employer branding e bem-estar

Employer branding e bem estar: entenda essa relação

Employer branding é a reputação de uma empresa como empregadora. Ou seja, é a forma como seus funcionários, futuros colaboradores e a sociedade em geral enxerga e avalia a empresa. Envolve um conjunto de ações para promover a satisfação e o bem-estar dos colaboradores, visando o engajamento, a retenção e a atração de novos talentos.

 

Assunto cada vez mais freqüente em reuniões do departamento de Recursos Humanos (RH), a escassez de talentos capacitados e com experiência causa uma grande preocupação nos empregadores. Embora não haja uma receita pronta para a retenção de talentos, existe uma solução eficiente para minimizar este problema: o employer branding e bem-estar.

O mercado de trabalho está em constante modificação, e essa evolução acompanha, de forma direta, as expectativas pessoais e profissionais dos empregados. Por isso, é fundamental pensar também no interesse deles.

Atualmente, oferecer só um excelente trabalho e uma ótima remuneração, não é mais garantia de retenção de talentos. Tão pouco a satisfação dos colaboradores. Mais do que a remuneração, o que se procura em uma oportunidade de trabalho é um ambiente profissional inspirador, que esteja alinhado com valores pessoais e com políticas voltadas para o empregado.

Diante deste cenário, as estratégias de gestão de pessoas também devem mudar dentro das empresas. E, uma das melhores formas de fazer isso, é investindo na união de employer branding e bem-estar.

Mas se você ainda não consegue perceber que esta é uma oportunidade chave para melhorar sua marca como empregadora, sugerimos que deixe seus preconceitos de lado e redobre a atenção ao ler este artigo.

O que é employer branding?

Traduzido ao pé da letra, employer branding significa a marca do empregado. Estrategicamente, representa como empregados, e a sociedade em geral, enxergam a empresa, ou seja, como está a reputação dela como empregador.

O conceito de employer branding já vem sendo usado há décadas por profissionais de marketing, focado em como melhorar a reputação de uma empresa para os seus clientes. Recentemente, percebeu-se que esta ferramenta também tem grande aplicação no processo de recrutamento e retenção de talentos.

Só que, claro, ao invés de construir uma reputação de produto ou serviço para os seus clientes, o objetivo – e desafio – aqui é construir e manter uma imagem positiva como empregador, com foco nos colaboradores, para que eles se sintam cada vez mais motivados.

Estamos vivendo a era da pesquisa e da experiência. Antes de qualquer tomada de decisão, o primeiro impulso é pesquisar o que as pessoas estão comentando sobre tal assunto ou lugar.

E esse hábito tem servido para qualquer atividade: restaurantes, cidades para viajar, consultas médicas, compra de produtos, etc. 

Inclusive para escolher em qual organização trabalhar ou não. Seria muita presunção considerar que a sua empresa não está sendo pesquisada, não é mesmo? 

 É aí que entra a importância de trabalhar a estratégia de employer branding!

Como aplicar a marca do empregador?

Para aumentar a reputação de uma empresa como empregadora é fundamental desenvolver ações que aumentem a satisfação e o engajamento dos colaboradores. Ou seja, grande parte do trabalho deve ser feito internamente, para que dê melhores resultados e um verdadeiro engajamento da equipe.

Não somente melhorando os benefícios oferecidos, como também investindo em uma cultura organizacional bem definida, que vá além de uma frase de efeito que cita os valores da organização.

A cultura deve estar presente, e enraizada, em cada serviço, produto e processo de trabalho. Somente assim os funcionários podem perceber isso como real e sentirem-se orgulhosos em pertencer a uma empresa que traz credibilidade ao discurso da organização.

O resultado deste investimento é natural, observado em colaboradores que se tornam verdadeiros embaixadores do negócio. Funcionários que falam bem, indicam produtos ou serviços e recomendam sua empresa como um ótimo lugar para trabalhar. Isso somente se conquista com um trabalho interno bem executado. Por isso, é fundamental estruturar bem o seu projeto de employer branding e bem-estar.

E a área de RH tem papel de extremo destaque e importância neste processo, com visão bem estratégica e assertiva. Entretanto, precisa ter a sensibilidade de que não pode fazer tudo sozinha e necessita envolver outros setores nesta missão.

Como é o caso do setor de comunicação, a empresa deve ter postura ativa na divulgação de suas qualidades. Desta forma, as duas equipes, RH e Comunicação, trabalham juntas para criar estratégias de divulgação da marca no mercado. Não só na excelência nos serviços, mas também como sendo um ótimo lugar para trabalhar. 

Assim, todos os canais de comunicação devem ser pensados com foco na construção desta imagem, desde o site institucional até os anúncios de vagas. 

Qual a ligação entre employer branding e bem-estar?

Problemas de estresse e síndrome de burnout no trabalho estão cada vez mais presentes nos meios corporativos. E o desencadeamento destas, e outras patologias, têm relação direta como o ambiente de trabalho pouco funcional, gestão ineficiente e sobrecarga.

A consequência é uma queda na produtividade e aumento da insatisfação dos colaboradores. E não poderia ser diferente. Sem uma valorização do bem-estar físico, mental e espiritual, não há salário bem pago que suporte o desequilíbrio biológico

Apesar de muitos gestores fecharem os olhos para esta tendência, investir em employer branding e bem-estar proporciona vantagens significativas, tanto para o empregador quanto para o funcionário.

Veja alguns exemplos:

  • ambientes de trabalho positivos;
  • maior satisfação e engajamento;
  • maior produtividade;
  • níveis reduzidos de estresse;
  • menor absenteísmo;
  • retenção maior de colaboradores;
  • menor rotatividade;
  • atração de novos talentos.

Então, mais do que mero benefício para os colaboradores, iniciativas que visam à saúde e o bem-estar são fundamentais para uma empresa prosperar. Além de ser parte importante do employer branding e do crescimento saudável de uma companhia.

>> Uma das propostas do bem-estar no trabalho é promover a qualidade de vida na empresa! Para isso, criamos um e-Book recheado de dicas para criar um programa de qualidade de vida na sua empresa. Clique aqui e acesse agora mesmo!

Cada vez mais as empresas estão sendo avaliadas e julgadas pela sua relação com funcionários, clientes, comunidade e impactos na sociedade em geral. E isso tem sido fator determinante para a decisão de trabalhar ou não em uma empresa – ou mesmo de permanecer nela.

Employer branding e bem-estar são estratégias para o crescimento?

Uma pesquisa publicada em 2015, pela Quantum Workplace e pela Limeade, apontou que 38% dos entrevistados estavam mais engajados e 18% propensos a se dedicar mais quando sentiam que seus empregadores se importavam com o seu bem-estar.

Isso mostra que a preocupação com os colaboradores é um fator determinante para o crescimento da empresa. Quando uma equipe se sente bem cuidada e valorizada, os benefícios obtidos são imensuráveis, entre eles:

  • aumento da motivação;
  • maior produtividade;
  • mais eficiência;
  • melhoria marcante na qualidade do ambiente de trabalho;
  • aumento natural dos lucros, de forma saudável e sem sobrecarregar os colaboradores.

Na tentativa de se diferenciar e sair na frente dos concorrentes, investir em uma cultura que apoia, efetivamente, o bem-estar dos colaboradores, é uma estratégia poderosa de employer branding.

 

Levando em consideração todos os fatos apresentados aqui neste artigo, você, que já considerava o investimento no capital humano como estratégia de crescimento, deve estar pensando agora em como trabalhar isso na prática.

E você, que começou a leitura achando que alinhar employer branding e bem-estar era apenas mais uma ideia sem nexo, esperamos que esteja agora reconsiderando este pensamento.

Este é o momento de investir na saúde dos seus colaboradores, e também na experiência dele com a sua marca, e assim aumentar a produtividade e até mesmo os lucros da sua companhia.

 

Agora queremos saber sua opinião. Você já tinha pensando no bem-estar do colaborador como peça estratégica para o crescimento da empresa? O que tem sido feito para melhorar a qualidade de vida no trabalho? Deixe o seu comentário aqui no post.

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.