Carreira em W: como implementar esse modelo de plano de carreira?

carreira em w

Um dos pilares motivacionais de qualquer organização é a elaboração de um plano de carreira. Por meio dele, os profissionais entendem os caminhos (e os meios) para atingir seus objetivos.

Acontece que existem diversas maneiras em fazer isso — tanto da parte do empregado quanto do RH da empresa. E é sobre os meios que gostaríamos de falar ao longo deste artigo a partir do conceito de carreira em W.

Caso não tenha ouvido falar ainda na carreira em W, não há problema. A seguir, vamos explorar tudo a respeito desde a sua cronologia (expondo a carreira em Y — técnica em voga até então) às suas vantagens e como aplicá-la na sua empresa. Confira!

 

A hierarquização das empresas

Satisfazer os colaboradores é uma atividade inerente à gestão de pessoas. Trata-se da necessidade em gerar boas condições de trabalho à medida que desenvolve os seus talentos.

Para tanto, até então pensava-se nesse modelo de desenvolvimento individual e coletivo a partir da carreira em Y.

 

A carreira em Y

Seu uso remete ao formato da letra, em que era prevista a hierarquia vertical de poder. Isso significa que antes da carreira em W tínhamos esse formato específico de:

  • auxiliar;
  • assistente;
  • analista;
  • gestor.

E assim por diante, visando sempre um modelo vertical de crescimento. Só que o mercado mudou, e isso não é mais segredo para ninguém.

Não podemos mais nos pautar por modelos engessados e, tampouco, rígidos em um só esquema de crescimento. Daí a chegada da carreira em W.

 

A carreira em W

Diferentemente do modelo anterior, a carreira em W foi uma resposta rápida dos especialistas de mercado para adequar o crescimento gradual dos colaboradores em um contexto atual.

Para tanto, o modelo foi estabelecido tendo em vista que nem tudo segue uma linha reta, de A a B, como é o caso do desenvolvimento profissional.

Nesse caso, o desenvolvimento é horizontal e segue apenas por duas direções:

  • área técnica;
  • área gerencial.

E com divisões de responsabilidades de baixa, média e alta dificuldade. Isso faz com que líderes e colaboradores atuem na mesma frente, com mais flexibilidade. Um líder coloca a mão na massa da mesma forma que os profissionais da sua equipe.

Portanto, é um modelo mais flexível, dinâmico e que preza pelo espírito colaborativo. Quer alguns exemplos disso?

Imagine que o líder de uma equipe — recém-contratado — é ótimo na gestão de pessoas, mas falta a ele o conhecimento técnico de particularidades da empresa.

Por meio da carreira em W ele vai ter ao seu lado profissionais que despontam em qualidades técnicas que podem atuar lado a lado com o seu gestor.

Ambos se destacam e ambos apresentam os seus diferenciais, levando a empresa a alcançar os resultados esperados.

 

As vantagens da carreira em W

Quando se pensa em um desenvolvimento profissional pautado na carreira em W, algumas oportunidades se abrem dentro da cultura organizacional da empresa.

Por exemplo: nem sempre alguém que iniciou a sua trajetória profissional como analista em determinado setor vai encerrar a sua carreira no mesmo lugar.

Afinal de contas, o mundo se transformou demais ao longo das últimas décadas. Não saímos de uma faculdade com a mesma visão que tínhamos no primeiro semestre. Por que manteríamos nossas expectativas profissionais estagnadas?

Isso nos leva a apresentar alguns dos diferenciais da carreira em W, como:

  • flexibilidade para migra de áreas e departamentos com menos rigidez;
  • o nível de satisfação no trabalho é aprimorado, tendo em vista que o RH passa a cuidar mais das expectativas dos seus colaboradores;
  • o desenvolvimento da inteligência emocional também é maior porque o RH pode estar à frente de treinamentos que tornem seus profissionais mais preparados para qualquer situação;
  • gestão e ação se complementam mais e com mais profundidade;
  • o relacionamento interpessoal é também trabalhado, uma vez que gera perspectivas coletivas de desenvolvimento dentro da empresa;
  • a retenção de talentos é maior.

Vale destacar, ainda, que a empresa se beneficia amplamente da carreira em W. Afinal de contas, ela passa a construir perfis profissionais que transitam facilmente por todas as suas áreas — e com conhecimentos e habilidades técnicos e de gestão.

 

O perfil do profissional de uma carreira em W

Você sabe quais colaboradores na sua empresa já desfilam com o perfil de quem abraça a carreira em W no seu dia a dia profissional?

Para saber certinho, abaixo nós destacamos algumas das qualidades desse tipo de profissional:

  • comunicativos por excelência, sabem ouvir e transmitir as suas mensagens com objetividade e sempre valorizando os relacionamentos interpessoais;
  • são negociadores e sabem lidar bem com os conflitos — internos e externos;
  • são criativos e inovadores. Sempre insatisfeitos com a mesmice de processos e resultados. Por muito tempo foram conhecidos como os knowledge workers.

Como deve ter dado para perceber, são atributos e habilidades que não nascem com as pessoas: são desenvolvidos.

Consequentemente, o RH da empresa tem participação ativa na consolidação de um plano de carreira em W. Vamos ver, a seguir, como implementá-lo?

 

O desenvolvimento de um plano de carreira em W

Para que o RH alinhe os seus valores às demandas do mercado, propondo um ambiente produtivo para os seus colaboradores, algumas etapas devem ser consideradas.

Assim, para criar um plano eficiente de carreira em W devem ser levados em consta os seguintes aspectos:

 

Entenda os pontos fortes e de melhoria

Você sabe onde a sua empresa enfrenta dificuldades para desenvolver um plano de carreira, engajar os colaboradores e minimizar os riscos?

Se sim, é hora de colocá-los no papel para que a carreira em W seja inserida em um ambiente flexível, pronto para ter essas questões complementadas ou plenamente supridas.

 

Estabeleça objetivos e metas

Cabe aos profissionais de RH a compreensão de onde os seus profissionais podem chegar — e em quanto tempo.

Por meio de um plano de carreira eficiente essas questões são trabalhadas para que, em seguida, os indivíduos entendam quais são as suas metas e objetivos. E que, com isso, ele saiba alinhá-los aos seus próprios propósitos e metas.

 

Tenha um perfil profissional em vista

O RH tem também um papel elementar nas avaliações de desempenho e processos seletivos: a atenção com o perfil profissional que a empresa necessita e busca.

Com isso, é possível reter os talentos internos, atrair novos e consolidar uma equipe eficiente, produtiva, motivada e ciente dos resultados que pode absorver a partir desse desafio.

E então, deu para entender como a carreira em W pode ajudar na manutenção e valorização dos seus recursos humanos e quais resultados a sua empresa pode absorver a partir disso?

 

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, ou queira compartilhar a sua experiência profissional com a carreira em W, deixe um comentário logo abaixo e vamos ampliar a nossa discussão sobre o tema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *