Design thinking: o que é e como utilizar na sua empresa

design thinking

Já ouviu falar em design thinking? Esse conceito vem fazendo sucesso no mercado atual. A técnica consiste em compreender as necessidades dos usuários, entender os problemas, ser empático com os stakeholders e pensar em soluções inovadoras.

Normalmente, no contexto corporativo, as companhias utilizam o design thinking para resolver os obstáculos mais complexos e que não são solucionados com as informações e procedimentos básicos. 

Sendo assim, os designers thinkers são acionados para alcançar melhores resultados. Entretanto, não é apenas em casos extremos que pode ser uma opção para as empresas. 

O diferencial da metodologia é que pode ser utilizada desde o desenvolvimento de novos produtos e serviços até a revisão de processos internos das empresas. Por esse motivo, os líderes têm optado pelo design thinking

Neste artigo, vamos falar sobre os benefícios da metodologia e como você pode utilizá-la em sua empresa.

Você vai aprender:

  • o que é design thinking?;
  • quem pode utilizar?;
  • qual o objetivo da metodologia?;
  • quais os benefícios de implementar o design thinking?;
  • quais são as principais etapas do design thinking?;
  • como utilizar em sua empresa?

Então, vamos lá!

O que é design thinking?

O design thinking é uma metodologia de resolução de problemas, baseada na identificação das necessidades dos usuários. Por meio da técnica, os designers buscam inovações para solucioná-los, focando na criatividade e nas pessoas.

Mas, como surgiu este termo? Se traduzirmos para o português, significa “pensar como um design” e essa profissão tem uma preocupação essencial: enxergar além da estética, da superfície. Isto é, se aplica o modo de pensar dos designers nos negócios.

Assim, o principal diferencial é que, antes de procurar a solução ideal, o design thinking analisa a fundo a origem do problema, não ficando apenas no superficial. Desta forma, ao desenvolver o produto, serviço ou processo para melhorá-lo, terá agido na raiz da questão.

O design thinking é uma técnica que acredita que muitas pessoas pensam melhor do que apenas uma, por isso, deve ser realizada em equipe. 

Outro ponto importante é a testagem das ideias, que estimula a correção de erros antes da chegada do novo produto ou serviço ao mercado.

Quem pode utilizar?

O conceito básico do design thinking é que seja realizado de forma colaborativa e coletiva, envolvendo todas as pessoas que participam do processo criativo da empresa.

Apesar de algumas companhias oferecerem dinâmicas de design thinking para eventos corporativos, a metodologia pode e deve ser utilizada para a solução de problemas reais e pode ser realizada por qualquer equipe, desde que se respeite as etapas.

Além disso, alguns cursos disponíveis no mercado preparam profissionais para se tornarem especialistas no tema.  Algumas companhias, inclusive, contam com uma equipe focada apenas para o design thinking.

Outro ponto positivo para a técnica é que pode ser utilizada por todos os setores do mercado, desde a indústria até a prestação de serviço, já que se baseia na solução de problemas.

Qual o objetivo da metodologia?

O design thinking é utilizado principalmente pelos gestores em situações que exigem uma resolução de problemas de maneira rápida e eficaz. Muitas vezes, a liderança opta pela metodologia apenas quando está com dificuldade em resolver determinado caso.

Entretanto, o ideal é que seja logo a primeira opção para a construção da inovação que resultará exatamente nas expectativas do cliente. 

O diferencial é exatamente reunir as ideias de toda equipe focando unicamente na necessidade específica e no que realmente as pessoas precisam.

O que muitos líderes ainda não entenderam é que o design thinking também pode ser a maneira mais simples de resolver os desafios diários. Então, torná-lo um processo básico e que faz parte da rotina da companhia é uma boa escolha.

Quais os benefícios de implementar o design thinking?

A criação de um produto, serviço ou sistema não eficaz pode custar caro para as empresas, pois além de desperdício de tempo e dinheiro, a credibilidade da companhia pode estar em jogo. 

Os clientes esperam por novidades, inclusive, esta é uma das principais características da nova geração.

Apostar no design thinking trará uma relação de custo-benefício bastante alta, já que as inovações serão desenvolvidas a partir de uma real necessidade do público-alvo. Haverá maior eficácia e assertividade, melhorando os resultados de todos os setores.

Quando falamos na gestão de recursos humanos, a metodologia é uma importante ferramenta para o estímulo à criatividade e inovação. Pois, diariamente, os colaboradores serão desafiados a utilizar todo o seu potencial para idealizar novos projetos.

Além do mais, o trabalho em equipe tende a melhorar a empatia entre os participantes, porque, ao sugerir ideias, cada indivíduo para a se familiarizar com a realidade do outro. Ao pensar em soluções em conjunto, todos se sentem parte da resolução.

Neste artigo do nosso blog, falamos um pouco mais dos benefícios da sensação de pertencimento.

Quais são as principais etapas do design thinking?

Não existe solução, sem entender o problema. Por isso, é preciso, antes de tudo, definir o desafio estratégico. Para resolvê-lo, a equipe de design thinking precisa seguir algumas fases bem determinadas, a fim de encontrar as melhores soluções. Estas etapas são:

1. Compreender

Antes de iniciar a identificação das causas do problema, coloque em um local visível tudo que você já sabe sobre o desafio que precisa solucionar. 

É a hora da análise do problema, por isso, toda a equipe precisa ter acesso a este material, facilitando assim os processos que virão a seguir. O primeiro passo da metodologia é entender quem é o cliente e quais as necessidades do público. 

Para isso, é essencial definir quem é o alvo da inovação e, a partir daí, escutá-lo e observá-lo.

2. Observar

Muitas vezes, ao conversar com um consumidor, ele dirá que não vê problemas naquele produto. Porém, ao observá-lo, pode ser possível identificar alguma dificuldade que enfrenta inconscientemente, por exemplo, para abrir uma embalagem.

Desta maneira, não basta apenas perguntar, é necessário ir a campo para ver como aquele determinado público se comporta diante daquele produto, serviço ou sistema, que precisa ser melhorado. 

Ainda neste item, analise todo o mercado e qual é a realidade da concorrência, que tipo de produto ou serviço já está saturado e o que pode estar em falta.

Após esse processo, ficará muito mais fácil identificar quais pontos são essenciais para a solução inovadora que procura. Ao definir claramente o desafio estratégico, chega a hora de pensar em como resolvê-lo.

3. Criar

Essa é uma das etapas mais importantes do design thinking. Com todas as informações em mãos, a equipe deve se reunir para realizar o brainstorming, do inglês, tempestade de ideias. 

Sabendo o problema que precisa resolver, é a hora de ter ideias de como solucioná-lo.

Essa reunião, que pode ser realizada presencialmente ou em plataformas on-line, tem o objetivo de reunir o maior número de ideias possível. Assim, espontaneamente, cada integrante do time pode apresentar suas soluções.

É importante ressaltar que não há limite de quantidade de ideias durante um brainstorming. Quanto mais, melhor. Se você estiver na liderança da reunião, evite julgamentos, pois as melhores soluções podem vir das ideias mais improváveis.

Liste esses insights apresentados pela equipe em um local visível (pode ser um quadro na parede ou apresentação on-line), pois será possível enxergar com clareza as oportunidades encontradas.

Essa etapa também pode ser chamada de ideação. Pois, por meio das ideias, será concebida a solução para determinado desafio estratégico.

4. Prototipar e testar

Com a melhor ideia escolhida, é a hora de tornar a solução em realidade, ou seja, criar um novo produto, serviço ou sistema. Nesta fase do design thinking, você deve testar como será a receptividade do público.

Dependendo de qual for o seu desafio estratégico, você irá fazer um modelo do produto ou encenar como seria o novo processo de atendimento de uma empresa, com os integrantes da equipe.

A partir da testagem, o time irá compreender se a solução atendeu ou não a necessidade do público-alvo, ou seja, se o problema foi resolvido.

5 – Implementar

Se o teste com o protótipo foi positivo, é a hora de fazer o lançamento da inovação para o público. Vale destacar que toda criação pode ser atualizada e melhorada ao passar do tempo. Por isso, busque sempre ouvir os usuários a fim de realizar essas melhorias.

Como utilizar em sua empresa?

Como já falamos, não existe uma regra para utilização do design thinking. A premissa básica para a metodologia é a existência de um desafio estratégico. Por isso, procure oportunidades na sua empresa para aplicá-lo.

Caso sua equipe não esteja acostumada a desenvolver soluções em conjunto, comece aos poucos, escolhendo uma ou outra oportunidade mais estratégica para a companhia.

Mais do que uma forma de desenvolver novos produtos, o design thinking é uma metodologia de inovação, que deve ser explorada pela gestão a fim de obter melhores resultados com seus colaboradores, clientes e público de interesse.

 

Gostou deste conteúdo? Então compartilhar com seus amigos nas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar