consistência de dados nos relatórios

Como garantir a consistência de dados nos relatórios?

A consistência de dados nos relatórios permite que os interlocutores fiquem a par de tudo aquilo que você tem a dizer. E, sempre, com confiabilidade na sua autoridade. Para isso, é importante dispor de tecnologia e conhecimentos adequados para oferecer, às pessoas, informação com qualidade e precisão.

 

É inegável que um relatório de RH — e de qualquer área, na verdade, — pode ser impactante sem que, ao mesmo tempo, ele seja maçante. Isso porque é possível captar o interesse dos interlocutores e oferecer uma apresentação impecável.

Mas, para isso, o processo começa com a garantia de que você está apresentando consistência de dados nos relatórios. E, o ponto que queremos chegar, é o seguinte: essa tarefa é dispendiosa para você?

A pergunta tem um motivo específico, que é apontar para você um caminho menos pesaroso e capaz de garantir que você monte relatórios imperdíveis! Siga com esta leitura e aprenda conosco como garantir a consistência de dados nos relatórios!

A importância em apresentar relatórios gerenciais

Qualquer departamento que tenha a necessidade de monitorar índices constantemente sabe que, ao apresentar esses resultados para o resto da equipe e/ou gestores, a consistência de dados é essencial.

Pois, é por meio dessa confiabilidade que novas metas serão desenhadas, que ajustes podem ser considerados e, inclusive, que o setor comemora o crescimento e desenvolvimento consequente da empresa.

 

As vantagens em fazer uso cotidiano desse recurso

Acompanhar o desenvolvimento de suas campanhas estratégicas — sejam elas externas ou aplicadas internamente — é uma necessidade geral para as empresas, hoje em dia.

Quando bem aplicados, os relatórios gerenciais oferecem uma variedade ampla de benefícios. Entre eles:

  • possibilita uma avaliação mais precisa de cada métrica, indo de acordo com o desempenho individual e coletivo delas;
  • cria perspectivas e facilita a avaliação de projeções e novos insights
  • estabelece registros históricos para uma tomada de decisão cada vez mais assertiva e livre de imprevistos;
  • orienta um uso melhor de todos os recursos da organização, resultando na economia e em boas práticas conscientes para o seu crescimento;
  • qualifica toda a comunicação empresarial.

Vale destacar, no entanto, que a consistência de dados é o caminho mais eficiente para isso, tendo em vista que a estabilidade (e veracidade) nas informações levam às conclusões mais certeiras!

O impacto dos dados na decisão

Nesse contexto, o seu RH depende exclusivamente de boas ferramentas que compilem e permitam a análise estratégica de informações rapidamente e com precisão — falaremos mais disso adiante.

Só que, independentemente da campanha que você esteja planejando, os dados impactam as decisões. Mais que isso: eles norteiam toda a sua base estrutural. Do contrário, voltamos às escolhas tomadas a partir de instintos e palpites.

Convenhamos que, na sociedade fundamentada pela transformação digital, temos as condições mais que adequadas para tomar decisões em certezas.

Vamos ver, então, quais são os meios mais usados para agregar a consistência de dados nos seus relatórios?

Os meios para obter confiabilidade nos relatórios

A seguir, separamos as ações mais empregadas por empresas de todos os portes e segmentos, mas interessadas em um objetivo em comum: ter mais consistência de dados. Confira!

 

1. Faça uso de softwares de gestão

Sistemas automatizados, que ajudem a compilar, gerenciar e estabelecer as métricas desejadas, são de grande valia para o desenvolvimento de qualquer organização.

Isso porque, atualmente, essas soluções digitais monitoram e absorvem os dados desejados enquanto sua equipe se preocupa com ações mais estratégicas. Assim, de tempos em tempos, os funcionários checam as performances e podem tomar decisões ágeis e as mais corretas possíveis.

 

2. Avalie os dados de maneira combinada

Boa maneira de ter mais consistência de dados nos relatórios é o cruzamento de informações. Afinal, isso permite que os resultados sejam observados de maneira individualizada, mas também complementar. 

Um exemplo disso é a avaliação do índice de turnover da organização — que pode estar elevado, nesta situação hipotética. De maneira combinada, seus especialistas de RH também podem descobrir o que tem causado esse surto de demissões, que é tão prejudicial para a manutenção da empresa quanto para a sua imagem.

 

3. Faça escolha estratégica das métricas

Não adianta checar todas as métricas ao mesmo tempo. Sua empresa deve ter objetivos claros para que a consistência de dados tenham um epicentro a ser analisado.

Por isso, avalie, inicialmente, quais são as perspectivas de crescimento e as maiores urgências e campanhas da empresa. Como resultado disso, fica mais fácil analisar aquilo que realmente influencia na realização de campanhas positivas.

 

4. Separe os relatórios por período e assunto

De maneira complementar ao tópico anterior, cuidado para que o seu relatório não se transforme em um guia técnico e geral sobre a empresa.

Ou seja: foque em assuntos específicos, e coordenadamente. Do contrário, ninguém vai saber precisamente no que se concentrar, dificultando a retenção do foco de todos, bem como o impacto da consistência de dados apontada ao longo da apresentação.

 

5. Trabalhe constantemente o monitoramento de dados

Por fim, o seu software que automatiza processos deve estar constantemente em monitoramento de sua equipe. Como havíamos antecipado, isso agrega uma janela de tempo mais flexível para ajustes e complementar as ações.

Sem isso, existem menos consistência de dados, já que o dinamismo que as informações fluem, hoje em dia, podem tornar uma decisão obsoleta, imprecisa ou completamente equivocada em questão de minutos.

As dicas para uma boa elaboração de relatórios gerenciais

Para finalizarmos este artigo, reunimos também algumas dicas bem pontuais para você ter um relatório que tenha boa consistência de dados, mas, principalmente, todos os recursos para reter a atenção de todos. Veja só quais são:

  • um título impactante, já que isso vai ajudar a criar uma expectativa,  que, por sinal, deve ser cumprida até o final da sua apresentação. Lembre-se, também, dos aspectos técnicos, como o nome da empresa, os responsáveis pelo relatório e as datas de entrega e correspondência de dados;
  • use a contextualização para criar a atmosfera na qual o monitoramento e as campanhas foram realizados;
  • aplique os objetivos para reforçar o que vai ser visto, ao longo do relatório, e o percurso executado;
  • mostre aos interlocutores qual é o papel deles na visualização daqueles dados. Isso ajuda a ambientar melhor tudo aquilo que está sendo dito e/ou lido — e por quem;
  • tenha uniformidade na estrutura de dados. Por mais que você use diferentes elementos, como diferentes gráficos, mantenha um padrão para que isso não tire a concentração e o foco da sua apresentação;
  • tenha uma conclusão. Por mais que a consistência de dados já leve a esse resultado, a conclusão é o “dedo” de quem elaborou o documento atestando a qualidade e precisão de todos os argumentos usados.

Viu como é possível ter todo um panorama irresistível para reter a atenção dos interlocutores e realizar apresentações memoráveis, e capazes de estenderem-se à consistência de dados?

Agora, aproveite este espaço para nos contar um pouco mais a respeito das suas experiências! Quais são os desafios que você mais enfrenta, na elaboração de relatórios? Compartilhe a sua vivência conosco, no campo de comentários deste post!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.