Finanças para advogados

Finanças para advogados: 7 dicas para otimizar a gestão do escritório [GUIA]

Gerir o próprio negócio não é tarefa fácil. Além do conhecimento técnico é necessário possuir habilidades administrativas e de gestão para não levar a empresa à falência. No Direito não é diferente e as finanças para advogados é tema essencial para o sucesso do escritório.

No Brasil existem mais de 1,27 milhão de advogados, segundo dados da OAB. 43,4% desses profissionais são autônomos, mostrou o Censo Jurídico.

Muitos deles possuem o próprio escritório e precisam colocar as finanças para advogados como um fator essencial para a preservação da saúde financeira do negócio.

Dados do IBGE indicam que entre as pequenas e médias empresas, 21% fecham as portas antes de completar 2 anos.

Esse dado atende também boa parte dos escritórios de advocacia. Uma vez que, em muitos não há planejamento financeiro empresarial e o próprio dono, que não entende da área financeira, assume o papel de administrar esse setor.

Visando contribuir para uma melhor gestão financeira de escritório de advocacia, neste artigo vamos falar tudo sobre as finanças para advogados e sua importância. Abordaremos:

  • a importância da gestão financeira;
  • erros mais comuns nas finanças para advogados;
  • dicas para gestão financeira estratégica dos escritórios de advocacia.

Se você é advogado e pretende abrir seu escritório este artigo pode lhe ajudar a fazê-lo de forma assertiva.

Gestão financeira: conheça sua importância

A gestão financeira é um conjunto de estratégias que tem por objetivo:

  • planejar,
  • analisar,
  • executar ações sobre os ganhos e despesas da empresa.

A ideia nesse caso é fazer o orçamento empresarial e manter a saúde financeira do negócio, buscando sempre diminuir as despesas e aumentar os lucros.

Isso porque, por meio da gestão financeira é possível ter um controle em tempo real das finanças. Permitindo ao gestor:

Falamos mais sobre a gestão financeira no artigo, “Planejamento financeiro empresarial: 5 dicas para montar o seu + benefícios”.

Os principais erros na gestão das finanças para advogados

A gestão financeira muitas vezes é vista como um bicho de sete cabeças.

A verdade é que realmente não é fácil administrar um negócio, mas, muitos dos erros ocorrem por negligência ou falta de planejamento prévio das finanças.

Elencamos abaixo os principais erros no processo de finanças para advogados.

  • ignorar as despesas (fixas e variáveis);
  • não separar as finanças pessoais das profissionais;
  • desconsiderar a importância do pró-labore;
  • não realizar o controle do fluxo de caixa;
  • assumir a administração das finanças sem ter experiência;
  • desprezar os softwares de gestão e continuar apostando em processos manuais.

Dicas para administrar as finanças para advogados

Conhecendo os principais erros cometidos no controle das finanças para advogados apresentamos abaixo algumas dicas para administrar as finanças para advogados:

  1. Controlar o fluxo de caixa
  2. Definir o pró-labore
  3. Identificar custos fixos e variáveis
  4. Adotar um software de gestão financeira
  5. Procurar cursos de gestão financeira
  6. Optar por um escritório de contabilidade
  7. Planejar uma reserva de emergência

Controlar o fluxo de caixa

Prever as entradas e saídas de dinheiro do seu escritório é essencial para o sucessos das finanças para advogados.

A chamada gestão de fluxo de caixa pode ser feita todos os dias, mensalmente ou anualmente.

Para isso anote todos os ganhos e gastos em uma planilha ou utilize um software para gerenciamento financeiro capaz de centralizar todas as informações, facilitando o acesso e a visualização dos dados.

Tendo esse controle das finanças é possível, no caso dos escritórios de advocacia:

  • cobrar pagamentos atrasados dos clientes,
  • pedir adiantamentos,
  • renegociar valores com os fornecedores.

Definir o pró-labore

Escritórios desorganizados, financeiramente falando, não definem um pró-labore, que nada mais é o salário, ou o valor que o empreendedor paga a si mesmo mensalmente.

A questão é que ignorar esse planejamento acaba impactando no caixa da empresa. Já que o dono começará a tirar o dinheiro do caixa da empresa e esse valor pode faltar lá na frente para pagar contas, funcionários e etc.

Portanto, num cenário de organização das finanças para advogados é primordial que o gestor defina um pró-labore.

Esse valor fixo para ele evita que o dinheiro da companhia seja comprometido com frequência e que haja uma desorganização no planejamento orçamentário do escritório. Isto é, não se deve misturar as finanças pessoais com as profissionais.

O pró-labore, portanto, deve ser seguido à risca e o empreendedor não deve ultrapassar o valor estipulado para seu “salário”, mesmo que a empresa tenha lucros acima do esperado.

Os ganhos a mais devem ir para o caixa da empresa, seja para futuros investimentos ou para dividir o lucro com sócios e colaboradores. Esse é um aspecto fundamental para a gestão financeira escritório de advocacia.

Identificar custos fixos e variáveis

Um dos maiores desafios das empresas e principalmente de escritórios e agências é conseguir precificar o valor do trabalho.

Quanto devo cobrar?

Esse valor é justo?

Essas são algumas das perguntas que os donos de empresa se fazem.

Uma alternativa é tentar comparar o valor cobrado com o dos seus concorrentes. Porém, a forma correta de estipular esse valor é identificando os custos fixos e variáveis do escritório.

Quando falamos de custos fixos são:

  • contas de luz,
  • internet,
  • água,
  • telefone,
  • aluguel.

Já as variáveis se baseiam principalmente no nível de produção. Ou seja:

  • o pagamento de comissões,
  • horas extras,
  • gastos com ações de marketing e publicidade, que podem ser diferentes de tempos em tempos.

Por isso, se você sabe exatamente quais seus custos fixos e variáveis no escritório fica mais fácil fazer a precificação e ter uma noção de quanto você precisa cobrar no serviço para cobrir os custos de funcionamento.

Esse embasamento de todos os gastos é importante ainda na tomada de decisão de investimentos ou cortes de despesas.

Adotar um software de gestão financeira

A tecnologia está presente na rotina de grande parte das empresas de sucesso. No plano de finanças para advogados ela pode ter um papel importante quando o assunto é facilitar a gestão financeira do escritório.

Diversos softwares de gestão atuam para que a empresa não perca tempo com processos burocráticos.

Essas ferramentas além de otimizar processos e o tempo investido na organização das finanças ainda reduzem as chances de erros.

Visto que muitos desses softwares facilitam o preenchimento de dados do fluxo de caixa, automatizando este processo. Além disso:

  • permitem uma organização administrativa dos dados maior e mais eficaz,
  • otimiza tarefas fiscais,
  • permite o controle de contas e também facilita o acesso a uma análise mais completa das informações financeiras do escritório.

Gerando assim, maior economia tanto de tempo como de mão de obra e permitindo que haja uma dedicação maior aos clientes.

Procurar cursos de gestão financeira

O foco da faculdade de advocacia com certeza não é a área de finanças. Por mais que ao longo do curso existam determinados assuntos na área de economia, não existe um foco em gestão financeira.

Sendo assim, um curso de finanças para advogados, principalmente para quem planeja montar um escritório, pode ser um grande aliado para a gestão financeira escritório de advocacia.

Conhecimento nunca é demais e adquirir habilidades sobre administração e contabilidade pode ser o apoio que o advogado precisa para cuidar do dinheiro da forma correta.

Desse modo, não hesite em buscar cursos na área de gestão financeira, sejam eles pagos ou gratuitos, pois, com certeza isso lhe ajudará a criar uma estratégia mais concreta e assertiva no gerenciamento do seu escritório.

Optar por um escritório de contabilidade

Se você não quer se preocupar com a área de finanças e quer entregar esse processo na mão de especialistas uma alternativa é repassar esse serviço para um escritório de contabilidade.

É claro que esse pode ser um gasto a mais no seu orçamento, porém, é melhor se prevenir de erros financeiros e manter todos os dados devidamente organizados do que querer abraçar o mundo e tornar gestão financeira escritório de advocacia em algo incontrolável.

Com esse profissional à disposição você terá um trabalho especializado de análise de suas finanças, possibilitando maior clareza e organização para as tomadas de decisão.

Dado que, com as finanças devidamente organizadas e com sugestões e dicas dos profissionais que você contratou, fica mais fácil caminhar no mercado, avaliando os riscos e possibilidades a todo o momento com base em dados concretos.

Planejar uma reserva de emergência

A reserva emergencial ou fundo de caixa é algo importantíssimo num plano de gestão financeira.

Nas finanças para advogados ela deve caminhar lado a lado como um possível meio de sobrevivência do negócio.

É óbvio que qualquer empresa tem seus altos e baixos e num escritório de advocacia esse cenário não será diferente ao longo dos anos.

Mas o que fazer se o seu negócio passar por uma crise? Muitas empresas resolvem fechar as portas por falta de capital, enquanto outras possuem uma reserva de emergência que evita que isso aconteça.

Nesse cenário, é fundamental que mensalmente você guarde parte do seu lucro na chamada reserva de emergência. Esse dinheiro pode ainda ser um apoio em futuros investimentos que correspondam a expansão do negócio.

Mas é importante salientar que esse dinheiro é como se fosse um “extra” e só deve ser usado em último caso.

A gestão financeira e o futuro do negócio

A gestão financeira caminha lado a lado com o futuro da empresa. Se você não liga para ela a tendência é que sua empresa morra no meio do caminho. Pois, é impossível sustentar um negócio se você não controla suas finanças.

Nas finanças para advogados não é diferente. Qualquer escritório precisa de um controle administrativo e efetivo sobre a movimentação do caixa. Saber o que entra e o que sai é essencial.

Não só como um meio de tomada de decisão, mas como um suporte para a sobrevivência do escritório.

Uma vez que, por meio da gestão financeira é possível ter uma base de dados que impacta na prevenção contra crises inesperadas e abre um cenário de oportunidades de crescimento.

Seja para profissionais autônomos ou para escritórios, o grande segredo do sucesso é: priorizar as finanças para advogados, pois assim será possível manter o negócio baseado não em teorias, mas na prática, que no caso são os números provenientes da gestão financeira.

Implementar novas formas de gerenciar custos e despesas pode ajudar seu escritório a fazer uma gestão financeira estratégica. Um exemplo é o Xerpay um novo produto da Xerpa, de salário on demand, que empresas de todos os setores podem oferecer como benefício corporativo aos funcionários e crescer em lealdade e produtividade.

Negócios online também podem se beneficiar desse modelo. Leia mais sobre isso em; Pagamento on-demand: o que é e como adotar o salário sob demanda!”

Tem um amigo ou conhecido que é advogado? Compartilhe esse artigo com ele e contribua para que ele mantenha a saúde financeira do escritório.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.