Como ler meu holerite?

holerite

Quem nunca negociou um salário e depois assustou com o valor depositado? Bate aquela preocupação misturada com tristeza junto da pergunta: por que o que eu recebi é bem menor do que o verdadeiro “valor” do meu salário? Ou por que veio tão diferente do mês passado?

Isso acontece porque há muitos fatores diferentes que influenciam em como a sua remuneração total é calculada. Para entender completamente todas as partes da sua remuneração total, é importante você entender como ler o seu holerite.

Ler um holerite tem muito em comum a ler uma conta de luz: tem vários itens estranhos que parecem complicados, mas que se você não entender como funciona, podem fazer você perder dinheiro sem nem saber. Como acreditamos que todo mundo acha dinheiro algo muito importante, estamos aqui para ajudar você a entender como o seu dinheiro entra.
Aqui está um exemplo para você seguir. Se preferir, pode também pegar um dos seus.

exemplo-holerite.png

Estas são as partes de um Holerite:

  1. Identificação da Empresa e do Funcionário: Aqui você vê o nome da empresa, junto do endereço e CNPJ ou CEI. Você também vê a identificação individual de cada funcionário, junto dos códigos de registro dele nos arquivos da empresa.
  2. Código de referência de cada um dos itens que compõe a sua remuneração. A utilidade maior é para a contabilidade da empresa.
  3. Descrição: Nome de cada item que compõe a sua remuneração. Descreveremos os tipos diferentes a seguir.
  4. Referência: a quantidade sobre a qual o valor é calculado. Por exemplo, no holerite acima há 29 unidades do Salário do Mês – o que indica que este funcionário faltou dois dias no mês de Agosto de 2015 e portanto receberá salário referente a 29 dias.
  5. Vencimentos: Também chamados de Proventos, aqui é listado o dinheiro que entra na sua remuneração.
  6. Descontos: Aqui é listado o dinheiro que sai da sua remuneração, como impostos, benefícios e outros que explicaremos em detalhes.
  7. Dados bancários: Aqui vem escrito em qual conta você receberá o depósito. Avise o quanto antes ao Departamento Pessoal se houver erros!
  8. Totais: Aqui é onde você vê o total do que entrou, o total do que saiu e o total final que irá cair na sua conta.
  9. Cálculos: acompanhe aqui os resultados de cálculo dos impostos e quanto será depositado para você na conta do FGTS.
  10. Recibo: Você assina essa parte e devolve à empresa. A assinatura não é obrigatória se você recebe depósito em conta do salário.

 

Agora que entraremos em detalhes, vamos começar com as boas notícias: como o meu dinheiro entra? Segue abaixo a explicação do que significa cada Vencimento:

Salário Base: também chamado de Ordenado ou Salário Base, ele é aquele valor de salário que te contaram quando você assinou o contrato de trabalho. Ele é o valor que representa o que a empresa paga por você todo mês – justamente aquele que você negociou.

Adiantamento de Salário: caso você receba salário de 15 em 15 dias, você pode receber isso descrito em um ou dois holerites a cada mês. Quando você recebe dois holerites, o primeiro deles vem apenas descrito o adiantamento – que é a primeira metade do salário que vem no meio do mês. O segundo vem mais completo, com os valores todos descritos e com o adiantamento contando como um “desconto” já que ele já foi pago. Caso receba um holerite só, ele vem também com todos os valores descritos e com o desconto do adiantamento.

Além do Salário Base, há outras maneiras de aumentar o que entra de remuneração. Segue uma lista das mais comuns:

Comissão: muito comum em cargos de vendas, é pago de acordo com a sua performance que aumenta conforme você bate determinadas metas ou atinge outros objetivos estipulados por você e pela empresa.

Gratificações: bônus não relacionado necessariamente à performance. Caso você esteja em posição de Cargo de Confiança, vem descrito aqui os 40% adicionais relacionados à função.

Hora Extra: São horas trabalhadas além da jornada de trabalho combinada com o empregador. Você recebe por elas o valor de 50% a mais do que o valor da hora normal – ou seja, se seu salário conta como 10 reais a hora, quando você fizer hora extra, você recebe 15 reais a hora. Muitas empresas trabalham com outras modalidades como o Banco de Horas para controlar as horas extras, que neste caso são trocadas por tempo de folga ao invés de dinheiro.

Adicional Noturno: Se você trabalha das 22 às 5 da manhã, você recebe um adicional de 20% sobre o seu salário bruto. As horas trabalhadas de noite também são contadas de jeito diferente: a cada 52 minutos e 30 segundos conta como se fosse uma hora inteira, o que influencia no tamanho da jornada, horas extras, etc.

Adicional de Periculosidade: Se você trabalha em condições perigosas, como com explosivos, inflamáveis, linhas de eletricidade vivas etc há um adicional de 30% sobre o salário bruto.

Adicional de Insalubridade: Se você trabalha em ambientes que apresentam risco à saúde como com ruído, calor ou frio excessivo, agentes químicos ou biológicos, etc. pode haver um adicional de 10 a 40% baseado no valor do salário mínimo.

Descanso Semanal Remunerado (DSR) ou Repouso Semanal Remunerado (RSR): Como uma parte do seu salário bruto se refere a dias de descanso – por exemplo, fins de semana e feriados – caso haja horas extras e comissões, elas também recebem um extra referente ao fim de semana.

Existem também outros itens que são muito específicos de alguns tipos de trabalho, ou benefícios como auxílio moradia, auxílio creche, ajuda para compra de medicamentos e outros. Somando tudo isso, temos o total de vencimentos ou proventos, que é simplesmente uma soma de tudo que entrou.

Agora que entendemos quais são os itens mais comuns que descrevem o dinheiro que entra, chegou a hora de entendermos o que sai do seu dinheiro todo mês, ou seja, os descontos.

 

Os descontos obrigatórios são:

Instituto Nacional do Seguro Social (INSS): Imposto pago à Previdência para cobrir gastos do governo com programas de assistência e aposentadorias. São descontados de 8 a 11% do salário base todo mês. A taxa varia de acordo com a sua remuneração – quanto mais ganha, mais paga. O seu holerite mostra no final qual foi o valor base usado para o cálculo.

Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF): Imposto que o seu empregador é obrigado a reter e já pagar diretamente à Receita Federal. O desconto varia de zero (isento) a 27,5% da sua renda, baseado em quanto você recebe. Importante: aqui, é considerado para cálculo o valor total de vencimentos e não apenas o salário base. Ou seja, se você recebe benefícios e adicionais, eles também tem incidência de Imposto de Renda. O seu holerite mostra no final qual foi o valor base usado para o cálculo, bem como também a faixa de desconto em que você caiu.

Contribuição Sindical: Este valor é repassado ao seu sindicato, ao governo e a algumas outras iniciativas e equivale a um dia de trabalho. Ele é descontado apenas uma vez por ano – ou no mês de março, ou depois disso caso você troque de emprego.

Fora estes que têm um impacto muito grande na sua remuneração final, segue uma lista de outros itens que podem ser descontados:

Vale Transporte: Caso você opte por ir à empresa de transporte público, é feito um desconto de até 6% do salário. O desconto pode ser menor se o custo for menor que os 6%, aliás.

Faltas: Se você faltou e não justificou, será descontado o valor dos dias em que você não trabalhou. Benefícios como o Vale Transporte e Vale Alimentação podem ser descontados também devido a faltas.

Pensão Alimentícia: Existem vários métodos de pagamento de pensão e um deles é descontado diretamente na fonte quando a empresa recebe ordem do oficial de justiça. Neste caso, a empresa já faz o desconto, deixa escrito no holerite e repassa o valor para a pessoa que recebe a pensão.

Contribuição Assistencial, Confederativa ou Negocial: Ao contrário da Contribuição Sindical que é obrigatória, esta é feita à parte e é opcional. O cálculo dela varia de acordo com o sindicato que te representa. Geralmente, esta contribuição é usada para custear negociações da categoria. Alguns sindicatos oferecem também descontos e benefícios para quem paga esta contribuição que vão desde ajuda legal em caso de rescisão até desconto em cinemas, colônia de férias, consulta médica entre outros.

Vale Alimentação e Refeição: Como as empresas não são obrigadas a fornecer alimentação, cada empresa segue um padrão diferente ao oferecer este benefício. É comum descontar uma porcentagem do vale ou um valor determinado para cobrir os custos de refeitório, por exemplo.

Plano de Saúde: Aqui também não há muito padrão e varia muito de uma empresa para outra. Muitas cobram uma porcentagem, outras não cobram do titular mas cobram dependentes, e outras ainda cobram só quando você usa.

Seguro de Vida: Usado como um apoio à família do colaborador em caso de falecimento ou acidente de trabalho. Geralmente aqui cobram um valor bem baixo que é praticamente simbólico – em torno de 10 reais – ou nem cobram.

Previdência Privada: Caso a empresa tenha um plano de previdência privada, ele já é descontado aqui também. Geralmente é calculado com uma porcentagem sobre o seu salário base.

Outros: Plano de Academia de Ginástica, Auxílio a escola de idiomas, etc. são itens que também podem ser descontados em folha quando oferecidos pela empresa. Além disso, podem existir programas adicionais previstos em convenção coletiva listados aqui e que sejam mais específicos da sua profissão.

 

Quantos itens podem ser descontados, não? Por isso que o valor sai tão diferente no final! Depois de somar todos os vencimentos e tirar todos os descontos, você chega na conta de salário que realmente cai na sua conta.

Além disso tudo, há ainda mais um valor que vem descrito no holerite e que não entra nessa conta: o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Ele não é descontado do seu salário. Ele é um depósito de 8% do valor do seu salário que é feito numa conta que você só pode movimentar em caso de demissão, doença e uma série de outros motivos. Este depósito é de apenas 2% em caso de Jovem Aprendiz e estagiário não recebe o depósito.

Além de entender mais sobre o seu dinheiro, fique esperto: caso encontre algum erro, comunique imediatamente o Departamento Pessoal da empresa em que você trabalha para que eles possam deixar tudo certo.


Tem alguma dúvida quanto a ler o seu holerite? Deixe um comentário! =)

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

3 thoughts on “Como ler meu holerite?

  1. Gislaine Responder

    Boa noite,
    Gostaria de saber se quando desconta a pensão alimentícia do meu pagamento, o valor do meu adiantamento muda?
    Ex: (Assim recebo 1000,00 e o adiantamento 300,00 isso quando não descontava a pensão alimentícia). Aí desconta a pensão do pagamento e agora o adiantamento diminui para 250,00? Devido à diminuição do pagamento com desconto?

    Aguardo retorno!!

    • Carolina Garcia Responder

      Precisa saber o que esta escrito na ATA do juiz da pensão alimentícia, se lá estiver que o desconto é feito no adiantamento e pagamento, está correto. Mas se lá diz que a pensão é pra descontar no pagamento e a porcentagem está correta, então o adiantamento não está correto, pois a empresa não poderá pagar menos de 40% de vale no dia 20 de cada mês, salvo se tiver escrito na ATA do juiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *