Aprenda a não ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários, que é um fator comum e determinante para a produtividade, satisfação e motivação deles. Por meio de programas de educação financeira, é possível aumentar exponencialmente a qualidade de vida na empresa.

 

Ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários é uma negligência grave, e que muitos especialistas em RH já perceberam o quanto isso reflete nos resultados da empresa.

Afinal de contas, o bem-estar financeiro é uma das principais metas de profissionais, bem como um dos grandes problemas que eles trazem de casa para o escritório.

Consequentemente, a produtividade é impactada, a motivação é desgastada e o engajamento é lentamente diluído em insatisfação, conflitos e uma série de inconvenientes.

Que tal entendermos, então, os motivos pelos quais você não deveria mais ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários? Basta seguir com a leitura deste post!

 

Educação financeira: um problema nacional

Se os colaboradores na sua empresa — ou mesmo você e conhecidos — têm dificuldades para equilibrar a renda com as contas mensais e os objetivos financeiros, saiba disso: vocês não estão sozinhos.

Uma recente pesquisa organizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), destaca que 45% dos entrevistados não possuem controle das próprias finanças.

Mais que isso, eles sequer têm um planejamento de economizar a sua renda para realizar objetivos. Soa familiar? Some a isso o acúmulo de dívidas e problemas decorrentes.

Assim, chegamos ao problema de ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários. Sabe por quê? Esse tipo de situação acarreta uma série de problemas internos, como:

 

Desmotivação dos colaboradores

Problemas financeiros não ficam em casa, como tendemos a deixar outros obstáculos corriqueiros. Eles nos perseguem como se fossem nossas próprias sombras.

Assim, no ambiente de trabalho eles se refletem em uma desmotivação crônica, já que o problema persiste em martelar na cabeça, prejudicando a performance dos colaboradores.

 

Estresse

O estresse no ambiente de trabalho é uma natural consequência do que mencionamos acima. Ainda mais quando ocorre um conjunto de fatores, como:

  • baixo salário;
  • aumento de dívidas;
  • empresa passa a ignorar o bem-estar financeiro dos seus funcionários;
  • metas inatingíveis são estipuladas.

Percebe como essa bola de neve só tende a crescer e, invariavelmente, vai interferir nos aspectos físico e psicológico do colaborador?

 

Baixa produtividade

A produtividade está intimamente relacionada ao nível de satisfação dos profissionais. Logo, se eles estão infelizes ou desgastados, a produção é diretamente influenciada.

Mais um motivo, portanto, para não ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários.

 

Insatisfação com o salário

O salário é também um fator determinante para os problemas financeiros das pessoas. Portanto, uma maneira de avaliar se a empresa está envolvida nessa questão é a partir da análise da média salarial. Sua organização é competitiva nesse sentido?

Lembrando que essa mínima insatisfação já é suficiente para que um talento interno procure por novas oportunidades — por menor que seja a compensação salarial.

E isso pode estimular uma debandada. E, como se sabe, o turnover elevado agrega problemas múltiplos para a empresa, como:

Convém analisar esse ponto, portanto, para entender que a sua empresa não pode mais ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários.

 

Como deixar de ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários?

Para valorizar os seus recursos humanos e transformar esses eventuais problemas em fórmulas de retenção de talentos e produtividade para a empresa, nós recomendamos algumas considerações iniciais:

  • não pense que um programa de bem-estar financeiro consiste em “dizer o que fazer”. São programas de conscientização e educação financeira;
  • trate o assunto como uma responsabilidade social da empresa. Os resultados são agregadores e influenciam diretamente nos resultados corporativos de cada colaborador;
  • adote critérios para que eles entendam como poupar, como investir e como gastar com responsabilidade e consciência;
  • adapte os programas à realidade do seu quadro de funcionários. Considere, inclusive, ações mais personalizadas para atender às demandas individuais;
  • campanhas de conscientização podem ajudar a expandir o conhecimento deles no assunto. Em geral, ajuda a abrir, definitivamente as portas da empresa para deixar de ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários;
  • crie projetos que possam ser avaliados em curto, médio e longo prazo.

Vale destacar que, ao ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários, a empresa passa a privilegiá-lo, colocando-o em primeiro lugar.

Isso é uma medida de grande valor para reter os talentos da empresa, gerar resultados e propor um clima organizacional de respeito, colaboração e produtividade.

 

Quais ações aplicar para promover o bem-estar financeiro?

Abaixo, nós destacamos algumas das ações e campanhas mais usadas para dar início a uma verdadeira revolução de educação financeira na sua empresa. Confira quais são:

  • palestras que envolvam a realidade dos colaboradores e ajudem a fazê-los identificar situações similares às suas;
  •  workshops de educação financeira;
  • campanhas de conscientização a respeito do consumo desenfreado, dos diferentes tipos de investimentos disponíveis e maneiras de  poupar a renda e equilibrar as contas;
  •  participação de especialistas em finanças para conversar e orientar os colaboradores;
  • campanhas de incentivo.

Implementar essas ações, entretanto, exige uma sinergia coletiva na empresa: dos próprios colaboradores ao setor de RH, passando pela liderança de cada setor.

Para começar, é importante que todos entendam se tratar de um assunto de importância coletiva. E que os resultados e o desenrolar da campanha agregam múltiplos benefícios.

Com isso, fica fácil colocar em prática esse planejamento e galgar a sua empresa a um nível de excelência diferenciado, e com profundo valor agregado — interna e externamente.

 

Que tal você nos dizer, agora, se a sua empresa possui algum tipo de projeto para não mais ignorar o bem-estar financeiro de seus funcionários? Compartilhe conosco as suas expectativas e eventuais experiências sobre o assunto no campo de comentários deste post!