Inscreva-se

Employer branding: engaje colaboradores e fortaleça a imagem da empresa
Cultura da Empresa

Employer branding: engaje colaboradores e fortaleça a imagem da empresa

Branding é um termo cuja importância é percebida pela forma com a qual o consumidor se relaciona com as marcas.

É o DNA da empresa impresso — e expresso — nos seus materiais publicitários, na sua identidade visual, no tom de voz e na abordagem (com o consumidor e o mercado).

Só que esse conceito pode ganhar também uma aplicação interna, engajando as equipes e agregando ainda mais valor à percepção de marca da empresa: trata-se do employer branding.

Neste artigo nós vamos explorar essa ideia, apresentando-a como um investimento que pode gerar retornos imediatos e em médio e longo prazo. Afinal, uma vez que os seus próprios colaboradores defendem a empresa onde trabalham, o consumidor se beneficia duplamente.

Quer saber por quê? É só seguir com a leitura deste post!

 

O que é employer branding?

O employer branding pega emprestada a ideia de construção e manutenção de uma empresa e aplica-a internamente. Com isso, o engajamento dos colaboradores é maior e a percepção de marca também é potencializada, agregando mais valor a ela.

Afinal de contas, quer reputação melhor do que aquela defendida pelos próprios colaboradores? Isso desperta a atenção do público e também da concorrência.

E a reputação da empresa é beneficiada com isso. Ter o quadro de funcionários verdadeiramente do lado da empresa onde trabalham é um diferencial e tanto.

 

Qual é a importância do employer branding?

Uma cultura organizacional planejada para ser colaborativa gera valores. Alguns deles são palpáveis, enquanto outros são intangíveis.

Por exemplo: organizações que focam na saúde (física e mental) e no bem-estar dos colaboradores humanizam as relações profissionais. Isso é algo intangível.

No entanto, dá para associar os benefícios dessa preocupação ao aumento de produtividade, engajamento e até mesmo na redução do turnover. Valores palpáveis e mensuráveis, inclusive.

 

Quais outros benefícios podem ser observados?

Vamos entender de maneira mais aprofundada como esse conceito pode fazer a diferença na construção de uma marca sólida e de respeito no mercado?

  • novos talentos são atraídos para a sua empresa, muitos deles motivados com a ideia de que os seus esforços são popularmente recompensados;
  • para a construção de um banco de talentos, isso é de grande valia;
  • o custo de recrutamento é menor, consequentemente, em decorrência dessa procura mais ativa dos profissionais do mercado;
  • o programa de desenvolvimento da empresa é melhor trabalhado a partir da recepção calorosa de seus colaboradores em engajar novas ideias e projetos;
  • os colaboradores também podem optar por fazer carreira na empresa — o que potencializa a retenção de talentos;
  • sua marca ganha um importante instrumento de divulgação: os próprios funcionários;
  • os resultados aumentam, gradualmente, e simplesmente por conta do afinco redobrado de suas equipes.

Deu para perceber o quanto o employer branding tem benefícios tanto interna quanto externamente?

Afinal, gerar mais produtividade, reduzir os custos e promover a reputação da marca são qualidades que não podem ser ignoradas. Que tal conferirmos como isso funciona na prática?

 

Como o mercado reage ao employer branding?

Vamos começar com alguns exemplos do mercado a respeito do employer branding! Google recebe, anualmente, milhões de novas candidaturas para fazer parte da equipe de profissionais.

Tudo isso em decorrência da relação que a marca estabelece com os seus colaboradores. Experiências, foco na construção de um plano de carreira e benefícios variados fazem parte desse repertório que chama tanto a atenção dos profissionais.

Outro exemplo que pode ser citado envolve a Netshoes. Em 2014, a empresa não dispunha de uma política clara de cultura interna. Isso, entre outros desafios, prejudicava a busca por novos talentos no mercado.

Quando o RH da empresa se empenhou em colocar em prática os pilares institucionais da marca (missão, visão e valores), o cenário foi se metamorfoseando.

Com o tempo, a reputação interna cresceu. Mais atividades foram conduzidas — para os colaboradores e entre eles — e, hoje, a Netshoes figura entre as 25 empresas que o brasileiro mais deseja trabalhar.

É claro que tudo o que dissemos, até aqui, desperta muito a sua atenção, mas pouco apontou a respeito de como implementar o employer branding.

Algo que vamos retificar a partir do próximo tópico!

 

O que considerar na implementação do employer branding?

Como destacamos, o employer branding é construído a partir de uma série de ações que, juntas, promovem um ambiente sustentável para todos. Para tanto, é importante:

 

Planejamento

Como todo projeto, o planejamento se faz indispensável para a construção de resultados impactantes para a empresa.

Aqui, é importante começar pelo objetivo em aplicar o employer branding: reduzir a rotatividade, aumentar o engajamento, aproximar-se dos colaboradores etc..

Em seguida, desenhar o plano de ação necessário para alcançar tais objetivos. Mais à frente vamos apontar as principais estratégias nesse sentido.

 

Foco

Todos alinhados em um só objetivo. Todos dispostos a contribuir, com a sua parte, para o sucesso dessa empreitada.

Por isso, o RH tem que ser participativo, envolver as lideranças e comunicar os colaboradores (por exemplo: na rede social corporativa). Inclusive, convém a participação deles nesse processo.

Ao ter um apoio coletivo, a empresa consegue desenvolver o employer branding com mais facilidade e com menos imprevistos no caminho.

 

Experiências

Vale destacar, por fim, que as experiências são toda a sustentação do employer branding. É só pensar que, hoje em dia, a experiência de compra tem sido um dos grandes diferenciais para atrair e fidelizar clientes.

Aplicando isso para a sua empresa, é de se considerar que essas iniciativas são indispensáveis para dialogar e relacionar-se com os colaboradores. E, assim, agregar mais valor à marca.

 

Quais estratégias colocar em prática com o employer branding?

Agora, sim, vamos entender como o employer branding pode se tornar uma ação contínua, presencial e prática.

Confira nossas sugestões, e avalie quais delas podem se adaptar melhor à cultura da empresa e gerar um ambiente mais harmônico, produtivo e engajado:

Veja dicas essenciais para reter os melhores talentos!


Tenha uma mensagem definida

Assim como houve um planejamento para a empresa se comunicar com o seu público-alvo, o employer branding tem início com a definição do seu tom de voz.

O discurso tem que estar alinhado ao DNA e à personalidade da marca. Mas, acima de tudo, deve gerar identificação com o seu interlocutor — o perfil dos colaboradores, portanto.

Vale destacar, ainda, que essa mensagem deve estar muito bem esclarecida em todos os materiais da empresa: da maneira de interagir com os outros aos comunicados.

Isso ajuda a fortalecer os pilares institucionais e transforma cada um deles em algo mais significativo do que palavras expressas no site da empresa.

 

Crie uma cultura própria

Além da mensagem, a cultura interna tem grande influência na percepção gerada com o employer branding.

É por meio dela que a organização vai explorar as experiências geradas. Afinal, cada marca tem um DNA, um mote e uma essência.

Um exemplo: colocar videogames, pufes e cores quentes e vibrantes combina mais com o perfil do Google do que um escritório de advocacia.

As decisões, aqui, impactam fortemente a maneira com a qual os colaboradores — e todo o mercado, posteriormente — percebem a empresa.

 

Espalhe a percepção de marca no dia a dia

Sua empresa, provavelmente, unificou a comunicação para dialogar com fornecedores, parceiros, clientes e prospectos.

Com o empolyer branding, a ideia é a mesma: gerar uma noção de que a empresa acredita e segue, de fato, tudo aquilo que expôs nos seus valores institucionais.

Mais que isso: é importante mostrar ao colaborador que ele também deve espalhar essas qualidades em sua rotina. Seja para lidar com um companheiro, outros departamentos e também com o público externo.

 

Crie advogados da sua marca

Espalhar a cultura da empresa também significa que, com o tempo, os seus colaboradores também serão ferramentas de divulgação da empresa.

Já destacamos isso anteriormente, mas vale o reforço: cada vez que a empresa se preocupa genuinamente com o seu quadro de funcionários, ele responde com:

  • dedicação ao trabalho;
  • disposição para se qualificar continuamente;
  • defesa da a empresa para as outras pessoas.

Defender, no sentido de propagar a transparência da empresa e valorizar o quanto cada um deles é valorizado no seu dia a dia profissional.

 

Faça uso estratégico da tecnologia

Pensando de maneira prática, a tecnologia consegue facilitar o trabalho cotidiano. Bom exemplo disso são os softwares de gestão que agilizam a produtividade e minimizam os trabalhos mecânicos e repetitivos por meio da automatização de tarefas.

Como resultado, os seus colaboradores se tornam peças mais estratégicas. Mas não nos limitemos somente a isso: falamos, acima, das redes sociais corporativas e existem também plataformas digitais que agregam mais às relações interpessoais.

Por meio delas, portanto, é possível criar uma rotina integradora, prática e eficiente. Algo que, com certeza, vai ajudar na promoção do employer branding.

 

Trate os candidatos como consumidores

Abriu um processo seletivo na empresa? Então, que tal começar a construir experiências memoráveis a partir desse momento?

Ao mostrar a cultura da empresa, apresentá-la e contar com a sinceridade no olhar dos recrutadores, os candidatos vão sentir que estão em um ambiente diferenciado.

Entra, aqui, a noção de advogar em prol da marca que destacamos logo acima. A satisfação em estar em uma empresa que cuida dos seus colaboradores transparece nos atos e trejeitos das pessoas.

Com isso, os candidatos a uma vaga vão tentar uma oportunidade ali, mas também vão confidenciar a outros esse diferencial que poucas organizações corporativas praticam.

 

Use técnicas de storytelling

Vídeos, tutoriais, treinamentos, gamificação… Explore a narrativa para contar a história da empresa e envolver os colaboradores.

Faça isso para integrar as equipes, para alcançar metas ou mesmo para divulgar resultados. Histórias envolvem mais as pessoas, geram vínculos, e isso é determinante para que o employer branding seja um ativo valioso para a empresa.

 

Promova a comunicação interna da empresa

Ao ter canais de comunicação internos, os colaboradores podem se engajar em propor ideias, fazer sugestões e até mesmo compor críticas construtivas.

Quando o RH e a gestão se mostram solícitos em ouvi-las, cria-se um relacionamento próspero, de debate e considerações para garantir o pleno desenvolvimento da empresa.

Invista nesse meio, agregue transparência ao discurso e envolva os colaboradores. os benefícios disso se multiplicam, apenas.

 

Crie um plano de carreira

Por fim, uma boa maneira de colocar o employer branding em prática é por meio do plano de carreira consolidado — e realmente utilizado — na empresa.

Isso, por si só, já agrega mais engajamento dos colaboradores. Mas é também uma ótima maneira de reconhecer os talentos, tornar a rotina em um gostoso desafio e colocar os seus profissionais à prova para o seu desenvolvimento — pessoal e profissional.

O resultado disso pode ser percebido com o tempo, quando os colaboradores assumem o chamado senso de dono, agindo sempre em favor da empresa — e o seu próprio, como consequência dessa relação produtiva.

 

E então, conseguiu assimilar algumas ideias que podem ser colocadas em prática na sua empresa a partir do employer branding? Que tal, agora, você complementar os conhecimentos aqui adquiridos ficando sempre de olho nas nossas novidades?

Para isso, curta a nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn! Assim, você vai saber em primeira mão todas as nossas novidades!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *