´
investimento de curto prazo

Qual é o melhor investimento de curto prazo?

Por meio de um bom investimento de curto prazo, você consegue dar uma impulsão maior na conquista dos seus objetivos imediatos. Para tanto, é importante saber quais modalidades melhor se adaptam às suas necessidades e objetivos. E, entre os principais, neste post destacamos os seguintes investimentos:

  • LCI;
  • LCA;
  • CDB;
  • Tesouro Selic;
  • Fundos DI;
  • Fundos multimercado.

 

Um bom investimento de curto prazo, independentemente do seu perfil de investidor, tende a ser uma opção cujo prazo de aplicação seja inferior a 12 meses — não sendo recomendado, por exemplo, para pensar na sua aposentadoria.

Assim, você consegue resgatar a quantia aplicada com o máximo de rendimentos. Ou seja: sem perdas com base na rentabilidade adquirida nesse período.

A questão é que existem diversas oportunidades para a pessoa que está em busca de ganhos rápidos para impulsionar, financeiramente, a conquista dos seus objetivos mais imediatos.

E é aí que entra a Xerpa na sua vida!

Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber para tomar uma decisão mais assertiva a respeito do melhor investimento de curto prazo. Boa leitura!

 

Por que considerar um investimento de curto prazo?

Imagine que você tenha um objetivo imediato, como a realização de um curso ou intercâmbio no exterior, ou mesmo a aquisição de um bem com mais urgência (por exemplo: um novo equipamento para desenvolver o seu trabalho melhor).

Assim, por meio de um bom investimento de curto prazo, você consegue ter uma rentabilidade complementar interessante que vai ajudar a garantir uma quantia mais atrativa, ao final desse período.

Nesse caso, você não vai ter a mesma oportunidade diversificada se investir na previdência privada ou no Tesouro Direto, por exemplo.

Sem falar que esses tipos de investimentos se caracterizam pela facilidade em resgatar a quantia poupada, bem como os baixos riscos e custos associados à sua manutenção. Afinal de contas, por ser um meio focado em ações mais urgentes, o investidor deve contar com uma boa liquidez para ter a quantia em mãos sem grandes problemas ou com um longo tempo de espera.

Importante considerar o investimento de curto prazo, também, quando você pretende:

  • construir uma reserva financeira emergencial;
  • conhecer o mercado de investimentos sem correr grandes riscos nessas primeiras experiências;
  • somar uma quantia importante para compras imprevistas, em curto prazo, enquanto você lida com as contas mensais.

Vamos ver, então, quais são os pontos de atenção que podem garantir mais assertividade à sua decisão?

Quais aspectos considerar antes de fazer um investimento rápido?

Evidentemente, a facilidade de resgate é o ponto-chave ao fazer um investimento de curto prazo. Portanto, tenha o foco em buscar por opções que ofereçam um baixo risco ao seu patrimônio. 

Assim, você obtém uma rentabilidade atrativa, sem chance de ter prejuízos ou arcar com elevadas despesas por esse período, e adquire uma vantagem interessante para fazer o saque posteriormente.

Até por isso, o perfil de investidor de curto prazo tende a ser o conservador. Ou seja: aquela pessoa que busca por soluções práticas, seguras e, ainda assim, eficientes — mas com rentabilidades menos atraentes do que aquelas praticadas pelos perfis moderado e agressivo, é claro.

Tenha em vista, portanto, os seguintes elementos ao fazer o seu comparativo entre as diferentes possibilidades de planejar o melhor investimento de curto prazo para você:

  • baixo risco;
  • alta liquidez;
  • boa rentabilidade.

E é com base nessas questões fundamentais que vamos nortear as dicas a seguir. Continue conosco!

Qual é o melhor investimento de curto prazo?

Não existe uma só opção. Afinal de contas, são diferentes tipos que podem se adaptar, com mais facilidade, aos seus objetivos e necessidades. 

Só que é justamente com base no conhecimento de cada uma dessas modalidades que você pode tomar uma decisão mais certeira para garantir a realização dos seus objetivos com segurança! 

 

LCI

Sigla para Letra de Crédito Imobiliário, o investimento conta com isenção de IR. E, no geral, trata-se de uma opção convidativa para resgatar a quantia investida entre 180 e 365 dias após o primeiro aporte.

Especula-se que, em média, os seus ativos tenham um rendimento que gire em torno de 89% e 91% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Dessa maneira, se considerarmos uma média de 6,40% ao ano, você pode ter direito a uma rentabilidade de 0,47% ao mês. 

Uma boa chance, portanto, de ter um retorno atraente de acordo com os aportes que você fizer nesse período.

 

LCA

Aqui, as iniciais remetem às Letras de Crédito do Agronegócio — também isentas de Imposto de Renda —, e cujos títulos são emitidos pelas instituições financeiras. 

Vale destacar que as suas respectivas datas de vencimento e de rentabilidade são definidas quando você realizar o investimento. Assim, você consegue planejar-se de acordo com um objetivo financeiro mais definido, e garantir mais bem-estar na realização de suas metas.

Atenção, apenas, para o seguinte: a LCA exige um aporte mínimo e os prazos de aplicação são maiores, quando comparados com os presentes em uma LCI. Assim, você pode optar por esse investimento de curto prazo, mas pensando em um período de poupança maior do que o anteriormente citado.

 

CDB

Este é o bom é velho Certificado de Depósito Bancário — ou CDB —, que é um simples ato de “emprestar” o seu patrimônio para os bancos. Não à toa, a rentabilidade costuma ser muito interessante, para um investimento de curto prazo. 

O que você deve ficar de olho: se existe um período de carência para resgatar a quantia investida e acumulada — permitindo, assim, uma rentabilidade maior. 

 

Tesouro Selic

Trata-se de um título público, oferecido pelo Tesouro Nacional. Para o investimento de curto prazo, é tido como a opção mais segura porque é uma opção segura, com baixo risco e um rendimento muito bom comparado com as outras opções citadas.

Destaque, também, pela possibilidade de resgatar o valor a qualquer momento sem que você tenha uma tributação de IOF — após o trigésimo dia.

 

Fundos DI

Esse tipo de investimento de curto prazo são os Fundos Referenciados DI no qual o investidor deve investir 95% do montante, pelo menos, em Títulos Públicos (aqueles atrelados à Selic ou em títulos privados).

O resto do valor pode ser direcionado a papéis que tenham regras iguais no que diz respeito aos fundos de curto prazo. A questão, aqui, está na taxa de administração do investimento (pode chegar a 3,5%, por exemplo).

Para saber se vale a pena, mesmo, esse tipo de investimento de curto prazo, observe com carinho as taxas que cheguem a 0,5%, no máximo. Assim, você pode obter um rendimento de até 102% do CDI, aproximadamente.

 

Fundos multimercado

Aqui, o seu investimento é aplicado em diferentes mercados, como sugere o  nome. Casos de:

  • bolsa de valores;
  • câmbio;
  • renda fixa etc.

Cada modelo vai ter a sua particularidade e, inclusive, eventuais taxas e rentabilidades distintas. Tenha em mente, então, os seus objetivos, o prazo e o quanto você pode resgatar (e quando, logicamente).

Quer saber mais algo a respeito da melhor opção de investimento de curto prazo para você? Então, deixe um comentário, logo abaixo, e responderemos prontamente a sua dúvida!

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.