incentivar o funcionário a sair do sedentarismo

7 formas de incentivar o funcionário a sair do sedentarismo

A falta de atividade física entre os colaboradores é péssima para as empresas. Afinal, pessoas saudáveis são mais produtivas, engajadas e reduzem os custos com despesas médicas. Portanto, para favorecer o crescimento do negócio, é fundamental planejar medidas para incentivar o funcionário a sair do sedentarismo.

As empresas já vêm percebendo o retorno que essas ações podem trazer. Segundo um estudo da Mercer, quase 70% das companhias da América Latina dedicam uma parte do orçamento ao bem-estar da equipe. Quando se fala em programas de saúde, 72% deles são voltados para atividades físicas.

Pensando nisso, listamos as principais maneiras de incentivar o funcionário a sair do sedentarismo. Para saber mais, continue acompanhando o post!

O que é sedentarismo?

Sedentarismo é a ausência de atividade física em nível significativo na vida de uma pessoa. Normalmente, ele é acompanhado de outros hábitos não saudáveis, como má alimentação e tabagismo, acarretando diversos tipos de problemas de saúde.

Entre as consequências do sedentarismo nas empresas, podemos citar doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes e até câncer. 

Para prevenir ou reverter um quadro de sedentarismo, é fundamental introduzir a prática de atividades físicas na rotina, bem como uma alimentação equilibrada e o controle de vícios nocivos à saúde.

Como incentivar o funcionário a sair do sedentarismo?

Para incentivar o funcionário a sair do sedentarismo, a empresa deve investir em benefícios e iniciativas que estimulem a atividade física, como muitas empresa já estão fazendo. Confira abaixo as medidas mais efetivas para esse objetivo.

1. Academia na empresa

Se couber no orçamento e na infraestrutura da empresa, investir em uma academia própria é uma ótima forma de incentivar o funcionário a sair do sedentarismo. Segundo o já citado estudo da Mercer, este é o segundo tipo de benefício de atividade física mais concedido pelas organizações, ficando atrás apenas dos descontos em academias externas.

A principal vantagem desse formato é a conveniência para o colaborador. Ter uma academia no local em que trabalho é uma facilidade enorme, pois a pessoa não precisa perder tempo com deslocamentos. 

Isso favorece que ela crie o hábito de frequentar a academia, reduzindo as chances de o funcionário faltar aos treinos com frequência.

Por outro lado, o custo de construção e manutenção é alto. Fora o espaço físico, também é preciso considerar as despesas com compra de acessórios e equipamentos, cujos valores giram em torno de 50 mil a 100 mil reais.

Além disso, há a questão do gerenciamento da academia pelo RH. É necessário ter uma equipe dedicada para isso, assumindo tarefas como a contratação de professores, programas de atração de colaboradores e controle dos custos com subsídios para os funcionários.

2. Convênios com academias

Os convênios com academias são a forma mais comum de incentivar o funcionário a sair do sedentarismo. Funciona assim: o RH procura uma unidade ou rede de academias, fecha a parceria, e os funcionários ganham descontos na matrícula e na mensalidade.

Não é preciso um esforço operacional muito grande do RH e nem arcar com um custo inicial alto, como no caso das academias internas. Porém, para os colaboradores, as opções de locais de treinos e modalidades esportivas costumam ser bastante limitadas, dificultando o acesso.

O baixo engajamento também é uma desvantagem, já que normalmente não se investe em um programa de divulgação. Além disso, os preços podem ser altos mesmo com os descontos, que costumam ser de 10 a 20%.

3. Benefício de academia

Nos últimos anos, têm feito sucesso nas empresas os chamados benefícios de academia. Com eles, o colaborador tem acesso, por meio de um app, a uma grande variedade de locais e modalidades para realizar a prática esportiva. Dessa forma, incentivar o funcionário a sair do sedentarismo fica muito mais fácil.

A pessoa pode escolher onde, quando e o que quer praticar, sem precisar firmar contratos longos com nenhuma academia. A flexibilidade é total: o usuário consegue treinar perto do trabalho, perto de casa e até quando estiver viajando, seja qual for a sua atividade física favorita.

Para a empresa, o custo é baixo. Basta pagar uma taxa baseada no número de funcionários e no perfil das academias que farão parte do pacote.

4. Cultura de bem-estar

Para que os colaboradores se sintam realmente estimulados a utilizar os benefícios de atividades físicas, é preciso criar uma cultura de bem-estar na empresa.

O diálogo sobre saúde deve ser constante, com ações que estimulem a alimentação saudável e a boa qualidade de vida. Para isso, o RH pode organizar iniciativas como:

  • ações preventivas de saúde e segurança no trabalho;
  • programas de conscientização sobre hábitos saudáveis dentro e fora do trabalho;
  • campanhas contra tabagismo, alcoolismo e diversos tipos de doenças, com divulgação de materiais relevantes e palestras com especialistas.

>> Para saber mais sobre o assunto, confira este outro post do blog:
4 exemplos de programas de qualidade de vida nas empresas <<

5. Uso da escada no dia a dia

Se o escritório estiver dividido entre andares próximos, incentive os funcionários a usarem as escadas para se deslocarem dentro da empresa. Subir e descer os degraus trabalha os músculos das pernas, ajuda a perder peso e aumenta a resistência, trazendo ótimos ganhos para a saúde física dos colaboradores.

Mesmo que os andares sejam distantes, uma boa ideia é fazer parte do percurso de escada e o restante de elevador.

6. Uso de bicicleta e transporte público

Para incentivar o funcionário a sair do sedentarismo, estimule o uso de bicicleta e transporte público na ida e na volta do trabalho.

A bicicleta é a melhor opção para quem mora perto, pois trabalha vários grupos musculares e traz diversos benefícios para a saúde. Se a empresa tiver um bicicletário e um vestiário para dar suporte, certamente muitos funcionários vão aderir à ideia.

Para quem mora mais longe, o uso do transporte é uma ótima maneira de fugir do sedentarismo. Afinal, a pessoa nunca vai fazer o trajeto todo sentada no carro, pois sempre terá de andar até o ponto de ônibus ou estação de metrô.

7. Ginástica laboral e alongamento

Promover sessões de ginástica laboral no meio do expediente é uma ótima maneira de incentivar o funcionário a sair do sedentarismo. Apesar de não serem exercícios muito intensos, são suficientes para prevenir lesões e afastamentos devido à má postura.

O mesmo vale para sessões de alongamento, que podem ser em grupo ou individuais, em horários pré-determinados pela empresa.

 

Agora que você já conhece as melhores formas de fazer o funcionário sair do sedentarismo, é hora de colocar o que aprendeu em prática. Analise todas as opções, defina quais fazem mais sentido para a sua empresa e tire as ideias do papel. Assim você garante que o bem-estar e a qualidade de vida do time estejam sempre em alta.

Gostou do post? Siga-nos nas redes sociais e receba em primeira mão os nossos melhores conteúdos. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.