fuja do microgerenciamento

Fuja do microgerenciamento: 7 atitudes que você deve evitar

A boa gestão responde por grande parte do sucesso da empresa, pois, quem gere bem sua equipe potencializa o engajamento e a produtividade. Portanto, fuja do microgerenciamento, já que esse tipo de gestão pode afetar negativamente o negócio.

Gestores que optam pelo microgerenciamento tendem a aumentar a insatisfação dos empregados, minar a criatividade e criar um clima tóxico no ambiente de trabalho. Isso ocorre, pois, o gestor que opta pelo microgerenciamento não tolera a autonomia do time.

Toda opinião alheia é negligenciada e os gestores que seguem por esse caminho são extremamente preciosistas e desejam ter o controle absoluto de tudo que acontece na empresa.

Esse cenário poderia até ser bom, mas no microgerenciamento tudo ocorre de forma excessiva. Desde intervenções a cobranças, todas elas são feitas de forma constante e os profissionais não tem brecha para emitir opinião, pela falta de confiança do gestor neles.  

Quer saber porque o microgerenciamento pode ser tão negativo a empresa? Neste artigo vamos falar sobre:

  • O que é microgerenciamento?;
  • Por que essa postura é prejudicial ao negócio?;
  • Quais as atitudes típicas do microgerenciamento?

Se interessou pelo tema? Siga em frente e fuja do microgerenciamento hoje mesmo. 

O que é microgerenciamento?

O microgerenciamento é um modelo de gestão em que há um controle excessivo dos gestores sobre os subordinados. Ou seja, o líder está “24h por dia”  em cima da equipe, monitorando todos os passos dos seus comandados.

Evitando assim, na maioria dos casos, o desenvolvimento profissional do colaborador. Uma vez que, ele não poderá tomar nenhuma decisão sem o dedo do chefe. Esse tipo de gestor fica o tempo todo dando ordens e cobrando os funcionários nos mínimos detalhes.

Afinal, ele acredita que as coisas só podem ser feitas da forma correta se houver uma participação dele na execução da tarefa. Isso ocorre por vários motivos, desde a falta de confiança nos profissionais a incapacidade de delegar funções.  

Por que essa postura é prejudicial ao negócio?

O microgerenciamento acaba atrapalhando a boa relação do gestor com a equipe. Isso porque apenas ele é o dono da palavra final, impedindo que os seus comandados tenham uma opinião válida em qualquer tomada de decisão.

Sem contar que ele coloca o dedo em todas as tarefas dos seus comandados e acaba gerando inúmeros conflitos que poderiam ser evitados. Posto que muitos profissionais se sentem desvalorizados nessas situações.

Outra característica desse gestor é a busca excessiva por encontrar erros, o que acaba atrapalhando o processo como um todo. Isso ocorre porque quem toma o microgerenciamento como lema acaba se tornando o único “dono da verdade”.

Não há um pingo de autonomia e qualquer ideia, iniciativa ou proposta precisa passar pela aprovação deste chefe.  

Essas atitudes criam um ambiente pesado, tóxico, com profissionais estressados, pouco produtivos e a consequência é uma alta taxa de absenteísmo e rotatividade.

Entre as principais consequências do microgerenciamento podemos destacar:

  • Conflitos entre gestor e subordinados;
  • Desvalorização profissional;
  • Insatisfação dos colaboradores;
  • Falta de autonomia das equipes;
  • Baixa produtividade;
  • Atraso na entrega de tarefas;
  • Cobranças excessivas;
  • Clima tóxico;
  • Redução da produtividade;
  • Aumento dos índices de rotatividade e absenteísmo.

Quais as atitudes típicas do microgerenciamento?

O microgerenciamento é perceptível por atitudes típicas que vão minando o dia a dia da equipe e impactando negativamente as relações profissionais. 

Elencamos abaixo algumas das principais características desse tipo de gestão para que você fuja do microgerenciamento rapidamente.

Não delega tarefas

Um grande problema do gestor que adota o microgerenciamento é não conseguir delegar tarefas. Isso acontece, pois, ele não tem confiança nos outros profissionais e tem receio de que algo saia errado caso as decisões não passem por aprovação dele.

Assim, não existe autonomia e o único protagonista é esse gestor, enquanto todos os outros colaboradores são meros coadjuvantes.

Esse problema em delegar tarefas acaba impactando na produtividade, rapidez de entrega das tarefas e no engajamento dos colaboradores. Dado que o líder toma todas as decisões para si.

Fuja do microgerenciamento hoje mesmo se perceber essa falta de distribuição de tarefas para as equipes por parte de algum gestor.

Quer saber como organizar as tarefas de trabalhos? Leia nosso artigo “Como organizar as tarefas do trabalho: 10 dicas para otimizar a rotina da sua empresa”.

Falta de confiança na equipe

É bem comum no microgerenciamento que não haja confiança do gestor em sua equipe. E por isso ele obriga os profissionais a sempre deixá-lo ciente de tudo que ocorre nos trabalhos.

Porém, ele não faz isso porque quer acompanhar de perto todas as tarefas, mas sim porque deseja interferir em tudo que acontece. 

Esse tipo de líder muitas vezes toma decisões sem consultar as pessoas que ele designou as tarefas, atrapalhando o processo e gerando inúmeros conflitos. Essa atitude acaba gerando insegurança nos profissionais. 

Por isso, se quiser valorizar o trabalho em equipe e criar laços de confiança entre o time fuja do microgerenciamento.

Foca em pequenos problemas 

O controle excessivo por parte do microgerenciamento faz com que o gestor se importe com os mínimos detalhes e esteja o tempo todo cobrando a equipe para que ela atinja um nível de perfeição impossível de alcançar.

Isso quer dizer que qualquer tarefa só seguirá em frente se ele considerar que está bom para o seu gosto. Coisas pequenas, mínimas e alterações evitáveis podem inclusive atrasar entregas e criar um ambiente hostil entre os profissionais.

A grande questão nesse caso, por isso que quando dizemos fuja do microgerenciamento é tão importante, é que o gestor acaba se preocupando demais com questões de execução, burocráticas e se afasta das tarefas estratégicas e de planejamento.

Logo, o ritmo das atividades e o nível de produtividade acabam diminuindo, já que todo trabalho levará um tempo maior para ser entregue, até que se atinja esse “nível de perfeição” criado pela visão do próprio gestor.

Obriga os profissionais a copiá-lo em todos os e-mails

Você tem na sua empresa alguém que solicitou: “me copie em todos os e-mails, por favor?”, Pois saiba que são grandes as chances de essa pessoa estar praticando o microgerenciamento.

Como dissemos nos itens acima, há um controle excessivo nesse tipo de gestão. O líder deseja não só estar por dentro de tudo, mas ele quer saber o que está acontecendo para poder interferir constantemente.

Então, essa atitude de querer ser copiado em todos os e-mails, sejam eles internos ou externos, burocráticos ou não, é uma atitude comum de quem pratica o microgerenciamento.

O problema é que esse tipo de ação cria desconfiança e promove os famosos burburinhos, disse que me disse e fofocas na empresa, já que essa é a única forma de os colaboradores se comunicarem sem a interferência do chefe.

Exige aprovar todas as compras

Se o gestor tiver poder para isso na empresa é comum que no microgerenciamento ele se coloque à frente até mesmo na aprovação de compras. Independente do valor, tudo precisa de uma prévia aprovação dele.

Imaginem um cenário onde o papel da impressora ou a tinta tenham acabado. O caminho normal é o setor responsável já efetuar a compra do novo material para suprir as necessidades do escritório, mas no microgerenciamento não funciona assim. 

O gestor exige do setor administrativo ou financeiro um reporte a ele sobre qualquer necessidade. Ele precisa aprovar tudo, antes que o setor designado como responsável por aquele trabalho efetue a compra. 

A questão é que é essa falta de autonomia dos setores responsáveis, fuja do microgerenciamento para isso não ocorrer, pode barrar trabalhos e atrapalhar a rotina.

Não reconhece o valor dos profissionais

Você faz boa parte do trabalho, mas é o seu gestor que se gaba pelos resultados e não reconhece seu esforço? Essa é uma das características do microgerenciamento.

O líder acredita que qualquer resultado positivo é consequência do seu trabalho, de suas tomadas de decisão. Em contrapartida, resultados ruins são sempre culpa dos seus subordinados.

Não há reconhecimento pelo trabalho da equipe e os feedbacks negativos são mais comuns que os positivos. Esse cenário acaba gerando um estresse desnecessário e o colaborador na primeira oportunidade que tiver deixará a empresa em busca de algo melhor.

Se na sua empresa existe alta rotatividade é quase certo de que há alguém praticando o microgerenciamento.

Reportes excessivos 

Além de querer influenciar em todas as decisões o gestor que se utiliza do microgerenciamento exige um reporte constante do trabalho por meio de relatórios, tabelas e outros.

Essa exigência faz parte da sua necessidade excessiva de estar por dentro de tudo que está acontecendo. Já que esses relatórios, feitos com frequência pelos subordinados, permitem que o gestor centralize as execuções das tarefas.

E não só isso, com essa visão completa, nos mínimos detalhes, ele pode barrar a autonomia da equipe. Portanto, fuja do microgerenciamento para que os colaboradores possam trabalhar com maior tranquilidade, sem pressões excessivas.

Fuja do microgerenciamento e faça sua equipe feliz!

Neste artigo demos alguns sinais para que você fuja do microgerenciamento e evite criar uma insatisfação profissional na sua empresa. O gestor tem como missão se colocar no mesmo barco que seus subordinados e principalmente confiar naqueles que os rodeia.

Ninguém quer ser cobrado de forma excessiva ou ser inibido de tomar decisões por menores que elas sejam. 

Todo colaborador deseja crescer onde está trabalhando e principalmente receber dos seus superiores autonomia para colocar em prática suas habilidades. Se o gestor não faz isso e acredita ser o dono da verdade é comum que ele perca o respeito dentro da equipe. 

Visto que, confiar nos próprios funcionários é um dos principais caminhos para quem deseja melhorar o clima organizacional, engajar os colaboradores e potencializar a produtividade dos mesmos.

 

Entendeu agora porque muitos dizem: “fuja do microgerenciamento”? Se esse artigo lhe ajudou a perceber os malefícios desse tipo de gestão, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais. 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.