Aprenda como aplicar a gestão de mudanças organizacionais na sua empresa

gestão de mudanças

Praticamente todas as empresas passarão, em algum momento, por transições ou mudanças em sua estrutura. Por isso, a gestão de mudanças organizacionais deve ser encarada como uma ferramenta que auxilia nesse processo.

Seja na integração de novos funcionários, no crescimento de um departamento, na alteração de procedimentos ou até mesmo na fusão com uma outra empresa, essas mudanças podem ter um impacto significativo na trajetória do negócio. Porém, as reformulações nem sempre são confortáveis, nesse sentido,  uma boa gestão ajuda a suavizar os desafios. 

Para realizar uma gestão de mudanças organizacionais de forma efetiva é importante compreender como aplicá-la nos processos corretos. Sendo assim, neste artigo você vai encontrar:

  • O que é gestão de mudanças organizacionais?;
  • Como funciona a gestão de mudanças?;
  • Em quais processos essa gestão pode ser aplicada?;
  • Quais os principais benefícios da gestão de mudanças? 

Boa leitura!

O que é gestão de mudanças organizacionais?

A gestão de mudanças organizacionais refere-se às ações nas quais uma empresa ou negócio altera um componente importante de sua organização. Pode ser uma mudança relacionada a qualquer área da empresa, e que exige adaptações da parte dos colaboradores. 

Assim, o gerenciamento de mudanças organizacionais é o método de alavancar mudanças para trazer uma resolução bem-sucedida para a empresa. 

Muitos fatores tornam a mudança organizacional necessária. Alguns dos motivos mais comuns enfrentados pelas organizações incluem:

  • Nova liderança no comando da empresa ou dentro de seus departamentos;
  • Mudanças na estrutura da equipe organizacional;
  • Implementação de novas tecnologias;
  • A adoção de novos modelos de negócios

De forma geral, trata-se de práticas e estratégias aplicadas com o objetivo de realizar as transições sugeridas da melhor maneira possível, evitando traumas e promovendo uma adaptação saudável aos colaboradores.

Como funciona a gestão de mudanças?

Embora existam diferentes definições sobre um passo a passo ideal para aplicar a gestão de mudanças organizacionais, basicamente ela se baseia em três fases principais

  • Preparação;
  • Implementação;
  • Acompanhamento.

Ou seja, a gestão de mudanças deve funcionar como um processo que estuda e aplica diferentes etapas para realizar a completa transição proposta. A metodologia deve sempre contemplar práticas tangíveis, tanto para a empresa quanto para os funcionários. 

É muito importante que todas as etapas ofereçam as informações e condições necessárias para gerar a adaptação e minimizar qualquer percalço durante a transição. Isso é fundamental para reduzir a mudança seja rejeitada pelos colaboradores.

Preparação

Qualquer mudança deve ser muito bem organizada antes de acontecer. Pode parecer uma etapa óbvia, mas muitas empresas deixam de acertar na gestão de mudanças organizacionais, justamente por não preparar empresa e funcionários para as adaptações vindouras.

O primeiro ponto a ser considerado é se a mudança proposta é realmente necessária. Perguntar os porquês dessa realização é essencial para não meter os pés pelas mãos e acabar realizando alteração que, na prática, não ajudarão a empresa.

Também é importante anunciar aos envolvidos sobre as transformações que irão ocorrer na empresa. Afinal, ninguém gosta de ser pego de surpresa em assuntos profissionais. Neste aspecto, também considere o tempo necessário para a etapa da preparação. Mais uma vez, a ideia é não apressar as coisas e pular processos.

Ao aplicar uma mudança na empresa, tenha definido exatamente o que essa alteração pretende alcançar, quais serão os impactos dessa transformação e como os colaboradores receberam a notícia dessa novidade.

Implementação

Depois de articular as transformações necessárias, uma boa gestão de mudanças organizacionais deve contemplar a melhor forma de implementar essas alterações. Como já dito, a questão do tempo aqui também é importante, uma vez que é preciso realizar essa implementação sem pressa.

Nesta etapa, a comunicação interna também tem papel fundamental para garantir a adaptação aos novos processos, assim como a  estratégia de comunicação a ser utilizada. Lembre-se: essa estratégia deve incluir um cronograma de como a mudança será implementada na empresa, além de mensagens-chave que são parte do planejamento.

Outro ponto imprescindível para a implementação da mudança é o treinamento dos colaboradores. Esse treinamento pode ser estruturado ou informal, mas deve essencialmente contemplar as habilidades e as informações necessárias para que todos os colaboradores continuem atuando com eficiência conforme a mudança é implementada.

Fornecer uma estrutura de suporte é essencial para ajudar os funcionários a se ajustarem às novidades e a construir as habilidades técnicas necessárias para alcançar os resultados desejados com as alterações.

Também vale lembrar que, em alguns casos, algumas mudanças podem resultar em demissões ou na reestruturação de equipes. E, nesses casos, também é importante considerar o fornecimento de suporte para os colaboradores, como serviços de aconselhamento psicológico, por exemplo.

Para ajudar os funcionários a se ajustarem às mudanças na forma como uma função é desempenhada, o melhor caminho é adotar uma política de comunicação direta, especialmente possibilitando a realização de perguntas à medida que surgirem pode ser definida.

Acompanhamento

Ao longo do processo de gestão de mudanças organizacionais, uma estrutura deve ser implementada para medir o impacto comercial das mudanças e garantir que existam oportunidades de reforço contínuo para construir proficiências. 

Também vale avaliar o plano de gerenciamento de mudanças para determinar sua eficácia e documentar todos os progressos realizados.

Sempre é possível otimizar ainda mais resultados ao analisar como a mudança ajudou a atingir as metas da empresa, como o processo de gerenciamento de mudanças foi bem-sucedido e o que poderia ter sido feito de forma melhor.

Em quais processos essa gestão pode ser aplicada?

Embora seja um termo amplo, uma mudança organizacional pode ser aplicada a qualquer processo de transformação essencial da empresa. Como já mencionado, primeiro é necessário definir a mudança organizacional e  entender por que ela é necessária.

Algumas mudanças são mais radicais, como uma grande alteração na direção de uma empresa, por exemplo. Outras mudanças são menos dramáticas, concentrando-se em um pequeno aspecto das práticas do dia a dia do negócio.

Pode ser útil pensar na mudança organizacional como um espectro. Por um lado, você encontrará a mudança adaptativa, que fala com essas iterações modestas. Por outro, há uma mudança transformacional, na qual uma vasta transformação é buscada.

Mudanças adaptativas

Mudanças adaptativas são pequenas alterações incrementais, que as organizações adotam para atender às necessidades que evoluem com o tempo. Normalmente, essas alterações são pequenas modificações e ajustes implementados para executar e otimizar as estratégias de negócios.

Mudanças transformacionais

Já as mudanças transformacionais têm escala e escopo maiores do que as mudanças adaptativas. Frequentemente, essas transformações podem envolver uma mudança simultânea na missão e estratégia da empresa, assim como em campos como a estrutura de equipes ou do próprio negócio, no desempenho das pessoas ou de processos essenciais.

Por causa de sua escala maior, essas mudanças geralmente levam uma quantidade substancial de tempo e energia para serem efetivadas. Embora nem sempre seja o caso, as mudanças transformacionais geralmente são buscadas em resposta a forças externas, como o surgimento de um novo concorrente forte ou por problemas que afetam a cadeia de suprimentos de uma empresa.

De forma geral, entre os exemplos de gestão de mudança uma empresa sempre estará lidando com mudanças adaptativas ou transformacionais. Por esse motivo, é necessário entender que o processo de mudança deve ser adaptado aos desafios e demandas exclusivas de cada situação.

Em todo caso, certifique-se de que o procedimento na gestão de mudanças esteja alinhado com os objetivos do negócio, o que é fundamental para a implementação e a sustentabilidade da mudança organizacional. Observe quais desafios podem surgir ao longo da implementação da mudança, e seja flexível o suficiente para ajustar o que for necessário.

Quais os principais benefícios da gestão de mudanças?

Uma boa gestão de mudanças organizacionais é necessária para que as empresas sigam tendo sucesso e crescimento, apesar das transformações. O gerenciamento de mudanças impulsiona a adoção e o uso bem-sucedidos de alterações dentro da empresa, e permite que os colaboradores entendam e se comprometam com as novidades que estão sendo implantadas.

Sem uma gestão de mudança organizacional eficaz, as transições de um empreendimento podem ser difíceis e caras em termos de tempo e recursos. Além disso, a falta de uma gestão eficiente pode resultar em uma baixa eficiência dos colaboradores, assim como uma diminuição da produtividade e até mesmo o aumento do turnover na empresa.

Em última análise, a falta de um gerenciamento de mudanças pode levar a organização ao fracasso. Por si só, a gestão de mudanças organizacionais reduz custos nem aumenta as vendas. Mas ela é responsável por melhorar todas as etapas e relações que levam a isso.

Vale ressaltar, por fim, que a gestão de mudanças organizacionais não termina depois de a transição ter sido executada com sucesso. Durante e após o processo, é preciso avaliar continuamente os resultados, medir os dados, treinar os funcionários em novas metodologias e práticas de negócios e reajustar as metas conforme necessário, a fim de atingir resultados ainda mais positivos.

 

Se este conteúdo foi útil para você, comente a sua opinião sobre o artigo! O seu feedback é muito importante, pois nos ajuda a criar conteúdos cada vez melhores.

Confira outros artigos que você pode se interessar