Atualmente, muito se fala sobre a cultura das organizações e seu impacto na sociedade – o que é, de fato, muito importante. Porém, não podemos esquecer que o maior objetivo de um negócio é gerar lucro. Portanto, ter lucro reduzido na empresa é sempre motivo para ligar o sinal de alerta.

Afinal, ter uma boa margem de lucro garante que a empresa se mantenha de pé e consiga investir em inovações, melhorando a qualidade dos produtos e serviços.

Pensando nisso, reunimos neste post as principais causas de lucro reduzido na empresa:

  • despesas elevadas;
  • preços abaixo do necessário;
  • baixo volume de vendas;
  • falta de controle de caixa;
  • má gestão de estoque;
  • pagar antes de receber;
  • contratos sem revisão.

Quer saber o que pode ser feito para evitar esse problemas? Continue acompanhando o post!

Despesas elevadas

Gastos elevados estão entre as maiores causas de lucro reduzido na empresa. Pode ser uma contratação fora do planejamento ou a aquisição injustificada de equipamentos: se o custo for desnecessário, com certeza vai gerar prejuízo para o caixa da empresa.

Muitas vezes, gestores se empolgam com resultados positivos e acabam fazendo investimentos que poderiam esperar, ou até mesmo que não precisam ser feitos.

Nessas horas, é preciso ter o pé no chão. Os responsáveis por administrar as receitas da empresa devem sempre avaliar quais gastos são realmente inevitáveis, eliminando tudo o que não for essencial. 

Se você notar que a organização está assumindo muitos gastos extras, elabore um planejamento para redução de custos. É uma dica básica, mas extremamente efetiva para garantir a lucratividade da empresa.

Preços abaixo do necessário

Reduzir preços é uma estratégia válida para atrair clientes, mas exagerar nessa tática pode culminar em lucro reduzido na empresa. Isso não significa que você deva subir os valores cobrados além do limite do aceitável, mas que é preciso ter equilíbrio na na hora de precificar os produtos e serviços.

Tenha em mente que a receita obtida com as vendas deve suprir as despesas da empresa e oferecer uma margem de lucro para fazer o negócio crescer. Para cobrar um preço justo, fique de olho em fatores como:

  • valorização do produto entre os clientes;
  • oferta e demanda no mercado;
  • o que ele oferece em termos de experiência e solução para o consumidor.

Dessa forma, é possível encontrar um caminho que seja bom tanto para os clientes quanto para o caixa da empresa.

Baixo volume de vendas

Uma das primeiras coisas que o empreendedor observa quando identifica lucro reduzido na empresa é como está o volume de vendas. Se o seu produto ou serviço estiver vendendo pouco, investigue a causa do problema para solucioná-lo o mais rápido possível.

Há muitas reclamações? O marketing está sendo bem feito? A qualidade está deixando a desejar? Responder a essas perguntas é essencial para manter o alto nível de oferta para os seus clientes e vender mais.

Ter pouca variedade e produtos de baixo valor agregado é o caminho mais curto para o fracasso, já que provavelmente o público vai encontrar opções mais completas na concorrência.

Falta de controle de caixa

Muitos negócios de pequeno e médio porte cometem o erro de não implementar uma gestão orçamentária apropriada. Quando isso acontece, o lucro reduzido na empresa passa despercebido, só sendo notado quando a situação já está em um grau difícil de reverter.

Se a falta de controle financeiro não é uma causa direta do problema, com certeza contribui para agravá-lo. Por isso, ter uma boa administração do fluxo de caixa deve ser prioridade na sua organização.

Tenha uma equipe de confiança para essa missão e procure colocar foco no que é mais relevante. Tentar acompanhar todos os detalhes das finanças da empresa vai criar uma complexidade desnecessária para a tarefa.

Além disso, estabeleça uma periodicidade para fazer análises mais completas. Esse controle pode ser diário, semanal, quinzenal ou até mensal, conforme o porte e o fluxo de vendas da empresa.

Má gestão de estoque

A má gestão de estoque está diretamente ligada ao lucro reduzido na empresa, mas são poucos os gestores que percebem essa relação.

Mas pensando bem, isso faz todo o sentido: quando há um acúmulo exagerado de matéria-prima ou produtos em estoque, eles acabam encalhados e nunca chegam a gerar receita.

Para driblar esse problema, é fundamental avaliar as reais necessidades de estoque da organização, elaborando um fluxo ideal para atender aos pedidos dos clientes e evitar sobras.

Pagar antes de receber

Não gastar o dinheiro antes de receber é uma dica comum entre gurus de finanças pessoais. Guardadas as devidas proporções, o mesmo se aplica às finanças corporativas.

Procure sempre alinhar o pagamento de fornecedores e demais despesas com o calendário de recebimentos. Sem isso, você corre um sério risco de desestabilizar as contas mensais e o fechamento de valores, gerando lucro reduzido na empresa.

Em situações assim, fica muito mais difícil avaliar o caixa da empresa com precisão, o que aumenta o risco de prejuízos para os meses futuros.

Contratos sem revisão

Outra prática que gera lucro reduzido na empresa é a falta de revisões nos acordos vigentes. Renovações automáticas de contratos podem gerar cobranças abusivas por parte dos fornecedores, que podem acrescentar valores e cláusulas que não existiam anteriormente.

O mesmo vale para contratos com clientes. Ao fazer a renovação automática, a empresa perde a oportunidade de negociar contratos mais completos, que tragam mais rentabilidade para o negócio.

Portanto, sempre reavalie os contratos vigentes para que eles estejam de acordo com a realidade atual. Essa atitude é essencial para não pagar mais do que deve nas despesas ou cobrar menos que o justo pelos seus serviços.

Agora que você já sabe como reverter o lucro reduzido na empresa, é hora de colocar o que aprendeu em prática. O controle financeiro deve ser prioridade na rotina da organização, do fluxo de caixa às escolhas de investimentos. Dessa forma, as receitas do negócio ficam sempre em dia e você evita riscos desnecessários.

Gostou do artigo? Siga-nos nas redes sociais e acompanhe em primeira mãos todos os nossos próximos conteúdos. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.