O salário líquido é o valor final que o colaborador tem o direito a receber ao fim de cada mês. E para calcular salário líquido são realizados todos os descontos previstos em lei como INSS, IRRF e etc. Além de acréscimos como horas extras e adicionais noturnos.

Portanto, o salário que é negociado na entrevista é o salário bruto, sem descontos, diferente, porém, do valor real a ser pago todos os meses.

E essa rotina na empresa, de calcular salário líquido, é fundamental no cumprimento de obrigações fiscais, operacionais e contábeis.

E calcular salário líquido é um processo que envolve burocracias – cálculos de pagamentos de salário, benefícios e descontos. Dessa forma, estar atento a esse processo pode evitar problemas com a justiça trabalhista.

Para sua empresa calcular salário líquido corretamente montamos um passo a passo com exemplos práticos desse processo. Confira!

 

Salário líquido x Salário Bruto

Para saber como calcular salário líquido é essencial conhecer a diferença entre ele e o salário bruto.

Isso facilita na hora de realizar os cálculos obrigatórios e principalmente para sinalizar o valor que o colaborador tem direito ao fim de cada mês. Que no caso é diferente do acordado na entrevista de emprego.

 

O que é salário bruto

O salário bruto é o valor descrito em carteira, é o montante negociado pela empresa e colaborador ao fechar o contrato. Lembra aquele salário proposto na vaga? Esse é o chamado valor bruto sem nenhum desconto ou acréscimo salarial.

 

O que é salário líquido

O salário líquido é o valor que o colaborador recebe ao fim do mês com seus devidos descontos e acréscimos previstos em lei.

Esse, de fato, é o montante real que o profissional receberá. Por exemplo, se na carteira seu salário é de R$ 4 mil e você recebe ao fim do mês R$ 3500, os R$ 500 a menos são devido aos descontos efetuados sobre o salário bruto.

 

Quais os descontos para calcular salário líquido

Calcular salário líquido requer atenção por parte do departamento pessoal, principalmente se sua empresa possuir um grande número de colaboradores. Quanto mais profissionais mais complexo será o trabalho, já que cada salário tem seus devidos descontos.

Mas quais são os principais descontos para calcular salário líquido? Confira alguns deles:

  • INSS;
  • IRRF;
  • Vale-transporte;
  • Atrasos e faltas;
  • Benefícios (VR, assistência médica e odontológica);
  • Adiantamentos;
  • Contribuição sindical.

Esses são alguns dos descontos mais comuns para calcular salário líquido dos seus colaboradores e que são descritos no holerite do colaborador.

 

Quais os extras para calcular salário líquido

Se o cálculo de salário líquido conta com inúmeros descontos previstos nas leis trabalhistas, previdenciária e federal, alguns extras também fazem parte dessa conta. Conheça alguns desses acréscimos que podem fazer parte do pagamento.

No cálculo de salário líquido esses “extras” fazem parte dos chamados proventos, que é onde também entra o salário bruto do colaborador.

 

Dicas práticas para calcular salário líquido

Tendo como base quais são os principais descontos e acréscimos da folha de pagamento fica mais fácil para calcular salário líquido. Vamos agora para exemplos práticos sobre como fazer a conta.

 

Desconto do INSS

A contribuição mensal do INSS visa sua futura aposentadoria ou benefícios previdenciários como auxílio-doença e salário-maternidade, por exemplo. Seguindo a tabela de contribuição mensal temos o seguinte cenário de desconto:

  • Até 1.693,72 – desconto de 8%;
  • De 1.693,73 até 2.822,90 – desconto de 9%;
  • De 2.822,91 até 5.645,80 – desconto de 11%.

Imaginando um cenário de um colaborador que ganha R$ 3000,00 por mês, o desconto seria de 11%. Ou seja, ele teria um desconto de R$ 330,00 no INSS para calcular o salário líquido final.

 

Desconto do IRRF

Outro desconto obrigatório é o do Imposto de Renda Retido na Fonte e que também faz parte do processo para calcular salário líquido.

Para realizar esse cálculo é necessário tomar como base a tabela do IR vigente. Depois realizar o desconto após as deduções do INSS.

  • De 1.903,99 até 2.826,65 – 7,5% – R$ 142,80;
  • De 2.826,66 até 3.751,05 – 15% – R$ 354,80;
  • De 3.751,06 até 4.664,68 – 22,5% – R$ 636,13;
  • Acima de 4.664,68 – 27,5 % – R$ 869,36.

Sendo assim, vamos continuar usando o exemplo do colaborador que ganha R$ 3 mil. Após o desconto do INSS, o valor ficou em R$ 2670,00, pegando esse valor como base vamos calcular o IRRF.

O valor de R$ 2670 entra na faixa de desconto de 7,5% (R$ 142,80). R$ 2670 – R$ 142,80 = R$ 2527, 20.

Se não houvesse mais nenhum desconto ou acréscimo referente a esse colaborador, ele receberia um salário líquido de R$ 2527, 20. Se houvessem dependentes do colaborador haveria mais um desconto de R$ 189,59.

 

Desconto do VT

Se o colaborador optou por um desconto de vale-transporte, esse valor também servirá como base para calcular o salário líquido. Lembrando que no caso do VT o desconto será de no máximo 6% sobre o salário do colaborador. Valores excedentes são assumidos pela empresa.

Caso o profissional gaste uma viagem de metrô para ir ao trabalho e outra para voltar para casa ele gastaria R$ 8 diariamente. Em 22 dias úteis o valor a ser gasto com transporte seria de R$ 176. Como esse valor é menor do que os 6% (R$ 180), considera-se ele.

Nesse cenário o salário líquido dele seria:

Salário bruto – R$ 3000,00;

Desconto do INSS – R$ 3000,00 – R$ 330,00 = R$ R$ 2670,00;

Desconto do IRRF – R$ 2670 – R$ 142,80 = R$ 2527,20;

Desconto do VT = R$ 2527, 20 – 176 = R$ 2351,20;

Salário líquido = R$ 2351,20.

 

Cálculo das horas extras

As horas extras também devem constar no processo para se calcular salário líquido. E para realizar o cálculo corretamente é necessário saber o valor pago por hora para o colaborador.

São acrescidos então 50% a esse valor, referente ao percentual legal. Para calcular salário líquido com horas extras se faz a seguinte conta:

Salário bruto – R$ 3000,00;

Horas trabalhadas no mês: 176h (22 dias úteis);

Valor da hora: R$ 3000/176 = R$ 17,04;

Adicional da hora extra = 17,04 x 50% = R$ 8,52;

Valor da hora extra: R$ 8,52 + R$ 17,04 = R$ 25,56.

Ao descobrir o valor da hora extra multiplica-se pelo número de horas a mais trabalhadas no mês. Com esse valor em mãos é só somar ao salário bruto. Levando em conta um colaborador que trabalhou 5h a mais no mês, ele receberá R$ 127,80.

 

Cálculo do adicional noturno

Todo colaborador que trabalha entre 22h e 5h da manhã seguinte tem direito ao chamado adicional noturno, previsto pelo artigo 73 da lei da CLT. E para calcular salário líquido esse valor também precisa ser acrescido a folha de pagamento.

O valor do adicional noturno é de 20% sobre a hora trabalhada. Nesse caso para calcular salário líquido com o adicional noturno faremos a seguinte conta:

Valor do salário: R$ 3000,00;

Valor da hora trabalhada: R$ 3000,00/176 (horas trabalhadas no mês) = R$ 17,04;

Valor do adicional Noturno: 20% de R$ 17,04 = R$ 3,40;

Total do adicional noturno: R$ 17,04 + R$ 3,40 = R$ 20,44.

Ou seja, se o profissional trabalhou 20 horas no período noturno ao longo do mês ele terá um acréscimo no seu salário bruto de R$ 408,80. Com descontos de INSS (R$ 374,97) e IRRF (R$ 100,27) o salário líquido desse profissional seria de R$ 2.933,56.

 

Cálculo do adicional de periculosidade

Trabalhos que oferecem risco a saúde do profissional, como por exemplo técnicos de raio-x, escolta armada e etc., tem direito ao chamado adicional de periculosidade. E esse valor consta no processo para se calcular salário líquido.

São acrescidos 30% sobre o salário bruto do colaborador. Ou seja, se o salário dele é R$ 3000,00 ele terá direito a receber R$ 900,00 a mais, totalizando R$ 3900,00.

Se levarmos em conta apenas os descontos do INSS (R$ 429,00) e IRRF (R$ 165,85) o salário líquido desse colaborador seria de R$ 3.305,15

 

O cálculo do salário líquido na rotina das empresas

Agora que demos exemplos práticos sobre como calcular salário líquido fica mais fácil fazer as devidas considerações sobre descontos e acréscimos.

Sendo assim, se evita processos trabalhista, multas e indenizações por pagamento e descontos equivocados.

Apesar das dicas, é essencial para calcular salário líquido que a empresa tenha profissionais que conheçam a lei da CLT e que tenham noção sobre contabilidade.

Maximizar o processo com softwares de gestão, que desburocratizam essa rotina também é uma alternativa. Quanto menos o processo for manual, menores serão as chances de erros devido aos inúmeros detalhes contidos nos cálculos trabalhistas.

Saber fazer as somas e subtrações obrigatórias é essencial para calcular salário líquido corretamente.

 

Quer saber mais sobre o tema ou sobre algum outro desconto para calcular salário líquido? Deixe um comentário no nosso post.