fusão de empresas

Fusão de empresas: o que é e como funciona esse processo?

Oficialmente nomeado “Fusões e Aquisições” (F&A) – o famoso M&A, em inglês Mergers and Acquisitions o processo de fusão de empresas é muito comum em todo o mundo, nos mais diversos setores da economia.

Considerando a dinamicidade do mercado e suas constantes transformações, este tipo de reorganização empresarial acontece para formar companhias ainda mais sólidas e poderosas.

Neste artigo, apresentaremos os principais pontos em relação ao tema:

  • Qual é o conceito de fusão de empresas: o que é e quais são as principais características deste processo;
  • Quais são os aspectos legais da fusão de empresas: o que define o Código Civil em relação aos trâmites legais para que a união seja consolidada no Brasil;
  • Tipos de fusão de empresas: os 5 tipos de fusões e as suas especificações;
  • Vantagens deste processo: os principais ganhos e oportunidades gerados por estas uniões;
  • Quais são os desafios da fusão de empresas: as principais adversidades e obstáculos encarados pela gestão;
  • Quais são os passos para fazer a fusão de empresas: o detalhamento de todo o processo;
  • Um processo complexo, mas que vale a pena: os principais entendimentos sobre o tema. 

Para entender todos estes detalhes e até mesmo considerar a possibilidade de unir a sua empresa com outra(s), avance conosco na leitura deste artigo. Aproveite!

Qual é o conceito de fusão de empresas

A fusão de empresas é a união de duas ou mais organizações, geralmente do mesmo setor ou de setores parecidos, resultando na criação de uma terceira nova companhia. Esta negociação acontece com todo um respaldo judicial no qual as empresas envolvidas transformam-se em uma só. 

Um olhar curioso em relação a este processo é o quanto a competição entre as empresas deve ser vista como um benefício para o mercado, resultando em diversas oportunidades. Isso porque a união é feita de forma voluntária pelas companhias envolvidas. 

E para que isso aconteça, um estudo de mercado muito detalhado é realizado anteriormente por ambas, tanto para considerarem os riscos, quanto para entenderem as vantagens que essa união trará.

A fusão entre empresas, portanto, é um processo meticuloso. Um bom exemplo dos cuidados a serem considerados na consolidação da fusão das empresas é o processo de comunicação, que deve ser criado e estruturado para que a nova abordagem junto aos clientes seja clara e objetiva. 

Quais são os aspectos legais da fusão de empresas

No Código Civil, a fusão de empresas está descrita no Capítulo X, Da Transformação, da Incorporação, da Fusão e da Cisão das Sociedades, no Artigo 1.119, na qual se compõe a seguinte regulamentação: “A fusão determina a extinção das sociedades que se unem, para formar sociedade nova, que a elas sucederá nos direitos e obrigações”.

Em sua descrição, entende-se que a fusão de empresas resulta no desaparecimento das empresas anteriores para a criação de uma nova, com um novo CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) e um novo dono. 

Um novo contrato social é redigido com os capitais sociais somados e sócios identificados, assim como seus patrimônios, bens, direitos e obrigações.

No caso das S.A. (Sociedade Anônima), a fusão deve ser discutida e acordada em assembleia com todos os acionistas das empresas envolvidas, constituindo também um novo estatuto e definindo a nova divisão de ações.

A formalização da soma dos capitais, patrimônios, bens, direitos e obrigações é feita após cautelosa avaliação de peritos. E a partir de então, a fusão pode ser concretizada, uma eleição de novos diretores deve ser realizada e o mercado deve ser comunicado.

O fato é que as fusões de empresas se realizam legalmente conforme estabelecido para seus respectivos tipos, como também descrito no Código Civil, no Artigo 1.120. Cada caso é extremamente específico e conta com diferentes particularidades.

Tipos de fusão de empresas

Existem cinco principais tipos de fusão entre empresas, todas muito diferentes uma das outras. Vamos entender um pouco melhor sobre cada uma delas. Continue conosco!

Fusão horizontal

A fusão horizontal é caracterizada pela união de empresas que atuam no mesmo setor de mercado. Ou seja, companhias que oferecem produtos ou serviços muito similares. 

É muito comum que, antes da fusão, ambas detenham a maior parcela de consumidores, com uma disputa acirrada entre si. Desta forma, a partir do momento em que se fundem, dominam o mercado e consequentemente passam a ter um lucro exponencial e a gerar diversas oportunidades.

Um ótimo exemplo de fusão horizontal foi a união da Sadia com a Perdigão, duas gigantes na indústria de alimentos, que se transformaram na BR Foods, líder disparado neste setor de mercado no Brasil.

A maior vantagem da fusão horizontal está no fato de que os clientes, antes divididos, passam a compor uma só cartela. 

Desse modo, as ações que antes eram criadas e direcionadas de acordo com apenas um público alvo, podem ser examinadas e especificadas de modo a conquistar todos os possíveis compradores para apenas uma companhia.

Fusão vertical

A fusão vertical é caracterizada pela união de empresas que pertençam ao mesmo setor de mercado, mas não da mesma cadeia de produção. 

A intenção aqui é garantir matéria-prima e mão de obra mais baratas de um lado e segurança em ter um comprador fixo da outra. 

Um exemplo para a fusão vertical de empresas foi a união da Embraer e da Boeing, chegando a valer USD 5,26 bilhões no final de 2018.

Nesse sentido, a fusão vertical está diretamente ligada ao aumento do lucro da empresa. Com a mão de obra mais barata, bem como a matéria-prima com acesso mais simplificado, torna-se possível economizar em ambos os sentidos. 

Além disso, a receita pelo compartilhamento de valor entre ambas as companhias também aumenta, tornando o capital de giro da nova corporação ainda maior e mais impactante no mercado.

Conglomerado

O conglomerado é a fusão de empresas que atuam em setores totalmente diferentes. Existem duas formas de conglomerados: os puros e os mistos. 

Os puros são definidos pelas fusões entre empresas que não tem absolutamente nada em comum. Ou seja, empresas de segmentos diferentes e com produtos completamente distintos passam a trabalhar juntas.

Nesses casos, muitas vezes é realizada uma adaptação dos materiais de oferta, visando a criar um produto mais coeso e coerente, com maiores possibilidades de aceitação perante o público.

Já os mistos são as uniões entre empresas que buscam estender as suas ofertas. Aqui, temos um bom exemplo que se concretizou recentemente, em 2019, que foi a fusão do Magazine Luíza (líder em vendas de eletrodomésticos e eletrônicos) com a Netshoes (líder em vendas de artigos esportivos).

Com essa união, ambas as empresas aumentaram as suas vendas no mercado, pois puderam utilizar do nome e consolidação de marca uma da outra para aquisição de clientes. Sendo assim, continuam crescendo constantemente, se tornando cada vez mais as preferidas entre os consumidores.

É vital ressaltar que, no conglomerado, tanto no puro, quanto no misto, o desafio gerencial é enorme, mas se antecipadamente bem planejado, resulta não só em sua expansão de ofertas, mas principalmente em grandes lucros.

Fusão de extensão de mercado

A fusão de extensão de mercado trata-se da união de empresas que atuam com produtos ou serviços similares, mas em mercados totalmente diferentes. Estas fusões ocorrem principalmente entre empresas situadas em países distintos, para que ambas conquistem mais espaço de mercado e diferentes tipos de consumidores.

Por exemplo, uma empresa do nicho eletroeletrônico famosa no Brasil junta suas forças com uma companhia do mesmo ramo, mas na Alemanha. 

Dentro desse cenário, ambas as marcas passam a contar com uma prévia aprovação dos clientes, assim como maior facilidade para adentrar nos respectivos mercados internacionais. 

Com isso, é evidente que não apenas o lucro aumenta, mas também as possibilidades de expansão de marca. Assim, o crescimento de receita se mostra aparente a curto, médio e também a longo prazo.

Fusão de extensão de produto

A fusão de extensão de produto trata-se da fusão de duas empresas que atuam com produtos ou serviços similares, e com a fusão, almejam aumentar suas ofertas, unificando seus catálogos, e assim conquistar mais fatias do mercado.

A melhor parte deste tipo de fusão é que não apenas as companhias são beneficiadas, mas também os consumidores. Isso porque, ao terem em mãos uma maior oferta de produtos e serviços, podem contar também com as vantagens de ter mais facilidade para adquirir o que desejam.

Vantagens deste processo

Se olharmos atentamente para a economia, perceberemos que não é à toa que a fusão de empresas vem acontecendo com tanta regularidade em todo o mundo. Muitas são as vantagens que a nova empresa passa a ter perante ao mercado. Entenda algumas delas.

Expansão e alcance de escala

Com a fusão de empresas, a união dos públicos-alvo faz com que a sua abrangência e robustez sejam cada vez maiores e mais relevantes. 

Alcançar novos consumidores automaticamente demanda um crescimento altamente escalável, o que provavelmente faz com que a nova marca torne-se uma gigante do mercado.  

Aumento da receita

Quando a fusão entre empresas é feita de forma bem planejada, o aumento da receita é uma realidade concreta. Isso porque, com duas empresas se tornando uma só e com um domínio imenso de mercado, milhares de novas oportunidades batem em sua porta. 

Automaticamente, com mais vendas e contratações, as engrenagens da nova empresa não param de girar e assim geram um imenso aumento de seus recursos. 

Diminuição de custos

Com a fusão de duas ou mais empresas, a nova companhia criada passa a ter menos custos. Isso porque pessoas, processos e espaços são unificados. 

Além disso, contando com uma nova gestão, erros são identificados e corrigidos rapidamente, o que acaba não apenas garantindo que custos desnecessários sejam descartados, como também possibilita a criação de uma administração mais enxuta e prática e o aumento da produtividade.

Diminuição de riscos

A fusão entre empresas, principalmente se pertencentes ao mesmo setor, automaticamente causa a diminuição da concorrência mais agressiva e acirrada. Os riscos, portanto, acabam diminuindo muito, já que a união de esforços e ativos são oficialmente consolidados. 

Podemos considerar também a ampliação do know-how que a nova empresa passa a ter como uma grande vantagem de mercado e um importante diminuidor de riscos. Isso porque toda uma parcela de conhecimento de mercado trabalha ao seu favor.

Diversificação da cultura

Quando equipes diferentes se unem com um único propósito, o resultado costuma ser surpreendente. A fusão de empresas possibilita uma diversificação de cultura muito rica, mesmo que desafiadora. 

Empresas são feitas por pessoas e quando uma cultura ágil e acessível é construída por elas, além do sentimento de pertencimento que as fazem muito mais produtivas, a transformação dos produtos e serviços oferecidos também são percebidos e muito mais bem aceitos pelo mercado.

 

>> Uma boa gestão de tarefas e projetos é essencial para o desenvolvimento da sua empresa. Que tal transformar a forma de gerir sua empresa? Baixe nosso e-book Gestão de Tarefas e Projetos e saiba como! <<

Quais são os desafios da fusão de empresas

Não são só as complexidades burocráticas os grandes desafios a se enfrentar em um processo de fusão de empresas. Quando a nova companhia é consolidada, algumas dificuldades aparecem, mas podem ser facilmente resolvidas com boas estratégias e tempo. Confira as principais:

Unificação de processos e tecnologias

Dentro de todos os setores de uma empresa (administrativo, financeiro, comercial, recursos humanos, operacional etc.) utiliza-se processos e tecnologias diversos. Quando acontece a fusão de empresas, a unificação de tudo isso é bastante complexa. 

A quantidade de dados a serem cruzados é vasta e a produtividade dos times não pode ser comprometida.

Portanto, é essencial planejar com antecedência o máximo de detalhes possíveis em relação a esta unificação de processos e tecnologias. Para além de evitar improdutividade, também é fundamental não impactar nos custos gerados por ferramentas repetidas e desnecessárias.

Conexão de times

Eis aqui um grande desafio. Imagine equipes com pessoas diferentes, gestões diferentes, culturas diferentes e que utilizam processos diferentes para realizarem suas atividades no dia a dia. Conectar toda essa força de trabalho de uma só vez é extremamente desafiador e pode gerar diversos conflitos

Por isso é importante que, também com antecedência, essa conexão seja muito bem pensada e que se crie um onboarding exclusivo para o “nova” empresa que se forma. 

É claro que grandes aprendizados causarão mudanças extremamente significativas conforme os times forem se alinhando. 

Porém descartar um planejamento prévio considerando as melhores formas de isso tudo acontecer de uma maneira bem sucedida, pode causar consequências drásticas no cotidiano e na cultura dos seus clientes internos.

Acompanhamento de resultados

São muitas as métricas e os resultados que uma empresa analisa diariamente para manter-se ativa e competitiva. Quando existe a fusão de empresas, a união destas informações, que muitas vezes são calculadas e computadas de formas diferentes, também é um grande desafio. 

Para uma melhor experiência na hora de encarar esta dificuldade, é importante estarem presentes na conversa as pessoas que definiram até então quais foram os critérios de medição dos principais resultados até o momento da fusão. Desta forma, o alinhamento e a união dos dados das duas ou mais empresas podem ser feitos com mais clareza e precisão. 

Obstáculos burocráticos 

Alguns desafios burocráticos fazem parte do processo de fusão de empresas, como: distinção dos tipos de empresa, seus diferentes tamanhos, os quadros societários e todas as minutas dos contratos, entre outros detalhes. 

Todas essas documentações devem ser revistas e alinhadas para se transformarem em uma só. A partir de então, tem-se o resultado da união das empresas.

