exaustão dos funcionários

Como a empresa pode evitar a exaustão dos funcionários?

Todo profissional precisa estar com a saúde em dia para render no trabalho. Porém, em um mercado cada vez mais competitivo, a cobrança constante por alta performance aumenta a carga de estresse nos colaboradores. Nesse cenário, é fundamental ficar atento e tomar atitudes para evitar a exaustão dos funcionários.

Ninguém é imune ao cansaço e aos seus efeitos. Em casos extremos, trabalhar demais pode culminar em uma crise de burnout, causando um impacto extremamente negativo para o funcionário e para a empresa. Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando o post!

O que é burnout?

Burnout é um estado de esgotamento físico e mental extremo causado por fatores relacionados ao dia a dia de trabalho. As razões mais comuns são sobrecarga de tarefas, falta de descanso adequado e relacionamentos tóxicos com colegas e gestores.

O burnout não deve ser confundido com o estresse ou ansiedade comuns. Nesses casos, a exaustão dos funcionários é tão grave que ele não consegue mais realizar suas tarefas. Todos os recursos físicos e emocionais da pessoa estão gastos, como se fosse um carro sem combustível e com a bateria descarregada.

Além dos transtornos evidentes para o colaborador, o burnout traz diversos prejuízos à empresa. Como um funcionário nesse estado não rende nem perto do seu melhor, há uma queda drástica de produtividade na equipe e, consequentemente, nos resultados do negócio.

Há, ainda, os impactos indiretos, como a insatisfação da equipe e o prejuízo à employer brand da empresa. Afinal, ser conhecido por não cuidar da saúde dos funcionários nunca será um bom negócio.

>> Neste livro digital apresentamos os principais problemas enfrentados pelas empresas que possuem colaboradores que sofrem com o estresse financeiro. Clique aqui para acessá-lo agora mesmo!

Quais são os sinais da exaustão dos funcionários?

Colaboradores no limite da exaustão costumam apresentar sinais muito claros. Basta um olhar mais cuidadoso para percebê-los e identificar o problema. Os principais deles são:

  • desconexão completa com o trabalho;
  • cansaço a todo momento;
  • ausências frequentes;
  • pensamentos negativos.

A seguir, conheça mais detalhes sobre cada um desses sinais.

 

Desconexão completa com o trabalho

O burnout leva à falta de interesse, motivação e cuidado com o próprio desempenho. Embora isso não signifique necessariamente um sinal de exaustão dos funcionários, é importante observar o contexto para avaliar o caso corretamente.

Outro sinal de desconexão é o isolamento. A pessoa em burnout evita o convívio social e se irrita facilmente, devido ao cansaço e ao alto nível de estresse. Caso identifique esse comportamento em algum colaborador, ligue o alerta.

 

Cansaço a todo momento

O cansaço é normal quando o colaborador faz horas extras ou precisa lidar com emergências e crises. No entanto, apresentar sinais físicos de exaustão a todo momento é sinal de que algo está errado.

O burnout deixa a pessoa desligada e incapaz de se concentrar. Ela sente sua energia drenada não ao final do dia, mas desde o primeiro minuto em que pisa no escritório.

Além do comportamento atípico, o funcionário pode sentir dores musculares, de cabeça e até dificuldade para respirar, dependendo de como o organismo reage ao esgotamento. Olheiras, variações de peso e cuidados precários com a aparência são outras evidências do problema.

 

Ausências frequentes

Faltar com frequência é um sinal típico de exaustão dos funcionários. O esgotamento reduz a imunidade física, então as chances de o colaborador ficar doente aumentam muito. Também há casos em que a pessoa simplesmente não consegue ir ao escritório, seja por desmotivação ou para não precisar lidar com colegas e gestores.

 

Pensamentos negativos

A desilusão com a vida profissional e a falta de autoestima são aspectos importantes para identificar a exaustão dos funcionários. Profissionais em burnout geralmente dizem com frequência coisas como: “ninguém nunca vai gostar de mim”, “não sou bom em nada” ou “nunca vou fazer a diferença”.

Esses pensamentos negativos indicam falta de confiança e paz de espírito, o que contribui para um estado de fadiga extrema. Preste atenção nesse comportamento e ofereça o apoio que o colaborador precisa nessa situação.

Como prevenir a exaustão dos funcionários?

Para prevenir a exaustão dos funcionários, o RH e os líderes devem compreender que este é um problema da organização, e não dos colaboradores. A partir disso, é preciso implementar medidas para melhorar a qualidade de vida no trabalho e evitar o burnout. Veja a seguir as principais delas.

 

1. Evite a sobrecarga de trabalho

As demandas devem ser bem distribuídas entre as equipes, para que todos tenham uma rotina saudável e sem sobrecarga de trabalho. O RH devem promover workshops e treinamentos para manter os gestores bem informados sobre os riscos do burnout, a fim de conscientizá-los sobre o problema.

Se você notar que às 21h o escritório costuma ainda estar cheio de gente que chegou às 8h, programe um conversa com os executivos e explique como isso pode prejudicar o negócio.

 

2. Respeite a vida das pessoas fora do trabalho

É fundamental respeitar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional dos colaboradores. Emergências acontecem, e é normal precisar trabalhar algumas horas a mais em casos isolados. Mas lembre-se: isso deve ser exceção, não regra. 

Evite exigir jornadas mais longas que o normal com frequência e garanta férias e descanso adequado para todo mundo. Assim a empresa evita o overworking e reduz os riscos de exaustão dos funcionários.

 

3. Crie uma política de saúde mental

Ter uma política de saúde mental bem desenhada é essencial para evitar a exaustão dos funcionários. Proponha programas de aconselhamento, sessões de terapia cobertas pela empresa e campanhas sobre como lidar com os desafios do dia a dia de uma forma mais leve.

Esse tipo de iniciativa costuma ter ótimos efeitos na qualidade de vida do time, além de deixar claro para a equipe que a empresa se interessa em cuidar dos seus profissionais.

 

4. Dê espaço para o diálogo

Os gestores devem ter conversas individuais com cada profissional para falar sobre as dificuldades da rotina de trabalho. Deixar sempre as portas abertas para dialogar com os colaboradores ajuda a criar confiança, aumenta a satisfação com o trabalho e torna mais fácil a identificação de casos de burnout e depressão, entre outros problemas.

 

Como vimos ao longo do artigo, a exaustão dos funcionários é um risco real dentro das empresas. É necessário que haja um trabalho conjunto entre o RH e as lideranças para que as demandas da organização não se sobreponham à saúde física e mental dos colaboradores. Só assim será possível manter a equipe atuando sempre com 100% da sua capacidade.

 

Gostou do post? Conte pra gente nos comentários o que a sua empresa faz para evitar a exaustão dos funcionários. Estamos à disposição para responder às suas dúvidas sobre o assunto!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.