Um novo investimento para a Xerpa, de US$ 13 milhões, explica as largas passadas que a empresa tem dado, rumo ao seu crescimento. E, em parte, a resposta dessa confiança do mercado reside nas aplicações pioneiras da Xerpa no desenvolvimento do setor de RH. Desta vez, o foco está na solução Xerpay, que promove o pagamento on-demand, nas empresas, para minimizar o estresse financeiro no ambiente corporativo — e fora dele.

 

O estresse financeiro é uma das principais causas de atenção, para as empresas, atualmente. Afinal de contas, os problemas se refletem na saúde, qualidade de vida e na performance dos colaboradores.

A boa notícia é que um novo investimento para a Xerpa reforçou todo o valor do trabalho dos últimos meses com o Xerpay. Sinal de que a empresa tem crescido em larga escala, e porque está no caminho certo.

Confira, a seguir, o que é o Xerpay e como esse investimento para a Xerpa vai contribuir para que as pessoas fiquem cada vez mais distantes dos elevados juros do cheque especial!

O investimento para a Xerpa 

Foram US$ 13 milhões (cerca de R$ 53 milhões) captados por meio do fundo de investimentos Vostok Emerging Finance — empresa que já esteve à frente de negócios com outras empresas no país, como Creditas e Guia Bolso.

Além disso, o aporte foi complementado Pathfinder, que também já investiu no Facebook, Space X e na fintech Nubank, entre outras empresas. E esses recursos chegam para somar aos R$ 16 milhões que a Xerpa já havia captado com os fundos QED Investors, KaszeK Ventures e Redpoint e.ventures.

A ideia é transformar esses investimentos em mais esforços tecnológicos e em recursos para o Xerpay, uma solução que a Xerpa vem trabalhando para afastar os brasileiros dos juros altos do cheque especial.

Só até abril de 2019, por exemplo, o país já havia acumulado R$ 32,4 bilhões no uso dessa modalidade fácil e custosa de empréstimo.

O Xerpay

“O Xerpay é perfeito para o Brasil, onde dezenas de milhões de pessoas recorrem a produtos de crédito predatórios” destacou Alexis Koumoudos, um dos sócios da Vostok.

Não por menos. Afinal de contas, muitos brasileiros optam pelo cheque especial diante de algum imprevisto financeiro, no dia a dia. E o Xerpay foi concebido como uma alternativa de agregar flexibilidade à folha de pagamento das empresas.

 

Como funciona

Criado no início de 2019, o Xerpay é um serviço que permite a antecipação do salário, de um colaborador, com base nos dias trabalhados naquele mês. Empresas que trabalham com a Xerpa e optam por esse benefício, podem estendê-lo aos seus profissionais — que recebem o valor devido em até uma hora.

Para as empresas, esse diferencial não interfere em nada no seu processo de pagamento, uma vez que a Xerpa assume o capital de giro para os eventuais adiantamentos solicitados — cobrando uma taxa que “não supere o preço de um café”, segundo as palavras de Nicholas Reise, um dos fundadores da empresa.

Ou seja: imprevistos acontecem independentemente da educação financeira das pessoas. E o investimento para a Xerpa vai ajudar o Xerpay a agregar autonomia para as pessoas montarem seus orçamentos, além da possibilidade de usar os seus recursos de maneira mais estratégica. E sem pesar no bolso das pessoas.

A tendência, inclusive, já é aplicada de maneira similar ao redor do mundo. A Walmart, por exemplo, já adianta oito salários anualmente para os seus funcionários. Sem falar que bilionários como Bill Gates, Jeff Bezos e Mark Zuckerberg já fizeram aportes em uma startup britânica que promove o pagamento on-demand.

Mais que uma tendência, portanto, esse serviço chega com força por meio desse novo investimento para a Xerpa, que já mostrou a sua força como um diferencial tecnológico para a revolução do setor de RH. E que, agora, está investindo ainda mais na qualidade de vida das pessoas.

Conhece alguém que vai se interessar pela maneira com a qual esse investimento para a Xerpa pode promover a qualidade de vida no meio corporativo? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais!