Faltas e atrasos do colaborador, principalmente não justificadas, é uma recorrência que se tornou um dos grandes problemas que o RH precisa lidar diariamente nas empresas.

As ausências dos colaboradores trazem impactos extremamente negativos para a organização. Desde uma sobrecarga sobre a equipe, como a diminuição da produtividade e entregas de tarefas atrasadas.

O que nem todos sabem é que faltas e atrasos do colaborador podem render não só advertências e descontos de salário, mas até demissões por justa causa.

A chamada desídia, que é quando o colaborador desempenha suas funções de forma desleixada e desinteressada, está prevista do artigo 482 da CLT. E nesse caso pode-se se considerar como desídia as faltas e atrasos do colaborador sem justificativa.

É importante ressaltar que o artigo 58 da CLT prevê que o colaborador tem direito a 10 minutos diários de atraso. E esse período não é computado ou descontado do salário.

Sendo assim, o RH precisa estar atento as motivações que estão ocasionando faltas e atrasos do colaborador. Questões que vão desde a uma infraestrutura precária de trabalho, até um ambiente hostil e lideranças ruins.

Neste artigo vamos lhe ajudar a tomar medidas para diminuir as faltas e atrasos do colaborador. Confira nossas dicas!

 

Lidando com as faltas e atrasos do colaborador

Lidar com as faltas e atrasos do colaborador não é tarefa fácil, mas é o ponto de partida para conseguir reduzir a desmotivação da equipe. Confira o que a empresa deve fazer para resolver o problema de faltas e atrasos do colaborador:

  1. Avalie o desempenho do colaborador;
  2. Converse com o profissional;
  3. Advertência verbal;
  4. Advertência por escrito;
  5. Desconto de salário;
  6. Suspensão;
  7. Demissão por justa causa.

Mas qual a responsabilidade da empresa em cada um dos pontos citados acima? Logo abaixo falaremos sobre cada um deles!

 

1. Avalie o desempenho colaborador

Mensure o rendimento recente dos seus profissionais. Identifique possíveis problemas com a execução dos últimos trabalhos e principalmente faça uma avaliação completa sobre as pesquisas de clima e feedbacks individuais.

 

2. Converse com o colaborador

A conversa pode ser a porta de entrada para resolver o problema. Entenda as motivações para as faltas e atrasos do colaborador. Identifique se o problema é interno ou externo. Assim é possível evitar as advertências ou até uma suspensão.

 

3. Advertência verbal

Se a conversa não foi suficiente para sanar com as faltas e atrasos do colaborador dê uma advertência verbal. Apresentando todas as consequências que aquela falta tem para a empresa na execução das tarefas.

Oficialize a advertência com um documento que contenha a data e motivo da advertência.

 

4. Advertência escrita

Se as faltas e atrasos do colaborador já se excederam por dois ou três dias, a advertência deve ser escrita. Nesse caso, a oficialização vem com a assinatura do colaborador e de duas testemunhas.

Mesmo que ele não queira assinar elas servem como prova dessas ausências.

 

5. Desconto de salário

Caso as advertências não surtam efeito, e continuem por mais dois dias ao menos, repete-se a advertência verbal e por escrito. Havendo também descontos de salário e o profissional é avisado de que pode ser suspenso caso não respeite as regras.

 

6. Suspensão

Quando acontecem mais de três faltas ou atrasos do colaborador sem justificativa a suspensão aparece como opção. Ela pode ser de 1 a 30 dias. A suspensão precisa ser documentada e assinada pela empresa, colaborador e duas testemunhas.

 

7. Demissão por justa causa

Caso após a suspensão as faltas e atrasos do colaborador continuem se repetindo, abre-se a possibilidade da empresa demiti-lo por justa causa. É usado o artigo 482 da CLT como base, na chamada desídia, que se explica como negligência do profissional ao trabalho.

 

Causas e soluções para as faltas e atrasos do colaborador

Faltas e atrasos do colaborador podem ser ocasionados por inúmeros motivos. Portanto, o primeiro passo é identificar a principal causa do problema, que pode ser tanto interno (clima ruim, estresse, sobrecarga de trabalho) como externa (problemas pessoais).

Algumas das possíveis “culpas” da empresa para influenciar as faltas e atrasos do colaborador são:

  • Lideranças ruins;
  • Infraestrutura precária;
  • Clima organizacional ruim;
  • Ambiente hostil;
  • Sobrecarga de trabalho.  

Cada uma dessas questões tem total impacto na motivação e engajamento dos colaboradores. Ou seja, se a empresa não se atentar a cada um dos pontos citados, a chance de desmotivação é grande, causando faltas e atrasos do colaborador.

 

Lideranças ruins

“Nenhum homem será um grande líder se quiser fazer tudo sozinho ou se quiser levar todo o crédito por fazer isso.” – Andrew Carnegie

A boa liderança é fundamental para aumentar a produtividade e consequentemente os resultados da empresa. Mas não só isso, ela tem total impacto sobre a motivação e engajamento dos colaboradores.

Isso porque ela reconhece que precisa do time como um todo e transmite esse tom de confiança para que cada um sinta a importância que tem para a empresa. Empresas com bons líderes conseguem reter e atrair novos talentos.

Faltas e atrasos do colaborador, entretanto, podem ser uma consequência de uma má liderança. Já que um colaborador tentará de tudo para evitar seu líder apelando até para ausências, que serão uma consequência da sua desmotivação e desgaste nessa relação.  

 

Infraestrutura precária

Os funcionários precisam ter o mínimo de estrutura para exercerem seu trabalho. Se isso não acontece eles ficam desanimados e tendem a ficar o tempo todo procurando uma nova oportunidade em outra empresa.

Uma infraestrutura precária de trabalho gera faltas e atrasos do colaborador sem dúvida nenhuma. Isso porque o colaborador sabe que será cobrado para entregar suas tarefas mesmo que não tenha o mínimo de estrutura para executá-las.

Por isso, é essencial que a empresa foque sua estratégia antes de tudo em sua estrutura. Como atrair e reter talentos se a sua empresa não tem o suporte para desenvolvê-los? Uma infraestrutura precária barra os resultados e o crescimento da empresa.

 

Clima organizacional ruim

“Homens e mulheres desejam fazer um bom trabalho. Se lhe for dado o ambiente adequado, eles o farão.” – Bill Hewlett

A comunicação é o princípio de tudo dentro das empresas. Aquelas que apostam em bons relacionamentos entre os funcionários e gestores se destacam.

Porém, quem cria um clima organizacional ruim, que preza por uma competitividade exagerada, fofocas e intrigas está fadado ao fracasso. Tendo assim uma alta taxa de turnover.

Insatisfeito com o ambiente de trabalho as faltas e atrasos do colaborador aparecem como uma opção. E isso começa a impactar a equipe como um todo, já que pessoas serão sobrecarregadas, o estresse aumentará e a produtividade diminuirá.

E é nesse cenário que os gestores precisam agir para melhorar o clima. Buscando encontrar os motivos da insatisfação, com pesquisas de clima organizacional, para aplicar estratégias que revertam as principais causas.

 

Ambiente hostil

Cobranças indevidas, metas inatingíveis e assédio moral, essas são questões que se infelizmente se tornaram comuns em muitas empresas. E as faltas e atrasos do colaborador são uma consequência desse cenário.

Isso porque os profissionais tendem a ficar mais doentes nesse ambiente hostil e devido a desmotivação se atrasarem constantemente. 

E isso acontece principalmente por culpa de maus gestores que fazem vista grossa aos acontecimentos. É essencial no ambiente de trabalho tratar todos com respeito e profissionalismo sem se exceder ou fazer distinção de pessoas.

Para identificar esse tipo de problema é possível recorrer aos momentos de feedback dos funcionários e as opiniões sobre o dia a dia da empresa. Tendo então a coragem de assumir a culpa. Empresas que não assumem os erros não caminham para frente.

 

Sobrecarga de trabalho

As faltas e atrasos do colaborador podem ser uma das causas da sobrecarga de trabalho. Se por um lado o profissional pode ser o “culpado” pela sobrecarga, a empresa é que pode ser a causadora dessa culpa.

Mas como assim? Empresas que sobrecarregam seus profissionais com trabalhos inatingíveis e cobranças excessivas não só os desmotivam como impactam diretamente na produtividade e qualidade do trabalho.

E a consequência disso? Doenças ocupacionais, atrasos causados por desmotivação e etc. Causando ainda mais insatisfação da equipe e influenciando no engajamento e no bom clima organizacional.

Para resolver essa questão é importante traçar metas claras e objetivas. Se o colaborador não sabe qual o caminho, ajude-o.

Seja um bom ouvidor, troque experiências e insights. Quando todos lutam por um mesmo objetivo não existe um único dono da verdade, mas sim várias pessoas que podem ter boas ideias e que querem ser ouvidas.

 

O desafio para diminuir as ausências

A diminuição das faltas e atrasos do colaborador se tornou um grande desafio para as equipes de RH. Conseguir identificar as possíveis causas e implantar estratégias para reter essas ausências pode ser um diferencial para aumentar o engajamento da equipe.

Por outro lado, é essencial que a empresa conheça seus direitos e coloque-os em prática. Nenhuma empresa quer entrar em uma briga jurídica com seus colaboradores, e precisa sempre optar pela conversa como o primeiro passo para resolver possíveis ausências.

Porém, também não deve abrir mão do seu direito de aplicar advertências sobre o colaborador ou até mesmo demiti-lo por justa causa.

Se o caso se torna insustentável e o colaborador decidir não mudar, a empresa não pode deixar a execução do trabalho parada, barrando sua produtividade e negando a influência das ausências nos resultados.

Sendo assim, a melhor alternativa é sempre a conversa, mas se isso não funcionar é bom estar atento a lei da CLT, que resguarda a empresa em exercer seus direitos.

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nas redes sociais e ajude mais empresas a entenderem seus direitos nas faltas e atrasos do colaborador.