Enquanto as lawtechs estão atreladas a um conceito aplicado às startups que estão trabalhando em alinhamento com soluções tecnológicas para desburocratizar e agregar mais precisão ao mercado jurídico, o conceito de legaltechs tem sido aplicado para suprir o próprio setor com tecnologias e serviços para qualificar o setor continuamente por meio das grandes tendências tecnológicas

 

A tecnologia está em pauta de todos os setores do mercado: e, agora, percebemos grandes tendências se acumulando no mercado jurídico por meio de conceitos curiosos, como as legaltechs e lawtechs.

Já ouviu falar neles?

Neste post, vamos esmiuçar tudo sobre ambos os conceitos — que são complementares e inseridos em um mesmo contexto. Tudo para que você fique por dentro a respeito de como a tecnologia tem desburocratizado o mercado, agregando agilidade, precisão e automação aos processos.

Confira, e saiba tudo sobre as legaltechs e lawtechs!

O que são as lawtechs?

O conceito está intimamente relacionado com as palavras “lei” e “tecnologia”. Em inglês: lawtech.

Assim, as lawtechs são empresas (em geral, startups) que focam o seu DNA produtivo no mercado jurídico, promovendo inovações no setor por meio das grandes tendências e soluções tecnológicas.

Por isso, são observados os grandes gargalos produtivos do mercado, como a burocracia elevada e o desencontro de informações cruzadas, para que a automatização de processos e outros tipos de soluções contornem a situação adversa.

Soa familiar? Exatamente! O mesmo já tem sido aplicado em diferentes áreas mercadológicas. A Xerpa, mesmo, que apresentou ao setor de RH uma solução versátil para revolucionar o departamento. Existem, também, as Edtechs, que são focadas na área da educação. E as fintechas, entre outras.

 

Como elas têm agido dentro do mercado?

Atualmente, as lawtechs já mostraram que têm muito a desenvolver dentro do setor com soluções bastante interessantes, como:

  • controle automático dos prazos e intimações de processos;
  • coleta e monitoramento de informações públicas;
  • integração e relacionamento de dados para facilitar a tomada de decisão;
  • mediar conflitos por meios digitais.

Se já vimos algo que a transformação digital tem mostrado, é que a automatização de processos torna o setor mais confiável, preciso e ágil.

Imagine, então, em uma área notoriamente burocrática e morosa por conta da demora na análise de dados?

Quais são os benefícios trazidos pelas lawtechs?

Nesse sentido, as empresas que optarem pela contratação dos produtos oferecidos pelas lawtechs podem adquirir, direta e indiretamente:

  • redução de custos;
  • aumento na produtividade;
  • mais eficiência;
  • organização qualitativa dos processos e de todas as atividades do fluxo produtivo;
  • mais transparência.

Só que, além dos produtos que as lawtechs desenvolvem em alta velocidade, atualmente, temos outro conceito para explorar e que tendem a gerar mais benefícios para as empresas e profissionais.

O que são as legaltechs?

Em vez de produtos, serviços. As lawtechs estão se especializando em oferecer um serviço tecnológico para o mercado. Só que, internamente no país, lawtechs e legaltechs estão trilhando o mesmo caminho, simbolicamente.

Afinal, quem oferece os serviços também está ocupando-se de construir soluções integradas. Com softwares integrados e uma consultoria especializada, lawtechs e legaltechs estão, cada vez mais, unidas.

Quais são as áreas que essas startups podem ajudar as empresas?

O mercado hoje em dia, tem se fragmentado em diferentes oportunidades e mercados legais. Abaixo, vamos mostrar para você como as legaltechs e as lawtechs estão dando um salto evolutivo para o setor!

 

Jurimetria

Por meio do uso da tecnologia de analytics (análise de dados), empresas estão disponibilizando plataformas digitais que ajudem a prever decisões judiciais.

Com isso, ambos os lados da Justiça podem se preparar de maneira mais precisa, com base em avaliações a respeito de varreduras em decisões anteriores. Uma espécie de predição a partir de casos anteriores que estejam devidamente registrados em bancos de dados on-line.

 

Gestão de documentos

Internamente, essas soluções oferecidas pelas lawtechs ou  legaltechs permitem uma organização mais eficiente da documentação gerada. E, não por menos: o setor jurídico é um dos que mais acumulam informações e papeladas burocráticas.

Ter uma solução que facilite a gestão pode melhorar — e muito — o tempo de trabalho dos seus profissionais. Assim, eles lidam menos com a burocracia do setor e podem focar o seu tempo em ações mais estratégicas.

 

Compliance

Uma boa maneira de saber se a sua empresa está agindo de acordo com as normas legais (nacionais ou internacionais) estabelecidas. Isso facilita todo o trabalho que as empresas têm para estarem em constante alinhamento com essas exigências de órgãos reguladores ou mesmo o governo (estadual ou federal).

 

Educação e consultoria

Meios tecnológicos que compilam as informações (notícias de interesse geral da área) em um só lugar. Isso agiliza o acesso e concentra, em um só lugar, as fontes para quem se interesse pelo setor.

Um exemplo disso é o portal Jota, uma grande referência do meio.

 

Monitoramento de dados públicos

A ideia das legaltechs e lawtechs desse meio é a promoção de informações públicas reunidas em uma só plataforma. Como resultado disso, as pessoas podem fazer consultas e ter acesso a informações relevantes que podem auxiliá-las na realização dos seus respectivos trabalhos.

 

Gestão jurídica

O enfoque das legaltechs e lawtechs é a elaboração de produtos que tornem a gestão corporativa muito mais conveniente e precisa — assim como a Xerpa, por exemplo, desenvolveu para o RH.

Assim, os profissionais podem contar com plataformas que ajudam na gestão financeira e de tarefas, otimizando processos e atividades que podem ser automatizadas. Mais tempo útil, portanto, para os profissionais serem mais analíticos e estratégicos dentro das empresas.

 

Resolução de conflitos

As mediações podem ocorrer, hoje em dia, com o auxílio tecnológico em ambiente digital. Uma solução mais prática para as questões que não precisam envolver, necessariamente, a Justiça.

Quais empresas são lawtechs e legaltechs?

Agora que já vimos um pouco a respeito dos ramos onde essas empresas estão escrevendo novos capítulos de inovação, que tal vermos algumas das principais marcas em legaltechs e lawtechs? Aí vai uma pequena lista que selecionamos para você:

  • Docket, uma plataforma SAAS (Software as a Service) que procura facilitar a obtenção de documentos legais, reduzindo o tempo de espera entre burocracias, por exemplo;
  • Aurum, que oferece soluções integradas para os profissionais de advocacia;
  • Doc9, com soluções que permitem otimizar todo tipo de diligência dentro dos escritórios de advocacia;
  • M4Law, trabalhando nos setores tecnológicos de metadata, system-neutral e intelligent em sua ferramenta;
  • Oito Tecnologia Jurídica, com uma plataforma digital completa para otimizar toda a gestão corporativa dos seus clientes;
  • Projuris, que tem como seu principal objetivo a descomplicação da gestão jurídica;
  • Your Open Legal Tecnologia, que desenvolve softwares focados nas necessidades legais dos profissionais de advocacia para gerirem as suas empresas.

 

E aí, você já conhece algumas dessas empresas, e consegue identificar algumas áreas e processos que as legaltechs e lawtechs podem fazer pelo seu negócio? Então, compartilhe as suas ideias sobre o assunto no campo de comentários, logo abaixo!