Inscreva-se

Knowledge workers: conheça o perfil dos trabalhadores do conhecimento
Gestão

Knowledge workers: conheça o perfil dos trabalhadores do conhecimento

Era Digital — ou Era da Informação: vivemos neste presente, queiramos ou não. E isso se reflete não apenas em soluções práticas, como o uso de softwares de gestão, mas também no investimento que aplicamos em conhecimento.

Afinal de contas, devemos manter uma corrida ininterrupta contra o advento tecnológico: sempre antecipando os seus passos para gerar mais competências e habilidades.

O resultado disso é tão claro quanto benéfico para a empresa e o indivíduo: melhores resultados e mais talentos internos para um, e crescimento contínuo para as pessoas.

Essas pessoas carregam um conceito interessante por trás dessa qualificação contínua: são os knowledge workers.

E, neste post, vamos saber tudo as respeito desse perfil e de outra ideia que vem tomando forma nesse mundo dinâmico e digital. Boa leitura!

Assim que finalizar a leitura, descubra como reter talentos com esse eBook gratuito! Responda o formulário e receba agora mesmo:


O que são os knowledge workers?

Basicamente, os knowledge workers são os indivíduos que compreendem a necessidade em reciclar os seus conhecimentos. Algo que ajuda a promovê-los, dentro da empresa, e contribuir com resultados melhores para a organização.

Isso porque eles estão em cima das atualizações e tendências dos seus respectivos setores de atuação. São pessoas cujo perfil tende a compor algumas características em comum, como:

  • pró-atividade;
  • empreendedorismo;
  • liderança;
  • senso de dono;
  • empatia;
  • insatisfação com os resultados atuais;
  • autoconhecimento.

Os colaboradores millennials, nesse sentido, se aproveitam de outra particularidade dos knowledge workers: a afinidade com a tecnologia.

Afinal, por meio dela eles facilitam a transição e adaptação ao uso de novas soluções. Diferentemente, por exemplo, do tipo de profissional que acredita ter alcançado o topo de sua ascensão na carreira.

Outros pontos em comum entre os knowledge workers são:

 

Facilidade de comunicação

A comunicação é determinante para socializar, transmitir e também absorver mensagens. Isso facilita o encontro em reuniões, eventos corporativos, no dia a dia e em negociações, entre outras situações cotidianas.

Acontece que esse perfil de colaborador se sobressai pela facilidade com a qual ele se relaciona com os outros — independentemente da cultura organizacional da empresa.

Eles falam mais, têm iniciativa e usam essa habilidade para ir de encontro aos seus objetivos — individuais e coletivos — com menos obstáculos pela frente.

 

Domínio em outro idioma

Antes, era um opcional valioso para o currículo. Hoje, o domínio em um segundo idioma é uma forte necessidade que o mercado demanda.

E motivos para esse investimento não faltam. Especialmente, com o encurtamento de distâncias promovido pela internet e também a abertura para o mercado internacional.

Isso faz com que os knowledge workers pincem as melhores oportunidades profissionais que demandem essa flexibilidade linguística dos seus colaboradores.

 

Multidisciplinaridade

Além da facilidade com novas tecnologias, os knowledge workers também seguem em constante evolução em outras áreas de conhecimento. Isso inclui:

  • conhecimentos em administração;
  • noções de logística;
  • afinidade com o conceito e aplicações da gestão de pessoas.

Entre outras áreas que agregam ao profissional mais versatilidade e experiência para lidarem com diferentes situações e problemas.

 

Criatividade e inovação

Este tópico pode servir como um complemento ao anterior, já que envolve um trabalho de percepção multidisciplinar.

Pois não deveria ser segredo para ninguém que a criatividade e inovação são bagagens de tudo aquilo que já experimentamos e vivenciamos.

Logo os knowledge workers se lançam nessas áreas de conhecimento para, justamente, terem uma concepção mais diversificada e ampla dos assuntos que devem lidar corriqueiramente.

 

Inteligência emocional

Vale destacar também o papel relevante da inteligência emocional na construção dos knowledge workers.

São questões que envolvem as reações dessas pessoas às adversidades, os desafios e os obstáculos no percurso de qualquer meta ou objetivo.

Por exemplo: um conflito com outro colega pode ser levado de maneira mais astuta e menos impetuosa. O mesmo vale para contornar um problema com a produtividade da equipe.

Mais razão e menos emoção na tomada de decisão. Aí está um grande diferencial nesse perfil profissional.

 

Espírito de colaboração

Profissionais que pensam no coletivo unem mais as equipes, fomentam a motivação de todos e contribuem com resultados de impacto para a empresa.

E isso significa que os knowledge workers buscam, incessantemente, agregar os colaboradores para que o engajamento seja maior. Eles são líderes naturais, mas se esforçam sempre para buscar novas soluções para questões muito comuns (e as ocasionais) no ambiente de trabalho.

 

Quais são os benefícios em contar com os knowledge workers?

Como vimos, o perfil dos knowledge workers é mais integrados, pró-ativo, comunicativo e em constante evolução.

Para a empresa, isso se traduz facilmente em benefícios — imediatos e em médio e longo prazo. Afinal, eles estão à frente das mudanças.

E não importa quais sejam elas — se sociais ou tecnológicas. Esse perfil de profissional busca uma qualificação gradativa, o que ajuda a manter a sua empresa mais competitiva.

Claro que, em contrapartida, o RH da empresa deve cuidar para que um plano de carreira seja explicitado para gratificar e recompensar o esforço ininterrupto.

Portanto, é uma via de duas mãos, na qual o RH identifica os talentos, promove-os e ganha em mais afinco, produtividade e colaboração para que todos cresçam de maneira uniforme.

 

Até onde vai o conceito de knowledge worker?

Como vimos, ao longo de todo o artigo, os knowledge workers estão no mercado há um tempo, sempre acompanhando os ventos de mudanças no ambiente corporativo.

Acontece que o dinamismo social que vivemos, hoje em dia, também demanda transformações nesse conceito, como um todo.

É só pensar, por um instante, nessas transições velozes que deixam tecnologias e modelos de negócio ultrapassados da noite para o dia.

Assim, os learning workers estão sendo igualmente requisitados pelos RHs das empresas. Só que a boa notícia é que o perfil não difere dos knowledge workers.

Estamos falando, portanto, de pessoas com alto poder de adaptação. Se a tecnologia de hoje fica datada, no futuro próximo, os learning workers já estão familiarizados com o conceito e sabem replicá-lo sem impactar na produtividade da empresa.

Sem falar, é claro, na integração estratégica não somente com outros recursos humanos, mas com soluções digitais, como a Internet das Coisas, a Inteligência Artificial e o Big Data.

Isso tudo remodela todo um fluxo de trabalho. Por isso, os learning workers conseguem agregar rapidamente a essa repaginada no processo produtivo. Isso, sem perder a sua relevância ou dificultar a transição no uso de novas tecnologias.

 

E então, deu para entender o que são os knowledge workers, como eles devem se adaptar também as mudanças e quais são os benefícios em contar com esse perfil dentro da empresa?

Que tal deixar os colaboradores da sua empresa a par disso? Compartilhe este post nas redes sociais e avalie quais profissionais vão se interessar por isso!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *