41% dos trabalhadores brasileiros valorizam as empresas que possuem uma jornada de trabalho flexível, segundo o estudo do ManpowerGroup – “Work For Me – Trabalho, para Mim – entendendo a demanda dos candidatos por flexibilidade”.

Ou seja, no atual cenário de mercado empresas que adotam esse tipo de modelo de gestão de trabalho tem maiores chances de agradar seus colaboradores

Isso porque com a jornada de trabalho flexível o profissional tem maior autonomia e principalmente flexibilidade para escolher o horário de início e de fim de suas atividades.

Segundo a lei da CLT um profissional com carteira assinada deve cumprir 8 horas diárias de trabalho ou 44 horas semanais, definidas pelo empregador. 

Entretanto, a jornada flexível aparece em um novo modelo de trabalho, em que há um acordo entre o empregado e empregador. Havendo assim maior liberdade para que essa quantidade de horas seja cumprida.

Quer saber tudo sobre essa tendência e conhecer as vantagens e desvantagens da jornada de trabalho flexível? Então, continue lendo esse artigo e confira um passo a passo de como implantá-la na sua empresa. 

O que é jornada flexível

A jornada de trabalho flexível pode ser vista como um modelo de gestão que busca oferecer mais autonomia e flexibilidade aos colaboradores. 

Com ela, o profissional tem maior liberdade não só para escolher o seu local de trabalho, mas também para definir o horário de início e de término das suas tarefas diárias.

Esse modelo de trabalho vem crescendo ano a ano e tem se tornado uma tendência para reter os talentos para as empresas. Segundo a Pesquisa de Benefícios Aon 2018-2019 de 192% no número de empresas que adotaram a jornada de trabalho flexível na sua rotina. 

Atualmente 38% das empresas brasileiras oferecem esse modelo de trabalho aos seus colaboradores. E são inúmeros fatores que fazem com que as organizações adotem a jornada de trabalho flexível. 

Desde fatores econômicos, com a redução de custos com estrutura física de escritório, até o aumento da produtividade já que os colaboradores tendem a se dedicar mais pelo trabalho. 

Porém, assim como em qualquer processo estratégico existem vantagens e desvantagens na jornada de trabalho flexível e vamos falar mais sobre elas em seguida.

As vantagens do horário flexível

Uma pesquisa da Robert Half International revelou que a jornada de trabalho flexível é o benefício mais valorizado pelos empregados. 88% desejariam ter essa flexibilização para realizar suas tarefas diárias.

Por isso, a jornada de trabalho flexível é recheada de vantagens e uma grande arma para a retenção de talentos. 

Fato relatado por uma pesquisa da Consultoria Bain & Company. Dados mostraram que as políticas de flexibilização aumentam os índices de retenção das empresas em 40% entre as mulheres e 25% no caso dos homens.

Mas quais as reais vantagens da jornada de trabalho flexível? Confira algumas delas abaixo.

 

Maior autonomia e satisfação do empregado

Todo profissional deseja que a empresa confie no trabalho dele. A jornada de trabalho flexível nada mais é do que um elo de confiança que a empresa precisa formar com seus colaboradores.

A autonomia e autogestão fazem parte da jornada de trabalho flexível. O colaborador que trabalha nesse modelo assume a responsabilidade de ter que tomar decisões importantes, até porque terá maior liberdade para agir.

A consequência da construção desse laço de confiança aumenta a satisfação do empregado. Fazendo com que ele se engaje mais com o trabalho, já que ele saberá que a empresa confia nele e que suas decisões impactarão diretamente nos resultados.

 

Reduz faltas e atrasos

Uma falta aqui, outra ali, um atraso porque o ônibus quebrou ou demorou para passar. Qual empresa nunca passou por isso com seus colaboradores? Pois, com a jornada de trabalho flexível é possível diminuir os gastos com os atrasos e faltas.

Isso porque a questão logística, de deslocamento e transporte do colaborador não será mais problema. O colaborador tem autonomia de fazer um home-office, por exemplo, o que não reduz a produtividade e a continuidade dos trabalhos da empresa.

É ele que gere as próprias demandas, adequando seus horários e responsabilidades conforme o seu dia. 

Assim, diminuem-se atrasos e faltas desnecessárias para resolver algo pessoal ou porque o transporte quebrou no caminho. Evitando que situações como essas possam atrapalhar a execução das tarefas.

 

Conciliação da vida pessoal e profissional

Um dos grandes desejos que permeiam a vida dos colaboradores é a de conseguir conciliar vida pessoal com profissional. Segundo um estudo da GfK Internacional 59% dos profissionais se preocupa em conseguir conciliar os dois lados no seu dia a dia.

A jornada de trabalho flexível permite ao colaborador esse tempo maior para organizar seu dia. Isso porque com a sua autonomia de horário ele pode resolver questões pessoais sem ter que interferir no seu trabalho. 

Evitando que ele precise sair mais cedo, se atrase ou fique  com a cabeça nos seus problemas de casa. Dessa forma, ele se vê mais feliz por  não precisar abdicar da sua vida pessoal em consequência das suas responsabilidades de trabalho. 

Essa conciliação inclusive faz com que ele esteja mais engajado com a empresa e disposto a se dedicar mais por ela.

