funcionário quer deixar a empresa

O funcionário quer deixar a empresa? Aprenda os sinais!

Sabia que é possível evitar as demissões e lapidar o melhor de cada colaborador? Para isso, basta aprender a reconhecer os sinais que o funcionário quer deixar a empresa. E acredite: são muitos!

O turnover é um dos grandes problemas das organizações. Afinal de contas, são situações extremas e que geram prejuízos múltiplos para a empresa e também para as pessoas.

Neste post, vamos explicar quais são os principais deles para que a sua gestão — em conjunto com o RH — saibam identificá-los e também a tornar um problema em solução garantindo bem-estar para todos. Abaixo, vamos falar sobre os seguintes:

  1. Baixa disposição a projetos de longo prazo;
  2. Mais atuação em redes sociais profissionais;
  3. Contribuição discreta em reuniões;
  4. Aumenta os índices de absenteísmo e presenteísmo;
  5. Insatisfação recente;
  6. Tem uma posição estagnada na empresa;
  7. Mudanças impactantes em sua vida pessoal;
  8. Baixa produtividade;
  9. Conflitos interpessoais;
  10. Menos interações sociais;
  11. Fica mais tempo ausente;
  12. As queixas aumentam;
  13. Tarefas são delegadas a outros funcionários;
  14. Demora mais em dar algum tipo de retorno;
  15. Não deseja mais agradar a ninguém.

Boa leitura!

Por que aprender os sinais que o funcionário quer deixar a empresa?

Como destacamos na introdução, um funcionário pode pegar a todos desprevenidos, dizendo que não deseja mais trabalhar na empresa. Às vezes, pode ser por um motivo particular ou incontornável, mas também pode significar o acúmulo de insatisfações, desmotivação e outros problemas que poderiam ser evitados previamente.

E isso gera um aumento no índice de turnover, que é a proporção de demissões e contratações e determinados períodos. Se isso aumenta, sua organização lida mais com ressarcimentos, direitos trabalhistas e todo o tempo de inatividade entre o desfalque do colaborador e todo o de contratação, integração e treinamento do novo funcionário.

Inclusive, temos um post completo sobre o índice de turnover e pode ser uma excelente leitura para você, assim que finalizar este artigo! Não deixe de conferir depois!

Saber quais são os sinais que o funcionário quer deixar a empresa ajuda a tornar o ambiente melhor, com o tempo, e mais alinhado com as expectativas dos seus profissionais!

Vamos ver, então, quais são esses sinais?

Quais são os 15 sinais que o funcionário quer deixar a empresa?

Abaixo, vamos destacar para você os sinais que o funcionário quer deixar a empresa e são possíveis de diagnosticar rapidamente!

1. Baixa disposição a projetos de longo prazo

A baixa motivação de um colaborador em permanecer na empresa pode fazer com que ele mostre-se menos disposto a comprometer-se com projetos em longo prazo. No lugar, ele costuma focar apenas nas suas atividades do dia a dia.

2. Mais atuação em redes sociais profissionais

Embora seja importante relacionar-se com os seus contatos em redes sociais profissionais, como o LinkedIn, e inclusive recomendável, alguns hábitos recentes podem indicar um dos principais sinais que o funcionário quer deixar a empresa. 

Por exemplo: ingresso em grupos recentemente, um aumento abrupto no número de conexões ou mesmo o compartilhamento de artigos em um número elevado. São características comuns de quem começa a se aproximar de outro setor ou empresa. 

3. Contribuição discreta em reuniões

Assim como esse tipo de profissional deixa de se comprometer em longo prazo, sua participação é bastante discreta em reuniões e sugestões de ideias para o planejamento da empresa. Um sinal evidente de que ele só está pensando em curto prazo, que é a sua saída da empresa, ou mesmo problemas particulares.

Ainda assim, é um sinal de alerta que a gestão ou o setor de RH pode ficar atentos para ajudar, se possível.

4. Aumenta os índices de absenteísmo e presenteísmo

Absenteísmo é a falta ao trabalho não justificada. Presenteísmo, por sua vez, é uma ausência psicológica, apenas, com pouco esforço, engajamento e motivação ainda que a pessoa esteja presente.

Mesmo assim, se as faltas começam a ocorrer com frequência, pode ser algo a ser investigado a fim de resolver seja lá o que esteja causando isso na empresa.

5. Insatisfação recente

Um dos sinais que o funcionário quer deixar a empresa tem a ver com insatisfações recentes. Uma promoção preterida, por exemplo, ou uma solicitação de aumento negada pela liderança da empresa.

Como resultado, ele começa a imaginar-se fora daquele ambiente profissional, refletindo-se em um comportamento relapso e acompanhado de outros sinais que já vimos até aqui.

6. Tem uma posição estagnada na empresa

Profissionais que estão há anos e anos na mesma posição, sem mudanças ou destaque, pode estar apenas esperando uma oportunidade para mudar de emprego.

