Inscreva-se

Como ser um bom gerente de RH: descubra agora o que é preciso
Dicas

Como ser um bom gerente de RH: descubra agora o que é preciso

Para saber como ser um bom gerente, é necessário não só ter as competências próprias da função, mas também estar alinhado a um perfil profissional específico.

 

No caso do gerente de RH, estas características são ainda mais próprias: a função exige atitudes que conquistem os colaboradores, permitindo o desenvolvimento de um trabalho com maior qualidade.

Elaboramos este post com dicas imperdíveis que vão ajudá-lo a desempenhar a sua função de gerente de RH com qualidade e eficiência. Ficou curioso? Continue a leitura e descubra!

Após a leitura, recomendamos que você baixe esse eBook gratuito. Nele você aprenderá a criar um planejamento de RH estratégico! Responda o formulário e receba agora mesmo:


Liderança

Saber exercer a liderança é uma característica básica que diferencia os chefes dos líderes — e essa aptidão faz toda diferença na qualidade do relacionamento mantido com os colaboradores.

Um líder se destaca pois sabe ouvir a sua equipe, usando habilidades que lhe permitem avaliar a melhor maneira de fazer o trabalho dar certo. Além disso, os líderes têm atributos que lhe permitem prever situações com antecedência, preparando-se para possíveis imprevistos.

Qualquer função de gerenciamento exige traços fortes de liderança, já que o mercado atual está extremamente competitivo, exigindo dos profissionais coerência, respeito e desenvoltura com os seus colaboradores.

Gerenciar pessoas deve ser a principal característica de um gestor de recursos humanos e, para essa função ser bem-sucedida, o profissional necessita conquistar a confiança dos envolvidos, tendo hábitos e atitudes que se tornem exemplo para os demais.

 

Relacionamento

Corroborando e fortalecendo a capacidade de exercer liderança, outra dica que ajuda o profissional a ser um bom gerente de RH é a habilidade de manter um bom relacionamento com as pessoas.

E é essencial frisar que essa capacidade ultrapassa o cargo ou profissão, já que todo ambiente corporativo exige respeito e capacidade de relacionamento. Desta forma, é necessário respeitar sempre os colegas, colaboradores e superiores.

Além disso, esta atitude se estende aos clientes, prestadores de serviços e demais profissionais que fazem parte da sua rede de relacionamentos dentro e fora da organização.

Desta maneira, o gestor precisa reconhecer o valor dos profissionais, tendo habilidade para lidar com os mais variados perfis de personalidade, ou seja, desde pessoas de fácil relacionamento até aquelas de trato mais delicado.

 

Feedbacks

O gestor precisa ter a capacidade de saber e dar e receber feedbacks. Essa prática é extremamente importante para agregar qualidade e melhorar cada dia mais o trabalho desenvolvido pelo time.

Assim, é necessário ter habilidade e senso crítico para mostrar aos colaboradores seus erros, sugerindo possíveis formas de corrigi-lo. Além disso, também é importante saber ouvir dos seus superiores os seus feedbacks e possíveis formas de melhoria do trabalho que vem sendo desenvolvido.

A prática de feedbacks é muito comum em ambientes de trabalho e tem como objetivo uma troca positiva de informações, resultando no desenvolvimento pessoal do trabalhador e no crescimento do trabalho a ser desenvolvido.

Todavia, vale destacar que, para que isso surta efeitos, o feedback deve ser feito de forma adequada. Isso significa que as falhas devem ser apontadas com o objetivo de contribuir com o profissional e com a empresa.

Para garantir maior eficiência na prática de feedbacks, recomenda-se que ele seja dado em grupo e também de forma individual (principalmente em casos mais sérios), exemplificando para os profissionais o comportamento e os impactos que o mesmo teve para a empresa.

Além disso, é sempre bom oferecer sugestões de caminhos que podem ser seguidos para melhorar a situação.

 

Delegação de tarefas

Esta é, sem dúvidas, outra característica imprescindível para o profissional que atua na gestão de recursos humanos.

A prática de transferir a obrigação pela execução de algumas atividades permite que o gestor ganhe mais tempo para se dedicar a ações específicas e voltadas para o gerenciamento em si e para a melhora do desempenho do seu setor.

Além disso, ao delegar tarefas próprias para os colaboradores, o gerente de recursos humanos está estimulando a confiança e autonomia do seu time, mostrando-lhes que confia neles e que acredita na qualidade do serviço prestado pelos mesmos.

Além disso, delegar tarefas é uma excelente forma de realizar um troca com os profissionais da sua equipe. Isso vale para situações como aquelas nas quais os colegas oferecem sugestões pertinentes e criativas para o desenvolvimento das tarefas dentro do ambiente profissional.

O gerente de recursos humanos intransigente já não existe mais e, por isso, profissionais com este perfil estão desaparecendo das empresas, dando lugar para gerentes criativos e com habilidades de saber ouvir e dar voz para os seus colaboradores.

 

Gerenciamento do tempo

Outra característica importante para um gerente é a capacidade de gerenciar o seu tempo. Estes profissionais se caracterizam por ter muitas atividades e obrigações dentro do contexto empresarial. Desta maneira, a capacidade de gerenciar o tempo está diretamente relacionada à sua rotina.

Um gerente deve saber planejar o seu dia a fim de encaixar todas as suas obrigações diárias, sempre prevendo a possibilidade de ter que lidar com imprevistos.

No setor de recursos humanos, é muito comum surgirem demandas com prazos curtos e que devem ser resolvidas imediatamente, fazendo com que o gerente precise parar o que está fazendo para lidar com aquela atividade.

Desta maneira, a capacidade de administrar o tempo é imprescindível. Além disso, o profissional deve ter capacidade de organização, evitando distrações e elaborando diariamente um lista com prioridades, obrigações diárias e o tempo que será dedicado a cada uma destas tarefas.

 

Responsabilidades

Por fim, a última característica é também aquela que define o perfil de um bom gerente de recursos humanos: a capacidade de assumir responsabilidades. Para exercer a função de gerenciamento, é fundamental assumir as responsabilidades pelo trabalho desenvolvido pelo seu time.

Em geral o gestor tem duas opções quando se trata do trabalho realizado pelo colaborador da sua equipe: ou revisa tudo e corrige possíveis erros ou assume a responsabilidade por qualquer falha que possa acontecer.

Gerentes que não revisam atividades e culpam os funcionários para seus superiores não possuem responsabilidade com a função exercida — sem contar o quão antiética uma atitude dessas é.

Desta forma, é papel do gestor conferir ou assumir o trabalho realizado pelo time, recebendo possíveis críticas e trazendo, posteriormente para a equipe, em forma de feedback, sugerindo formas de melhorar o trabalho futuramente.

 

Entender como ser um bom gerente é essencial para construir e manter uma equipe produtivamotivada. As capacidades aqui citadas são importantes não apenas no âmbito profissional, mas também auxiliam na criação de um ambiente saudável de convivência e compartilhamento de experiências.

 

Gostou deste artigo sobre recursos humanos? Então compartilhe nas redes sociais e ajude outras pessoas a descobrirem como ser um bom gerente.

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *