Inscreva-se

Como calcular o IRRF na folha de pagamento dos meus funcionários?
Departamento Pessoal

Como calcular o IRRF na folha de pagamento dos meus funcionários?

IRRF é a sigla para Imposto de Renda Retido na Fonte e representa uma antecipação do pagamento do imposto de renda cobrado pela Receita Federal sobre os salários dos trabalhadores com carteira assinada. Ele é obrigatório e o desconto é feito mensalmente direto do salário do trabalhador.

Uma vez que a empresa passa a calcular o IRRF, os funcionários não precisam se preocupar em recolher sua contribuição mensalmente. Assim, antes mesmo de realizar o pagamento, o próprio empregador subtrai o valor e envia à Receita Federal com base no salário de cada colaborador.

A organização deve sempre usar como referência a tabela de alíquota do IR, que consta o valor correspondente ao valor que cada empregado deve pagar de imposto, que é proporcional ao tamanho de sua renda mensal.

É importante destacar que a responsabilidade de realizar a retenção correta é da empresa. Por isso, é fundamental contar com o auxílio de um setor contábil para garantir que os cálculos e descontos na folha de pagamento sejam feitos sem erro.

E sua empresa, já sabe como calcular o IRRF corretamente? Confira a seguir tudo o que é preciso saber para realizar o recolhimento de forma efetiva:

Antes de você continuar a leitura, temos dicas de ouro para você evitar que sua empresa receba multas! Responda o formulário e as receba:


 

O que é Imposto de Renda?

Primeiramente, antes de efetuar o cálculo, é necessário entender a fundo o que significa imposto de renda.

O imposto de renda (IR) existe em diversos países e nada mais é que a dedução de uma parcela da renda média anual de profissionais assalariados que é repassada para o governo.

A parcela cobrada pode variar de acordo com a renda média do profissional ou ser fixa. Isso irá depender do regime tributário em questão. No Brasil, é pago mensalmente e, no ano seguinte, o contribuinte realiza a declaração do IR para ajustes anuais do quanto deve ou do quanto tem de restituição por valores pagos a mais.

O imposto de renda retido na fonte é uma obrigação tributária definida por lei e é responsabilidade da empresa. A retenção deve vir no holerite mensal dos empregados contratados em regime CLT.

 

Como fazer a soma dos vencimentos dos colaboradores?

Os vencimentos são as quantias que somam a remuneração bruta, a qual será base para os descontos realizados.

Então, antes de calcular o IRRF, é necessário ter em mãos o valor do salário bruto dos funcionários. Para isso, basta somar todos os vencimentos do colaborador. Esse valor será a base para calcular todos os descontos da folha de pagamento.

É preciso, ainda verificar todos os vencimentos que o funcionário possa ter, como adicional noturno, horas extras, descanso semanal remunerado, entre outros.

 

INSS

A partir da soma dos vencimentos, é possível ter a base para realizar o  desconto da contribuição previdenciária.

O desconto é feito mensalmente sobre todos os vencimentos do funcionário. Seu percentual varia de acordo com os ganhos do funcionário e também segundo os valores divulgados pelo INSS no início de cada início de ano.

Esse recolhimento é feito no mês de referência e o repasse da empresa para o INSS acontece até o dia 15 do mês seguinte.

As alíquotas pode variar entre 8% e 11%, chegando ao limite de R$604,44. As faixas da contribuição são:

  • Salário bruto até R$ 1.659,38 – 8% de INSS;
  • Salário bruto de R$ 1.659,39 a R$ 2.765,66 – 9% de INSS;
  • Salário bruto de R$ 2.765,67 a R$ 5.531,31 – 11% de INSS;
  • A partir de R$ 5.531,32 – R$ 604,44 de INSS.

 

Como calcular o IRRF?

A base para o imposto de renda retido na fonte é a mesma utilizada para o cálculo do INSS, subtraindo o valor da contribuição previdenciária. Ou seja, um colaborador que tem salário bruto de R$3.200, em que seu desconto do INSS é de R$352 (11%), terá uma base para calcular o IRRF de R$2.848;

Além de descontar o valor referente ao INSS, é necessário subtrair o valor de R$189,59 do resultado por cada dependente legal que o funcionário possa ter. Esses dependentes podem ser: cônjuge, filhos até 21 anos, pais e avós (desde que não obtenham rendimentos).

Portanto, para auxiliar sua empresa, é necessário ressaltar a importância de se chegar ao valor correto para a base do cálculo. Para isso, lembre-se de seguir os três passos fundamentais:

 

Passo a passo para calcular o IRRF

  1. Primeiramente, lembrar-se de verificar o salário bruto total dos colaboradores; 
  2. Subtrair do valor bruto a parcela referente ao desconto do INSS; 
  3. Retirar do montante restante o valor referente ao número de dependentes; 
  4. Subtrair do valor restante a quantia paga por pensão alimentícia, em casos de decisão judicial; 
  5. Subtrair do montante o valor paga em previdência privada; 
  6. Enfim, após todas as deduções (INSS, dependentes, pensão alimentícia e previdência privada), é possível se chegar até o valor-base para calcular o IRRF; 
  7. Em seguida, é necessário consultar a tabela do IR mensal para saber em qual faixa o valor-base de cada colaborador se encaixa e qual alíquota deve ser paga. A alíquota do imposto de renda é progressiva. Para consultar os valores atualizados, é necessário acessar o site da Receita Federal; 
  8. Após verificar os valores do IR em exercício no ano, deve-se aplicar a alíquota sobre o valor-base; 
  9. Depois disso, subtraia a parcela a deduzir do valor encontrado; 
  10. Finalmente, o cálculo do IRRF estará pronto. A quantia encontrada será referente ao valor do desconto do imposto de renda retido mensalmente na folha de pagamento.

Para não se esquecer de nenhuma das etapas listadas anteriormente, sua empresa pode utilizar a seguinte fórmula:

Cálculo do IRRF: {[Total de vencimentos – Deduções (INSS, dependentes, pensão alimentícia, previdência privada)] x Alíquota} – Parcela a deduzir.

Confira um exemplo para se basear:

 

Exemplo

Um determinado funcionário recebe um salário bruto de R$ 3 mil. Sobre esse valor incide a taxa de 11% do INSS, que dará R$330. Resultando em uma base de R$2.670.

Para se chegar ao valor do desconto mensal do imposto de renda em sua folha de pagamento é necessário levantar as seguintes questões: ele tem dependentes? paga pensão alimentícia? possui previdência privada ou outras deduções?

Vamos considerar que esse profissional tenha um dependente legal e pague pensão alimentícia para outro filho no valor de R$200. Com essas deduções, a base para o cálculo passa a ser de R$2.280,41.

A partir da base real do imposto de renda, é possível identificar a faixa de percentual a ser descontadas.

As faixas atualizadas para 2018 são:    

Base de cálculo (R$) – Alíquota (%) – Parcela a deduzir do IRPF (R$)

Até 1.903,98 – isento – isento

De 1.903,99 até 2.826,65 – 7,5% – R$ 142,80

De 2.826,66 até 3.751,05 – 15% – R$ 354,80

De 3.751,06 até 4.664,68 – 22,5% – R$ 636,13

Acima de 4.664,68 – 27,5% – R$ 869,36

 

Dessa forma, para se chegar ao valor do funcionário de nosso exemplo, deveríamos realizar a conta:

  • R$ 2.280,41 x 7,5% = R$ 171,03;
  • R$ 171,03 – R$ 142,80 = R$ 28,23 de tributo retido.

 

O IRRF incide nas férias e no 13º salário?

É importante saber que o imposto de renda também deve ser descontado nos pagamentos das férias dos funcionários e em seu 13º salário. Os valores a serem descontados da previdência são calculados mensalmente, por isso, as alíquotas são aplicadas separadamente.

Por isso, para calcular o IRRF sobre as férias é necessário tomar como base o total a ser pago ao funcionário, deduzindo os descontos permitidos e aplicando a tabela do imposto de renda atualizada.

Para o 13º salário, em que o valor a ser pago é dividido em duas parcelas, o desconto do IRRF deve ocorrer apenas na segunda parcela do pagamento. Nesse caso, o imposto de renda é calculado sobre o valor do 13º bruto, levando em consideração todas as deduções legais referentes ao funcionário.

 

Como você pode perceber, calcular o IRRF não é uma tarefa fácil. Portanto, a empresa deve contar com uma equipe eficiente em seu setor contábil. Apenas assim será possível garantir que os descontos na folha de pagamento sejam feitos corretamente e que a empresa não tenha nenhum problema legal posteriormente.  

As informações sobre como calcular o IRRF foram úteis para você? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como esse em primeira mão!

Related posts

1 Comment

  1. Hilbert

    Facil entendimento. Parabens!

Deixe uma resposta

Required fields are marked *