Porém, mesmo com todos estes desafios, a expansão causada pela fusão de empresas acaba valendo muito a pena e abrindo portas para que a nova companhia formada possa gerar e se beneficiar de muitas oportunidades.

Afinal, quando uma empresa alia-se a outra, os lucros que antes eram separados de acordo com a quantidade de clientes de cada uma, passam a se juntar nas mãos da terceira nova empresa criada.

Nesse cenário, os clientes também são compartilhados, o que é benéfico para ganhar um maior posicionamento no mercado e uma visão majoritária sobre as possibilidades para ascensão.

Quais são os passos para fazer a fusão de empresas

Até aqui entendemos o que é, como funciona, quais são as condições judiciais e quais são as vantagens e os desafios para que o processo de fusão de empresas seja concretizado.

Seguimos, portanto, com um passo a passo mais específico de todo o processo de fusão de empresas, descrito em 10 etapas pela Engenharia Societária, para que fique ainda mais claro como tudo acontece. 

1 – Análise das necessidades e possibilidades: entender o porquê da fusão ser uma ação benéfica para o negócio e listar as possíveis empresas. 

2 – Seleção e negociação: selecionar as empresas que mais tem a ver com o principal objetivo da intenção de fusão e iniciar as conversas e possíveis negociações.

3 – Auditorias e avaliações: passar um “pente fino” em todos os processos internos das empresas interessadas em se fundir para que o entendimento da criação da nova empresa seja claro e objetivo.

4 – Elaboração dos documentos necessários: contar com advogados especializados  na composição do documento que decretará a fusão das empresas envolvidas.

5 – Obtenção das autorizações estatais necessárias: solicitação dos documentos necessários à justiça para que o processo corra dentro dos trâmites legais.

6 – Aprovação dos sócios: entendimento e aceitação de todas as partes envolvidas, como sócios e acionistas.

7 – Arquivamento na Junta Comercial e publicação: providenciar os registros e publicações nas autoridades competentes.

8 – Registros e inscrições complementares: analisar se existem mais documentos necessários para que a consolidação da união seja feita.

9 – Celebrações e alterações de contratos: últimas considerações e modificações nos contratos para os registros finais.

10 – Pós-operação: toda a definição de novas estratégias para o seguimento do negócio, desde as administrativas até as operacionais.

É importante ressaltar que cada caso de fusão tem suas singularidades burocráticas, então alguns desses passos podem se inverter ou até mesmo acontecer de forma simultânea. 

Tudo depende de condições contratuais que devem ser minuciosamente analisadas e integradas antes que ocorra a fusão de empresas.

Um processo complexo, mas que vale a pena

Está claro que a fusão de empresas consiste em processos complexos e extremamente delicados. Porém, se realizados de maneira estratégica, podem apresentar lucros exorbitantes e possibilitam o crescimento do mercado como um todo. Não é à toa que as fusões de empresas são cada vez mais comuns em seus mais diversos modelos. 

Independentemente do tipo de fusão utilizado, é fundamental ressaltar que essa união comumente trás benefícios para os empresários e também para os consumidores. Com a junção de forças que o projeto proporciona, os serviços e produtos oferecidos costumam ter sua qualidade aumentada, bem como o preço de mercado diminuído. 

Nesse sentido, a procura aumenta, tanto por parte dos consumidores, quanto por parte da concorrência, para entender e estudar as novas estratégias de mercado. Sendo assim, o nome da nova empresa se consolida rapidamente no mercado, já que advém da união de marcas que já possuíam sucesso anteriormente. 

Importância da fusão de empresas

Dentro dessas características fica evidente o porquê de a fusão de empresas ser um tema tão pautado atualmente. 

Essa união tem se demonstrado ser sinônimo não apenas de crescimento de marca no mercado, mas de lucros infinitos para quem adere a ela. Portanto, é uma ótima opção para quem não tem medo de arriscar e deseja construir novos caminhos no mundo corporativo.

E, finalmente, se você tem interesse em fundir sua empresa com outra, temos algumas dicas muito importantes: busque sempre firmar acordos claros, definir responsabilidades e não ter pressa para que tudo se transforme logo em uma coisa só. 

Além de produtos ou serviços, muitas pessoas e processos serão envolvidos e precisam de tempo para se adaptarem da melhor maneira. 

Se, após todas estas definições e entendimentos, a fusão de empresas é uma boa opção para o seu negócio, foque em estudar bastante as características do seu negócio e da parte que deseja integrar. Depois disso, não deixe de dar este grande passo!

 

Entendeu como funciona a fusão de empresas? Para estar sempre por dentro de informações como estas, assine nossa newsletter no campo abaixo e fique sempre bem informado!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.