Demitir um funcionário não é nada fácil. Além do desconforto de dar a má notícia, também é preciso lidar com a parte burocrática, que requer atenção especial por parte da empresa. Por isso, o RH e os líderes devem considerar as implicações humanas e trabalhistas para não cometer erros no processo de desligamento.

Para conduzir a situação de forma adequada, é fundamental ter cuidado com o tom da conversa e respeitar os procedimentos internos da organização. Porém, muitas empresas cometem falhas que tornam o momento mais tenso e rendem problemas judiciais para o negócio. Os erros mais comuns são:

  1. não planejar o desligamento;
  2. não esclarecer o motivo da demissão;
  3. comparar o colaborador com os colegas;
  4. não dar a notícia de forma direta;
  5. não saber explicar os próximos passos;
  6. cometer erros de documentação e contabilidade;
  7. cortar acessos sem aviso prévio.

A seguir, você mais detalhes sobre cada tópico e conhecerá as melhores maneiras de evitar esses erros. Confira!

1. Não planejar o desligamento

Não planejar a demissão é um dos erros mais comuns no processo de desligamento das empresas.

A notícia não pode ser uma surpresa total para o funcionário. Se ele tiver baixo desempenho, o gestor deve fazer tudo o que puder para qualificá-lo, por meio de feedbacks, orientações e treinamentos. O desligamento só deve ocorrer em último caso, com o funcionário ciente de que a empresa vinha esperando melhores resultados.

O mesmo vale para problemas comportamentais ou até mesmo cortes de gastos no setor. Sempre deixe o funcionário a par da sua situação na empresa, para que a notícia de uma demissão não seja repentina.

Caso a demissão seja mesmo a melhor opção, planeje o discurso e deixe toda a documentação necessária em ordem. Assim, a conversa será mais rápida, direta e menos dolorosa.

>>Tem dúvidas sobre como comunicar a demissão de um colaborador? Confira as dicas desse post: Como comunicar a demissão de um colaborador!

2. Não esclarecer o motivo da demissão

Agir com transparência é essencial na conduta de uma empresa, e com o desligamento de funcionários não é diferente. Seja qual for o motivo da demissão, não tente escondê-lo do colaborador. Comunique a razão de forma clara, polida e sem rodeios, para não deixar a conversa ainda mais desconfortável.

Tentar contornar a situação para não parecer muito negativo ou disfarçar a notícia com elogios só vai piorar a situação. Mentir, então, é pior ainda. Além de ser falta de respeito com o profissional, ele com certeza descobrirá a verdade depois. Esse tipo de atitude fecha portas e prejudica muito a credibilidade da empresa no mercado.

Por isso, é importante que todas as justificativas estejam bem alinhadas antes de comunicar a decisão ao funcionário.

3. Comparar o colaborador com os colegas

Um dos piores erros no processo de desligamento é comparar o colaborador demitido com os colegas. Receber essa notícia já não é fácil, e se sentir pior que outros profissionais vai deixar a pessoa ainda mais para baixo. Em alguns casos, o funcionário pode até se irritar, o que pode tornar o clima da conversa mais hostil.

Todas as razões devem ser apontadas de forma particular, sem citar outras pessoas. Lembre-se: demitir de forma adequada significa tornar a notícia mais leve, e o efeito de uma comparação desnecessário é justamente o oposto.

4. Não dar a notícia de forma direta

Demitir por e-mail ou dar a notícia por meio de outra pessoa são atitudes que demonstram falta de consideração com o funcionário.

O único jeito correto de comunicar o desligamento de um colaborador é com uma conversa franca e a sós entre ele e seu gestor direto. O papo deve acontecer longe dos olhos e ouvidos do resto da equipe, para evitar constrangimento e exposição desnecessária.

5. Não saber explicar os próximos passos

Muitos gestores demitem funcionários sem saber como orientá-los para prosseguir com o desligamento. Com isso, além de receber uma péssima notícia, o colaborador sai da sala confuso, sem saber direito o que deve fazer para concluir o processo.

Para que isso não aconteça, informe-se previamente com o RH sobre o passo a passo da rescisão do contrato. Caso seja necessário, convide um membro do time de Recursos Humanos para participar da conversa. Ele saberá fornecer ao funcionário todos os detalhes sobre a papelada e os direitos trabalhistas.

>>  Elaboramos um checklist para o Processo Demissional. Com ele, você conseguirá guiar todo esse processo de forma efetiva (e sem deixar nada para trás). Clique aqui e baixe o checklist!

6. Cometer erros de documentação e contabilidade

Falhas de documentação e contabilidade são muito perigosas em um processo de desligamento. Informações contraditórias e valores errados no cálculo rescisório podem gerar processos trabalhistas mais tarde, causando um grande prejuízo ao negócio.

Para evitar esse problema, conte com o apoio da tecnologia e otimize os desligamentos. Com um bom software de RH em mãos, você pode armazenar documentos, fazer cálculos e gerar relatórios com apenas um clique, tornando os processos do departamento mais rápidos e precisos.

Com a ferramenta online da Xerpa, você administra de um jeito fácil e rápido todos os documentos e informações relativos aos desligamentos, como os contratos de rescisão e os pagamentos de verbas rescisórias.

Logo na tela inicial já aparece o número de colaboradores que estão em processo de desligamento. Ao clicar, é possível conferir a data limite para pagamento e a lista completa de pessoas nessa situação. Para cada funcionário em demissão, você tem acesso aos seguintes dados:

  • nome;
  • CPF;
  • data de admissão;
  • data de saída;
  • período de experiência;
  • origem da demissão;
  • dispensa ou cumprimento do aviso prévio;
  • informações para cálculo da rescisão;
  • observações.

Há, ainda, integração completa com a contabilidade. Quando o DP envia o perfil de um colaborador em desligamento, o contador pode adicionar informações referentes ao desligamento, como documentos relacionados aos pagamentos e à rescisão do contrato.

7. Cortar acessos sem aviso prévio

Após uma demissão, é preciso ter cuidado com os dados e o patrimônio da empresa, pois nunca se sabe como a pessoa vai reagir à notícia. Pode acontecer de o colaborador, irritado, acessar a rede da empresa e começar a apagar arquivos, por exemplo. Porém, é preciso agir com equilíbrio nessa situação.

Bloquear o acesso do funcionário ao computador ou ao restaurante da empresa sem aviso prévio pode causar um constrangimento desnecessário. Não é porque a pessoa está de saída, que pode ser tratado com descaso ou de forma hostil.

Caso o colaborador reaja mal à notícia, acompanhe-o na hora de recolher seus pertences ou resgatar arquivos do computador. No entanto, se não houver necessidade, dê o devido espaço para que a pessoa cuide de sua saída mais à vontade.

 

Esses são os principais erros no processo de desligamento que você deve evitar! Agora que você já está por dentro do assunto, que tal colocar o que aprendeu em prática? Planeje as demissões, tenha bom senso na hora de dar a notícia e conte sempre com o apoio de um software de RH. Assim, esse momento tenso na vida de todo profissional se torna muito mais simples.

Gostou do artigo? Conte pra gente nos comentários como você lida com os processos de desligamento na sua empresa! Estamos ansiosos para conhecer as suas histórias!