Uma série de fatores pode motivar a decisão de um funcionário que está prestes a pedir demissão. Só que alguns comportamentos em comum permitem ao setor de RH identificá-los, antecipadamente, para que eventuais problemas sejam solucionados. Assim, valoriza-se a retenção de talentos e o nível geral de satisfação dos colaboradores.v

 

Ausentes, pouco produtivos e nem um pouco engajados com a missão e os resultados da empresa. Essas características são apenas a ponta do iceberg de um funcionário que está prestes a pedir demissão, sabia?

Isso porque, em geral, ele já se decidiu por seguir o seu caminho e quer seguir em frente, seja buscando uma nova oportunidade ou estimulando a empresa a tomar a decisão por ele.

É aí que o RH pode assumir a dianteira e aprender como identificar um funcionário que está prestes a pedir demissão. Algo que pode contribuir com o diagnóstico de situações problemáticas, e valorizar a retenção de talentos, ou mesmo orientar os colaboradores a respeito de suas decisões. Confira, aqui!

A importância em identificar um funcionário que está prestes a pedir demissão

Empresas que são pegas de surpresa pelo funcionário que está prestes a pedir demissão têm muito outros problemas para enfrentar, como:

  • baixas repentinas na equipe, traduzindo-se em uma sobrecarga dos colaboradores e a consequente baixa produtividade;
  • mais obstáculos e desafios para fechar uma nova contratação;
  • pressão extra nos especialistas de RH para terem assertividade nesse novo processo seletivo;
  • menos resultados, para a empresa, enquanto a vaga não é preenchida.

Mesmo que o funcionário que está prestes pedir demissão aceite cumprir o aviso prévio, o tempo de resposta do setor de RH é menor.

Por sua vez, ao identificar esses sintomas antecipadamente, os seus profissionais têm opções variadas pela frente.

Um bom exemplo disso: caso seja um talento do qual a empresa não gostaria de abrir mão, convém apontar o caso para o gestor e, assim, reunir-se com o profissional para descobrir os motivos que estejam levando-o a buscar uma nova oportunidade profissional.

Imagine o benefício em convencê-lo do contrário? Além disso, caso o motivo principal esteja relacionado a um tipo de insatisfação, a gestão e o RH podem diagnosticar antes que o problema evolua e cause um efeito de demissões em massa.

Entender os comportamentos de um funcionário que está prestes a pedir demissão, portanto, tem muito a ver com a qualificação do clima organizacional, de um conhecimento aprofundado dos seus recursos humanos e de usar, estrategicamente, o poder analítico do seu setor de RH.

>>  Elaboramos um checklist para o Processo Demissional. Com ele, você conseguirá guiar todo esse processo de forma efetiva (e sem deixar nada para trás). Clique aqui e baixe o checklist!

Os 5 comportamentos do funcionário que está prestes a pedir demissão

Agora que entendemos a importância em conhecer os comportamentos de um funcionário que está prestes a pedir demissão, confira, abaixo, quais são e como identificá-los no dia a dia da sua empresa!

 

1. Mudança radical de comportamento

Perceba se o colaborador, em curto prazo, modificou por completo o seu comportamento dentro da empresa.

Por exemplo: se, até então, ele era comunicativo e engajado e passou a se fechar e pouco oferecer-se para as tarefas.

É claro que isso pode decorrer, também, de outros fatores. Problemas como o estresse ou mesmo a depressão tendem a causar essa transformação comportamental. Mesmo assim, convém atentar-se a esse elemento, uma vez que o papo franco e aberto com a gestão e/ou o RH podem ajudar o profissional.

Caso ele tenha mudado de comportamento por ser um funcionário que está prestes a pedir demissão, o processo é o mesmo. A diferença, contudo, está na abordagem do RH.

Aqui, é importante a compreensão dos fatores que fizeram não apenas esse funcionário a buscar uma nova oportunidade, mas o grau de intensidade deles, a ponto de fazê-los mudar completamente o seu comportamento.

 

2. Redução de produtividade

Como um complemento ao que citamos acima, a produtividade — quando o índice decai bruscamente — deve levantar o sinal de alerta do RH e dos gestores do seu colaborador insatisfeito.

Afinal de contas, quanto antes o sintoma for diagnosticado (cabendo, aqui, a menção da importância de uma avaliação de desempenho periódica), mais rápido o tratamento do problema pode ser aplicado. Especialmente, se a baixa de produtividade é recente, mas se tornou constante.

No geral, isso significa que o colaborador “reduziu a marcha” e vai levar as suas atividades em um ritmo menos estressante. Com o tempo, a grande prejudicada com isso é a empresa.

 

3. Absenteísmo

As ausências — principalmente, aquelas não justificadas — fazem parte dos comportamentos de um funcionário que está prestes a pedir demissão.

Atenção especial, caso a ideia desse profissional seja a de encorajar a empresa a demiti-lo. Com isso, os prejuízos são maiores e costumam se arrastar por um longo tempo.

Convém ao setor de RH investigar as causas de tantas faltas, e preparar-se para uma conversa franca com esse colaborador. Quanto mais cedo a sua equipe tiver um plano de ação, menos impactos negativos essas ações terão no dia a dia da empresa.

 

4. Atualização de currículo

Sim, a atualização de currículo periódica é recomendada. Acontece que o gestor que fica de olho nessa questão pode antecipar uma conversa produtiva com o funcionário que está prestes a pedir demissão.

Com isso, ele pode entender os motivos que encorajaram o indivíduo a ir ao mercado, em busca de novas oportunidades, e mantê-lo na empresa. Claro que, com mais motivação e a certeza de que é isso que a pessoa busca.

Do contrário, não adianta estabelecer estratégias para reter um talento, se o interesse dele é buscar novos ares profissionais, e mais alinhados aos seus planos em médio ou longo prazo.

 

5. Descontentamento explícito

Se ele não tem mais interesse em dialogar com os colegas, não ouve mais as orientações da gestão, esquiva-se das novas tarefas e demonstra, explicitamente, o descontentamento em estar na empresa, a questão parece óbvia: trata-se de um funcionário que está prestes a pedir demissão.

É importante observar, conversar e compreender os motivos para isso. Ainda mais, se o colaborador passou a realizar downloads de seus arquivos pessoais para mídias removíveis (como pendrives).

Isso indica, com clareza, que o colaborador já não tem mais interesse em permanecer e está colocando em prática o seu plano. Cabe, aqui, ao RH e à gestão antecipar-se à situação para a total eficácia no cálculo da rescisão de contrato, e para que o vindouro processo seletivo seja o mais assertivo e ágil possível.

 

Deu para entender, então, por que a sua empresa deveria compreender os principais comportamentos de um funcionário que está prestes a pedir demissão?

Para complementar tudo o que foi visto aqui, ao longo deste artigo, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e a seguir-nos no Instagram, no Twitter e no LinkedIn. Dessa maneira, você não vai perder nenhuma de nossas dicas e novidades, contribuindo para uma qualificação contínua do seu setor de RH!