A percepção coletiva que os colaboradores têm sobre o local de trabalho impacta — positiva ou negativamente — a rotina. Por isso, é fundamental aprender a identificar e como erradicar o clima organizacional ruim. Algumas dicas para isso:

  • pesquisa de clima organizacional;
  • comunicação transparente;
  • disseminação dos pilares institucionais da empresa;
  • adoção de uma política de feedbacks;
  • promoção da qualidade de vida no trabalho.

 

Um clima organizacional ruim é péssimo para o desenvolvimento da empresa e, principalmente, para o bem-estar dos colaboradores.

O pior é que esse tipo de situação tem origem de diversas fontes, exigindo ampla atenção do setor de RH e da liderança de cada equipe para que o ambiente de trabalho não seja contaminado.

Quer ver, então, como garantir uma rotina corporativa livre da toxicidade de um clima organizacional ruim? Neste post, nós explicamos tudo para você, confira!

 

O que é o clima organizacional nas organizações?

Comecemos pelo básico: o clima organizacional é um conceito, a percepção coletiva que o seu quadro de funcionários tem a respeito da empresa.

Não à toa, destacamos acima que as fontes de um clima organizacional ruim podem vir de todas as direções e situações, de um probleminha isolado a um desconforto crônico.

E sabe por que isso pode afetar a empresa em geral? Porque afeta o bem-estar, a qualidade de vida e o engajamento dos colaboradores. E eles são, sem dúvidas, o termômetro da cultura nutrida internamente.

Sem falar que os seus recursos humanos têm o poder de contagiar os outros. Uma insatisfação mal resolvida ou negligenciada respinga no outro e em mais pessoas, e assim por diante.

Quando o gestor ou o RH se dá conta, o clima organizacional ruim deixou de ser a exceção e virou a constante no dia a dia corporativo.

 

O que pode gerar um clima organizacional ruim?

Imagine que você realize um check-up com o médico de sua confiança, ele peça alguns exames e você esqueça de realizá-los, seja pela pressa cotidiana ou desinteresse.

Agora, você volta ao mesmo médico após um ano e se surpreende que um probleminha ignorado, na sua última visita, evoluiu e você tem um problemão pela frente.

É exatamente isso o que acontecer quando um clima organizacional ruim deixa de ser uma preocupação para os regentes do bem-estar e da motivação dos seus funcionários.

Que tal, então, entendermos os principais motivos que geram e desenvolvem essa situação insustentável e altamente prejudicial para todos os envolvidos?

 

Ausência ou descaso com a própria cultura organizacional

O bom e velho “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Se a própria empresa não segue os pilares institucionais lapidados no seu DNA, por que os colaboradores o fariam?

Esse tipo de postura se deteriora ainda mais, internamente, quando não há um critério estabelecido para o processo de seleção e recrutamento.

Quanto mais pessoas contratadas não encaixam com o perfil da empresa, mais fácil será a disseminação de um clima organizacional ruim.

 

Má gestão

Gestores também carregam uma grande responsabilidade, por trás das suas tarefas diárias: sustentar o moral da equipe.

Quando esse caminho é desvirtuado — privilegiando um colaborador, apenas, na equipe ou mesmo por meio de atitudes arrogantes ou comportamentos egoístas —, o ambiente tóxico é lentamente estabelecido no cotidiano.

 

Falta de respeito

Problema que pode surgir tanto da gestão, como citado acima, mas também nos corredores da empresa. Bullying, assédio moral ou sexual… Situações que criam um mal-estar nas pessoas.

Como resultado, o clima organizacional ruim passa a crescer — silenciosa ou ruidosamente — e a contaminar mais pessoas, até que pareça fugir ao controle do RH e dos líderes.

 

Falta de uma comunicação interna

A comunicação gerada — e gerida — pela empresa é responsável pelo direcionamento dos rumos da organização.

Quanto mais ela inclui e engaja a participação (e o conhecimento) dos colaboradores, mais eles tendem a assumir os desafios propostos.

Do contrário, fica aquela sensação de que todos estão em um “barco sem rumo”, sendo guiados às cegas por mares inexplorados.

E, afinal de contas, estamos falando das perspectivas e objetivos de muitas pessoas. O que pode causar uma debandada geral, consequentemente.

 

Metas inatingíveis e pressão por resultados

Empresas que criam metas abusivas e vivem pressionando os colaboradores por mais resultados, mais lucros e performances melhores — sem oferecer nada em retorno — estão, na verdade, alimentando um clima organizacional ruim.

É importante equilibrar as expectativas com os resultados, e agregar estímulos para manter os colaboradores motivados a crescerem cada vez mais. Isso costuma acontecer com:

Além, é claro, das devidas condições para que os profissionais exerçam as suas atividades com o nível de excelência esperado.

 

Baixa perspectiva de crescimento

Por fim, colaboradores que não enxergam um futuro na empresa não são motivados a darem o melhor de si. Afinal de contas, o que os espera, após uma série de conquistas?

É importante buscar o crescimento gradual da organização, mas é fundamental que esse planejamento considere, de maneira equilibrada, o desenvolvimento dos seus próprios recursos humanos. Algo que gera a retenção de talentos e também a atração de novos profissionais interessados na maneira com a qual a empresa cuida dos seus.

 

Como reverter o cenário e praticar o bem-estar coletivo?

Agora que já vimos algumas das principais situações que culminam em um clima organizacional ruim, vamos nos aprofundar nas soluções para esses problemas. São elas:

 

Pesquisa de clima organizacional

Boa maneira para ouvir os colaboradores, entender as suas necessidades, frustrações e objetivos.

Assim, o RH e os líderes da empresa conseguem manter o planejamento de crescimento interno, e sempre lado a lado com os seus funcionários.

 

Comunicação transparente

Objetividade e transparência são essenciais para agregar um engajamento coletivo. É importante compartilhar, com os colaboradores, os objetivos da empresa, as metas e os motivos pelos quais algumas decisões são tomadas.

Fica fácil, dessa maneira, aproximar-se dos funcionários para entendê-los, assim como eles vão gerar mais empatia pela organização onde trabalham. Todos focados, e na mesma direção.

 

Siga os seus pilares institucionais

Qual é o DNA da sua empresa? Entenda isso, exercite isso e dissemine essa identidade e os seus respectivos valores diariamente — e de maneira ininterrupta. Isso significa:

  • buscar um perfil alinhado aos valores da organização;
  • ter uma comunicação — interna e externa — com identidade, que faça as pessoas reconhecerem a sua marca;
  • inspirar os outros a serem, também, um exemplo dessas mesmas qualidades.

Com o tempo, a cultura da empresa é fortalecida e o clima organizacional ruim é gradativamente dissolvido no dia a dia.

 

Adote uma política de feedbacks

Avaliações e feedbacks são essenciais para garantir que os profissionais entendam o que a empresa espera deles. E, principalmente, que saibam como alcançar essa expectativa.

Portanto, não espere pelas avaliações para orientar, inspirar e trabalhar em equipe: seja o epicentro da mudança diariamente. A empresa cresce com isso, e junto com os colaboradores.

 

Promova a qualidade de vida no trabalho

Por fim, invista em qualidade de vida. Avalie quais medidas têm tudo a ver com o perfil da empresa — e dos seus funcionários — para que ir ao trabalho seja uma atividade prazerosa, e não estressante, cansativa e desgostosa.

 

Quer saber, agora, como erradicar  o clima organizacional ruim e praticar algumas — e muitas outras — ideias para promover um ambiente de trabalho enriquecedor na sua empresa? É só curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn para saber em primeira mão todas as nossas dicas e novidades!