Entenda o que são os indicadores de liquidez e porque monitorá-los

indicadores de liquidez

Com os indicadores de liquidez, os gestores têm uma perspectiva mais clara a respeito da saúde financeira do seu negócio, bem como mais precisão para a tomada de decisão.

Seja para reduzir gastos, melhorar a administração financeira ou mesmo para avaliar e melhorar constantemente a capacidade das finanças da sua empresa, esses indicadores de liquidez podem fazer toda a diferença.

Para que você entenda, de maneira antecipada, sobre o que vamos tratar neste artigo, dê uma olhadinha abaixo sobre o que será abordado nos próximos tópicos:

    • O que é liquidez?
    • Qual é a importância em conhecer os indicadores de liquidez?
    • Quais são os indicadores existentes?
    • Indicador de liquidez corrente
    • Indicador de liquidez seca
    • Indicadores de liquidez imediata
    • Indicadores de liquidez geral
    • Como fazer uma análise dos indicadores de liquidez?
    • Qual é a influência dos indicadores de liquidez na tomada de decisões?

Boa leitura!

O que é liquidez?

Antes de falarmos sobre indicadores de liquidez e a interpretação de cada um deles, vamos entender a essência do seu conceito: liquidez. No geral, estamos falando da capacidade que um ativo possui em ser transformado em dinheiro sem que, com isso, ele perca o seu valor.

Não á toa, se dissermos que um ativo possui alta liquidez, entende-se que será fácil vendê-lo e, assim, transformá-lo em dinheiro.

No mercado financeiro, os ativos podem ser as ações ou mesmo a sua popular caderneta de poupança. Cada tipo de investimento possui um tipo de liquidez, e é importante saber como os indicadores de liquidez geram rentabilidade e endividamento por conta disso.

Já no mundo empresarial, estamos falando diretamente da relação da empresa e a sua produção com a sua capacidade financeira e, também, sobre a sua proteção patrimonial.

Qual é a importância em conhecer os indicadores de liquidez?

De maneira resumida, podemos embarcar no assunto dos indicadores de liquidez e a interpretação dessas métricas explorando, justamente, o valor de cada um deles para a manutenção financeira de uma empresa.

Isso, por si só, já justificaria o seu monitoramento, certo?

Mas dá para ir muito além nessa resposta. Não à toa, existem quatro tipos desses índices:

  • indicadores de liquidez corrente;
  • indicadores de liquidez seca;
  • indicadores de liquidez imediata;
  • indicadores de liquidez geral.

Cada vez que você calcula o indicador de acordo com as suas necessidades e interesses, o resultado aponta a direção a ser seguida para certificar-se de que determinada questão está com boa (ou não) capacidade e/ou resistência financeira.

Para facilitar, vamos mostrar a seguir quais são os indicadores de liquidez e como cada um deles se relaciona com os seus objetivos e as características da sua empresa.

Quais são os indicadores existentes?

Conforme destacamos no tópico anterior, esses quatro indicadores que podem ser monitorados. Veja, em detalhes, como eles se relacionam com o setor financeiro da sua empresa!

Indicador de liquidez corrente

Se o nome não soar familiar, talvez você já tenha ouvido falar no termo “liquidez comum”, que é basicamente um sinônimo para os indicadores de liquidez corrente.

Por meio dele, é possível mensurar a capacidade do seu negócio em honrar os compromissos financeiros em curto prazo. Dessa maneira, o setor de finanças não tem surpresas e compreende quais são as despesas/contas cuja atenção deve ser imediata — e também o quanto isso vai impactar nas economias da empresa posteriormente.

Para calcular o seu indicador de liquidez corrente, é necessário saber quais são os seus ativos circulantes (os bens que, em curto prazo, podem ser convertidos em dinheiro), que podem ser as contas a receber, por exemplo, as suas mercadorias ou mesmo o dinheiro em caixa, no momento.

Em seguida, identifique o passivo circulante, que são as obrigações financeiras. Elas podem ser as contas a pagar, os devidos impostos ou mesmo uma dívida com um de seus fornecedores, entre outras.

Veja, abaixo, a fórmula para calcular os seus indicadores de liquidez corrente:

liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante

Indicador de liquidez seca

Embora seja muito parecido com os indicadores de liquidez corrente, o indicador de liquidez seca sempre possui um valor menor ou igual à métrica que vimos anteriormente.

E o motivo para isso é facilmente explicado: aqui, não incluímos no cálculo os dados relativos ao estoque. No geral, porque esses ativos não estão atrelados ao patrimônio da empresa. Então, a fórmula para chegar aos indicadores de liquidez seca é a seguinte:

liquidez seca = (ativo circulante – estoque) / passivo circulante

Vale observar, contudo, que esse não é um indicador digno de monitoramento para empresas que não lidam com estoques cujos dados são mensuráveis. É o caso, por exemplo, de empresas SaaS (do inglês Software as a Service — aqueles que negociam produtos digitais, portanto, que não são empilhados em estoque físicos, propriamente ditos).

Indicadores de liquidez imediata

Bastante associado ao caixa, saldos bancários e às aplicações financeiras, o indicador de liquidez imediata também não precisa levar em consideração o estoque, as contas a receber e nem outros valores de entrada.

Dessa maneira, a sua gestão consegue avaliar com precisão todo tipo de situação de curtíssimo prazo.

Aqui, a ideia é considerar apenas a sua capacidade financeira dentro do dinheiro em caixa disponível no momento, e em um prazo de até 90 dias.

A fórmula para saber esse tipo de índice é a seguinte:

indicador de liquidez imediata = disponibilidades / passivo circulante

Indicadores de liquidez geral

O último dos indicadores de liquidez é o único entre eles que foca em uma avaliação de médio e longo prazo. No período analisado, portanto, estamos falando de obrigações e pendências financeiras de até 12 meses. E isso inclui, no geral, outros dados sob os holofotes, como:

  • empréstimos;
  • aplicações de longo prazo;
  • vendas parceladas.

O indicador pode ser usado para diversos objetivos. Mas, no geral, usa-se para averiguar a capacidade financeira em assumir compromissos extensos, como um investimento.

Sua fórmula pode ser conferida logo abaixo:

liquidez geral = (ativo circulante + realizável em longo prazo) / (passivo circulante + obrigações de médio/longo prazo)

Como fazer uma análise dos indicadores de liquidez?

Como destacamos, vamos falar dos indicadores de liquidez e a interpretação dos resultados. De nada adianta saber a fórmula de cada um se não entendemos a sua aplicação prática, certo?

Vale destacar, antes de prosseguirmos, que não se trata de nada sobrenatural. Inclusive, os indicadores de liquidez podem ser interpretados por meio do auxílio de uma tabela que é considerada uma regra de parâmetro para todos. Veja só como funciona:

  • resultados superiores a 1 significam que a sua empresa possui um grau de liquidez bom;
  • resultados inferiores a 1 significam que não há meios para quitar, ao menos no momento, as suas pendências;
  • resultados iguais à 1 apontam que os recursos disponíveis vão servir para honrar com os seus pagamentos.

Viu como não existem muitos segredos sobre o assunto? Se o resultado for inferior ou igual a 1, é importante analisar a saúde financeira da empresa. Isso não quer dizer, contudo, que o seu negócio está à beira da falência, mas trata-se de uma questão delicada em curto prazo — ou até mesmo que existe capital, sim, mas apenas para situações de longo prazo.

Vale a pena, contudo, amparar-se em outros dados a respeito de uma boa tomada de decisão no que diz respeito às finanças da sua empresa. Para saber mais sobre isso, aproveite para conferir nosso artigo que explora os meios de analisar os mais variados indicadores financeiros!

Qual é a influência dos indicadores de liquidez na tomada de decisões?

Vimos, ao longo do artigo, que os indicadores de liquidez permitem avaliar se o momento permite tomadas de decisão focadas em investimentos no curto, médio e no longo prazo.

Ou seja: cada uma de suas escolhas pode passar a ser pautada pelos resultados desse monitoramento. Assim, o setor financeiro sabe se pode honrar os compromissos do mês, por exemplo, e você tem um parâmetro comparativo para situar-se a respeito do seu balanço patrimonial, entre outras possibilidades.

Tratam-se de dados, então, que favorecem uma observação precisa e factual do momento que a sua empresa vive, financeiramente. Sem falar que você pode realizar outras tarefas, como:

Isso também significa que trata-se de um trabalho constante. Os indicadores de liquidez vão ser alterados conforma os pagamentos e recebimentos chegam, modificando os resultados dos seus relatórios.

Daí, a importância em identificar a importância de cada um deles para trabalhá-los de acordo com as suas conquistas planejadas, bem como para situar-se a respeito da rentabilidade e lucro da sua empresa.

Isso tudo, é claro, sem ferir a sua saúde financeira. Pois uma gestão segura sabe transitar entre o passado e o presente para alcançar um futuro estável e em constante desenvolvimento.

 

Saiba, contudo, que você não precisa parar por aí. Que tal curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos também no Instagram, Twitter e LinkedIn? Por lá, você vai ficar sabendo de todas as nossas novidades em primeira mão e, ainda, vai conhecer mais dicas para melhorar qualitativamente a sua gestão financeira e toda a gestão relativa ao seu negócio. Nos vemos por lá!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar