declaração de imposto de renda

Como fazer declaração de Imposto de Renda: passo a passo simples

Todo começo de ano, a população brasileira tem a missão de declarar o Imposto de Renda. E apenas da pergunta constante sobre como fazer a declaração de Imposto de Renda, qualquer pessoa consegue fazer a sua própria declaração.

Entretanto, mesmo para os mais experientes, dúvidas em relação às regras dessa tributação surgem para dificultar o processo.

Declarar suas despesas de forma correta é essencial para evitar multas e problemas com as autoridades. Por isso, fique atento.

Para fazer uma Declaração de Imposto de Renda eficiente, você deverá:

  1. reunir documentos e comprovantes;
  2. fazer o download do programa IRPF;
  3. identificar o serviço buscado;
  4. informar seus rendimentos;
  5. listar seus bens e direitos;
  6. lançar os pagamentos efetuados;
  7. optar pelo modelo de tributação.

Caso você precise incluir dependentes na sua declaração, algumas etapas passam a ser diferentes. Nesses casos, recomendamos a leitura do artigo, “Saiba como fazer sua declaração de dependentes no Imposto de Renda“. 

Acompanhe o post e confira o que é Imposto de Renda e como fazer.

Separamos um passo a passo para você seguir e  fazer uma Declaração de Imposto de Renda com qualidade e sem erros. Boa leitura!

O que é Imposto de Renda?

Grosso modo, o Imposto de Renda ou IR é um tributo cobrado anualmente, entre os meses de março e abril, pela Receita Federal (RF), órgão vinculado ao Ministério da Economia, sobre os ganhos de pessoas e empresas.

O valor cobrado é definido por um cálculo que considera os rendimentos declarados por cada cidadão (Imposto de Renda Pessoa Física ou IRPF) ou organização (Imposto de Renda Pessoa Jurídica ou IRPJ).

Em uma lógica justa, aqueles que possuem uma receita mais expressiva pagam impostos mais altos e vice-versa.

Podemos, então, classificar a Declaração de Imposto de Renda como um valor descontado sobre os rendimentos anuais da população.

Na lista de rendimentos tributáveis da RF entram:

Quais os tipos de IR?

Assim como dissemos, a Declaração de Imposto de Renda pode ser feita em duas categorias. Confira suas particularidades a seguir.

Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF)

A declaração de IRPF incide sobre os ganhos e proventos de cidadãos residentes no país ou exterior, que recebem rendas de fontes brasileiras.

As alíquotas são definidas segundo uma tabela do Imposto de Renda fixada pela Receita da Fazenda:

  • quem ganha até R$ 1.903,98 está isento da cobrança;
  • valores entre R$ 1.903,99 e R$ 2.826,65 são taxados em 7,5%;
  • entre R$ 2.826,66 e R$ 3.751,05 tem uma cobrança de 15%;
  • valores entre R$ 3.751,06 e R$ 4.664,68 têm uma alíquota de 22,5%;
  • renda acima de R$ 4.664,68 é taxada com uma tributação de 27,5%.

Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ)

Já o IRPJ é cobrado de organizações brasileiras. Neste caso, as alíquotas incidem sobre os regimes de tributação como lucro real, presumido ou arbitrado do negócio. 

Por isso, 15% é tarifado sobre esse valor, com adicional de 10% para parcelas de lucro cima de R$20.000,oo por mês. Nesse cálculo, são considerados também o porte e as atividades desenvolvidas pela empresa.

Como fazer a Declaração de Imposto de Renda?

Antes de mais nada, volte à tabela do imposto de renda e verifique se você deve fazer a Declaração do Imposto de Renda. Por meio dela você descobre quem faz imposto de renda.

Para casos afirmativos, confira o passo a passo de como fazer declaração de Imposto de Renda eficiente e sem erros.

1. Reúna documentos e comprovantes

A documentação é a parte mais trabalhosa do processo, portanto faça essa reunião de dados com tempo e atenção. Você deverá buscar documentos como:

  • informes de rendimentos recebidos da empresa onde trabalha;
  • relatórios de instituições financeiras;
  • descrições das aplicações e investimentos;
  • recibos de outras rendas extras;
  • comprovantes de pagamento de planos de saúde, dentre outros.

2. Faça o download do programa IRPF

Se for a sua primeira declaração de Imposto de Renda será preciso entrar no site da Receita Federal e fazer o download do programa IRPF.

O gerador da Declaração de Imposto de Renda é um programa intuitivo, de fácil acesso e ainda conta com amplo suporte para o usuário.

3. Identifique o serviço buscado

Ao abrir o gerador de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF), você terá acesso a duas opções de serviço:

  • declaração;
  • retificação.

A opção correta é a declaração, já que retificação é para casos de correção de valores. Ou seja, a pessoa já possui a declaração pronta, mas precisa alterar algum valor apresentado a RF.

4. Informe seus rendimentos

A etapa de informe exige atenção redobrada, pois o preenchimento incorreto dos valores poderá te colocar na tão temida malha fina.

Na sessão “Rendimentos tributáveis recebidos de PJ pelo Titular”, você deverá informar as fontes pagadoras dos valores recebidos no ano passado, tais como a empresa que paga o seu salário.

Já na sessão “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva”, você deverá incluir investimentos feitos em outras aplicações financeiras.

Caso você tenha rendimentos com isenção de IR, como bolsas de estudo ou lucros em cadernetas de poupança, os informes deverão ser feitos na sessão de isenção.

Leia também: Retenção na fonte: como é feita a retenção de impostos na nota fiscal de serviços

5. Liste seus bens e direitos

Agora é o momento de declarar bens e direitos. Estão incluídos nessa sessão:

  • saldos das contas correntes;
  • imóveis;
  • carros;
  • investimentos em curso e assim por diante.

Vale ressaltar que o informe de bens deve ser feito considerando o valor gasto na hora da compra ou venda, sem atualizações monetárias.

6. Lance os pagamentos efetuados

Na sessão “Pagamentos Efetuados”, você deverá comprovar suas despesas e deduzi-las do IR. 

É importante estar atento a necessidade de constatação dos dados das instituições recebedoras.

Os CNPJs das instituições ou os CPFs dos profissionais que receberam algum valor pago por você deverão estar na declaração.

7. Opte pelo modelo de tributação

O último passo da Declaração de Imposto de Renda é selecionar o modelo de tributação. Existem duas diferentes modalidades à disposição:

  • a declaração de IR Simplificada;
  • a declaração de IR Completa.

O próprio programa sugere, à medida em que os campos são preenchidos, qual opção é a melhor para o seu caso. Mas é interessante optar pela orientação profissional de um contador experiente.

Pronto! Agora, basta clicar em “Entregar Declaração” para finalizar o processo.

Viu como não é um bicho de sete cabeças?

Realizar a Declaração de Imposto de Renda é uma obrigatoriedade legal.

O não cumprimento do processo corresponde ao crime de sonegação fiscal, por isso é importante estar atento às datas e os prazos de envio desses documentos.

Se ainda ficou alguma dúvida sobre como fazer declaração de imposto de renda, indicamos que assista ao vídeo abaixo!

Gerencie suas finanças com o Xerpay!

Estar atento a questões fiscais como a declaração de imposto de renda faz parte de uma organização financeira eficiente.

Os novos meios de pagamento também devem ser considerados em um planejamento financeiro eficiente.

A Xerpa tem uma nova ferramenta, o Xerpay, que vai transformar a relação dos seus funcionários com o próprio salário. Ao se cadastrarem no sistema, os seus colaboradores podem sacar seus pagamentos quando quiserem, de forma simples e instantânea.

O Xerpay já trouxe resultados para diversas empresas como:

  • 10% de aumento de retenção de talentos;
  • 20% de melhoria da produtividade dos seus colaboradores;
  • 100% de aumento de atração de candidaturas às novas vagas.

Conheça mais sobre o Xerpay e agregue mais esse benefício para a equipe da sua empresa.

Gostou? Então, siga a Xerpa nas redes sociais Facebook, Instagram e LinkedIn e confira conteúdos como esse todo dia!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.