Gamificação no RH: a nova tendência na gestão de pessoas

gamificação no rh

A gamificação no RH é uma alternativa para gerar o engajamento dos colaboradores e, assim, alcançarem um objetivo ou meta. Pode ser: mais produtividade, engajamento, redução do absenteísmo ou mesmo em treinamentos e no processo seletivo da empresa.

 

Bem-afortunados são aqueles que cresceram na companhia do encanador bigodudo Mario Bros e Sonic, o porco-espinho veloz, entre outros. Afinal de contas, os videogames são excelentes fontes de aprendizado!

Mas, na falta de games que retratem a rotina profissional e nos ajudem a desenvolver competências e habilidades, temos a gamificação no RH para suprir essa demanda.

E, se você ainda não sabe, ao certo, como a gamificação (ou gamification) pode ganhar um espaço cativo nas ações e estratégias do seu RH, continue esta leitura!

Nos próximos tópicos vamos esmiuçar a gamificação no RH. E, para isso, listaremos seus benefícios, aplicações e exemplos de mercado para inspirar boas ideias e dar um game over no marasmo da sua empresa!

 

O que é a gamificação?

O termo foi adaptado da expressão em inglês gamification, que qualifica o então substantivo game a servir como instrumento de ensino, motivação e engajamento.

É só pensar no relevante impacto disso: muitas vezes, o que nos motiva a chegar ao final de um jogo de videogame é o desafio, a recompensa, a gratificação.

Quando migramos esses conceitos para a rotina corporativa, temos em mãos uma poderosa maneira de aproximar-se das pessoas e estimularmos a performance delas — com boa dose de diversão no processo.

 

Onde isso se aplica?

O restaurante que oferece um cartão-fidelidade e carimba-o a cada refeição consumida — oferecendo uma refeição grátis a cada 10 carimbos —, está praticando a gamificação.

O mesmo vale para alguns aplicativos — como o Duolingo, de idiomas — que criam recompensas e um cenário lúdico e desafiador para que as pessoas evoluam no aprendizado.

Portanto, são exemplos tão distintos quanto amplos. E a facilidade com a qual eles podem ser inseridos na rotina corporativa, independentemente da sua cultura organizacional.

Vale observar, entretanto, os benefícios colhidos por meio dessa estratégia antes de entrarmos na gamificação no RH.

 

Quais são os benefícios em usar a gamificação?

Quando planejada estrategicamente — com base em um objetivo específico e alinhada ao perfil dos colaboradores — a gamificação pode agregar muito à empresa. Por exemplo:

  • o engajamento é maior. Especialmente, quando a atividade gera pontuações, rankings, troféus, prêmios… Reconhecimento, afinal de contas;
  • a motivação é também aprimorada, tendo em vista que a meta a ser atingida se torna mais desafiadora e convidativa;
  • a retenção de conhecimento é maior, tendo como base os estudos que apontam a facilidade com a qual compreendemos algo a partir de um aprendizado divertido;
  • o trabalho em equipe pode ser fortalecido, também, quando as atividades estimulam a colaboração entre os colegas;
  • o feedback também é poderoso. Ajuda na avaliação e também na evolução de quem passou por uma dessas atividades.

Agora, você deve estar pensando em como a gamificação no RH pode ser aplicável, certo? Veremos isso logo abaixo!

 

Como implementar a gamificação no RH?

Uma nova ideia não pode ser, simplesmente, executada. Mesmo nos videogames, apertar botões a esmo não levam o jogador a lugar algum.

Portanto, antes de idealizar a gamificação no RH vamos voltar algumas etapas e definir, primeiramente, o objetivo dessa ação.

Ou seja: o que você busca com a gamificação? Pode ser:

  • desenvolver habilidades e competências específicas dos colaboradores;
  • motivá-los a aumentar os índices de produtividade;
  • engajar a equipe e integrá-la mais;
  • qualificar o treinamento na empresa;
  • reduzir o absenteísmo;
  • promover um diferencial de qualidade no sistema de recrutamento e seleção.

Entre outras possibilidades que podem ser moldadas de acordo com as necessidades diagnosticadas internamente.

A etapa seguinte, por sua vez, precisa ser alinhada ao perfil dos participantes. Não se pode pensar em uma disputa incapaz de gerar identificação com os colaboradores.

Para isso, planeje as regras, os indicadores que serão avaliados e também as recompensas.

Lembre-se que é essa relação entre o desafio e o mérito da conquista que a gamificação no RH — e em qualquer outra aplicação — atrai o interesse dos participantes.

 

Como o setor de RH se beneficia disso?

Inovação. Essa palavra define bem o uso da gamificação no RH. E, em primeiro lugar, porque é uma estratégia que rende resultados.

Vale destacar, ainda, que essa ferramenta agrega novidades na rotina. Insistir nas mesmas soluções, visando produtividade, por exemplo, não gera o retorno esperado.

O mesmo vale para um treinamento. Se as métricas anteriores apontaram a dificuldade ou resistência de aprendizado do público, por que não inovar?

Uma dica: comece internamente, no próprio RH. Estabeleça uma meta, crie uma situação interessante, que envolva os participantes, e faça uma experiência.

Em seguida, replique-a em outros departamentos. Aos poucos, anotando as lições e pontos de melhoria que vão servir para a construção de uma estratégia mais sólida, imune a imprevistos.

 

Quais exemplos podem inspirar a gamificação no RH?

Para deixar mais evidente a quantidade de benefícios que a sua empresa pode absorver ao usar a gamificação no RH, separamos alguns exemplos reais.

Abaixo, você pode conferir o que algumas das grandes marcas do mercado já exercitaram, nesse sentido. O que pode inspirar boas ideias para a sua equipe:

  • o grupo Gerdau (do ramo siderúrgico) investiu em um programa de capacitação pessoal nutrido por um óculos de realidade virtual;
  • a multinacional Deloitte investiu no treinamento e capacitação dos colaboradores a partir de cursos on-line;
  • para inspirar o quadro de funcionários (e também os seus clientes), o grupo Aetna criou um game que incentiva — e gratifica — os usuários a adotarem hábitos saudáveis;
  • a Microsoft, por sua vez, engaja os próprios colaboradores a identificarem falhas nas traduções dos seus sistemas, recompensando esses “caçadores de erros”.

Quer dizer, não faltam oportunidades para usar a gamificação no RH:desde o incentivo à motivação, à integração e à produtividade ao completo remodelamento de um programa de treinamento, é possível revolucionar o RH na sua empresa.

Faça um teste, amplie os objetivos e participantes e lembre-se de monitorar os indicadores. Por meio deles você vai agregar cada vez mais valor à gamificação no RH!

 

Conte-nos, agora, um pouquinho sobre a sua experiência no assunto. Caso já tenha participado de alguma gamificação no RH — ou em outras áreas —, compartilhe os resultados conosco, no campo de comentários, para ampliarmos esta discussão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *