O RH é um dos setores mais importantes da empresa. Ele é o responsável pelo recrutamento e seleção dos colaboradores, pelo treinamento e desenvolvido deles, por estabelecer a remuneração e os benefícios que serão ofertados em conjunto com o departamento financeiro, entre outras responsabilidades. Uma delas é o acompanhamento de como o funcionário está se saindo na empresa.

Para isso, os profissionais do setor costumam utilizar indicadores de gestão de recursos humanos. Vamos ver neste post o que são esses indicadores, quais os mais utilizados pelas empresas e como eles podem ajudar o RH a lidar com a gestão de pessoas.

 

O que são indicadores de gestão de recursos humanos?

Os indicadores de desempenho têm como principal função calcular os resultados de um determinado processo e também os impactos que esses resultados geram para a organização.

A palavra indicadores vem do termo KPI (Key Performance Indicator) que são métricas que precisam ser acompanhadas para garantir que o planejamento e as metas traçadas pela empresa estão dentro do esperado.

Esses indicadores também ajudam a melhorar os processos, identificando os pontos fortes e também modificá-los, caso seja necessário.

Por exemplo, um indicador pode analisar se o funcionário está, de fato, sendo produtivo dentro daquele setor. Talvez, ele tenha habilidades que sejam mais úteis em outro departamento.

 

Quais são os indicadores de gestão de recursos humanos mais utilizados?

Veja quais são os principais indicadores utilizados nos processos de RH dentro das empresas e como cada um deles consegue oferecer benefícios.

 

1- Lucro por empregado

Quanto será que cada um dos funcionários traz de lucro para a empresa? É muito importante ter essa informações, pois, pode ser, que a organização esteja trabalhando com mais funcionários do que o necessário ou com menos, como geralmente acontece.

Esse cálculo é bem simples de ser feito: basta pegar o valor do lucro da empresa dentro de um período e dividir pela quantidade de funcionários que foram contratados. O resultado final dará quanto de lucro cada um dos colaboradores produz.

Sabendo quanto é o lucro planejado pela empresa dentro do período, é possível saber se os funcionários estão sobrecarregados e se é necessário abrir um novo processo de recrutamento e seleção. Esse cálculo pode ser feito por departamento ou por função, entre outras opções.

Cursos específicos na área de atuação do funcionário podem torná-lo mais produtivo no que faz, auxiliando a empresa a desenvolver equipes de alta performance. Invista em cursos de reciclagem e atualização para que seus colaboradores estejam sempre usando as melhores técnicas em suas tarefas e obtendo os melhores resultados.

Outro ponto importante para manter a lucratividade do negócio são treinamentos para as equipes de vendas e marketing, que trazem recursos para a empresa; além, é claro, da área financeira, que gerencia os lucros obtidos.

 

2- Índice de rotatividade

Este e os próximos indicadores de gestão de recursos humanos estão intimamente ligados à motivação no trabalho e a ações de engajamento dos funcionários.

Depois de falar sobre eles, vamos mostrar como treinamentos podem ajudar a melhorar estes índices.

O índice de rotatividade, também conhecido como turnover, mede a quantidade de funcionários que são admitidos e que são demitidos pela empresa dentro de um período determinado.

É preciso identificar se os valores estão muito elevados. O valor ideal é de menos de 10% por ano ou de menos de 1% ao mês. Caso o seu cálculo dê acima disso, é preciso começar a investigar o que há de errado e porque tantos funcionários estão saindo.

O problema, pode estar, por exemplo, dentro do próprio RH no momento do recrutamento e seleção.

Para calcular o turnover é simples. O Índice de Rotatividade é a quantidade de funcionários admitidos somada à quantidade de funcionários desligados dentro do período dividido por 2. Esse valor, por sua vez, será dividido pela quantidade média de trabalhadores nesse período. O valor final deve ser multiplicado por 100 para encontrar a porcentagem.

 

3- Taxa de absenteísmo

Esse um dos indicadores de gestão de recursos humanos mais utilizados. A taxa de absenteísmo está diretamente relacionada ao número de faltas dos funcionários dentro de um período, sendo elas justificadas ou não.

É possível fazer esse cálculo por funcionário para descobrir o número de faltas de apenas uma pessoa, ou calcular a taxa geral da empresa.

A taxa é essencial para todas as empresas, afinal de contas, um absenteísmo elevado gera redução da produtividade e, consequentemente, redução de lucros e aumento dos custos.

Caso esse seja o resultado, deve ser verificada a causa. Por exemplo, as pessoas podem estar precisando de mais motivação e ânimo para fazer o melhor trabalho possível.

 

4- Índice de retenção de talentos

Todas as empresas vivem atrás de grandes talentos, afinal de contas, ter alguém dentro da empresa com ideias inovadoras e que esteja realmente envolvido com os valores do negócio é algo raro e, por isso, bastante valorizado.

Esses profissionais podem estar no banco de talentos da empresa. São aquelas pessoas que estão aguardando por uma oportunidade de promoção.

O problema acontece quando esse talento, que a empresa deseja reter, acaba saindo e esse comportamento se repete com muitos outros. É necessário identificar porque isso está acontecendo e como resolver essa questão já que ela se mostra extremamente prejudicial para a empresa.

O índice de retenção de talentos deriva do índice de rotatividade, mas leva em conta aqueles colaboradores em que a empresa investiu, mas que preferiram deixá-la.

Uma maneira de identificar esses talentos é usando a matriz 9 BOX.

Usando critérios como potencial e desempenho dos colaboradores, ela indica quais são os talentos mais promissores e o RH poderá monitorar quantos a empresa está perdendo por período, em relação ao número total de talentos.

Esses são indicadores de gestão de recursos humanos mais utilizados pelo setor de RH dentro das empresas. Acompanhar essas métricas é de extrema importância para garantir que os objetivos da organização estão sendo cumpridos e se as ações realizadas pelos funcionários estão caminhando para isso.

 

Como o treinamento pode melhorar os indicadores de gestão de recursos humanos

Tanto a rotatividade quanto o absenteísmo, e principalmente a retenção de talentos, estão ligadas às perspectivas que os colaboradores têm de que se manter naquele emprego é vantajoso para sua carreira.

Uma forma de mostrar que a empresa investe em seus colaboradores é promover cursos e treinamento que vão enriquecer seus currículos e auxiliá-los a executar suas tarefas.

Uma das formas mais práticas e econômicas de realizar treinamentos nas empresas é por meio de cursos online, o chamado EAD – ensino a distância.

Não há necessidade de instalações e salas de aula e os profissionais, em muitos casos, podem escolher o horário em que farão o curso, ou parte de suas atividades, dando mais flexibilidade aos alunos.

Este post foi escrito pela equipe da Siteware, uma empresa que une pessoas, operação e estratégia em um único software, para que as empresas melhorem seus resultados, sua comunicação e sua governança.