Inscreva-se

Bom recrutamento: como ele pode alavancar as estratégias da empresa?
Dicas

Bom recrutamento: como ele pode alavancar as estratégias da empresa?

Chegar aos melhores talentos nunca foi tão desafiador, em especial para setores da economia extremamente aquecidos, como o de TI. Sobram pesquisas para comprovar a carência de profissionais especializados nessa área no Brasil. Um estudo encomendado pelo Cisco à IDC projeta que esse déficit deve beirar os 160 mil até 2019

E mais: se essa escassez de mão-de-obra não for estancada com mais agilidade, estima-se que pode levar a perdas de receita de até R$ 115 bilhões até 2020.

Durma com um cenário desses!

É justamente aí que o bom recrutamento entra como uma das principais estratégias para alavancar os negócios da empresa. Como? É o que veremos neste post! Mostraremos a trajetória do RH rumo a um protagonismo cada vez maior, deixando para trás o estereótipo de mero departamento pessoal, que se “vira nos 30” para dar conta de um budget de “primo pobre”, se comparado aos demais.

Hoje, o RH sente – merecidamente – o gostinho da vitória de participar diretamente de importantes tomadas de decisão.

Neste post veremos também os (altos) custos por trás de uma má contratação. E já vamos adiantar que não estamos nos referindo apenas a prejuízos financeiros.

Ficou curioso?

Há uma frase que diz: o custo de uma má contratação costuma ser mais alto do que se espera e maior do que qualquer empresa pode se dar ao luxo de ter.

Boa leitura!

 

O que diferencia um mau de um bom recrutamento

Vamos começar tentando deixar mais evidente essa diferença. Se tivéssemos que eleger o que distingue um mau e um bom recrutamento, certamente o planejamento encabeçaria a lista:

A sua empresa tem uma política clara de recrutamento e seleção?

Há um fluxo muito bem definido da abertura ao preenchimento da vaga?

Elaborar uma política de recrutamento e seleção é essencial. E pode ser um simples documento de Word. Não é a melhor forma, mas o conteúdo que precisa ser consistente. A ideia de ter essa política devidamente registrada é garantir perenidade ao compromisso e permitir que qualquer pessoa que bata os olhos nele não fique em dúvidas sobre:

  • as premissas básicas de recrutamento;
  • as formas utilizadas de recrutamento e suas características (interno e/ou externo);
  • o fluxo do processo todo, passo a passo (a descrição e a divulgação da vaga, o recebimento e análise de currículos, as entrevistas, a seleção, a contratação);
  • os critérios utilizados (pontos a serem levados em conta em relação ao perfil técnico e em relação ao fit cultural).

Aqui, você encontra um checklist mais completo.

 

Uma boa política de recrutamento traz muitos dividendos

  • Dá transparência do processo;
  • inibe decisões discriminatórias de cunho pessoal (porque o que vale é a regra);
  • imprime consistência e credibilidade ao recrutamento;
  • permite a criação de uma descrição de vaga matadora.

Bem, e antes de entrar nas vantagens práticas de um bom recrutamento, a pergunta que não quer calar: o que faz de um recrutamento um bom recrutamento?

Em linhas gerais, podemos dizer que se a maioria dos itens abaixo fazem parte do seu processo de seleção, você está no caminho certo:

 

Como fazer um bom recrutamento

Lide com seres humanos e não data-beings

O RH está cada vez orientado a dados, e isso é ótimo. Mas estamos lidando com seres humanos e não com data-beings, por isso, é lógico que continua importante manter-se sempre atento àquelas sutilezas que os currículos não revelam. Lembre-se de que a parte técnica se aprende, enquanto comportamentos são muito difíceis de mudar.

 

Confira as referências

O papel aceita tudo. Cheque as referências. É free e evita surpresas negativas no futuro. Desta forma, o RH aproveita para conferir quais eram as principais atribuições do então funcionário, seus pontos fortes, os aspectos que ele precisa melhorar e o contexto geral do relacionamento.

 

Divida as responsabilidades

O recrutamento tem que ser feito a quatro mãos com o gestor da vaga. E, quando o RH não tem afinidade com essa área, isso é mais importante ainda. Nada de carregar o mundo nas costas.

 

Alinhe expectativas

Exigências da vaga, salários, expectativas futuras, flexibilidade ou não de horários. Coloque todos os pingos nos “is” durante o processo, sem dar chance para frustrações ou para o fatídico “mas eu não sabia disso”.

 

Definidas as características que ajudam a construir um processo de qualidade, está na hora de avançar mais um pouco.

Após a leitura do artigo, recomendamos que você baixe esse eBook gratuito. Nele você descobrirá estrategias eficazes para fazer um bom recrutamento e seleção! Responda o formulário e receba agora mesmo:


7 principais vantagens de um bom recrutamento

1. Diminui os custos do processo

Contratar não é barato. Uma má contratação pode custar em torno de 30% do salário anual daquela posição, segundo a Forbes. Isso exige bastante do time do início ao fim do processo, desde a descrição da vaga, postagem dos anúncios, seleção de currículos, marcação de  entrevistas… Em algumas empresas, isso se estende por meses. Contratar a pessoa errada, faz com que você tenha que repetir todo esse processo. Desta forma, os custos serão dobrados e as equipes ficarão sobrecarregadas. 

 

2. Protege a produtividade

Time is money, ditado que nunca fica velho. Imagine quanto tempo você perde em cada etapa da tarefa. Faça uma matemática rápida com o custo/hora de cada envolvido.

Além disso, recrutamentos arrastados fazem com que questões importantes do RH fiquem em segundo plano. Essas questões, podem estar ligadas, por exemplo, à cultura e ao clima organizacional. Por isso, um bom processo é aquele que usa o menor tempo possível para que você possa se dividir bem entre todos os seus compromissos.

 

3. Traz maior assertividade

Ter menos currículos é bem mais estratégico. Nunca use quantidade como métrica. Em meio a um tsunami de currículos, fica fácil deixar passar os melhores talentos. Quanto mais objetivo, claro e conciso for o seu job description, mais estreito o seu funil estará.

Investir tempo na descrição da vaga faz toda diferença na assertividade do processo. Estamos falando de talentos, que são como diamantes: difíceis de se achar, são o sonho de todo mundo e quem os tem sempre quer mais!  

 

4. Evita uma série de impactos negativos

Qual é o custo de ter alguém contaminando o clima organizacional que você tanto preza e se empenha em manter? Isso sem falar no comprometimento da reputação do projeto ou da empresa junto aos seus públicos. Uma má contratação é uma caixinha de surpresas do mal.

 

5. Dá um gás no time

Incluir a pessoa certa no time, dá aquela animada no pessoal. São novas experiências e skills sendo incluídas como peças que se encaixam, desafiando a equipe a se abrir a novas possibilidades e inspirando novos formas de olhar problemas. A pessoa errada, por sua vez, podem vampirizar energias, comprometer a união e os resultados.

 

6. Fortalece o Employer Branding

Dá um trabalho danado para a empresa conseguir construir uma imagem capaz de atrair e manter profissionais interessados e motivados em trabalhar nela e também entrar na lista de empresas mais desejadas pelos candidatos. Cada boa contratação fortalece essa imagem. Você consegue montar aquele dream-team quando a marca é construída tendo por base ações originadas em crenças tão genuínas, a ponto de nem o público interno nem o externo terem a menor dúvida sobre a sua autenticidade.

 

7. Faz de você uma máquina de retenção de talentos

Retenção de talentos é o maior desafio hoje do RH. Uma pesquisa da Deloitte mostrou que este é um tema que tira o sono de mais de 50% dos executivos. Jogar a isca e atrair os melhores é difícil, mantê-los motivados, vestindo a camisa e alheios às investidas da concorrência, mais ainda.

Boas contratações trazem para a empresa pessoas que compartilham de seus valores e sentem-se à vontade com a sua cultura, pontos de retenção poderosos que evitam aqueles gastos de recontratação dos quais já falamos.

 

Reveja as suas ações para obter um bom recrutamento

Contratar é bem mais difícil e complexo do que muita gente dos departamentos vizinhos imaginam. São muitas etapas, muitos detalhes, e uma pressão enorme dos gestores por economia de tempo e dinheiro. Ao mesmo tempo, a qualidade da contratação se mostra fundamental para evitar uma série de prejuízos financeiros, de reputação, de clima organizacional.

Por sorte, a tecnologia vem se mostrando uma grande parceira de profissionais de RH, oferecendo softwares que se encarregam desde o recrutamento à gestão da admissão. Essas ferramentas inteligentes puxam para si as etapas que podem facilmente ser resolvidas por automação, permitindo que a equipe de RH use toda a sua energia e expertise no que realmente importa: atuar de forma cada vez mais estratégica para alavancar os negócios da empresa.

 

Conteúdo desenvolvido pela Geekhunter, plataforma que, por meio de tecnologia, atrai, valida e seleciona os melhores em TI. Acompanhe o nosso blog.

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *