opinião ou auxílio dele, veja se é a melhor hora para abordá-lo. Às vezes, a espera (se possível) pode se configurar em uma interação de mais qualidade.

Sem falar que, caso você opte por resolver o problema por conta própria, pode ganhar alguns pontos a mais no conceito do seu líder.

Cuidado com as reclamações

Não seja uma “pessoa-problema”: aquela que só procura pelo líder para queixar-se do trabalho, dos outros, da temperatura do ar-condicionado e de outras coisas que podem nem competir ao seu gestor.

Exercite a autonomia e aprenda a resolver questões problemáticas. Além disso, escolha bem quais assuntos você leva para o seu líder. Muitas vezes, você pode aprender como resolvê-las e passa a ser conhecida como uma “pessoa-solução” pelos colegas e pelo próprio líder da sua equipe.

Não seja negligente

Por outro lado, é importante atentar-se ao quanto você sequer dialoga com o seu superior. Aí, em vez de autonomia, podem pensar que você é negligente a ponto de não querer saber um feedback, orientação ou mesmo auxílio para a condução de um bom trabalho.

Por isso, nem que seja para atualizar o líder a respeito do seu trabalho, aborde-o em um momento oportuno para deixá-lo a par do que você tem realizado.

As 9 dicas para melhorar o relacionamento com o chefe

Agora, vamos entender na prática como você pode ter um bom relacionamento com o chefe entendendo quais ações têm tudo a ver com o desenvolvimento e a manutenção das relações corporativas.

1. Faça o básico esperado de você

Isso parece até simplório, mas é verdade. Ao fazer o mínimo, você não dá a oportunidade de queixarem-se do seu trabalho.

E o que isso significa? Que é importante:

  • chegar no horário;
  • justificar as suas eventuais ausências;
  • ser um profissional acessível, simpático e amparado em uma cultura colaborativa;
  • saber (e executar) as suas atividades sem a ocorrência de erros e reclamações de colegas/outras áreas.

Pequenas coisas, é verdade, mas que ajudam a fazer com que a gestão observe melhor a maneira com a qual você lida com o seu trabalho diariamente.

2. Aprenda mais sobre o seu líder imediato

Entenda o estilo do profissional que delega atividades de você. Isso ajuda a evitar gargalos de comunicação, conflitos e também alinha melhor as expectativas de ambos os lados.

No dia a dia, isso é perceptível. Basta ficar de olho em como a gestão age e reage diante das mais diversas situações do dia a dia e também como esse profissional interage com os outros. Isso tudo é informação para que você acerte em suas abordagens e também nos meios de interação.

3. Trabalhe em nome da equipe

No início do artigo mencionamos os desafios do profissional individualista, lembra-se?

Por isso, uma boa maneira de evitar esse tipo de problema é repensando as suas atitudes. Foque mais no coletivo, em ajudar e em ser um ponto de desenvolvimento colaborativo para o setor. Isso tudo contribui, inclusive, para resultados mais positivos para o seu departamento, o que se reflete positivamente para a gestão também.

4. Foque menos em dar desculpas

Algo deu errado? Justifique, mas não crie desculpas. Ainda mais: ofereça soluções.

Isso vai de encontro com um dos tópicos anteriormente citados sobre “o que não fazer”. Para ter um bom relacionamento com o chefe, é importante que você não leve problemas constantemente, mas que aprenda a identificá-los e também saiba priorizar as urgências para acionar o seu supervisor imediato.

5. Supere as expectativas

Em complemento ao primeiro tópico desta lista de ações para melhorar o relacionamento com o chefe, vá além das suas atividades corriqueiras. Isso significa:

  • acessibilidade para auxiliar os colegas;
  • demonstrar sede de conhecimento;
  • buscar mais (e novas) responsabilidades;
  • apresentar interesse pelo que faz e em maneiras de melhorar.

Além de ter um bom relacionamento com o chefe, você pode se posicionar como uma pessoa bastante qualificado para assumir posições maiores dentro da empresa, com o tempo — e também se a organização tiver um bom plano de carreira para os seus colaboradores, é claro.

6. Procure por um feedback periodicamente

Ainda que a sua empresa não tenha um processo consolidado de avaliação de desempenho, procure obter um feedback dos líderes.

Por meio disso, você melhora constantemente, entende o que é esperado de você (e o que não agrega em seu desenvolvimento profissional dentro da empresa) e consegue extrair o melhor do seu líder. Algo que serve para enxergá-lo cada vez mais como um ponto de orientação e não, apenas, como um chefe que delega tarefas e cobra prazos.

7. Demonstre iniciativa

Lembre-se que, se você já conhece a rotina e todo o fluxo de trabalho, você não precisa necessariamente esperar pelo seu líder para delegar o trabalho. Aborde-o antes e pergunte o que pode ser feito para agilizar as tarefas.

Com o tempo, você pode aprender a tomar iniciativas que facilitam o trabalho e, naturalmente, tornem o ambiente ainda mais produtivo, harmônico e com menos gargalos e etapas. Algo capaz de beneficiar a todos.

O mesmo vale para as novas ideias e sugestões e, até mesmo, críticas (desde que cabíveis). Líderes abertos a essas possibilidades desejam que seus subordinados apontem soluções diferenciadas e efetivas. Especialmente de quem já vive naquela rotina e pode ter essas ideias na ponta da língua.

8. Lembre-se que a liderança também é humana

Não dá para contar com disponibilidade, atenção efetiva e zilhões de problemas disparados simultaneamente, esperando uma solução rápida, solícita e precisa.

Lembre-se: os líderes também são humanos.

Por isso, foque em identificar o melhor momento para cada tipo de abordagem e, também, vale recordar a dica anterior de aprender a diagnosticar os tipos de problemas que valem — ou não — a pena levar para o seu supervisor.

9. Seja você

Por fim, uma dica que pode não parecer, mas é uma das mais valiosas: seja você.

Para um bom relacionamento com o chefe, você não precisa ser diferente de quem você é. No entanto, as sugestões acima são comumente usadas para lapidar bons profissionais em excelentes pessoas.

Assim, não se trata de mudar o seu jeito para agradar aos outros, mas de alinhar-se a um manual de boas práticas que se traduzem facilmente em aspectos positivamente relevantes para ter uma relação sólida e duradoura não apenas com o seu líder, mas com todos os colegas da sua empresa.

Agora que já expomos as principais soluções para enriquecer as suas conexões profissionais, queremos saber de você: deixamos de lado alguma boa dica para melhorar o relacionamento com o chefe ou tem alguma experiência da qual você possa compartilhar conosco? Deixe um comentário no campo abaixo, para expandirmos os pontos relevantes desta discussão 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar