employer branding no brasil

6 cases de employer branding no Brasil e no mundo

Atualmente, as empresas têm um desafio gigante que é conquistar a força de trabalho da geração Millennial. Eles querem trabalhar em um lugar que valha não só pelo dinheiro, mas também pela qualidade do tempo. O segredo para “fisgar” esse público está nas ações de employer branding. Por isso, reunimos neste post alguns cases de employer branding no Brasil e no mundo para te inspirar. 

Cases de employer branding no Brasil e no mundo

O relatório ‘Como os Millennials querem trabalhar e morar’ da consultoria Gallup descobriu que 60% dos millennials estão abertos a oportunidades de trabalho diferentes. 

Como bons pesquisadores de ofertas de trabalho inspiradoras, os millennials vão mudar de empresa quatro vezes, em média, antes dos 32 anos. Segundo o relatório da Gallup, parte da “culpa” é das empresas empregadoras.

Conheça seis empresas inspiradoras que estão conquistando a fidelidade dessa nova geração com boas ações de employer branding!

1. Google 

Quem não gostaria de trabalhar na Google? As vantagens oferecidas aos funcionários da empresa estão espalhadas por toda a internet, bem como seu famoso espaço de trabalho. 

O ambiente “work hard, play hard” é uma inspiração de employer branding no Brasil para qualquer organização incorporar. O objetivo é criar uma empresa da qual as pessoas realmente queiram fazer parte. 

Sala Tech Stop do escritório Google no Brasil (Cláudio Pepper/Divulgação).

Muitas companhias oferecem benefícios para seus funcionários que eles valorizam, então isso é algo que todo negócio deveria mostrar!

Use o site da empresa e, principalmente as redes sociais para mostrar os bastidores do trabalho e tudo que é oferecido para a equipe.

2) Grupo Netshoes

O Grupo Netshoes transformou sua employer branding em referência no Brasil, alinhando a imagem da empresa para a equipe, primeiramente, e depois para o mercado.

Deu tão certo que o Grupo é considerado um dos melhores para se trabalhar no país, segundo um levantamento do LinkedIn.

O principal processo que norteou todo reposicionamento da Netshoes foi focado na cultura interna e em como os funcionários percebiam a empresa. Nas conversas de feedback com os funcionários, a equipe identificou que essa imagem ia além.

O projeto foi dividido em seis etapas e coordenado por um profissional de RH com a participação dos 1.800 funcionários (na época) e também do fundador da empresa:

1) Diagnóstico do jeito de ser da organização

2) Alinhamento desse diagnóstico com a visão do fundador

3) Definição escrita dos valores

4) Comunicação inicial para o time

5) Criação de processos alinhados com esses valores

6) Reforço de cada valor em uma campanha de comunicação interna

Com esse projeto a Netshoes mobilizou toda a equipe que se tornou a principal embaixadora da marca e não apenas funcionários.

Apresentação dos novos valores para a equipe. Fonte: Endeavor.

Navegando pela hashtag #GenteValorizada no Instagram dá para perceber o engajamento da equipe com a marca. 

3) Starbucks

A Starbuck é outro exemplo de empresa que trabalho muito bem seu employer branding com o auxílio de seus funcionários. 

Quem sonha em trabalhar em uma das unidades da empresa pode acompanhar o perfil @StarbucksJobs no Instagram e no Twitter para saber sobre novas vagas.

A hashtag #sbuxjobschat também é outro recurso que ajuda a reunir comentários sobre as oportunidades da empresa e a encontrar as vagas de trabalho divulgadas no LinkedIn e outras redes com mais facilidade.

Essas ações de employer branding tem um objetivo claro que é criar uma comunidade de “parceiros” da marca, que é como a empresa se refere a equipe de funcionários. 

Essa proximidade fortalece a imagem da empresa no mercado como um todo e, principalmente entre os profissionais atuais e os interessados em fazer parte da equipe.

4) Takeda

O grupo farmacêutico Takeda também usou a força da equipe interna para valorizar a employer branding da empresa. 

A partir da percepção do seu bom posicionamento em rankings de gestão de pessoas, a Takeda identificou o quanto sua equipe valorizava essa classificação espontaneamente nas redes sociais.

Para incentivar ainda mais essa prática, a empresa uniu o RH e a área de comunicação para criar formas de valorizar essa interação. Assim surgiu a hashtag #WeLoveTakeda e a empresa passou a disponibilizar plaquinhas para a equipe usar nas fotos como adereço.

Mesmo com um perfil mais conservador, a Takeda vai aos poucos expandindo sua imagem para o público externo com a ajuda da própria equipe.

A farmacêutica é reconhecida pelo seu ótimo ambiente de trabalho, oportunidades de crescimento e competência.

5) Netflix

A Netflix não é famosa apenas pelas suas respostas bem humoradas para os usuários nas redes sociais — apesar disso também contribuir para reforçar sua employer branding no Brasil e no mundo.

A empresa possui desde 2015 um programa interno de licença parental que cobre todo o primeiro ano dos novos pais e os auxilia a vivenciar com qualidade o primeiro ano do filhos.

Esse é apenas um dos benefícios que a Netflix oferece para a equipe. Como a cultura corporativa é muito valorizada, os funcionários têm orgulho em ceder seus direitos de imagem para as campanhas da empresa. 

O investimento no equilíbrio entre vida pessoal e profissional e um conjunto de benefícios relevantes para a equipe é o que contribui para que a empresa ganhe destaque em sites e nicho como o Glassdoor

6) Booking.com

Os funcionários são realmente agentes importantes para elevar o employer branding das empresas no mercado.

A Booking.com sabe disso e criou o desafio ‘One Mission’ entre os membros da sua equipe para que eles registrassem suas viagens de férias com uma câmera GoPro dada pela empresa.

A campanha reforça a missão do negócio de “capacitar as pessoas para experimentar o mundo”, incluindo os funcionários.

O resultado da campanha pode ser visto no vídeo abaixo que tem mais de 5,8 milhões de visualizações.

Essa ação de employer branding reforça tanto a proposta de valor da marca Booking.com no mercado como também coloca a empresa no radar de jovens profissionais (como os millennials!) que valorizam experiências.

O lado humano das campanhas gera mais envolvimento e é uma forma inteligente de mostrar o potencial da empresa.


Este artigo foi escrito por Júlio Paulillo, Co-founder e CMO do Agendor, a plataforma de aprimoramento em vendas para vendedores profissionais.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.