contratar errado custa caro

Contratar errado custa caro: o impacto financeiro das contratações ruins

Em um mercado cada vez mais competitivo, atrair bons profissionais é um dos maiores desafios das empresas. Uma boa contratação pode aumentar a produtividade e melhorar o ambiente, garantindo ótimos resultados para o negócio. Por outro lado, contratar errado custa caro: os gastos aumentam e os para a organização são enormes.

Isso é algo muito comum no Brasil, onde a rotatividade nas empresas é alta. Pensando nisso, explicamos neste artigo tudo o que você precisa saber para acertar nas contratações e evitar esse tipo de problema.

Quer saber mais? Continue conosco!

Quais são os custos de uma contratação ruim?

Uma contratação ruim ocorre quando o profissional em questão não corresponde às expectativas da empresa. Entre os motivos mais frequentes para isso acontecer está a falta de fit cultural: o funcionário não consegue se adaptar aos processos e à rotina da empresa, o que prejudica seu desempenho.

Outra situação muito comum é o colaborador apresentar deficiência técnica na execução de suas tarefas. Isso indica que a avaliação feita ao longo do processo seletivo foi insuficiente para validar a capacidade do profissional para assumir o cargo.

Seja qual for o motivo, contratar errado custa caro e traz um enorme impacto negativo para a rotina da organização. Confira a seguir quais são os prejuízos que um equívoco com esse pode trazer para o negócio.

 

Custos diretos

Segundo um estudo da Harvard Business Review, 80% do turnover nas empresas se deve à contratação de profissionais inadequados. Quando a rotatividade é alta, os custos com a realização de processos seletivos aumentam, pois há uma busca frequente por novos candidatos.

Além dos custos de contratação, também aumentam os gastos com demissões. No Brasil, o prejuízo é alto, pois a lei trabalhista prevê uma série de encargos e multas para efetuar o desligamento de um colaborador.

Um jeito simples de avaliar se uma contratação foi acertada é calculando o ROI do processo seletivo. Coloque na balança quanto foi gasto para contratar o funcionário e qual foi o retorno que ele trouxe para a empresa. Se a taxa for baixa, é sinal de que houve falhas no recrutamento.

 

Custos indiretos

Os prejuízos de uma processo seletivo falho vão muito além dos gastos de contratação e demissão de funcionários. Há também custos indiretos, que são percebidos no dia a dia de trabalho. Veja abaixo alguns deles:

 

1. Queda de produtividade

Quando um novo contratado não se adapta ao trabalho, o desempenho de toda a equipe sai prejudicado. Dessa forma, a produtividade diminui, o que causa um sério prejuízo financeiro para a empresa.

 

2. Trabalho em equipe ineficiente

Essa queda de produtividade está diretamente relacionada a um trabalho em equipe ineficiente. Para atuar com eficiência, todos os membros do time devem andar para a mesma direção. Se um dos profissionais destoar do restante, a cooperação fica muito mais difícil.

Se a pessoa em questão for um líder de equipe, a situação se torna insustentável. Quando isso acontece, os funcionários ficam perdidos, sem ter a quem recorrer. Sem confiança, o gestor não consegue extrair o melhor de seus subordinados e muito menos cumprir as metas do departamento.

 

3. Sobrecarga de trabalho

Em empresas de alta rotatividade, as equipes de trabalho estão sempre desfalcadas. Afinal, pelo menos uma das vagas está sempre em aberto, aguardando o próximo candidato ser escolhido para ocupá-la.

Isso faz com que a qualidade das entregas diminua e que os colaboradores fiquem permanentemente sobrecarregados. Se a equipe ficasse completa por mais tempo, o time criaria mais sinergia e passaria e conquistar resultados melhores.

 

4. Despesas com treinamentos

As altas despesas com treinamentos são mais uma prova de que contratar errado custa caro. Toda vez que um novo colaborador é admitido, ele precisa de um tempo para se adaptar ao ambiente e aprender os processos básicos para ocupar o cargo.

Tudo isso gera um custo financeiro, que só terá retorno quando o profissional começar a apresentar bons resultados.

 

Como evitar contratações ruins?

Boas práticas de recrutamento e gestão de pessoas são fundamentais para evitar erros na hora de contratar. Confira a seguir as principais atitudes que o RH deve ter para acertar na escolha dos candidatos.

 

Trace um perfil do candidato ideal

Para contratar bem, é preciso saber que tipo de profissional a empresa está buscando. Faça uma lista com as principais qualidades que você procura nos candidatos. Assim você convida para o processo seletivo apenas aqueles que forem mais alinhadas com as expectativas da vaga.

Entenda mais sobre os tipos de perfis profissionais >> 7 tipos de perfil profissional: Conheça os mais comuns e saiba como identificá-los.

 

Faça testes comportamentais

Um erro muito comum é avaliar apenas as experiências e habilidades técnicas dos candidatos. No entanto, o perfil comportamental também é essencial para acertar na contratação. O candidato tem fit cultural? Se identifica com os objetivos da empresa? Tem bom relacionamento com os colegas?

Todas essas perguntas podem ser respondidos por meio de testes comportamentais e psicológicos. Observar a postura do candidato ao longo das entrevistas também é importante, pois a linguagem corporal e a forma como ele se expressa dizem muito sobre quem ele é.

Neste post explicamos um compilado de testes psicológicos >> Como usar testes psicológicos na seleção de novos talentos?

 

Análise do currículo

Quanto ao currículo, tome cuidado ao analisar as experiências anteriores. O profissional ter trabalhado na mesma função em outra empresa não quer dizer muita coisa. Afinal, a passagem pode ter sido malsucedida.

Busque referências, recomendações e procure ouvir detalhes das experiências do candidato em outros empregos, sobretudo se a vaga for para um cargo de gestão. Quanto mais informação você tiver sobre a pessoa, maiores serão as chances de acertar.

Veja as dicas essenciais para uma boa análise de currículo >> Como analisar um currículo: 4 dicas para escolher o melhor profissional.

 

Garanta o desenvolvimento do novo funcionário

Dependendo do cargo, é muito difícil encontrar um candidato que tenha 100% das competências exigidas pela vaga. Nesse caso, é preciso garantir que o novo contratado seja desenvolvido adequadamente para ter um bom desempenho na função.

Investir na pessoa que está entrando sai muito mais barato que contratar uma nova. No entanto, isso deve ser feito logo no começo. Não adianta esperar que o profissional cometa uma falha grave para depois tentar orientá-lo.

Conheça mais dicas neste post >> Contratação de funcionários: dicas para você otimizar!

 

Agora que você já sabe porque contratar errado custa caro, é só colocar o que aprendeu em prática!

Planeje bem os processos de recrutamento da sua empresa e convide apenas os profissionais mais adequados para participar da seleção. Assim você acerta nas contratações, reduz o turnover e reduz os custos do seu negócio!

 

Gostou do post? Conte nos comentários quais práticas você usa nas contratações da sua empresa. Estamos ansiosos para saber suas dúvidas e opiniões sobre o assunto!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.