espaços para criatividade na empresa

Aprenda a criar espaços para criatividade na empresa!

Espaços para criatividade na empresa são fundamentais para inspirar novas ideias, engajar o trabalho colaborativo e dar um descanso das cores monocromáticas e repetições do dia a dia corporativo. Com isso, ganha-se também em produtividade e em uma aproximação qualitativa com os colaboradores.

 

Caso você ache que os espaços para criatividade na empresa são apenas fachadas para atrair millennials e a geração Z, repense esse conceito. Isso porque já existem amplos estudos sobre como o cérebro funciona, e como ele é estimulado a partir desses ambientes estrategicamente planejados.

Uma recente pesquisa pode ser encontrada no site da empresa de móveis Haworth, ela evidencia os diferenciais de dois tipos de espaços para criatividade na empresa: um a partir do modo focado na concentração dos indivíduos e, o outro, para inspirar insights.

Ou seja: se o RH da sua empresa compreende o que deve estimular o cérebro dos seus colaboradores para impulsionar as boas ideias, este post é um guia fundamental para contribuir com o planejamento dos ambientes da organização. Confira!

A importância dos espaços para criatividade na empresa

Beck Johnson, da equipe de pesquisa e inovação da Haworth, afirma que:

“os escritórios tendem a promover apenas um tipo de ambiente no local de trabalho. Eles são abertos e colaborativos ou altamente segmentados. Por isso, trata-se de encontrar o equilíbrio entre esses espaços e, ao mesmo tempo, fornecer áreas para os profissionais relaxarem”.

Portanto, é uma opinião que converge com o que dissemos na abertura do artigo, reforçando a importância de identificar o perfil da empresa — e dos respectivos cargos — para entender como o ambiente, em si, pode estimular os colaboradores a trabalharem com qualidade.

Convém, inclusive, dar uma olhadinha no whitepaper produzido pela Haworth com a Dezeen, intitulado a Brain Science for Smart Design, que analisa como os locais de trabalho podem ser projetados para aumentar a produtividade.

Isso porque, de acordo com as estudos apontados aqui, um local de trabalho deve ser projetado para acomodar com equilíbrio as três redes neurais do cérebro, que são:

  • rede de saliência, que monitora os estímulos externos e internos e organiza as prioridades;
  • rede de controle executivo, que desenvolve novas ideias em resposta ao trabalho de foco;
  • rede padrão, que forma insights criativos quando as emoções e o engajamento são baixos.

Entender o funcionamento dessas redes neurais contribui, exatamente, para atingir o primeiro passo que citamos acima.

O impacto da tecnologia na concepção de espaços criativos

Hoje em dia, é difícil não convivermos com espaços para criatividade na empresa que não tenham, ao redor, instrumentos tecnológicos. Pois é importante, então, que isso seja usado em benefício da produtividade da sua equipe, não concorda?

Uma pesquisa do Gallup, de 2016, aponta que 87% dos trabalhadores buscam empresas que avançam no futuro e veem a inclusão da tecnologia, no local de trabalho, como um indicador de sucesso. Já o estudo Steelcase Creativity e The Future of Work Survey denuncia que 77% dos funcionários acreditam que a criatividade é a habilidade de trabalho do século 21.

O bom e velho útil ao agradável portanto, no que diz respeito à concepção de espaços para criatividade na empresa e, assim, torná-los mais receptivos para a produtividade e o bem-estar dos profissionais.

Quando os funcionários têm a opção de entrar em um espaço flexível, vibrante e que acomoda o seu perfil e necessidades, a produtividade sobe e a criatividade é desencadeada.

Por isso, a implementação de novas tecnologias, para criar ativamente uma atmosfera de relaxamento e foco, tornou-se rapidamente um dos serviços mais solicitados no desenvolvimento de locais de trabalho.

espaços para criatividade na empresa

As exigências atuais moldando o ambiente de trabalho

Até pouco tempo atrás, o trabalho era impulsionado pela eficiência. O processo foi intencionalmente linear, e dividido em áreas nas quais as pessoas poderiam se especializar.

Só que os problemas que enfrentamos, hoje, são muito mais complexos — eles exigem pensamento criativo e um processo de trabalho diferenciado, que permite a divergência, convergência e interação de ideias, processos e pessoas.

Então, é hora de mudar, desfocar as estruturas tradicionais e moldá-las para receberem as condições ideias que estimulam a criatividade.

Para fazer isso, o seu setor de RH deve ser capaz de imaginar o que as equipes necessitam, e avaliar o impacto do espaço físico nessa relação com os seus colaboradores. Em seguida, providenciar os meios para que eles absorvam, com naturalidade, os efeitos causados pelo meio e respondam à altura.

O estímulo por meio do tédio

Lembra-se que mencionamos a rede padrão, anteriormente? Pois então, de acordo com os estudos mencionados acima, você não precisa reinventar todo o espaço físico da empresa, mas aproveitar-se ao máximo do que já se tem construído.

Para isso, é importante observar o efeito positivo que o “tédio” tem a agregar à criatividade por meio da rede padrão. De acordo com o estudo:

“quando queremos ‘limpar a cabeça’, buscamos um espaço e uma atividade diferentes (como caminhadas) ou fazer algo corriqueiro. E, ao fazer isso, deixamos o cérebro se alimentar das ideias em potencial”.

Para explicar melhor o conceito da ideia, basta considerar o seguinte: quantas ideias você já teve quando fazia algo corriqueiro, como a ida ao trabalho ou enquanto escovava os dentes?

A resposta científica para isso é a seguinte: o tempo e o espaço, que promovem relaxamento e distrações desejadas do trabalho de foco, são necessários. São os momentos de relaxamento, que tiram os olhos do computador, das planilhas e dos relatórios, para oferecer um repouso ao cérebro.

Assim, um simples ambiente dedicado a isso pode ser considerado um dos melhores espaços para criatividade na empresa. Nada de cores estimulantes, distrações e qualquer outro acessório: um mero direcionamento de espaços para que os profissionais cheguem até a ele e repousem por cinco, dez ou vinte minutos, para limpar a mente e retomar as atividades.

Ou seja: o tédio é um dos mais valiosos instrumentos para os espaços para criatividade na empresa!

espaço para criatividade na empresa descanso

O investimento em espaços de transição

Há, também, o cuidado em focar no ritmo e na concentração, que se alteram em períodos longos, em cada estado. Quando essa transição ocorre com mais agilidade, o corpo e a mente absorvem melhor as informações recebidas.

Por isso, convém avaliar a construção de um espaço focado nisso. Por meio de estímulos variados que contribuam com a recuperação rápida da concentração, você contribui com o estímulo da elaboração de novas ideias.

Aqui, concentram-se os elementos que permitam a concentração — por exemplo: áreas silenciosas, com o mínimo possível de interrupções e ruídos — para garantir que os colaboradores possam voltar, rapidamente, para o gancho de construção de suas ideias.

A atenção determinante para a cultura da empresa

Por fim, uma dica fundamental para você gerar espaços para criatividade na empresa: nada de videogames, por exemplo, se os colaboradores não têm esse perfil. Nada de cores quentes e vibrantes se o foco necessário para as boas ideias é o relaxamento e o silêncio.

Portanto, a cultura da empresa é ainda mais importante do que os elementos citados aqui ou em qualquer outro artigo. Sem isso, os próprios espaços podem ser contrastantes com o que se busca almejar. E, aí, a produtividade pode ser menor, bem como a criatividade dos profissionais.

Perceba, então, que a cultura e o ambiente do escritório têm que estar alinhados. Se você tem um espaço que encoraja os comportamentos necessários para o desenvolvimento de boas ideias, o sucesso é uma natural consequência.

Outro ponto interessante: os funcionários experimentam a satisfação, no local de trabalho, quando encontram os seus valores transmitidos de maneira diversificada pela organização.

 

Quando somos livres para criar e inovar, as coisas boas acontecem para todos. Isso é algo que a sua gestão já considera, ao planejar os espaços para criatividade na empresa? Compartilhe conosco, no campo de comentários deste post!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.