Não há nada mais importante para uma empresa do que seus colaboradores. São eles os responsáveis por descobrir as necessidades dos clientes, trazer novas ideias e gerar resultados surpreendentes. Por isso, não é exagero dizer que uma organização que não valoriza seus funcionários não tem futuro. E a melhor maneira de fazer isso é implementar o modelo Business to Employee (B2E).

Você já ouviu falar nesse conceito? Para ajudar você a entender o assunto, reunimos neste post tudo o que há de mais importante sobre B2E, da definição básica às principais aplicações. Quer saber mais? Confira a seguir!

O que é Business to Employee?

Business to Employee é uma abordagem de negócios em que o foco está nos colaboradores. Funciona como os modelos Business to Business (B2B) e Business to Client (B2C), mas ao invés de ações voltadas para outras empresas ou para o cliente final, a estratégia visa contemplar os próprios funcionários da empresa.

O principal objetivo do B2E é aumentar a capacidade de atração e retenção de talentos da companhia, por meio de táticas de recrutamento, planos de benefícios e outras estratégias. Dessa forma, é possível facilitar o dia a dia da equipe e aumentar sua qualidade de vida, o que gera mais engajamento, motivação e produtividade.

>> Quer entender quais são os primeiros passos para promover a retenção de talentos na sua empresa? Recomendamos que você acesse o livro digital da Xerpa. Nele, você obterá os insights certos para iniciar um plano efetivo para sua empresa! Clique aqui e acesse-o agora mesmo.

Como implementar o Business to Employee?

O modelo Business to Employee envolve tudo o que a empresa faz para atrair e reter colaboradores, mas o termo normalmente é usado para se referir a duas iniciativas específicas: o portal B2E e os canais internos de vendas. Confira abaixo mais detalhes sobre cada uma delas.

 

Portal B2E

O portal B2E é uma página inicial personalizada exibida no navegador de todos os funcionários da empresa. O termo é muitas vezes tido como sinônimo de intranet, mas há algumas diferenças entre os dois conceitos.

Intranet é uma área logada com foco na empresa. Funciona como uma camada de segurança extra para proteger dados importantes do negócio, como timesheets e informações sobre projetos.

Já o portal B2E tem foco nos colaboradores. Seus recursos englobam as ferramentas oferecidas pela intranet, mas vão além. Esse tipo de sistema permite que os funcionários se comuniquem e colaborem com seus colegas, acessem treinamentos, serviços de viagens, notícias do mercado e até plataformas de e-commerce.

Além disso, o portal B2E permite customização e personalização para atender melhor às necessidades individuais de cada empregado.

A importância da experiência do colaborador

Um portal Business to Employee tem impacto direto em um aspecto essencial da rotina da empresa: a experiência do colaborador. A importância de entregar um sistema eficiente e intuitivo é frequentemente ignorada pelas companhias, o que culmina em uma sensação de insatisfação e falta de motivação na equipe.

Imagine que você, como cliente, esteja fazendo uma busca no site de uma loja. Se a interface for ruim, lenta e confusa, você provavelmente vai sair e procurar um concorrente, certo?

Agora, pense na mesma situação no dia a dia de uma empresa. Se a página interna para colaboradores for de má qualidade, eles não poderão procurar outra alternativa. Vão ter que se contentar com uma plataforma insuficiente, que não contribui em nada para a rotina e não atende às suas necessidades.

Isso gera, aos poucos, uma enorme descontentamento entre os funcionários, além de travar os processos internos e prejudicar a produtividade. Portanto, pode-se dizer que a experiência do usuário interno é tão ou mais importante que a experiência do usuário externo.

Tomando os devidos cuidados, é possível garantir um portal B2E eficiente para todos os colaboradores, aumentando o engajamento da equipe e o senso de comunidade na organização.

 

Canais internos de vendas

Outro uso frequente da expressão Business to Employee diz respeito aos canais internos de vendas. Nesse modelo, os colaboradores conseguem adquirir os produtos da empresa em condições especiais, com preços menores, recompensas exclusivas e formas de pagamento diferenciadas.

Esse marketplace exclusivo deve ser planejado em parceria com o RH, sendo oferecido como um benefício aos funcionários. Para que o efeito seja positivo as vantagens devem ser generosas, com bons descontos, facilidades de pagamento e brindes. Dessa forma, o colaborador se sente valorizado e se torna mais engajado, o que ajuda a reduzir o turnover.

>> A Xerpa criou um livro digital que aborda tudo sobre o turnover e quais as principais ações para reduzi-lo! Basta você clicar aqui e você irá acessá-lo agora mesmo 😉

 

Vantagens de vender para os próprios funcionários

Além de representar um benefício para os funcionários, o canal de vendas Business to Employee traz diversas vantagens para a organização.

A maior delas é a possibilidade de reunir dados para fazer campanhas externas posteriormente. Analisando os compradores internos, a empresa consegue informações valiosas sobre faixa etária, gênero e hábitos dos consumidores da cada produto. Assim, fica mais fácil criar campanhas direcionadas e aumentar o volume e a qualidade das vendas.

O fato de todos os compradores estarem reunidos em um só lugar é outra vantagem importante. Com isso, é possível ir além do ambiente online para alavancar as vendas, usando o espaço interno para ações e campanhas de incentivo.

Há, ainda, a oportunidade de oferecer o desconto em folha como opção de pagamento. Isso reduz a praticamente zero os riscos de fraude e inadimplência, já que a efetivação do pagamento é garantida.

Porém, apesar de vantajoso, esse não deve ser o único meio de pagamento oferecido aos funcionários. Isso prejudicaria a liberdade de escolha e tornaria a experiência de compra limitada.

Em vez disso, dê mais incentivos para os colaboradores que fizerem compras com pagamento direto pela folha salarial: descontos maiores, parcelamento em mais vezes, ou unidades extras do produto comprado, entre outras alternativas.

 

Chegamos ao fim no nosso artigo sobre o modelo Business to Employee. Agora que você já está por dentro do assunto, que tal colocar o que aprendeu em prática? Combine os diversos usos do conceito de B2E e implemente ações poderosas com foco nos funcionários da sua empresa! Assim, você com certeza terá um time muito mais engajado e produtivo no dia a dia.

Se você gostou do post, não se esqueça de compartilhá-lo nas suas redes sociais. Assim você contribui com o mercado e ajuda outros profissionais a conhecerem esse conceito tão importante para as organizações!