brasileiros estão presos ao cheque especial

Por que os brasileiros estão presos ao cheque especial

O cheque especial é uma linha de crédito pré-aprovada, normalmente, pelas instituições financeiras. Assim, tornam-se soluções de empréstimos fáceis e convenientes para emergências. Só que muitos brasileiros estão presos ao cheque especial por conta dos elevados juros praticados, fazendo com que as pessoas apenas substituam as dívidas — e, em algumas ocasiões, sai ainda mais caro. Daí, a importância em saber como driblar o problema e evitá-lo, daqui por diante.

 

Embora seja um recurso muito usado, no país, é mais adequado dizer que os brasileiros estão presos ao cheque especial. Afinal de contas, a facilidade em obter esse empréstimo contrasta com um problema gravíssimo e também imediato: os juros do cheque especial.

Com isso, muitas pessoas acabam transferindo as dívidas, em vez de quitá-las. Tudo porque o cheque especial é prático e conveniente para um empréstimo em curto prazo e de fácil aprovação.

Só que essa praticidade se converte em um acúmulo de dívidas — questão que impregna no semblante das pessoas, promovendo o estresse financeiro e uma série de obstáculos na vida pessoal e profissional.

Vamos entender, então, os motivos pelos quais os brasileiros estão presos ao cheque especial, e quais soluções podem ajudar a solucionar esse problema? Basta seguir com a leitura deste post conosco!

O que é o cheque especial?

O cheque especial foi instaurado como uma medida rápida e conveniente de empréstimo para as pessoas. Normalmente, as instituições financeiras providenciam esse tipo de serviço, muito usado para compras emergenciais.

E é aí que reside o problema: por ter elevados juros — algo em torno de 320% ao ano —, o cheque especial vira um grande vilão da conveniência e praticidade oferecidas. Especialmente, porque ele costuma ser praticado automaticamente quando não há fundos suficientes para determinados débitos na conta bancária.

Assim, quando dizem que os brasileiros estão presos ao cheque especial, o que estão dizendo é que muitas pessoas passaram a incorporá-lo à sua renda cotidiana. O que se configura, facilmente, em mais dívidas e juros no seu dia a dia — menos renda, portanto, ao longo do ano inteiro.

Por que os brasileiros estão presos ao cheque especial?

No último ano, o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) apurou que 20% dos brasileiros já fizeram uso do cheque especial ao longo do último ano. 

Em geral, as pessoas usam-no de maneira pontual — para compras de última hora, por exemplo — e são poucos aqueles que consideram esse empréstimo como um complemento de sua renda para arcar com quitação de contas ao longo do mês.

No entanto, vale observar um dado alarmante: 40% dos usuários do cheque especial recorrem a esse limite extra todos os meses. Isso cria uma dependência que reforça o termo de que os brasileiros estão presos ao cheque especial. E que causa uma série de problemas indiretos na vida delas.

O que isso implica na vida das pessoas?

Pessoas de baixa renda, sem controle financeiro e também com acúmulo de dívidas (independentemente do motivo) costumam se enquadrar entre os brasileiros que estão presos ao cheque especial.

E por consequência, uma série de problemas se revelam a partir disso. O primeiro deles é a inadimplência com as contas ou mesmo no pagamento do cheque especial, entre outros empréstimos solicitados.

Isso cria uma bola de neve em constante crescimento, já que os elevados juros impedem que a pessoa quite a sua dívida e, ainda, que consiga planejar-se financeiramente para não cair nessa situação novamente.

Quer um exemplo disso? De acordo com o Banco Central, o consumidor do país fez uso de R$ 21,98 bilhões do saldo total do cheque especial. Entretanto, R$ 3,38 bilhões foram registrados em inadimplência. Um nível de 15,36% do total solicitado.

Veja, então, como os brasileiros estão presos ao cheque especial. E isso cria uma série de armadilhas financeiras que se desenvolvem em um problema crescente na vida das pessoas, como:

  • estresse financeiro;
  • impaciência;
  • irritabilidade;
  • falta de foco e concentração;
  • baixa produtividade;
  • falta de motivação;
  • baixa performance no trabalho.

Até por isso, tem se tornado comum, no ambiente de trabalho, a preocupação em compor programas de bem-estar financeiro para os colaboradores.

Por meio dessas medidas, as organizações passam a focar mais na qualidade de vida dos seus funcionários, começando pela satisfação deles dentro de casa. Sem dívidas, não há tanto estresse e eles focam mais nas suas atividades profissionais (o que se traduz em mais resultados).

Como resolver o problema?

Portanto, se você está em isca de soluções variadas para o crescimento da sua empresa — e o contínuo aprimoramento do bem-estar dos seus funcionários —, é possível considerar algumas soluções para minimizar a ideias de que os brasileiros estão presos ao cheque especial.

E, a seguir, vamos apontá-las para você!

 

Programas de bem-estar financeiro

Que tal implementar programas que incentivem a educação financeira na sua empresa? Isso pode vir por meio de consultorias, workshops, palestras e até mesmo de incentivos complementares para compras emergenciais (como medicamentos).

Assim, os colaboradores passam a entender, melhor, como é a relação deles com a renda mensal, bem como os custos que eles têm ao longo dos meses. O que, por consequência, reduz o estresse financeiro e mantém o seu quadro de funcionários mais motivado e engajado.

 

Benefícios corporativos

Outra dica interessante é o uso de benefícios corporativos para reduzir essa ideia de que os brasileiros estão presos ao cheque especial. O salário sob demanda, por exemplo, é a nossa sugestão ideal para isso!

Aqui, no Brasil, a modalidade atende pelo nome de Xerpay, a nossa própria solução para você agregar flexibilidade e autonomia para que os seus funcionários tenham mais controle financeiro.

Funciona assim: por meio de um aplicativo da Xerpa, o profissional pode solicitar um adiantamento salarial com base nos dias já trabalhados. Com um custo não superior a um cafezinho, o seu colaborador tem o saldo solicitado em poucas horas, na sua conta bancária, evitando que o cheque especial seja utilizado.

Com o tempo, as pessoas passam a fugir desses empréstimos, e entendem como usar os seus próprios recursos para fazê-los render durante o mês inteiro.

 

Vale destacar que, complementarmente, o Xerpay é um benefício e tanto para a empresa de outras maneiras também. Para saber mais a respeito, dê uma conferida depois em nosso artigo que explica como o Xerpay ajuda a reduzir o turnover!

Por enquanto, vale ficar com as dicas aqui vistas para acabar com esse alarmante dado de que muitos brasileiros estão presos ao cheque especial. E se você tem outras sugestões para minimizar esse problema, internamente, lidando com boas práticas em gestão de pessoas, deixe um comentário no campo abaixo!

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.