Entenda que nem sempre isso é um fato, mas é algo a ser questionado para, inclusive, motivar o colaborador a obter mais espaço dentro da empresa. Afinal de contas, a estagnação não gera novos desafios, melhorias no padrão de vida e nem melhorias significativas no seu salário (e padrão de vida).

7. Mudanças impactantes em sua vida pessoal

Divórcios, nascimentos, parentes doentes, estresse financeiro… Isso tudo pode ser algo que faça a pessoa refletir sobre a sua posição na empresa e queira algo a mais. E até aí tudo bem.

A questão é: o que a empresa pode fazer para facilitar a decisão dele em permanecer, caso seja um talento do qual a gestão não quer abrir mão? Identificar e reconhecer esses sinais pode ajudar a montar um planejamento para melhorar o interesse desse profissional em ficar e continuar contribuindo.

8. Baixa produtividade

Embora esse indicativo deva sempre ser investigado, a abrupta baixa produtividade pode ter uma causa desconhecida e que, se solucionada, evita qualquer tipo de decisão precipitada — tanto da parte do colaborador quanto da empresa.

O presenteísmo já citado deve ser monitorado, então, pois as mudanças comportamentais significativas e tão repentinas assim podem indicar um desejo em respirar novos ares.

9. Conflitos interpessoais

Uma briga não resolvida ou o acúmulo de situações estressantes com um ou mais membros (da equipe ou da empresa) podem agregar um comportamento desmotivado. Isso pode evoluir, inclusive, para que um ou todos eles considerem seriamente a mudança de empresa — quando um plano para a resolução de conflitos pudesse ser melhor para todos os envolvidos.

10. Menos interações sociais

Profissionais desmotivados e interessados em desligarem-se da empresa tendem a “se esconder”. Não participam de eventos sociais, não se misturam mais com os colegas e afastam-se gradualmente.

Quando ninguém percebe ou aparenta não se importar com isso, o profissional costuma ter um plano já elaborado para demitir-se. E pode ser que ele não mude de ideia, nesse ponto.

11. Fica mais tempo ausente

Chegar atrasado, sair pontualmente mesmo que ainda exista um trabalho a ser finalizado e intervalos mais longos são frequentes sinais que o funcionário quer deixar a empresa. Quando isso acontece frequentemente, e nem uma conversa adianta, a desmotivação costuma ser o combustível desse profissional.

É claro que não há problema na pontualidade em sair no horário, mas é o comportamento impassível diante de qualquer cenário imprevisto, na empresa, que permite uma reflexão mais profunda sobre isso.

12. As queixas aumentam

O pensamento crítico é válido e mais que bem-vindo, mas as queixas contínuas — e sem nenhuma ponta de solução sugerida — pode ser visto como um simples hábito de queixar-se a respeito de tudo e de todos.

Como resultado, as pessoas se cansam desse profissional e podem distanciar-se dele ou mesmo criar conflitos. Ele próprio vai continuar criticando a política e cultura organizacional da empresa, entre outros detalhes, e não vai mudar. Mas, ao identificar isso previamente, fica mais fácil compor uma resolução.

13. Tarefas são delegadas a outros funcionários

Delegar é legal, coletivamente, e aproxima os funcionários. O problema surge quando esse hábito significa, na verdade, livrar-se do trabalho. Ou seja: o funcionário se recusa a fazer o proposto e larga o projeto nas mãos de outros colaboradores. Um sinal explícito de que ele já considera-se fora daquela equipe.

14. Demora mais em dar algum tipo de retorno

Perda de prazos, demora para responder a um chamado (como telefonemas e e-mails) e constantes oportunidades perdidas de negócio. Esses são sinais que o funcionário quer deixar a empresa e que já está gerando prejuízos pesados à organização.

Daí, inclusive, a importância em ter proximidade com os colaboradores. Do contrário, como a gestão ou o setor de RH podem remediar a situação? Por sua vez, um diagnóstico preciso da mudança comportamental pode ajudar a contornar o problema e recuperar esse profissional.

15. Não deseja mais agradar a ninguém

Agradar pode ser um termo forte, mas é verdade que um bom trabalho agrada aos superiores, um trabalho coletivamente desenvolvido agrada aos colegas e um bom relacionamento interno agrada a todos de diversas maneiras, contribuindo para um local de trabalho mais leve e agradável.

Agora, quando o profissional não demonstra interesse em ser agradável, isso pode ser um problema cuja causa é desconhecida, mas pode culminar na sua demissão. Vale a pena investigar a origem disso em avaliações de desempenho, por exemplo.

 

Agora, que tal preparar toda a sua equipe para entender quais são os sinais que o funcionário quer deixar a empresa? Basta compartilhar este post nas suas redes sociais e garantir que todos fiquem atentos a essas características que só têm a prejudicar o ambiente corporativo (e que podem ser remediadas com um bom plano)!