 

Reduz custos

Empresas que adotam uma jornada de trabalho flexível podem também reduzir seus custos

Visto que dá para abrir mão de um trabalho diário no escritório e a consequência disso é um gasto menor com estrutura física do escritório, energia, internet, entre outras despesas.

Sem contar que os valores gastos com transporte dos colaboradores é bastante reduzido, já que num cenário de home-office ele não precisará se deslocar para a empresa diariamente. 

E até para o colaborador a economia é grande, pois ele não precisará ter gastos diários com alimentação fora de casa.

As desvantagens do horário flexível

Como todo o processo a jornada de trabalho flexível também pode oferecer desvantagens, mas que podem ser facilmente revertidas. Abaixo elencamos três dos principais receios que as empresas têm quando pensam em adotar uma jornada de trabalho flexível.

 

Queda de rendimento para alguns

A autogestão, ocasionada pela jornada de trabalho flexível, pode gerar queda de rendimento não é mesmo? Não é bem assim.

Cerca de 58% dos profissionais possuem maior facilidade para executar suas tarefas de forma independente, revelou uma pesquisa da Page Talent.

Portanto, se o gestor conseguir planejar bem o trabalho, com objetivos e metas claras, a jornada de trabalho flexível será tão benéfica quanto um trabalho in loco. 

O grande segredo do alto rendimento é o planejamento e a delegação de tarefas de forma organizada e isso independe do modelo de trabalho. 

 

Dificulta a comunicação

Ficar longe pode atrapalhar a comunicação com os empregados. Não mesmo! Atualmente existem várias maneiras de se comunicar à distância de forma muito efetiva. Seja por meio de videoconferência, audioconferência, WhatsApp, e muitas outras opções.

Se você tem medo de perder essa relação próxima da comunicação com a jornada de trabalho flexível, faça reuniões de briefing semanais ou até mesmo diárias, à distância. 

Assim, de início, você tem maior controle sobre essa jornada de trabalho flexível e não fica se perguntando se o colaborador está mesmo trabalhando ou se vai entregar as tarefas.

 

Cria problemas com os prazo de entrega das tarefas

O maior medo é da jornada de trabalho flexível é que com ela, o colaborador passe a não cumprir mais os prazos de entrega. Entretanto, se os gestores a frente do negócio acompanharem de perto a execução esse não será um problema.

A grande questão é conseguir traçar um caminho, com um passo a passo para cada tarefa e ser claro em relação aos prazos de entrega, fazendo cobranças quando necessário

Uma jornada de trabalho flexível não significa que o gestor vai abandonar o barco e cada um faz o que bem entende. Ele precisa estar a frente de tudo, liderando, delegando, cobrando execuções e mensurando os resultados.

Mesmo à distância, caso seja um trabalho home-office, ele tem à disposição formas de comunicação que o colocam em poucos cliques cara a cara com seu colaborador. Até para ajudar seus profissionais na administração do tempo que a empresa tem à disposição.

Passo a passo para a implantar a jornada de trabalho flexível

Sabendo dos benefícios que a jornada de trabalho flexível pode oferecer a sua empresa é necessário se atentar a alguns pontos antes de implementá-la. E para lhe ajudar nesse desafio trouxemos um passo a passo para facilitar o seu trabalho.

  1. Defina o modelo da jornada de trabalho flexível, com regras e normas. Escolhendo os períodos que o colaborador precisará comparecer na empresa e os dias home-office. Além de definir se o colaborador tem total autonomia nos horários de trabalho ou se a empresa tem participação nessa decisão. É possível até mesmo fazer uma pesquisa interna sobre o tema, para ter uma visão melhor da recepção dessa mudança.
  2. Avalie quais setores podem adotar esse modelo. Já que em alguns casos como telemarketing ou em áreas que o contato presencial diário com o cliente exige a presença do colaborador na empresa esse modelo não se encaixa.
  3. A partir daí crie a proposta e exponha o benefício a todos os colaboradores e avalie a recepção.
  4. Formalize a jornada de trabalho flexível junto aos seus colaboradores e ao sindicato para evitar problemas futuros.
  5. Adote um controle de ponto eletrônico, onde as marcações são feitas via tablet, PC ou Smartphone. Muitos oferecem até um sistema “antifraude”, já que na hora da marcação o GPS aponta a localização do colaborador, facilitando a visualização do gestor futuramente.

Os impactos da jornada flexível na minha empresa

A jornada de trabalho flexível está se tornando uma tendência. Aparecendo como um modelo de trabalho que oferece não só maior autonomia e flexibilidade, mas que deixa os colaboradores mais felizes e engajados pela confiança que a empresa deposita neles.

Com isso é possível impactar no aumento da produtividade, num maior engajamento dos colaboradores e na retenção de talentos na empresa. É claro que a jornada de trabalho flexível é cheia de desafios e exige da empresa um planejamento prévio para ser aplicado.

Até porque tanto os gestores como colaboradores precisarão ter de forma clara como será o funcionamento desse modelo. É fundamental que sejam expostas as regras e normas para que os objetivos e metas da empresa não sejam comprometidos.

É necessário que com a jornada de trabalho flexível venha também a mensagem de que a autogestão é tomada por responsabilidades. Entretanto, se bem executada pode trazer benefícios extremamente satisfatórios para o crescimento do colaborador e da empresa. 

E você, o que acha dessa ideia? Você já trabalhou ou trabalha com esse modelo? Acha que funciona? Deixe um comentário no post e interaja com  agente.