Debêntures

Debêntures: vale a pena investir?

Os diferentes modelos de investimentos, como as debêntures, estão cada vez mais no dia a dia do brasileiro, que têm se aprofundado no assunto e apostado no setor para gerar renda extra. Se você tem interesse em aplicar o seu dinheiro, existem alguns passos a seguir.

Existem diversos tipos de investidores, desde aqueles que não se importam em assumir um grande risco, como a bolsa de valores, até os que não saem da tradicional poupança. Por isso, entender seu perfil neste mercado é o primeiro passo para entender qual a melhor opção.

Depois disso, é essencial conhecer as modalidades e entender suas necessidades, por exemplo, quando você precisará utilizar o dinheiro investido.  Neste artigo, vamos falar sobre as debêntures, formato que bateu recorde em 2019, com mais de R$33,78 bilhões emitidos.

Iremos abordar:

  • O que são as debêntures?;
  • Quais são os tipos de debêntures no Brasil?;
  • Qual a rentabilidade das debêntures?;
  • Como investir na modalidade?;
  • Qual a melhor opção?;
  • Como declarar os rendimentos?

Vamos lá e boa leitura!

O que são as debêntures?

Trata-se de títulos de dívidas de empresas, ou seja, ao investir em uma debênture, você está emprestando dinheiro para as companhias, que não podem ser instituição financeira ou de crédito imobiliário.

Elas foram criadas em 2011 pela Lei nº12.431, com o intuito de financiar projetos de infraestrutura, aumentar capital ou quitar dívidas. 

As debêntures possuem rendimentos fixos, o que significa que ao aplicar uma quantia, é possível saber exatamente qual será o lucro ao final do período. Normalmente, são indicadas para quem quer variar os formatos de investimentos e são adquiridas diretamente com a empresa.

Antigamente, era uma modalidade menos acessível, pois os valores iniciais de investimentos eram altos, mas, aos poucos, tornou-se mais simples para a pessoa física aplicar nas debêntures.

Apesar de ser uma modalidade de renda fixa, existe certo risco dependendo do valor do rendimento. Por isso, entender o seu perfil de investidor (conservador, moderador, arrojado, agressivo).

Elas se diferenciam das ações porque possuem renda fixa, enquanto investir na bolsa de valores apresenta lucro variável. Além disso, ao adquirir uma ação você se torna sócio e recebe proventos, enquanto nas debêntures, você recebe o dinheiro que emprestou mais a taxa combinada.

Para saber mais sobre os investimentos na bolsa de valores, acesse esse artigo em nosso blog.

Quais são os tipos de debêntures no Brasil?

Antes de investir, você precisa entender os dois tipos de debêntures disponíveis no Brasil: simples e conversíveis.

Conversíveis

Nesta modalidade, ao final do período determinado do investimento, é possível transformar o rendimento em ações da companhia na bolsa.

Simples

Já aqui, não é permitido transferir a renda em ações ao fim do investimento.

Incentivadas

Elas são emitidas a fim da realização de projetos de infraestrutura e, neste caso, existe isenção de imposto de renda. Neste formato, o rendimento costuma ser maior.

Comuns

Têm tributação de imposto de renda sobre o valor acumulado no período e não sobre o valor todo investido, de acordo com tabela regressiva abaixo:

Tempo de aplicaçãoTributação
Até 6 meses22,5%
De 6 a 12 meses20%
De 12 a 24 meses17,5%
Mais de 24%15%

 

Apesar de parecer vantajoso, nem sempre as conversíveis são melhores, pois depende da taxa de rendimento acordada entre debenturista e empresa.

Qual a rentabilidade das debêntures?

Existem três tipos de rentabilidade nesta modalidade de investimento: pós-fixado, prefixado e híbrido.

Pós-fixado

O rendimento depende de indicadores de mercado como a Selic e o CDI. Portanto, não é possível prever o retorno no momento do resgate da aplicação, já que são taxas variáveis.

Prefixado

Na hora que você compra o título de crédito na empresa, já será definida a taxa de rentabilidade, ou seja, o valor do rendimento é conhecido no início do processo.

Híbrido

Esse formato mescla uma taxa fixa com um indicador variável, IGP-M e IPCA, por exemplo. É uma modalidade que atrai bastante os debenturistas, já que existe o ganho fixo e um rendimento extra das taxas variáveis.

Como investir na modalidade?

Investindo sozinho

Assim como investir na bolsa de valores, é necessário abrir uma conta em uma corretora especializada, por isso, faça uma pesquisa sobre as mais confiáveis e menores taxas de manutenção.

Após este passo, você deve transferir o valor que deseja investir da sua conta tradicional para a da corretora. Depois, acesse no site a opção renda fixa, selecione debêntures e escolha o melhor investimento disponível no momento.

Não se esqueça de avaliar com calma as condições de cada, de acordo com sua necessidade de utilização do rendimento.

Aplicando com fundo de investimento

Também é possível investir em debêntures utilizando fundos de investimento e é mais indicado para quem está se familiarizando com o mercado, já que seu dinheiro será gerenciado por profissionais.

Entretanto, por ser um investimento indireto, você não poderá comprar ou vender suas debêntures quando quiser, dependendo da atuação do gestor. Neste caso, é só acessar a plataforma do fundo de investimentos e selecionar debêntures.

Qual a melhor opção?

É bastante comum o investidor se preocupar apenas com a taxa de rendimento ao final de uma aplicação. Porém, também é preciso avaliar a nota de classificação de risco de crédito (rating) de cada empresa.

Essa nota, que varia A a D, indica qual a probabilidade de a companhia honrar com as dívidas, sendo A a melhor nota e D a pior classificação. Quanto maior a nota, mais confiável é a instituição.  Por isso, conhecer esses detalhes faz toda a diferença no sucesso do seu investimento.

Como declarar os rendimentos?

Vale ressaltar que possuir debêntures não obriga o investidor a declarar imposto de renda, porém, caso você se encaixe em alguns dos critérios abaixo precisa incluir as debêntures em sua declaração:

  • Tem atividade na bolsa de valores no período;
  • Possui bens (como automóvel, casa própria e rendimentos) acima de R$ 300 mil;
  • Recebeu rendimentos isentos anuais acima de R$ 40 mil;

Na hora de fazer a declaração, selecione “Bens e direitos”, procure “Aplicação em renda fixa” e descreva o tipo de investimento que comprou. Repita o procedimento para todas as suas aplicações.

Como você pode ver, aplicar em debêntures não é complicado e pode garantir bons rendimentos para os investidores, precisando apenas de pesquisa e análise para colher bons frutos. Sendo assim, verifique se é a melhor opção e esclareça suas dúvidas antes de aplicar seu dinheiro.

 

Gostou deste conteúdo sobre debêntures? Compartilhe nas suas redes sociais e espalhe conhecimento.

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.