Finanças para startups: 5 dicas práticas e simples de adotar

Finanças para Startups

Um dos principais desafios de um empreendedor é fazer o controle financeiro de sua empresa. Com as finanças para startups não é diferente.

Em empresas com grande potencial de crescimento como as startups, a gestão financeira e orçamentária precisa ser muito bem realizada. Dessa forma se evita grandes problemas, como:

  • prazos perdidos;
  • erros de contas;
  • sumiço de documentos, por exemplo.

No começo do negócio, as finanças são simples de se gerenciar, uma vez que o volume de movimentação é baixo.

Porém, quando a empresa começa a ganhar mercado e expandir a marca, as movimentações financeiras aumentam e, caso não sejam devidamente controladas, podem se tornar uma dor de cabeça imensa para os empresários.

Neste texto vamos mostrar 5 dicas de finanças para startups que você pode aplicar no seu negócio!

Sugerimos que também leia o artigo; “Minha empresa cresceu, e agora? Como cuidar da gestão financeira?”

5 dicas para melhorar a controle das finanças para startups

1. Controle seu fluxo de caixa

A primeira medida que você deve tomar para gerenciar as finanças para startup é saber como controlar o seu fluxo de caixa.

O fluxo de caixa é responsável por determinar todos os valores que a empresa vai receber e que tem de pagar em um determinado período.

Sendo assim, controlar o seu fluxo de caixa é uma parte fundamental das finanças para startups. Isso permite que você saiba exatamente o quanto a sua empresa está ganhando no mês e, também, quanto e onde a sua empresa está gastando.

Um severo controle no fluxo de caixa pode ser extremamente benéfico, pois o empreendedor saberá o valor exato que ele tem disponível para o pagamento de impostos, novos investimentos e para buscar a expansão da marca.

2. Fique de olho nas compras e vendas parceladas

Outra dica de finanças para startups que damos é sobre o parcelamento de compras e vendas.

No caso das compras parceladas, tenha de certeza que o valor de cada parcela é compatível com o seu padrão de gastos.

Em outras palavras, o valor de cada parcela tem que se encaixar no seu orçamento mensal.

Não se esqueça que você pode realizar mais de uma compra parcelada, ou seja, é possível que o valor do débito a pagar aumente. Para que isto não se torne um problema, não deixe de realizar o somatório de todas as compras parceladas.

Já no caso de vendas, atente-se para o número de parcelas em que está dividindo. A divisão pode representar um atrativo para os clientes, mas deve-se considerar que você só terá o lucro pretendido quando ocorrer o pagamento da última parcela.

Não se esqueça de considerar as tarifas cobradas pelas empresas de cartões de crédito.

As taxas, mesmo que baixas, interferem na sua lucratividade e, em grandes volumes, podem se tornar um problema considerável das finanças para startups.

3. Faça projeção de caixa

O acompanhamento das finanças para startups, necessita, além do fluxo de caixa, outra atitude que sua startup deve ter é em relação à projeção de caixa.

A projeção de caixa é uma excelente ferramenta para que você possa planejar o futuro de sua startup, bem como a disponibilidade financeira dos próximos meses.

Permanecendo atento às compras e vendas parceladas e fazendo a projeção de caixa, você terá ciência do panorama da empresa nos próximos meses, podendo pensar em novos investimentos ou no abatimento de alguma dívida empresarial.

Outra grande vantagem da projeção de caixa é que ela pode ser uma aliada na proteção da startup caso aconteça algum imprevisto. Desastres naturais, situações mercadológicas, movimentações na bolsa de valores e tantos outros fatores podem prejudicar, e muito, as finanças de sua empresa.

A projeção de caixa te protegerá desse tipo de problema, podendo ajudar a criar e manter uma reserva financeira de emergência, que pode ser extremamente útil.

4. Separe as finanças pessoais das empresariais

Outra prática financeira muito comum é misturar as contas da empresa com as contas de casa.

O empreendedor, depois de certo tempo, já não sabe mais qual quantia utilizou para o pagamento de suas contas pessoais por meio da conta corrente da empresa e vice-versa.

Quando isso ocorre, todo o resultado da startup fica distorcido, não representando a sua real situação.

Assim, não é possível apurar a margem de lucro, impossibilitando o empreendedor de ter certeza do rendimento positivo de sua empresa.

A pergunta que fica é: minha empresa está dando lucro ou não?

Como ter certeza disso?

Separar as finanças pessoais das empresariais é uma das ações que te permitirá chegar às respostas destas questões.

5. Automatize a folha de pagamentos

A última das dicas de finanças para startups, que destacamos, é a automatização da folha de pagamentos.

Desta maneira, você terá um maior controle sobre o processo e, garantirá que todos os procedimentos sejam mais simples e fáceis de serem executados.

O uso dessa tecnologia permitirá que se realize a centralização das informações. A partir de então, os processos de fechamento da folha de pagamentos, independentemente da época do ano (seja recesso de final de ano, carnaval ou qualquer outra época), serão realizados automaticamente, evitando erros na folha de pagamento e outros problemas.

Obviamente, a automatização de um processo tem como um dos principais resultados a do tempo investido para a realização da tarefa.

Em vez de perder o sono e horas de trabalho preocupado com a folha de pagamentos, a automatização deixará o processo mais eficiente, permitindo que você possa focar sua atenção em assuntos mais importantes.

No caso das startups, deve-se relembrar que há uma grande rotatividade de profissionais. Isto possibilita a ocorrência de erros e contratempos na gestão da folha de pagamentos.

Pode ocorrer o pagamento de valores errados aos profissionais ou, até mesmo, o não pagamento de alguns deles.

Leia também: [GUIA] Como diminuir o turnover de uma empresa em 3 passos

Caso isso aconteça, a empresa terá de arcar com prejuízos e possíveis processos trabalhistas, o que pode manchar a sua marca no mercado.

Internamente falando, uma boa empresa é aquela que arca com seus compromissos e paga seus funcionários em dia.

Para garantir essa característica em sua startup, evitando erros e problemas judiciais, a automatização da folha de pagamento pode ser uma excelente solução.

Ressalta-se ainda que é possível investir na automatização de toda a gestão de Recursos Humanos:

  • processos de admissão;
  • provisão de férias;
  • acompanhamento de ausências;
  • gestão de benefícios;
  • controle dos desligamentos e mais.

Essas são algumas das atividades que podem ser automatizadas e gerenciadas com mais facilidade.

Porém, é necessário contar com empresas especializadas no assunto, garantindo que a automatização destes processos seja uma grande ajuda, e não um grande problema.

A Xerpa é um software para RH, com um sistema que atua na otimização de processos como overview, admissão e demissão, contratação, holeries, controle de férias e mais. Além de ser uma forma de como melhorar a produtividade no trabalho, ainda reduz 30% dos custos do seu RH.

Conheças as demais funcionalidades do aplicativo e fale já com um especialista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *