investimentos no exterior

Como investir no exterior? Melhores opções de aplicação e retorno

Uma das alternativas para aumentar o rendimento do capital aplicado no mercado ações é aprender como investir no exterior.

Ainda é uma modalidade pouco explorada no Brasil, devido a falta de conhecimento e a insegurança.

Contudo, o que poucos investidores sabem é que fazer investimentos no exterior é tão simples quanto as nacionais e podem trazer vantagens.

Alguns dos melhores tipos de investimentos no exterior são:

  • Fundos de Investimento
  • ETFs
  • ETCs
  • CFDs
  • BDRs
  • Fundos estrangeiros com o capital protegido

Essas aplicações fora do Brasil são excelentes opções de investimento e oferecem possibilidades infinitas de rentabilidade e retorno sobre investimento.

Mas lembre-se, dentro ou fora do país, aplicações em títulos e ações exigem muito estudo.

Por isso, preparamos esse post com explicações detalhadas de Como investir no exterior. E assim, te ajudar a otimizar ainda mais o rendimento do capital da sua empresa. Confira!

Como investir no exterior?

Quem está por dentro do mercado de ações sabe que a diversificação de aplicações é uma jogada estratégica para reduzir riscos. E os investimentos no exterior são uma alternativa.

Aplicações fora do país são indicadas para quem já possui uma reserva de emergência em títulos de baixo risco, alta liquidez e querem aproveitar a boa fase dos mercados internacionais.

Assim como acontece com os fundos aplicados em ativos brasileiros, os investimentos no exterior também possuem opções com:

  • renda fixa ou variável;
  • valor mínimo de aplicação;
  • tributação;
  • taxas, dentre outros.

Leia também: Qual é o melhor investimento de curto prazo?

Quais são as melhores opções de investimento no exterior?

Para te ajudar a visualizar melhor esse cenário, vamos apresentar a seguir alguns dos melhores formas de como investir fora do Brasil.

#1 Fundos de Investimento

Os fundos de investimento são uma das alternativas mais simples de aplicar no exterior, sem precisar enviar o capital para fora do país.

Isso porque os fundos destinados aos investidores de varejo podem reservar até 20% do capital para ativos internacionais, desde que previstos na política de investimento.

Já os fundos comuns destinados a investidores qualificados – que tenham aplicações de pelo menos 1 milhão de reais – podem reservar até 40% do capital.

Existem ainda carteiras para esse público, que permitem 100% do patrimônio aplicado em investimentos no exterior.

A principal vantagem dos fundos de investimento são a simplicidade, já que adotam a mesma sistemática geral já conhecida no Brasil.

#2 Exchange Traded Funds (ETFs)

Os Exchange Traded Funds ou ETFs são fundos negociados em Bolsa de Valores que podem ser constituídos por:

  • ações;
  • REITs;
  • títulos de renda fixa;
  • commodities;
  • contratos de swap, dentre outros.

Eles são opções de investimento diversificado com baixo custo.

Na prática, eles permitem que o investidor acesse mercados amplos, sem a necessidade de comprar ativos individualmente.

Ou seja, aplique em diversas empresas com um único investimento diversificado, assim como os fundos de índices do mercado de ações brasileiro.

#3 Exchange Traded Commodities (ETCs)

Os Exchanged Traded Commodities ou ETCs são opções de investimento no exterior bem parecidas com o ETFs, mas se diferenciam por investir em commodities, que são:

  • metais preciosos;
  • fontes de energia natural;
  • produtos agrícolas e agropecuários.

Eles são muito interessantes porque são portas de entrada para investidores individuais em mercados mais exclusivos e de difícil acesso, como:

  • ouro;
  • petróleo;
  • pecuária;
  • gás natural, dentre outros.

#4 Contracts For Difference (CFDs)

Outro meio de como investir no exterior é o CFDs, traduzido para o português, eles são Contratos por Diferença, ou seja, ferramentas financeiras que negociam a diferença de valores entre o momento de compra e o de venda.

O ativo em si não é comprado, já que ele pode ser uma commodity, um índice, uma ação, entre outros.

Portanto, ao investir em um Contrato, o comprador não adquire um ativo, ele aplica no direito à diferença monetária entre os valores de compra e venda.

Para quem está comprando, as projeções são positivas porque as chances de obtenção de lucros aumentam.

Contudo, é importante ser cauteloso ao apostar neste tipo de investimento. Assim como os ganhos são significativos, o prejuízo também pode ser.

#5 Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Os Brazilian Depositary Receipts ou BDRs são uma alternativa de Como investir no exterior, em ativos da Bolsa de Valores norte-americana, oferecidas para investidores com mais de 1 milhão de reais aplicados.

Considerando que as negociações são feitas integralmente no Brasil, os BDRs permitem que o investidor aplique em ativos internacionais, fique exposto a uma economia mais forte, mas ainda garanta o resguardo da Bolsa de Valores brasileira. 

Com elas, você pode acessar empresas globais como a Apple, Google, Ebay, HP, entre outras.

#6 Fundos Estrangeiros com Capital Protegido

Um dos tipos de investimentos no exterior que vem ganhando cada vez mais popularidade no Brasil são os Fundo Estrangeiros com Capital Protegido.

Esse tipo de aplicação exige um investimento inicial relativamente baixo e caso exista uma desvalorização do fundo, há garantia de pelo menos o capital investido sem correções.

Os fundo investem parte do capital em recursos internacionais, parte em títulos de dívida pública brasileira e parte em swap de dólar, para proteger a aplicação contra a flutuação da moeda estrangeira.

Como investir no exterior: primeiros passos

Para te ajudar a dar os primeiros passos de como investir fora do Brasil, separamos algumas dicas iniciais. Confira!

Abrir uma conta

Ter uma conta de investimentos é um dos primeiros passos para começar a aplicar em investimentos no exterior.

É fundamental que a instituição financeira ou corretora seja compatível com o seu perfil de investidor, assim a capitalização, liquidez e qualidade dos ativos estarão em conformidade com os seus objetivos.

Leia também: Qual a melhor corretora de investimentos? Porque investir e como escolher

Vale lembrar que muitas corretoras brasileiras não exigem a abertura de uma conta fora do país para investimentos no exterior, permitindo que a mesma conta usada em investimentos nacionais seja usada para essas intermediações.

Procurar um especialista

Aprender como investir no exterior exige conhecimento profundo e experiência, por isso buscar a orientação de um especialista credenciado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) é essencial.

Com expertise sobre os riscos de cada tipo de investimento, ele poderá direcionar a aplicação do seu capital com mais qualidade e retorno.

Definir o montante de investimento

Cada instituição financeira oferece um pacote com oportunidades específicas e preços variados para o investidor realizar aplicações internacionais.

Por isso, o auxílio de um profissional especialista se torna ainda mais necessário para guiar o rendimento do seu capital em investimentos no exterior.

Aumentar a rentabilidade do capital aplicado no mercado de ações pode ser mais interessante com investimentos no exterior.

Além de diversificar a sua carteira de investimento, a empresa ganha novas possibilidades de capitalização.

Apesar de ainda ser pouco explorado por investidores brasileiros, essas opções de como investir no exterior podem trazer resultados positivos para as metas da sua empresa.

E aí, você já sabe como investir no exterior?

Qual a melhor opção de investimento no exterior para a sua empresa? Conta pra gente aqui nos comentários!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.