´
Circuit breaker

Circuit breaker: uma paralisação que protege o seu dinheiro

Toda Bolsa de Valores (BV) possui mecanismos inteligentes que protegem os investimentos dos acionistas e a segurança do próprio mercado de ações. Quem investe há algum tempo e está familiarizado com a linguagem do mercado financeiro, já deve ter ouvido falar de algumas dessas ferramentas estratégicas

No entanto, não basta saber que elas existem, é fundamental entender como funcionam e impactam no seu capital. Para te ajudar nesse desafio, vamos explorar uma das mais interessantes, o circuit breaker.

Circuit breaker é um mecanismo de segurança que age contra a volatilidade expressiva no preço das ações. Em outras palavras, ele protege os investidores em situações de vendas excessivas, ocasionando quedas bruscas nos preços dos ativos negociados.

Se você quiser saber mais sobre a rentabilidade do mercado de ações, recomendamos a leitura deste artigo aqui.

Agora, para conhecer o circuit breaker a fundo, continue acompanhando o post. Separamos todos o detalhes do seu funcionamento e os seus impactos no mercado financeiro. Boa leitura!

Afinal, o que é Circuit Breaker?

Assim como dissemos, circuit breaker é um mecanismo de segurança utilizado para interromper todas as operações da Bolsa de Valores do Brasil, a B3. Ele é acionado nos momentos em que as ações negociadas sofrem quedas atípicas e relevantes nos seus preços.

Desta forma, é esperado que ocorra um balanceamento entre as ordens de compra e a venda de ativos, amenizando seu funcionamento natural e evitando uma nova queda, ainda mais brusca e perigosa.

Além disso, essa paralisação permite que os acionistas ganhem um tempo extra para se planejar e estruturar novas estratégias de investimento, diante de um momento de estresse do mercado.

Em uma lógica simples, imagine escolher a melhor alternativa de investimento para o seu objetivo e, sem avisos, um escândalo, como a recente pandemia do novo coronavírus (COVID-19), acabe rapidamente com toda aplicação que você fez. O circuit breaker entra em ação para proteger a volatilidade criada, e a sua interrupção temporária permite que você reorganize seu planejamento e proteja o seu capital.

Vale ressaltar que quanto mais você estudar e entender a dinâmica do mercado, mais fácil será investir na Bolsa de Valores e aumentar suas chances de conseguir bons resultados. .

Como funciona o circuit breaker?

O circuit breaker funciona de maneira muito simples, suas regras estão atreladas ao  percentual de queda do Ibovespa, o principal indicador da Bolsa de Valores do Brasil, o Bovespa. 

Ou seja, quando o declínio dos preços atinge ou supera um determinado patamar, a paralisação é iniciada e sustentada por um tempo pré-estabelecido. Entenda suas regras de aplicação a seguir.

Estágio I do circuit breaker

Quando o Ibovespa apresenta queda de 10% sobre o valor de fechamento do dia anterior, o primeiro circuit breaker acontece. 

Ao ser acionado, todas as negociações da Bolsa de Valores são interrompidas por 30 minutos. Durante esse período, ninguém pode comprar ou vender ações na Bolsa.

Estágio II do circuit breaker

Cumprido os primeiros 30 minutos de paralisação, a Bolsa de Valores volta a permitir negociações e espera que o seu funcionamento seja reequilibrado. Caso o Ibovespa continue em queda e atinja um percentual de 15% de desvalorização, um segundo circuit breaker acontece.

Nesta segunda paralisação, as negociações ficam interrompidas por mais 1 hora.

Estágio III do circuit breaker

A terceira e última regra do circuit breaker é o estágio III. Após a segunda interrupção, as negociações já contam com tempo de parada de 1h30min, e um novo equilíbrio é buscado pela BV, que reativa o seu funcionamento.

No entanto, se ainda assim, o Ibovespa permanecer em declínio e chegar a 20%, a B3 volta a suspender as negociações novamente. Desta vez, ela deve definir um novo prazo para reabertura do mercado, que é indeterminado.

Essas três regras valem para todas as operações da Bolsa de Valores, com exceção de apenas duas aplicações:

  1. As regras não são aplicadas nos últimos 30 minutos de funcionamento do pregão da Bovespa.
  2. Caso o circuit breaker ocorra nos últimos 60 minutos de funcionamento do pregão, na sua reabertura, no dia seguinte, os 30 primeiros minutos também deverão ser paralisados.

Qual o histórico do circuit breaker na BV do Brasil?

Para você entender um pouco mais sobre o circuit breaker, confira um resumo do seu histórico no país. Foram registrados paralisações em 6 crises econômicas, uma delas agora em 2020. Veja a seguir.

1997

Em outubro de 1997, a Bolsa de Valores de Hong Kong registrou uma queda brusca de 10,4% no preço de suas ações, derrubando outras BV em todo mundo. Países como a Tailândia, Malásia, Filipinas e a Coreia do Sul foram as principais afetadas na Ásia.

A Bovespa sentiu os efeitos dessa crise de forma bastante expressiva, precisando ativar o circuit breaker três vezes. As paralisações ocorreram nos dias 27 de outubro, e 07 e 12 de novembro.

1998

Em setembro de 1998, a Rússia passava por problemas sérios e enfrentava as consequências da gigante crise asiática do ano anterior. O país chegou a declarar sua incapacidade de quitar dívidas internas e externas.

Com isso, a BV do Brasil registrou perda de US$30 bilhões. A volatilidade foi tão alta que 5 paralisações foram necessárias para tentar controlar o mercado. Os circuit breakers ocorreram nos dias 21 de agosto, 04, 10 (2 vezes) e 17 de setembro.

1999

O Banco Central do Brasil, em janeiro de 1999, foi forçado a desvalorizar o real. A sucessão de crises internacionais no período pós-Plano Real parece ter sido crucial para o momento da ocorrência do ataque especulativo, que se iniciou no segundo semestre de 1998.

Na tentativa de controlar essa oscilação econômica, a Bovespa interrompeu suas atividades duas vezes. O estágio I do circuit breaker foi acionado nos dias 13 e 14 de janeiro.

2008

Em setembro de 2008, o BV do Brasil sentia os efeitos de uma das maiores crises econômicas da história. Os EUA (Estados Unidos da América) passava por uma situação de falência interna, levando a economia mundial ao colapso.

Como a economia brasileira está diretamente ligada a norte-americana, os efeitos foram sentidos brutalmente. 6 paralisações foram necessárias para tentar corrigir a volatilidade nos preços das ações. Os circuit breakers ocorreram nos dias 29 de setembro, 6 de outubro (2 vezes), 10, 15 e 22 de outubro.

2017

Mais recentemente, em maio de 2017, o mercado brasileiro sofreu os impactos da delação premiada do proprietária da JBS, Joesley Batista, no caso da Lava Jato. Grandes figuras políticas do país, inclusive o então presidente da república, Michel Temer, foram envolvidos, trazendo consequências drásticas para as ações na Bovespa.

Com isso, o circuit breaker foi acionado 17 vezes no dia 18 de maio, reagindo a fortes turbulências causadas pelo cenário internacional e pelas decisões políticas brasileiras.

2020

Com a chegada do novo coronavírus (COVID-19), a Bovespa, assim como a economia em todo planeta, sofreu consequências brutais. A seguir vamos explorar essa paralisação detalhadamente.

Como foi o último circuit breaker no Brasil?

Mal chegamos a metade do ano e já nos igualamos a marca de 2008, com 6 circuit breakers. Todas as paralisações ocorreram no mês de março, nos dias 9, 11, 12 (duas vezes), 16 e 18.

O novo coronavírus já havia impactado a BV em diversos outro país desde o começo do ano, e com a sua disseminação, o Brasil não ficou ileso.

Para intensificar a situação de instabilidade, a economia ainda sentia os efeitos da queda no preço do petróleo, devido a um desacordo entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia, para tentar cortar a produção da commodity. 

A Arábia Saudita, uma das maiores produtoras de petróleo do mundo, anunciou a redução nos preços da matéria-prima a o aumento da sua produção. Com isso, a oscilação passava dos 30%, afetando mercados em todo planeta, assim como a Bovespa, que acionou a primeira paralisação. 

Muitos investidores ficaram extremamente preocupados, já que ações de diversas empresas brasileiras seriam impactadas, inclusive as da Petrobras (PETR4).

No dia seguinte, 10 de março, o circuit breaker foi novamente ativado. A OMS (Organização Mundial da Saúde) anunciou que a situação da doença seria pandêmica. Consequemente, o mercado foi desestruturado.

Diversos outras questões políticas internas e externas levaram a intensificação da oscilação da Bovespa. A suspensão de viagens européias pelos EUA, a derrubada do veto do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, sobre o projeto que amplia o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), divulgação de dados sobre a economia chinesa em queda, corte na taxa de juros dos EUA (de 1,25% para 0,25%), dentre outros, são alguns exemplos.

Por que a oscilação na BV é um problema?

Como vimos até aqui, o circuit breaker é um mecanismo acionado para proteger o mercado da volatilidade, em momentos de oscilações inesperadas e repentinas. Isso não quer dizer, necessariamente, que seja um problema para o seu investimento.

Como cada caso é um caso, é difícil afirmar o impacto que essa paralisação terá no seu capital investido. No entanto, tendo em vista o seu perfil no mercado financeiro é possível traçar possibilidades mais concretas.

Há, basicamente, dois tipos de perfis: o trader e o investidor. Entenda suas particularidades a seguir.

Trader

Trader é um tipo de player que aproveita as oscilações dos preços para ganhar dinheiro. Ou seja, o sobe e desce da BV é um otimizador de resultados.

Sua visão é a curto prazo e o seu perfil é mais capacitado para lidar com os ruídos de mercado. Assim, nos momentos de muita instabilidade, como crises econômicas, ele sabe tirar o melhor proveito do capital. Justamente por isso, é indispensável que ele tenha um stop de risco.

A queda do mercado apenas se intensificou com a pandemia do novo coronavírus e o desentendimento dos provedores de petróleo, ele já vinha em declínio há algum tempo. Assim, os poucos stops disponíveis já estão comprometidos. 

Como eles são fundamentais para limitar a perda de dinheiro, o trader deve se disciplinar para conseguir um a qualquer custo.

Investidor

Investidor é um player que aposta em ações, ou seja, no crescimento de empresas e na sua valorização a longo prazo.

Ele lida com o jogo do valor, buscando encontrar um “preço justo” de comercialização, compra e venda, de aplicações. Por isso, o investidor está sempre preocupado com suas estimativas.

A oscilação na BV pode significar uma oportunidade. Isso porque, com os preços em baixa, está cada vez melhor para o investidor ingressar no mercado e apostar em novas estratégias.

Em caso de perdas significativas, o investidor deve avaliar todo cenário macro e realizar ajustes para minimizar o prejuízo. 

Desta forma, com as circuit breakers acontecendo no Bovespa este ano, o trader deve buscar um stop de risco para garantir sua segurança e o investidor deve explorar sua inteligência financeira e encarar essa movimentação como uma oportunidade para aprender, melhorar suas jogadas e otimizar seu rendimento.

A economia voltará a subir?

Mesmo que a economia esteja em baixa e, provavelmente, se mantenha em queda ou estagnada por algum tempo, ela voltará a subir, exatamente como aconteceu nas últimas 5 crises.

O circuit breaker é um mecanismo de segurança que pode proteger diversos tipos de investimento e evita que os efeitos de um acontecimento inesperado prejudique o próprio funcionamento do mercado de ações.

Com essa noção básica da paralisação da BV explicada neste artigo, fica mais fácil de entender o que acontece com o seu capital investido e o porquê ele valorizou ou não. E desta forma, você domina um pouco mais sobre o mercado financeiro e se prepara para investimento ainda mais interessantes no futuro.  

 

Gostou do artigo? Então, assine a nossa newsletter e tenha acesso em primeira mão a conteúdos especialistas como esse! Sua capacitação é o nosso principal motivador!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.