Estrutura organizacional em Recursos Humanos: como implementar?

Estrutura organizacional em Recursos Humanos

A estrutura organizacional é a forma como as pessoas estão alocadas em uma organização, seja em setores, cargos e tarefas. Ela pode ser organizada em níveis hierárquicos, determinando a relação entre líderes e subordinados.

 

Para que uma empresa funcione corretamente, é necessário que ela siga algum tipo de estrutura organizacional. Isso é preciso para que haja um planejamento bem definido sobre os objetivos a serem seguidos e irá impactar diretamente na formação e manutenção da cultura organizacional na empresa.

A estrutura organizacional é fundamental para o sucesso de uma empresa e pode ajudar na definição de todas as atividades e estratégias desenvolvidas. Além disso, por meio dela, todos os colaboradores são capazes de seguir corretamente os objetivos da organização, assim como sua missão, visão e valores.

Para que funcione corretamente, é crucial que esteja muito bem planejada, organizada e definida. Dessa forma, é possível corrigir qualquer problema rapidamente.

Qual é a estrutura organizacional de sua empresa? Confira a seguir o que esse termo quer dizer e quais os modelos disponíveis para traçar novas estratégias para seu negócio.

 

O que é estrutura organizacional?

Lineares, horizontais, tradicionais, matriciais, enfim, há diversos exemplos de estrutura organizacional que podem ser seguidos por sua empresa. Cada um deles possui suas especificidades, por isso, é preciso avaliar qual modelo se encaixa melhor a seu tipo de negócio.

Para que tudo ocorra dentro do planejado, é preciso que os colaboradores tenham papéis definidos e realizem as tarefas de seu cargo corretamente.

Todas as empresas eficientes contam com uma equipe de RH preparada para garantir que todo o time saiba qual é o seu papel. Por isso, é importante contar com uma estrutura organizacional em recursos humanos.

 

Quais os benefícios da estrutura organizacional em recursos humanos?

O RH é o responsável por identificar claramente quais são as tarefas necessárias na empresa, assim como organizar as funções e determinar as responsabilidades de cada um. Dessa forma, a corporação torna-se capaz de andar em sintonia com o planejamento estratégico.

Além disso, uma estrutura organizacional em recursos humanos bem-sucedida permite traçar medidas de desempenho para cada colaborador que sejam compatíveis com os objetivos de cada área e da empresa.

Graças à estrutura organizacional, as empresas conseguem ter uma visão mais ampla sobre como seus recursos estão distribuídos por todos os setores.

Assim, os gestores e o RH podem acompanhar o desenvolvimento das equipes e verificar se objetivos estratégicos estão sendo atingidos.

O setor de RH é responsável por gerenciar a relação entre as pessoas e a empresa. Ele precisa atrair novos colaboradores, melhorar o ambiente de trabalho e elaborar a estrutura organizacional e salarial dos colaboradores.

O mau-desempenho desse setor pode acarretar em consequências graves para a empresa. Portanto ter uma estrutura organizacional em Recursos Humanos é indispensável.

 

Qual é a sua relação com a cultura da empresa?

A estrutura organizacional influencia diretamente a formação e manutenção da cultura organizacional. Isso acontece visto que permite que o RH trabalhe o relacionamento com os empregados, as questões motivacionais e a integração entre os funcionários.

Uma boa estrutura organizacional aumenta a produtividade dos colaboradores, pois mantém todos os processos e tarefas bem-definidos. Dessa forma, é possível manter os funcionários motivados e estimular uma cultura organizacional focada no desempenho.

Tudo isso permite que o RH gerencie de perto o andamento de todos os setores e tome as ações necessárias caso algum problema aconteça. Portanto, podemos dizer que a estrutura organizacional em RH auxilia na melhoria contínua dos resultados de uma organização.

 

Quais os modelos de estrutura organizacional?

A estrutura organizacional mostra a relação entre líderes e suas equipes, assim como as responsabilidades de todos os recursos da empresa. Há diversos tipos que podem ser seguidos pelas empresas. Confira os principais:

 

1. Estrutura vertical

Nesse modelo há um CEO no topo da direção dos negócios e, abaixo dele, uma divisão com os respectivos diretores. Funciona como um tipo de escada que desce até chegar aos departamentos mais baixos.

  • Vantagem: é que mantém as relações entre líderes e liderados bem definida.
  • Desvantagem: podemos considerar sua estrutura mais rígida de cargos e uma comunicação mais lenta.

 

2. Estrutura horizontal

Nela, os colaboradores são agrupados com base em seus conhecimentos similares. Dessa forma, a troca de informações e habilidades podem ser compartilhados entre as pessoas de uma mesma área.

  • Vantagem: a relação em um mesmo setor melhor.
  • Desvantagem: acaba não havendo cooperação entre membros de áreas distintas. Por isso, a comunicação entre os departamentos pode ficar enfraquecida.

 

3. Estrutura Funcional

Uma ótima opção para pequenas e médias empresas, a estrutura funcional tem seus recursos organizados em departamentos “tradicionais”. Dessa forma, cada equipe responde diretamente a um único chefe e possui membros com conhecimentos e habilidades semelhantes.

  • Vantagem: contar com equipes alinhadas, que falam a mesma língua e os níveis hierárquicos são bem definidos. Ela ainda incentiva os colaboradores a se especializarem.
  • Desvantagem: cada área se preocupa em cumprir seus objetivos e prioridades, o que dificulta a comunicação interdepartamental e a resposta a clientes.

 

4. Estrutura Divisional

Muito utilizada por organizações que trabalham com diferentes clientes, essa opção ajuda na divisão de projetos e processos para cada mercado. É uma excelente estrutura organizacional em RH, pois mantém equipes separadas e autossuficientes, otimizando suas gestões.

  • Vantagem: proporciona maior autonomia para cada equipe, que podem tomar decisões de forma mais independente e atender os clientes rapidamente.
  • Desvantagem: os gastos podem ser maiores com cada unidade e suas operações, além dos recursos próprios que cada uma irá necessitar.

 

5. Estrutura Matricial

Essa estrutura organizacional em recursos humanos pode ajudar, principalmente as grandes empresas a manterem a interdependência de suas equipes. Ela visa atender tanto às necessidades da coordenação, quanto da especialização, proporcionando o maior rendimento.

Nela, cada funcionário responderá a dois chefes, o de seu departamento e ao líder do projeto em que está alocado. Portanto, essa estrutura pode ser considerada uma mistura da estrutura funcional com a divisional.

  • Vantagem: cria um ambiente participativo e colaborativo. Dessa forma, todos os colaboradores podem participar das tomadas de decisões nos níveis mais baixos da hierarquia.
  • Desvantagem: a dupla subordinação, muitas vezes, cria conflitos de interesses. Além disso, alguns funcionários podem ter dificuldade de se adaptar.

 

6. Estrutura em Rede

Por se tratar de uma estrutura mais flexível, permite manter colaboradores trabalhando por home office.

A estrutura de rede pode ser usada por pequenas empresas, pois os recursos e fornecedores utilizados podem ser alocados de qualquer lugar.

Dessa forma, facilita que empreendimentos menores consigam competir de forma mais igualitária no mercado.

  • Vantagem: sua flexibilidade permite que as empresas falam negócios com clientes de qualquer lugar do mundo. Os gastos com contratações e recursos podem ser feitos sob demanda, assim as empresas os utilizam somente quando necessário.
  • Desvantagem: ausência de uma cultura corporativa definida e do controle total dos projetos, o que pode acarretar em riscos aos profissionais e a empresa. Falhas na internet e na rede também podem interferir no andamento de projetos.

 

7. Estrutura por Projetos

Este tipo é focado naquelas empresas que trabalham a partir de projetos definidos, como nos casos de construtoras e consultorias. Portanto, suas receitas irão depender do número e complexidade de cada projeto.

  • Vantagem: os responsáveis por cada projeto têm autonomia total e uma visão holística de seu trabalho. As demandas também podem ser atendidas mais rapidamente e por profissionais especializados, aumentando os resultados das organizações.
  • Desvantagem: quando não recursos, os projetos podem atrasar. Em contrapartida, quando os projetos estiverem escassos, pode haver recursos ociosos na empresa e prejuízos financeiros. As equipes contratadas ainda apresentam maior insegurança no final de cada entrega.

Como você pode perceber, há diversos modelos de estrutura organizacional em RH que sua empresa poderá escolher. Procure analisar suas características, vantagens e também as desvantagens. Apenas assim será possível identificar qual abordagem é melhor para o seu tipo de negócio.

 

Ainda possui alguma dúvida sobre estrutura organizacional? Conte para gente, deixando um comentário aqui no post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *