Diagrama de Ishikawa

Diagrama de Ishikawa: saiba o que é a ferramenta e como utilizá-la em sua empresa

Se deparar com problemas na empresa é algo comum e que faz parte do dia a dia. O objetivo do gestor, entretanto, deve ser sempre minimizar estas situações e contorná-las da melhor maneira possível, e o diagrama de Ishikawa é uma opção nesse desafio.

Uma forma eficaz de evitar transtornos ou resolvê-los é contar com as ferramentas disponíveis no mercado para gestão de diversos setores da empresa. Com elas, é possível encontrar a causa inicial e estruturar a solução rapidamente.

Uma destas ferramentas é o diagrama de Ishikawa, também conhecido como diagrama de espinha de peixe. Neste artigo, falaremos sobre essa técnica que pode ser utilizada por empresas de todos os setores e que foi um dos primeiros instrumentos para gestão de qualidade.

No conteúdo, iremos abordar e explorar cada um dos pontos abaixo:

  • O que é o diagrama de Ishikawa?;
  • Como ele surgiu?;
  • Quando e por quem a ferramenta deve ser utilizada?;
  • Quais as vantagens ao utilizá-lo?;
  • Qual a forma correta de utilizar o diagrama?;
  • Passo a passo para criar o seu diagrama de Ishikawa;

>>> Neste artigo em nosso blog, falamos sobre mais algumas ferramentas gerenciais. Confira! <<<

O que é o diagrama de Ishikawa?

Teoricamente, todo problema tem uma causa diretamente relacionada e o objeto de estudo deste conteúdo é provar esta questão. 

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta utilizada para a análise da causa-raiz de um problema, ou seja, o erro inicial desencadeador da situação. Também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito, essa ferramenta gerencial é um método que analisa todas as fases de um processo. 

Por meio dele, é mais garantido que nenhum detalhe seja esquecido, sendo assim, a eficácia da avaliação da causa será mais assertiva.

Como o diagrama de Ishikawa surgiu?

O diagrama de Ishikawa leva o nome de seu criador, Kaoru Ishikawa, engenheiro químico japonês, uma das personalidades mais conhecidas no setor de Qualidade. 

Ishikawa foi tão importante para a área que, em 1993, a American Society for Quality criou uma medalha em sua homenagem. Ele deixou, além do diagrama de causa e efeito, uma grande contribuição para a Qualidade, mundialmente falando. 

Foi Ishikawa quem reuniu as 7 ferramentas da Qualidade que são aliadas dos profissionais do setor até hoje.

Por ser um grande estudioso do tema, o engenheiro acreditava que toda consequência (no caso o problema), tem uma causa e o diagrama de Ishikawa veio para ajudar a encontrar essa relação.

Quando e quem deve utilizar o diagrama de Ishikawa?

O diagrama de espinha de peixe pode ser utilizado por todas as empresas, de todos os setores, devendo ser adaptada para cada situação. Quando Ishikawa criou o método, tinha o objetivo principal de que fosse acessível para todos os colaboradores de uma companhia.

Desta forma, o diagrama de Ishikawa pode ser aplicado para problemas encontrados na fábrica ou na administração de um escritório, por exemplo. 

O ideal é que o diagrama de Ishikawa seja utilizado sempre que houver um problema que impacte diretamente o produto ou serviço oferecido.

Caso você tenha uma grande quantidade de reclamações sobre o atendimento dos seus colaboradores ou que um defeito seja constantemente encontrado em suas peças, esse é um momento de optar pelo método.

Apesar disso, ele também pode ajudar em melhoria de processos que auxiliem em situações que nem sempre são consideradas um problema, mas que atrapalham o negócio.

Por exemplo, o baixo volume de novos contratos pode parecer normal, mas por meio do diagrama de Ishikawa é possível entender o motivo pelos quais não ocorrem e corrigi-los. 

Sendo assim, por meio do uso adequado do gráfico, a empresa pode passar a ter mais lucros.

Qual a forma correta de utilizar o diagrama de Ishikawa?

Antes de tudo, é importante entender que o diagrama de Ishikawa deve ser uma ferramenta de apoio para a manutenção da qualidade. Por isso, dificilmente conseguirá ser usada para prevenção de transtorno, visto que seu objetivo principal é encontrar a causa do problema.

A maneira correta de utilizá-lo então é após a identificação de algo errado nos processos da sua empresa, seja ele o produto final ou não. Desta forma, temos o ponto inicial para criar o seu diagrama de causa e efeito.

Ishikawa, quando criou o diagrama, entendeu que todos os problemas de uma companhia estavam relacionados com seis itens principais, os 6M’s.

  • Método – como falta de processos e controle de qualidade;
  • Máquina – com defeito ou funcionando abaixo da produtividade;
  • Medida – falta de monitoramento e métricas para analisar o trabalho;
  • Meio Ambiente – chuvas em excesso ou seca;
  • Material – matéria-prima de baixa qualidade;
  • Mão-de-obra – falta de treinamento ou de produtividade.

Para cada um destes seis pontos é essencial se perguntar qual pode ser o impacto deles no resultado final. Vale ressaltar que, dependendo da área de atuação da sua empresa, nem todos os itens precisam ser analisados, já que podem não fazer parte da rotina do negócio.

Como falamos anteriormente, a ferramenta também é conhecida pelo nome de diagrama de espinha de peixe, pelo seu formato, já que a visualização da situação como um todo, foi um dos pontos considerados por Ishikawa.

O gráfico foi desenvolvido da seguinte forma:

Uma seta no meio, que apresenta o problema no final, dentro de um retângulo. Acima e abaixo são elencados os itens que tiverem relação com a situação que precisa ser analisada, formando a estrutura de uma espinha de peixe. Como mostra a imagem abaixo.

diagrama de ishikawa

Quais as vantagens ao utilizá-lo?

Além da melhor visualização do problema e suas causas, utilizar o diagrama de Ishikawa permite uma melhor gestão dos assuntos da sua empresa. É ainda uma maneira de aprimorar continuamente os processos e alcançar melhores resultados.

Outro ponto positivo do uso do diagrama de causas e efeitos é ser um trabalho totalmente realizado com foco em determinada situação. Ele pode ainda ser utilizado em conjunto com outras ferramentas de controle de qualidade.

Mais um diferencial é que não é necessário investir em nenhuma plataforma ou tecnologia para usar o conceito, que vem sendo disseminado pelo mundo desde 1943. Tudo que você precisa é de papel, caneta e dedicação.

Mas é claro, se você prefere ter tudo registrado, existem planilhas que podem ajudá-lo neste processo.

Qual o passo a passo para criar o diagrama de Ishikawa?

Agora que você já sabe para quê serve o diagrama de Ishikawa, vamos elencar o passo a passo para começar o seu gráfico na sua empresa.

  1. Identifique e defina o problema que será analisado.
  2. Convoque a equipe envolvida na questão para a realização de um brainstorm (chuva de ideias). É neste momento que serão discutidos todos os pontos relacionados ao problema.
  3. Tenha uma pessoa responsável por organizar a conversa e consolidar todas as informações que forem faladas em reunião. Esse colaborador ficará encarregado de abordar cada um dos 6M’s previstos pelo Ishikawa, desde que se aplique ao problema em questão.
  4. Faça o desenho do diagrama, conforme modelo acima, em um local de fácil visualização para todos os presentes. Isso ajuda a enxergar mais facilmente a origem do problema.
  5.  Elenque as causas encontradas em cada categoria e analise uma por vez. Entenda o que levou cada uma delas a acontecerem.
  6. Provavelmente, um desses pontos terá um maior impacto no problema que está sendo analisado. Por isso, é importante classificar a ordem de importância.
  7. Com as causas analisadas, encontre melhores processos e estude soluções para resolver cada um dos pontos.

Montando o diagrama

Vamos agora visualizar os passos acima com um exemplo simples e montar juntos o diagrama.

  1. O problema: produção de itens abaixo do normal.
  2. Causas: Ao reunir a equipe de gestores e responsáveis da produção, foram identificadas possíveis causas do problema em 4 categorias:
  • Método – Escala de 8 horas, com máquina parada no horário restante.
  • Máquina – defeito em 1 dos 10 equipamentos disponíveis.
  •  Material – novo lote de matéria-prima veio com qualidade baixa, logo quebra com mais facilidade e é descartada.
  • Mão-de-obra – conversas paralelas durante o expediente.

Com essas informações, analisadas durante o brainstorm em equipe, o diagrama de Ishikawa ficaria assim visualmente:

diagrama de ishikawa

A partir do gráfico, os gestores podem visualizar que o problema tem mais de uma causa que precisam ser resolvidas. Desta forma, é preciso analisar qual a prioridade e buscar soluções para cada uma delas.

Diagrama de Ishikawa: simples e eficaz

Como você pode perceber, colocar em prática o conceito de diagrama de Ishikawa é simples, sendo necessário apenas dedicação e organização das ideias dentro do gráfico. Além de muita criatividade para resolver cada problema.

Por isso, não perca tempo e comece a utilizar a ferramenta para aperfeiçoar a qualidade do serviço ou produto que sua empresa oferece.

 

Gostou deste conteúdo sobre controle de qualidade? Então compartilhe ele em suas redes sociais, para que seus colegas de trabalho também conheçam essa ferramenta de gestão.

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.